conecte-se conosco


Sem categoria

Comissão abre consulta para atualizar diagnóstico do diabetes

Publicado

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) abriu uma consulta pública para atualizar os critérios de diagnóstico e tratamento de diabetes mellitus do tipo 1. Podem colaborar pacientes, profissionais de saúde e pesquisadores. O prazo se encerra na próxima segunda-feira (16).

A Conitec assessora o Ministério da Saúde nas atribuições relativas à incorporação, exclusão ou alteração de tecnologias em saúde pelo SUS, bem como na constituição ou alteração de Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT).

As sugestões devem ser enviadas por meio de um formulário eletrônico, disponibilizado no site da Conitec. Os novos parâmetros em vigor serão compilados em um Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas.

O diabetes tem como causa a produção insuficiente ou a má absorção de insulina, hormônio que regula a glicose no sangue e garante energia para o organismo. Considerada um transtorno metabólico, a doença engloba fatores genéticos, biológicos e ambientais.

Prevenção

Geralmente, o diabetes mellitus do tipo 1 se manifesta já na infância e na adolescência, mas também pode aparecer na fase adulta. A doença tem como sintomas a vontade de urinar diversas vezes ao dia, fome e sede constantes, perda de peso, fraqueza, fadiga, mudanças de humor, náusea e vômito. Se não tratado, o quadro pode ocasionar complicações agudas e crônicas, capazes de afetar os olhos, os rins, os nervos e o coração.

As principais medidas de prevenção da doença incluem uma dieta saudável, com ingestão de verduras, legumes e frutas e redução do consumo de sal, açúcar e gorduras. Como o sedentarismo é um fator de risco para o diabetes, a prática de exercícios físicos também ajuda a diminuir as chances de se ter a doença. Estudos indicam, ainda, que fumantes têm maior probabilidade de desenvolvê-la.

O diabetes pode ser detectado através do exame de glicemia, que mede a taxa de glicose no sangue. Em alguns casos, quando esse nível está mais alto do que o normal, o estado chamado de pré-diabetes pode estar caracterizado. Trata-se de um importante sinal de alerta do corpo, já que pode significar a última chance de a pessoa rever hábitos alimentares e de saúde e conseguir impedir o diabetes.

O tratamento do diabetes do tipo 1 é feito com injeções diárias de insulina. As doses são necessárias para que a glicose no sangue seja mantida em taxas normais.

Índices

Análise do Ministério da Saúde revela que, de 2006 para 2018, houve um aumento na incidência da doença no país. No período, a porcentagem saltou de 5,5% para 7,7% da população adulta.

Os dados mostram que a prevalência maior se dá entre mulheres. Ao todo, 8,1% delas tiveram o diagnóstico confirmado, contra 7,1% dos homens.

O governo federal informou que, em 2018, foram distribuídos 3,2 bilhões de medicamentos para diabetes. Estima-se que, ao todo, 7,2 milhões de pacientes tenham sido beneficiados pela ação.

 

 
Edição: Fernando Fraga
publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Sem categoria

Com dados faltantes, Brasil registra 46 mortes por Covid-19 em 24h

Publicado

source
Brasil registra 46 mortes por Covid-19 neste domingo
Edmar Barros/Reprodução

Brasil registra 46 mortes por Covid-19 neste domingo

O Brasil registrou 46 óbitos por Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com dados divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) neste domingo (15).

Dez entes federados, porém, não enviaram informações relacionadas a casos e mortes pela doença por conta de problemas técnicos: Acre, Ceará, Distrito Federal, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Piauí, Rio de Janeiro, Roraima e Tocantins.

Neste domingo, 6.296 novos casos positivos para infecção pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) foram registrados, totalizando 30.688.390 desde o início da pandemia. Ao todo, 664.918 vidas foram perdidas para a Covid-19 no Brasil.

A média móvel de óbitos dos últimos sete dias ficou em 111, mantendo a tendência de aumento dos últimos dias. Já a média móvel de casos ficou em 17.693, também em alta.

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

Sem categoria

No Rio, caminhada no Leme dá largada a projeto de incentivo à saúde

Publicado

Para incentivar a atividade física como forma de prevenção a doenças, o Ministério da Saúde lançou hoje (15) o programa Incentivo de Atividade Física (IAF) para a Atenção Primária à Saúde.

O evento ocorreu na orla do Rio de Janeiro, com uma caminhada do Leme ao Copacabana Palace, na zona sul da cidade, além de atendimento à população para orientação sobre alimentação saudável, combate ao tabagismo e prática de atividades físicas.

De acordo com o Ministério, até o fim do ano serão investidos R$ 100 milhões no programa, que chegará, neste primeiro momento, a 7,5 mil unidades básicas de saúde de 5 mil municípios. Os recursos serão usados para incentivar a contratação de profissionais de educação física, readequação de espaços para a prática de exercícios e compra de materiais. Para o próximo ano, a previsão é investir mais R$220 milhões.

O ministro Marcelo Queiroga explicou que o investimento em atividade física tem retorno garantido na prevenção ao desenvolvimento de uma série de doenças crônicas.

“A atividade física é uma forma de promover a saúde, de reduzir mortalidade por doenças cardiovasculares, o câncer, e promover uma diminuição de fraturas. Também fortalece a musculatura e o sistema ósseo articular fica menos vulnerável. É bastante custo efetivo. Não é nenhum tratamento caro, de um medicamento dito inovador, produzido pela indústria, que vai custar milhões de reais. É uma ação simples, com os profissionais de educação física orientando a prática correta de atividade física, que vamos mudar indicadores de saúde de maneira muito custo efetivo.”

Os municípios que queiram aderir ao programa podem credenciar a partir de amanhã (16) as unidades de Atenção Primária à Saúde (APS), pelo portal e-Gestor.

ConecteSUS

O ministério também lançou hoje a funcionalidade Peso Saudável no aplicativo ConecteSUS, o mesmo utilizado para comprovar a vacinação contra a covid-19. Com o objetivo de estimular hábitos saudáveis, a ferramenta conta com o Programa 12 Semanas, que vai passar orientações aos usuários sobre alimentação e atividade física.

“Trata-se de recurso para o autocuidado, onde o usuário será estimulado a ter melhores hábitos de vida. Para isso, a cada uma semana, o participante receberá orientações e desafios relacionados às duas temáticas, sendo possível registrar os desafios já cumpridos e acompanhar o progresso”, disse a pasta.

Dados

De acordo com o Ministério da Saúde, a prática regular de atividade física contribui para a proteção e combate às Doenças Crônicas Não Transmissíveis, como câncer de mama e de cólon, diabetes, cardiopatia e acidente vascular cerebral.

No Brasil, dados do ano passado mostram que 48,2% da população com 18 anos ou mais das capitais não praticavam o mínimo de atividade física semanal recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com maior sedentarismo entre as mulheres (55,7%) e os idosos (73,0%).

A estimativa do ministério é que, no Brasil, 15% do total de internações pelo Sistema Único de Saúde (SUS) seja atribuído à inatividade física.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana