conecte-se conosco


Política Nacional

Com Sabará expulso, deputados do Novo esperam para poder apoiar Arthur do Val

Publicado


source
Arthur do Val na Assembleia Legislativa de São Paulo
Divulgação/Assembleia Legislativa de São Paulo

Arthur do Val é candidato à Prefeitura de São Paulo pelo Patriota

Deputados estaduais e federais do Novo aguardam uma definição do que o partido vai fazer à respeito da disputa pela Prefeitura de São Paulo nas eleições municipais deste ano para poder manifestar apoio a Arthur do Val , que está na corrida para comandar o Executivo da capital paulista pelo Patriota.

O Novo ficou sem candidato na maior cidade do Brasil após a  Justiça Eleitoral indeferir a candidatura de Filipe Sabará e a  vice dele desistir da disputa.  Sabará também foi expulso do Novo após supostas inconsistências em seu currículo.

Enquanto o partido não se manifesta, esses parlamentares ainda aguardam uma orientação da direção nacional sobre se esse tipo de endosso pode ser tornado público.

De acordo com uma resolução emitida pelo diretório nacional do Novo em 24 de setembro, seus filiados podem fazer “manifestação de voto, em caráter pessoal” a postulantes de outras siglas desde que nenhum membro do partido esteja disputando o mesmo cargo e desde que o nome apoiado compartilhe princípios da legenda. Tanto Sabará quanto Arthur são contra o do Fundo Eleitoral para financiamento de campanhas políticas.

O Novo tem quatro deputados na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) e três representantes paulistas na Câmara. Se autorizados a manifestar os próprios votos, os deputados estaduais e federais do Novo ainda terão que decidir se vão fazer declarações individuais de apoio Arthur.

Outro ponto em comum entre os deputados do Novo e Arthur é a diminuição de gastos com verba de gabinete. Além disso, na Alesp, o candidato do Patriota se comporta igual à bancada do Novo nas principais votações.

Apesar dessa aproximação, há divergências quando à ligação de Arthur ao Movimento Brasil Livre (MBL). Essa é a característica que, segundo líderes do Novo, impediram que o deputado fosse incorporado à legenda fundada pelo empresário João Amoêdo.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Doria parabeniza Covas por reeleição em São Paulo: “Foi um guerreiro”

Publicado


source
João Doria e Bruno Covas
Divulgação

João Doria e Bruno Covas

O governador de São Paulo , João Doria (PSDB), parabenizou Bruno Covas pela  reeleição para a Prefeitura da capital paulista no início da noite deste domingo (29). Nas redes sociais, Doria disse que Covas “foi um guerreiro”.

“Parabéns ao prefeito @brunocovas pela expressiva vitória na eleição em SP. Foi um guerreiro! Sua reeleição representa a vitória do respeito, equilíbrio e eficiência. E a consolidação da força eleitoral do PSDB. Viva a democracia!”, escreveu o governador. 

Covas foi reeleito com 59,38% dos votos válidos. O resultado saiu às 18h59 com 93% das urnas apuradas. O candidatos Guilherme Boulos (PSOL) teve 40,62% dos votos válidos.

Continue lendo

Política Nacional

Cidade de SP tem abstenção recorde no 2º turno das eleições municipais

Publicado


source
Cidade de São Paulo tem abstenção recorde
Rovena Rosa/Agência Brasil

Cidade de São Paulo tem abstenção recorde

No dia em que reelegeu Bruno Covas como prefeito , a capital de São Paulo registrou, neste domingo (29), abstenção recorde no 2º turno das eleições 2020: 30,78% dos eleitores não foram às urnas em SP neste domingo em meio à pandemia de Covid-19. A título de comparação, nos Estados Unidos, onde voto não é obrigatório, abstenção nas eleições presidenciais deste ano foi de 39%.

O número de votos e brancos e nulos também foi alto: quase 700 mil. Foram 218 mil brancos e 488,8 mil nulos, chegando a quase 15% dos votos válidos.

As abstenções em 2020 já haviam superado os recordes anteriores no primeiro turno: em 15 de novembro, 29,29% dos eleitores aptos não compareceram aos colégios eleitorais.

Foram mais de 2,247 milhões de eleitores que deixaram de ir às urnas.
A abstenção recorde anterior na capital havia sido registrada no primeiro turno das eleições municipais deste ano. Antes, em 2016, 22% dos eleitores aptos a votar não comparecem às urnas.

Nos Estados Unidos, onde o voto não é obrigatório, mais de 60,8% dos americanos compareceram às urnas neste ano, o maior nível de participação em 56 anos – uma abstenção de 39%.

Confira o histórico da taxa de abstenção na capital paulista: 

2004: 15%
2008: 16%
2012: 18%
2016: 22%
2020: 29,29% (1º turno)
2020: 30,78% (2º turno, com 97% das urnas apuradas)

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana