conecte-se conosco


Tecnologia

Como ler o teste de velocidade de internet e avaliar sua conexão

Publicado

Aprenda a ler um teste de velocidade de internet
Tecnoblog

Aprenda a ler um teste de velocidade de internet

Para ler o teste de velocidade de internet, qualquer pessoa pode fazer uso de sites e aplicativos. Porém, nem sempre conseguimos entender totalmente o que tudo significa. Será que o serviço oferecido segue realmente o combinado? A sua internet alcança os números desejados? É por isso que separamos algumas informações valiosas sobre o assunto.

Por que testar a conexão?

Antes de mais nada, é importante entender o motivo de realizar esse teste. Pode ser necessário em situações nas quais você precisa de estabilidade em sua rede, por exemplo. Talvez você queira  fazer transmissões ao vivo por canais como YouTube, Twitch ou Instagram. Pode ser que você queira curtir os seus games online com os amigos.

A informação também é valiosa caso você queira saber se realmente está recebendo o que está pagando. Entender o teste de velocidade de internet é um passo importante na hora de cobrar o seu provedor por um serviço pleno.

Teste a velocidade da sua internet

Primeiramente, use um medidor para realizar o teste. Assim, você conseguirá conferir em tempo real qual o nível de download e upload, além de outros dados relevantes.

Lembre-se de deixar apenas o seu computador ligado no modem, pois se você estiver usando consoles, smartphones e outros aparelhos, o resultado pode ser alterado. Se possível, conecte um cabo de Ethernet ao seu PC. Isso garante uma conexão mais estável, sem quedas bruscas comuns do Wi-Fi.

Entenda os termos do teste de velocidade

Assim que você completa a verificação, algumas informações acabam surgindo. O nome de sua operadora, o tipo de conexão e o sistema usado são algumas delas, mas há quatro pontos de extrema relevância ao fazer um teste de velocidade de internet. Confira:

  • Ping (Latência)

O Ping serve para medir a latência na comunicação entre duas redes. Seu nome é uma abreviação de Packet Internet Groper. Ele é um utilitário que usa o protocolo ICMP.

Resumindo: ele consegue determinar o tempo que dados levam para viajar entre dois periféricos ou através de toda a internet. Quanto mais baixo for, melhor, isso porque as informações chegarão em menor tempo de uma plataforma a outra.

  • Jitter

Falando no tempo que as informações levam para chegar de um ponto a outro, o Jitter funciona como uma forma numérica para expressar o atraso na entrega desses dados. Ou seja, quanto maior for, mais impacto terá na transmissão de vídeo e áudio, afetando a qualidade.

  • Download

Muito importante para os usuários, esse número tende a ser um dos mais procurados na hora de entender um teste de velocidade de internet.

A taxa de download é a representação da quantidade de dados que podem ser baixados por segundo. Assim, quanto mais alto for esse número, mais rápida é a conexão de sua rede.

O “Pico” que aparece na verificação é o máximo que pode ser alcançado naquele momento, enquanto a “Média” é a velocidade padrão de sua internet.

  • Upload

Podemos tratar o upload como o oposto do download. Esse número representa a taxa de dados por segundo que você consegue enviar. Assim como sua contraparte, quanto maior for, melhor será a conexão. O “Pico” e a “Média” funcionam da mesma forma que o ponto anterior.

Por que velocidade de upload é menor do que a de download?

Não se preocupe, isso é normal. O fato é que as conexões usadas na internet foram feitas para dar prioridade ao download, pois os usuários não precisam tanto de carregar dados quanto baixá-los. O próprio serviço oferecido pelos provedores foca muito mais nesse contexto.

Com isso em mente, as operadoras acabam economizando em um ponto para entregar uma maior quantidade em outro.

Fonte: IG TECNOLOGIA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tecnologia

YouTube proíbe vídeos que neguem ou banalizem facada em Bolsonaro

Publicado

Jair Bolsonaro foi esfaqueado em 2018
Reprodução/Twitter

Jair Bolsonaro foi esfaqueado em 2018

O YouTube afirmou nesta quarta-feira (10) que alterou sua política de combate ao discurso de ódio, passando a proibir a publicação e circulação de vídeos que neguem ou banalizem a facada sofrida pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em Juiz de Fora (MG) em 2018.

“Nossa política de discurso de ódio proíbe conteúdo que negue, banalize ou minimize eventos históricos violentos, incluindo o esfaqueamento de Jair Bolsonaro. O discurso de ódio não é permitido no YouTube, e removeremos material sobre o esfaqueamento de Jair Bolsonaro que viole esta política se não fornecer contexto educacional, documental, científico ou artístico no vídeo ou áudio”, afirma a plataforma, em nota enviada ao portal iG.

Nesta quarta-feira, alguns vídeos enquadrados na política foram deletados pelo YouTube. Mas esta não foi a única regra alterada pela plataforma. Agora, também são proibidos vídeos que aleguem fraude nas eleições de 2014 – antes, a medida valia apenas para o pleito de 2018. Diante disso, a live de Bolsonaro com embaixadores publicada em 18 de julho foi deletada pelo YouTube  nesta quarta, já que nela o presidente afirmou que houve fraude nas eleições de 2014, informação que é falsa.

A medida vem após o YouTube afirmar que não removeria o vídeo e em meio a um histórico de baixa moderação de conteúdo quando o assunto são os vídeos publicados no canal do presidente.  Reportagem do portal iG revelou que a plataforma demora em média nove meses para punir o canal de Bolsonaro e deletar vídeos nos quais ele desinforma.

A demora é um dos motivos pelos quais o canal de Bolsonaro segue no ar, já que a quantidade de vídeos excluídos poderia fazer com que ele fosse banido da plataforma.

A exclusão desta quarta-feira, por exemplo, não gera uma punição ao canal do presidente, já que o vídeo foi excluído com base em uma regra que ainda não existia quando a transmissão foi feita.


Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Tecnologia

YouTube volta atrás e deleta live de Bolsonaro com embaixadores

Publicado

Bolsonaro durante reunião com embaixadores
Reprodução – 19/07/2022

Bolsonaro durante reunião com embaixadores

O YouTube excluiu nesta quarta-feira (10) a live do presidente Jair Bolsonaro (PL) com embaixadores publicada em 18 de julho. Na reunião, Bolsonaro atacou as urnas eletrônicas e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) .

Na semana em que o encontro foi transmitido no YouTube,  a plataforma afirmou que não removeria o vídeo por entender que “não foram encontradas violações às políticas de comunidade” da plataforma. Agora, o Youtube atualizou suas regras, o que fez com que a live fosse banida.

“A política de integridade eleitoral do YouTube proíbe conteúdo com informações falsas sobre fraude generalizada, erros ou problemas técnicos que supostamente tenham alterado o resultado de eleições anteriores, após os resultados já terem sido oficialmente confirmados. Essa diretriz agora também se aplica às eleições presidenciais brasileiras de 2014, além do pleito de 2018”, diz o YouTube em nota enviada ao portal iG.

Antes, a política de integridade eleitoral se aplicava apenas às eleições de 2018 no Brasil, se ampliando agora para as de 2014. A regra ainda não cita as eleições presidenciais deste ano.

No encontro com embaixadores, Bolsonaro afirmou que, em 2014, houve uma fraude eleitoral que beneficiou a ex-presidente Dilma Rousseff e prejudicou o então candidato à Presidência da República Aécio Neves, informação que é falsa.


Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana