conecte-se conosco


Tecnologia

Com chegada do 5G, 391 cidades brasileiras ainda não têm 4G

Publicado

7% dos municípios brasileiros ainda não têm 4G
Unsplash/Jenny Ueberberg

7% dos municípios brasileiros ainda não têm 4G

Na última semana, o 5G começou a funcionar no Brasil , começando pela cidade de Brasília. Embora a nova geração de internet esteja sendo implementada, o país ainda tem 391 municípios que sequer têm acesso ao 4G, número que representa 7% das cidades brasileiras.

Os dados são da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e foram compilados pela Associação Brasileira de Infraestrutura para Telecomunicações (Abrintel).

Atualmente, Minas Gerais é o estado com mais cidades sem conexão ao 4G: são 110 no total. Depois, vêm Rio Grande do Sul (61), Santa Catarina (53), Mato Grosso (24), Goiás (22) Paraná (21), São Paulo (15), Tocantins (14), Rio de Janeiro (14), Pernambuco (11), Mato Grosso do Sul (7), Ceará (6), Amazonas (6), Espírito Santo (4), Rio Grande do Norte (3), Rondônia (3), Piauí (3), Paraíba (3), Sergipe (2), Roraima (2), Pará (2), Amapá (2), Acre (1), Alagoas (1) e Bahia (1).

Até o final de setembro, o 5G deve estar presente em todas as capitais brasileiras, de acordo com o edital do leilão da tecnologia. Também segundo o mesmo documento, a implementação do 4G deve obrigatoriamente avançar.

Quandos as teles adquiriram a permissão para trafegar nas novas faixas de frequência que permitem a implementação do 5G, elas também se comprometeram com algumas responsabilidades, dentre elas levar o 4G a áreas desconectadas.

Segundo o edital, até dezembro de 2028, o Brasil deve estar completamente conectado ao 4G. Além disso, o 5G deve chegar a todas as cidades do país até dezembro de 2029.

Fonte: IG TECNOLOGIA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tecnologia

Windows 11 tem falha que pode causar perda de dados em PCs novos

Publicado

Windows 11 tem novo bug
Divulgação/Microsoft

Windows 11 tem novo bug

Nesta semana, a Microsoft reconheceu a existência de mais uma falha no Windows 11. Desta vez, o problema envolve um recurso de criptografia e pode causar perda de dados em computadores novos.

Sendo mais preciso, a falha pode atingir PCs e servidores com processadores baseados nas arquiteturas Ice Lake, Tiger Lake, Rocket Lake e Alder Lake. Entre eles estão alguns chips Intel Core de 10ª geração, bem como todos os processadores da 11ª e da 12ª geração.

Servidores também podem ser afetados. Isso porque, além do Windows 11, a falha envolve o Windows Server 2022. As versões anteriores desses sistemas — Windows 10 e Windows Server 2019 — estão imunes ao problema porque não contam com os códigos problemáticos.

Que códigos? Os sistemas operacionais Windows usam o SymCrypt, uma biblioteca de funções criptográficas cujo desenvolvimento teve início em 2006. Nos Windows 11 e Server 2022, o SymCrypt passou por algumas atualizações, razão pela qual ambos os sistemas tiveram que receber novos “caminhos de código” para usarem a biblioteca. É aqui que os problemas começam.

A intenção era boa

As tais atualizações incluem recursos para que o sistema operacional possa aproveitar as instruções Vector Advanced Encryption Standard (VAES). Como o nome indica, estas têm como base o conhecido padrão de criptografia AES.

De modo geral, instruções VAES servem para acelerar operações criptográficas. Mas o processador deve ser compatível com elas. Os mencionados chips da Intel suportam o conjunto de instruções AVX-512 que, veja só, inclui as especificações VAES.

Nos Windows 11 e Server 2022, o SymCrypt foi atualizado justamente para permitir que computadores com processador compatível possam aproveitar as instruções VAES. A Microsoft não dá detalhes, mas explica que os “caminhos de código” adicionados para esse fim podem causar perda de dados.

A falha só não é mais grave porque recursos avançados de criptografia no Windows 11 só costumam ser usados em aplicações corporativas. Em outras palavras, usuários domésticos devem ser pouco prejudicados.

Tem solução, mas…

Ela é um pouco confusa. Para as máquinas suscetíveis ao problema, a Microsoft recomenda a instalação de atualizações de segurança lançadas em 24 de maio ou 14 de junho de 2022.

Essas atualizações resolvem o problema, mas podem deixar o desempenho de alguns recursos mais lentos. De acordo com a Microsoft, a taxa de transferência de dados da unidade de armazenamento e aplicações baseadas no BitLocker e no Transport Layer Security (TLS) podem ser as mais afetadas.

Se isso acontecer, a companhia recomenda a instalação das seguintes atualizações, ambas liberadas em 23 de junho:

  • Windows 11: KB5014668
  • Windows Server 2022: KB5014665

Ou a instalação das atualizações liberadas em 12 de julho:

  • Windows 11: KB5015814
  • Windows Server 2022: KB5015827

Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Tecnologia

Xiaomi Mix Fold 2: smartphone dobrável é lançado por R$ 7 mil

Publicado

Xiaomi Mix Fold 2 é lançado
Divulgação/Xiaomi

Xiaomi Mix Fold 2 é lançado

A Xiaomi lançou nesta quinta-feira (11) seu novo smartphone dobrável, o Xiaomi Mix Fold 2. O modelo vem equipado com processador Snapdragon 8+ Gen 1 e câmeras avançadas feitas em parceria com a Leica.

Em relação ao seu antecessor, o Mi Mix Fold, o Xiaomi Mix Fold 2 é mais leve e mais fino. Aberto, o smartphone tem apenas 5,4 milímetros de espessura. O modelo pesa 202 gramas, contra 317 gramas da versão anterior.

O smatphone se dobra em formato de livro, assim como a linha Galaxy Z Fold, da Samsung. A fabricante sul-coreana lançou seus novos smartphones dobráveis , o Galaxy Z Fold 4 e o Galaxy Z Flip 4, nesta quarta-feira (10).

O Xiaomi Mix Fold 2 vem com Snapdragon 8+ Gen 1, o processador mais avançado da Qualcomm, além de 12 GB de memória RAM e até 1 TB de armazenamento interno.

O conjunto triplo de câmeras traseiras, produzido em parceria com a Leica, tem lente principal de 50 MP, ultra grande-angular de 13 MP e telefoto de 8 MP. A câmera frontal é de 20 MP.

A tela externa tem 6,5 polegadas, enquanto a interna tem 8 polegadas. Ambas têm taxa de atualização de 120 Hz. O smartphone vem com MIUI 13, baseada no Android 12, e 4.500 mAh de bateria, que tem suporte ao carregamento rápido de 67W.

Preço do Xiaomi Mix Fold 2

Por enquanto, o Xiaomi Mix Fold 2 é vendido apenas na China. Por lá, os preços praticados são os seguintes:

  • Xiaomi Mix Fold 2 com 256 GB de armazenamento – 8.999 yuan (cerca de R$ 6,9 mil)

  • Xiaomi Mix Fold 2 com 512 GB de armazenamento – 9.999 yuan (cerca de R$ 7,6 mil)

  • Xiaomi Mix Fold 2 com 1 TB de armazenamento – 11.999 yuan (cerca de R$ 9,2 mil)

Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana