conecte-se conosco


Política MT

Claudinei alerta o descaso com a fauna nas queimadas do Pantanal pelo Governo de MT

Publicado


Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) apresentou requerimento de n.° 477/2021 à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e à Superintendência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis de Mato Grosso (Ibama), em sessão plenária na Assembleia Legislativa, no dia 9 de setembro, para obter informações das estruturas para o resgate e reabilitação de animais nos biomas mato-grossenses no período de seca.

O parlamentar recebeu o pedido de apoio de voluntários de ONGs pelo descaso do governo de Mato Grosso que não dá condições suficientes para levar alimentos, como também oferecer os devidos cuidados aos animais após sofrerem acidentes com os incêndios florestais na região da transpantaneira devido não contar com um Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas).

“Esse requerimento é voltado ao meio ambiente de Mato Grosso para salvarmos a nossa fauna. Estamos pedindo informações como está sendo tratado os animais nesse período de incêndios. Temos recebido pedido de apoio de voluntários que resgatam esses animais, feridos e queimados e, infelizmente não tem lugar adequado para cuidar deles, alimentar e dar o remédio”, declarou Claudinei.

Realidade

De acordo com a jornalista e voluntária da ONG É o Bicho, de Cuiabá, Maiza Prioli, ano passado foram cerca de 17 milhões de animais mortos pelos incêndios na região do Pantanal, conforme estudo realizado. “No ano passado, o governo do estado se movimentou porque teve uma grande visibilidade nacional e internacional. Com isso, vieram grandes ONGs para cá. Na verdade, o governo estadual fez o básico do básico”, lembra.

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Ela acrescenta que uma das iniciativas realizadas pela gestão estadual, em 2020, foi a implantação do Posto de Atendimento de Animais Selvagens (PAES) para receber os animais, por pouco mais de cinco meses de funcionamento e que não foi reativado este ano. “No começo deste ano, a Sema chamou todas as ONGs e instituições que atuaram no Pantanal em 2020, e disse sobre ter um plano de ação, recursos financeiros a serem repassados, disponibilização de alimentos, que tinham comprado um helicóptero, que estruturariam o CRAS [Centro de Atendimento aos Animais Silvestres], como se fosse um hospital, que funcionaria o ano inteiro, porque o PAES foi uma estrutura que durou pouco tempo. Pois bem, começaram os incêndios e não está tendo nenhuma movimentação do estado. A Sema simplesmente está inerte”, reclama a voluntária.

Ela conta que o trabalho de resgate e salvamento dos animais da região do Pantanal está sendo realizado pelo Ibama e as ONGs de São Paulo, como Amparo Animal e o Grupo de Resgate de Animais (Grade), que são formadas por veterinários de várias regiões do país. “Na verdade, a ordem que vem da Sema era que não era para alimentar os animais. Segundo uma nota técnica que eles emitiram, dizia que isso não era necessário. Se não fosse o Ibama assumir a situação e o controle, seria bem pior”, lamenta.

Maiza acrescenta que a Sema resgatou alguns animais e levou para algumas clínicas veterinárias que cuidam de animais silvestres, em 2020, e não pagou a conta até hoje. “Então, esse ano, essas clínicas não estão aceitando esses animais, a conta está indo para Amparo Animal que é uma ONG nacional que está cuidando dos resgates. Não tem praticamente nada, a Sema está sendo praticamente omissa e ainda atuando como atrapalhador”, manifesta.

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Centro de Triagem

 Devido a falta de um Cetas em Mato Grosso, ainda mais com a biodiversidade existente, o deputado Claudinei também apresentou uma indicação de n.º 6.112/2021 à Sema e ao Ibama de Mato Grosso sobre a necessidade de implementar essa unidade para atender os animais no período de incêndios.

“Não tem Centro de Triagem de Animais e nunca existiu! A polícia ambiental tem um espaço em Várzea Grande, mas está muito lotado, os animais queimados acabam nem sendo destinados para lá. Mato Grosso do Sul tem um Centro de Atendimento aos Animais Silvestres que funciona o ano inteiro e Mato Grosso não tem. Com toda essa biodiversidade que a gente tem. A questão ambiental de Mato Grosso foi sempre problemática, a gente está vivendo um reflexo de anos e anos de políticas públicas inexistentes para o meio ambiente”, frisou Maiza.

Voluntariado

Além da Amparo Animal, Grade e a É o Bicho, outra ONG que atua no processo de salvar os animais é a Eco Tropica. “Somos todos voluntários, os recursos que conseguimos é por meio das redes sociais, fazendo campanhas para conseguir doações, tem algumas empresas parceiras, cedem verbas para a aquisição dos alimentos e emprestam camionetes. A gente presta conta de tudo isso, para quem doou e de tudo que fez com o dinheiro”, explica.

Prioli diz que a demanda diária para arrecadar e conduzir os alimentos para o Pantanal é de 1,5 tonelada de alimentos. “Então o que a gente faz, arrecada os alimentos, frutas e ovos, devido frutas terem maior teor de água, como melância, laranja, mamão, maçã, banana e ovos. Os alimentos chegam lá, vão na base da Amparo e Grade, descarregam e eles fazem essa distribuição no campo e utilizam esses alimentos para os animais em tratamento. Nos finais de semana, vamos com um grupo de voluntários para ajudar na distribuição. Junto com o Ibama, foi mapeado algumas áreas que têm um pouco de água, a gente coloca os alimentos nessas áreas, pois a gente sabe que os animais vão e, também, colocamos em galhos de árvores”, detalha.

Para concluir, Maiza frisa que o trabalho voluntário que exercem é uma tentativa de salvar o patrimônio natural que é o Pantanal. “O que a gente quer ver é o Pantanal lindo e exuberante do jeito que sempre foi. Os animais vivendo em paz e em equilíbrio com os pecuaristas e produtores. A gente se preocupa em daqui alguns anos, o Pantanal se torne um deserto. A gente não quer isso. Não estamos conseguindo alimentar 100% dos animais, é um trabalho de formiguinha. Mas se a gente conseguir salvar 1% da fauna, já está valendo muito. O turismo no Pantanal é conhecido mundialmente. Preservamos o meio ambiente e contribuímos para a economia e não sei se o governo estadual está vendo isso”, diz a voluntária.

“Eu cheguei a ver uma matéria que o governador esteve no Pantanal e, até mesmo, com alguns deputados, falando de investimentos de mais de R$ 70 milhões para o combate aos incêndios no Pantanal, agora em 2021. Só que está faltando esse apoio aos nossos animais que estão morrendo no Pantanal. Esperamos que esse alerta e as nossas reivindicações sejam atendidas o quanto antes. Não podemos perder tempo. Tem vidas dentro da mata! Os animais precisam de ajuda”, diz Claudinei.

Fonte: ALMT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Ministra da Agricultura participa de lançamento da safra de soja e inauguração de indústria de etanol de milho em MT

Publicado

Teresa Cristina estará em MT nesta quinta-feira [Foto – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil]

Nesta quinta-feira (28), a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina cumpre agenda em Sorriso, a 400 km de Cuiabá. A ministra participa de entrevista, inauguração e lançamento de plantio. A primeira agenda é uma entrevista à uma rádio da cidade, às 8h. Em seguida, a ministra participa da inauguração de uma indústria produtora de etanol de milho, que fica no km 768 da BR-163.

Por fim, a ministra participa do lançamento do plantio da safra de verão. O evento está marcado para acontecer às 11h, no Parque Tecnológico de Sorriso, localizado no Anel Viário da cidade.

Chamada de “A Capital Nacional do Agronegócio”, Sorriso, escolhida para o lançamento da safra, é uma das cidades carro-chefe da produção de grãos em Mato Grosso. No município se produz commodities como soja, milho e algodão. Ao todo, 600 mil hectares compõem a área produtiva.

A soja é considerada um dos produtos mais importantes na economia mundial. Em 2020, conforme dados da Embrapa, o Brasil alcançou o ranking de maior produtor de soja do mundo, com mais de 130 milhões de toneladas. Em Mato Grosso, a participação desse grão na economia é ainda maior, sendo uma das principais forças motrizes do desenvolvimento do Centro-Oeste. O Estado é o maior produtor de soja do país, com cerca de 35 milhões de toneladas por safra.

Situação da carne

A suspensão da carne bovina para China pode causar prejuízo de R$ 500 milhões à indústria pecuaristas de Mato Grosso, segundo o Instituto Mato-Grossense da Carne (Imac). O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determinou a suspensão, em setembro deste ano, após o registro de dois casos atípicos de encefalopatia espongiforme bovina (EEB), popularmente conhecida como ‘vaca louca’, em Mato Grosso e em Minas Gerais.

O prejuízo diário decorrente da suspensão das vendas de carne bovina para China é de US$ 4,4 milhões (R$ 24,9 milhões na cotação atual).

Segundo o Imac, caso a produção não seja destinada a outros mercados, o impacto gerado no mês de outubro, considerando o ritmo das exportações em 2021, indica uma perda de faturamento com as exportações de até US$ 88 milhões (quase R$ 500 milhões na cotação atual) somente para Mato Grosso.

 

Continue lendo

Política MT

Prefeito interino de Cuiabá retira máquina doada pelo Governo do Estado

Publicado

Stopa esteve na Sinfra-MT onde assinou o termo de cessão de uso do equipamento [Foto – Maurício Barbant]

A prefeitura de Cuiabá retirou nesta quarta-feira (27) a motoniveladora doada pelo Governo de Mato Grosso no dia 8 de outubro, em evento realizado na Arena Pantanal. O prefeito em exercício de Cuiabá, José Roberto Stopa, esteve na Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra-MT) onde assinou o termo de cessão de uso do equipamento com o secretário Marcelo de Oliveira, e recebeu a chave da motoniveladora.

O deputado estadual Eduardo Botelho também acompanhou o ato. A Sinfra está repassando 192 máquinas para várias cidades e consórcios de Mato Grosso, com o objetivo de ajudar na manutenção de estradas municipais não pavimentadas. As entregas representam um investimento estadual de R$ 118 milhões.

O prefeito em exercício José Roberto Stopa agradeceu o Governo do Estado pela entrega da motoniveladora. “Vamos fazer um bom uso, principalmente na zona rural, onde nós temos aproximadamente 700 km que vão ser melhorados com esse equipamento”

Para o secretário de Infraestrutura, Marcelo de Oliveira, a entrega dessa motoniveladora é mais uma prova de que este é um governo municipalista. “Essa é uma demonstração inequívoca da parceria do governador Mauro Mendes com todos os municípios”, afirmou.

Entrega de Máquinas

O Governo de Mato Grosso realizou a maior entrega de equipamentos da sua história no dia 08 de outubro, contemplando todos os seus 141 municípios com máquinas para a infraestrutura e agricultura familiar. Somada a outra entrega, realizada em junho, os municípios e consórcios estão recebendo 122 motoniveladoras, 35 escavadeiras e 34 pás-carregadeiras do Executivo estadual.

Investimento em Cuiabá

A Sinfra-MT tem realizado uma série de obras que vão beneficiar a capital. No momento ela executa a pavimentação da Avenida Mário Palma, a restauração da MT-251, uma nova ponte sobre o Rio Cuiabá e as obras nos hospitais Central e Julio Muller. Além disso, já lançou a licitação para a ampliação da Avenida Parque do Barbado.

As obras fazem parte do programa Mais MT, o maior programa de investimentos públicos da história de Mato Grosso, lançado pelo governador Mauro Mendes. Apenas para o eixo de infraestrutura estão previstos investimentos de R$ 4,73 bilhões.

 

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana