conecte-se conosco


Nacional

Chuvas no Nordeste já causaram prejuízo de R$ 3 bilhões em 6 meses

Publicado

source
Chuvas no Nordeste já causaram prejuízo de R$ 3 bilhões em 6 meses
Clauber Cleber Caetano/PR 30.05.2022

Chuvas no Nordeste já causaram prejuízo de R$ 3 bilhões em 6 meses

As cidades do Nordeste do Brasil afetadas pelos  recentes temporais acumulam mais de R$ 3,1 bilhões em prejuízos nos últimos seis meses, de acordo com levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM). Os dados apontam que a Bahia foi o que mais sofreu com as chuvas nos últimos 6 meses, contabilizando mais de R$ 2,5 bilhões em prejuízos, ocupando o primeiro lugar, o que corresponde a 82,6% do total.

O levantamento considera o período de 1º de dezembro de 2021 até 30 de maio deste ano. Nesse intervalo, 475 decretos de situação de emergência solicitaram apoio do governo federal para as regiões afetadas no Nordeste.

Em segundo lugar nos estados que mais foram afetados, aparece o Maranhão, com R$ 393,5 milhões, correspondendo a 12,5% do total. Em terceiro, vem o Ceará, com mais de R$ 94 milhões em prejuízos, correspondendo a 3% do total.

Em relação ao estado de Pernambuco, que ainda está passando por muitos problemas, os dados ainda não foram contabilizados totalmente no levantamento. Segundo a CNM, os desastres decorrentes das chuvas afetaram dezenas de municípios nordestinos e provocaram na região – de 1º dezembro de 2021 a 30 de maio de 2022 – um prejuízo de mais de R$ 3,1 bilhões aos cofres públicos.

“A cada ano, os eventos negativos causados pelo excesso de chuvas tornam-se cada vez mais severos em decorrência das mudanças climáticas e também pela intervenção humana, deixando municípios inteiros debaixo d’água”, diz um trecho do relatório da CNM.

Setores que mais sofreram

O setor de habitação sofreu mais de R$ 823,5 milhões em prejuízos, ocupando o primeiro lugar. Em segundo vem o setor agrícola, com R$ 802,3 milhões em prejuízos causados, e em terceiro, o de obras de infraestrutura pública, com R$ 728,4 milhões.

O Nordeste ainda está contando os mortos por conta das recentes chuvas. Até a publicação desta reportagem, a região já registrou mais de 111 óbitos em decorrência das fortes chuvas que atingem a região desde a semana passada, causando deslizamentos e enchentes. Além disso,  milhares de pessoas estão desalojadas e sem previsão de retorno aos lares.

De acordo com o sistema do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), nove municípios da região metropolitana de Recife estão classificados com risco muito alto para chuvas e deslizamentos. Há possibilidade de que as chuvas ainda se intensifiquem nos próximos dias.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nacional

MP prende policiais civis por extorsão no Rio de Janeiro

Publicado

Na casa de um dos alvos os agentes do MP encontraram várias armas
Divulgação – 07.07.2022

Na casa de um dos alvos os agentes do MP encontraram várias armas

Agentes do Ministério Público do Rio (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagraram a Operação Inimigo Íntimo contra três policiais civis na manhã desta quinta-feira (7). O objetivo é cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão contra dois policiais civis, então lotados na 64ª DP (São João de Meriti), e um terceiro, acusados pelos crimes de associação criminosa armada e concussão. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal de São João de Meriti. De acordo com o MP, os homens “realizavam operações e abordagens, mas, após a prática da extorsão e o recebimento de valores, não apresentavam a ocorrência em sede policial ou a apresentavam apenas parcialmente, para permitir o arbitramento de fiança pela autoridade policial”.

Foram denunciados os policiais civis Ruben José de Souza Neto, conhecido como Neto, e Carlos Alison Ramos da Silva, conhecido como Alison, além de André Luis Avoglio Ramos, o André Chupeta. De acordo com o MP, “as investigações que levaram à identificação do grupo criminoso, que atuou pelo menos até o dia 29 de junho de 2017, nos limites do Estado do Rio de Janeiro, e em especial no município de São João de Meriti, tiveram início após delação premiada realizada por denunciado em investigação anterior”. A promotoria aponta “que associação criminosa alvo da operação desta quinta utilizava armas de fogo para a consecução de seus objetivos”.

O MP disse que “restou apurado que os três denunciados integravam equipe de policiais e informantes que, diante da notícia da prática de algum crime, realizavam operações e abordagens, mas, após a prática da extorsão e o recebimento de valores, não apresentavam a ocorrência em sede policial ou a apresentavam apenas parcialmente, para permitir o arbitramento de fiança pela autoridade policial. A investigação que embasou o oferecimento da denúncia foi conduzida pelo Gaeco e pela extinta Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado (Seseg)”.

O GLOBO entrou em contato com a assessoria da Polícia Civil, que ainda não comentou as prisões.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Continue lendo

Nacional

CCJ do Senado aprova PL que proíbe tatuagens e piercings em animais

Publicado

Gato
Reprodução – 07.07.2022

Gato

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ0 do Senado aprovou nesta quarta-feira o projeto de lei que prevê a proibição de tatuagens e piercings em cães e gatos. O texto, que altera a Lei de Crimes Ambientais, segue agora pra a votação em plenário.

O projeto, de autoria do deputado Fred Costa (Patriota-MG), prevê multa e detenção de três meses a um ano para quem realizar um procedimento do tipo em algum animal.

O relator, senador Alexandre Silveira (PSD-MG) afirmou em seu parecer que a tatuagem é um procedimento doloroso em humanos, podendo ser mais ainda em animais devido às características das peles dos animais, que costumam ser mais finas.

“Além de provocar dor, as tatuagens expõem os animais a diversas complicações como o risco inerente aos procedimentos de sedação e anestesia, a possibilidade de reações alérgicas à tinta e ao material utilizado na tatuagem, de dermatites, infecções, cicatrizes, queimaduras, irritações crônicas e, em alguns casos, até de necrose da pele”, afirmou o senador.

A prática já foi proibida em alguns estados, como o Rio de Janeiro, Pernambuco, além do Distrito Federal, e vetada em alguns municípios, como Juiz de Fora (MG) e Barra Mansa (RJ). Os procedimentos não são amparados pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana