conecte-se conosco


Mato Grosso

Canarana comemora 40 anos com ações do governo estadual em infraestrutura, educação, saúde e agricultura familiar

Publicado


Canarana, cidade com 21.842 habitantes a 823 quilômetros de Cuiabá, comemora 40 anos nesta segunda-feira (15.02), com ações do Governo do Estado em infraestrutura, educação e agricultura familiar.

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) emitiu ordem de serviço para a pavimentação de 66,4 quilômetros da MT-020, interligando definitivamente Canarana a Paranatinga por asfalto. Com investimentos de R$ 27 milhões, as obras serão executadas em três trechos, dos quais dois foram iniciados em 2009 e 2014, mas não concluídos.

Construção de  pontes pontes ligando Canarana a Paranatinga – Mayke Tocano ligando Canarana a Paranatinga – Mayke Tocano

Também na MT-020, entre Canarana e Paranatinga, estão em construção duas pontes de concreto, sobre os córregos Canastra I e II, ambas com 31 metros extensão. Os investimentos são de R$ 3,5 milhões. Já na MT-109, entre Canarana e Querência, está em construção a ponte sobre rio Tanguro, também com 31 metros, com investimentos de R$ 1,8 milhão.

O programa Mais MT prevê ainda a pavimentação do aeródromo e a construção de outras quatro pontes – sobre o rios 7 de setembro I, Coronel Valnick, Couto Magalhães e sobre o córrego Brejão.

Educação

Convênio assinado, por meio da Secretaria de Estado de Educação, com a prefeitura canaranense, está permitindo a construção do novo prédio escolar da Escola Estadual 31 de Março. Com mais de 500 alunos, a nova sede terá 16 salas de aula, refeitório, cozinha, laboratórios, biblioteca, banheiros adaptados para pessoa com deficiência e administração, além da reforma da quadra poliesportiva. 

Reconstrução da escola 31 de Março – Mayke Toscano

Os investimentos são R$ 3,072 milhões, dos quais R$ 2,5 milhões de recursos estaduais. O antigo prédio, onde a escola funcionou desde 1976, foi demolido em 2016 e os alunos transferidos para um prédio alugado, aguardando, desde então, pelo cumprimento da promessa de reconstrução.

Agricultura familiar

Por meio da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar, Canarana recebeu um resfriador de leite com capacidade de até mil litros e uma patrulha mecanizada, composta por um trator agrícola 4×4, uma carreta basculante com capacidade para seis toneladas e uma grade aradora com 18 discos de 28 polegadas.         

Canarana é um dos 88 municípios mato-grossenses participantes do Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar, do Governo Federal, para mitigar os impactos econômicos da pandemia do coronavírus.   

A Empaer tem cultivado experimentalmente, no município, algodão colorido pelo sistema agroecológico para exportar para a França. O projeto, executado no Assentamento Rural Guatapará, tem a participação de 15 agricultores familiares. A previsão é produzir 15 toneladas em 15 hectares.

Empaer realiza experimentos com algodão colorido orgânico em Canarana – Arquivo Empaer                         

Também no assentamento de Guatapará, com a participação de 13 famílias, a Empaer desenvolve projeto de cultivo de gergelim em sistema agroecológico, destinado ao mercado japonês. A previsão é produzir 40 toneladas em uma área de 23 hectares.

Saúde e repasses

A Secretaria de Estado de Saúde repassou ao município 1.825 testes rápidos para detecção do coronavírus e medicamentos para combatê-lo, num total de 78.979 comprimidos, entre azitromicina (9.711), ivermectina (7.768) e dipirona (61.500), também distribuído em gotas, com 1.511 frascos.                  

Entre 2020 e 2021, o Governo do Estado repassou R$ 36,82 milhões aos cofres municipais em ICMS, IPVA e Fethab, além de R$ 4,68 milhões em assistência social, transporte escolar, convênios na área de saúde e emendas parlamentares, entre 2019 e 2020.

Economia

Os setores de serviço, com R$ 542,1 milhões, e agropecuária, R$ 408,6 milhões respondem 74,7% do PIB (Produto Interno Bruto) municipal de R$ 1,272 bilhão. O PIB per capita é de R$ 59.701,35.

Bem posicionado entre os municípios com maior valor de produção agrícola – é 27º do ranking nacional, com 357,9 mil hectares plantados e uma renda de R$ 1,188 bilhão em 2020, Canarana produz não apenas algodão, milho e soja, cuja safra, em 2019,foi a oitava maior de Mato Grosso e a 13ª do país.

É o segundo maior produtor estadual de melancia, com 5 mil toneladas, e de melão, com 400 toneladas; e quarto maior produtor de mamão (360). Produz ainda banana, borracha, coco da baía, limão, maracujá, uva, arroz, cana de açúcar, mandioca e tomate.

A pecuária municipal é composta por um rebanho bovino com 290,8 mil cabeças, das quais 2,926 vacas ordenhadas com produção de 3,67 milhões de litros de leite; rebanho galináceo com 223,5 mil cabeças, das quais 121 mil galinhas 2,4 milhões de dúzias de ovos. Possui rebanhos equino (3,9 mil cabeças), ovinos (5,1 mil cabeças) e suínos (7,98 mil cabeças).

O município desenvolve ainda a apicultura, com quatro toneladas de mel, e piscicultura, com 1,1 toneladas de peixe, além de extração vegetal (10,1 mil metros cúbicos de lenha e 3 mil de madeira em tora) e silvicultura, com 1.415 hectares plantados, dos quais 370 de eucalipto.

Conta ainda com uma agroindústria de calcário, uma indústria de fertilizantes e duas distribuidoras de insumo.

História

O nome Canarana, escolhido pelo colonizador Norberto Schwantes durante a elaboração do anteprojeto que criaria o núcleo onde atualmente está localizado o município, em 1972, tem origem no capim-canarana – nativo da África Tropical e bem adaptado no bioma amazônico. 

O distrito foi criado, como Canarana em 1978, pertencente a Barra do Garças, de onde está distante mais de 300 quilômetros. Elevado a município pela lei estadual 4165, de 1979, foi instalado em 1981.

Desmembrado em 1988, o atual município de Ribeirão Cascalheira foi seu distrito, ainda com o nome de Ribeirão Bonito. 

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Quatro das 141 prefeituras de Mato Grosso contratam mão de obra de recuperandos

Publicado


Nove prefeituras de Mato Grosso têm parceria com a Fundação Nova Chance (Funac) na contratação da mão de obra de recuperandos. Quatro delas – Cuiabá, Lucas do Rio Verde, Alta Floresta e Nobres – estão com presos trabalhando atualmente, as demais estão em processo de renovação do convênio.

Juntas, as quatro prefeituras empregam a mão de obra de 169 pessoas. Eles são remunerados com um salário e o benefício é revertido em parte para família, uma parte para ele poder comprar algo na cantina da unidade penal e a terceira parte ele acessa quando sair o alvará de soltura.

Atualmente 570 recuperandos estão trabalhando em Mato Grosso. As prefeituras, empresas e outros órgãos públicos realizam contratações sem necessidade de licitação, sem encargos trabalhistas e beneficia pessoas em situação de vulnerabilidade.

“A contratação da mão de obra de recuperandos reflete diretamente na segurança pública, pois reduz a reincidência além contribuir com a renda familiar. São vagas de trabalho remunerado, que também impactam na economia”, destacou o presidente da Funac, Emanoel Flores.

Os órgãos públicos estaduais são os maiores empregadores de mão de obra de presos, com 232 presos contratados. Além disso, há mão de obras de presos contratados pela Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Mato Grosso (OAB/MT), Defensoria Pública e 14 empresas entre cooperativas e empresas privadas.

Também está em tramitação na Funac a parceria com a empresa VG Reciclagens para 18 vagas de recuperandos do regime fechado e Termos de Cooperação com a MTI e ampliação da mão de obra utilizada pela Sesp. Novo contrato será para serviços de jardinagem para as forças de segurança.

Sobre a Funac

A Fundação Nova Chance – Funac é a instituição vinculada à Secretaria de Estado de Segurança Pública que tem a missão contribuir para a reinserção social de homens e mulheres privados de liberdade e egressos, ressocializando-os por meio de educação, profissionalização, trabalho, geração de renda e assistência à família, com servidores qualificados e parceiros corresponsáveis.

Com forte atuação no encaminhamento para o trabalho, a Funac tem firmado parcerias com instituições públicas e privadas. A seleção das pessoas do regime semiaberto é feita pela Fundação, apoio na regularização documental e bancária, além de orientação e fiscalização.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Mato-grossenses são convocadas para seleção brasileira no Mundial Sub-20 de atletismo

Publicado


Mato Grosso terá duas representantes no Campeonato Mundial Sub-20, que será disputado logo após os Jogos Olímpicos de Tóquio, de 17 a 22 de agosto, em Nairóbi, no Quênia. A atleta Lissandra Maysa Campos, de 18 anos, e sua técnica, Maria Aparecida de Souza Lima, foram convocadas pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) para integrar a seleção brasileira na competição.

Lissandra, que é contemplada com bolsa atleta, benefício concedido pelo Governo de Mato Grosso via Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), é a primeira do ranking brasileiro sub-20 feminino na prova de salto em distância. Já sua treinadora, Maria Aparecida, é a primeira mato-grossense a competir na modalidade atletismo feminino em Jogos Olímpicos. 

Ambas integram a equipe do Instituto Vicente Lenilson, em Cuiabá. Natural de Nossa Senhora do Livramento (MT), Lissandra Maysa treina na equipe desde 2014. Em junho, a atleta garantiu o bronze no Troféu Brasil de Atletismo e, no início de julho, foi medalhista de prata no Campeonato Sul-Americano de Atletismo Sub-20, realizado em Lima, no Peru. 

“Lissandra é um talento, é campeã desde os Jogos Escolares, campeã brasileira em várias faixas etárias em que participou, medalhista no Troféu Brasil, prata sul-americana e agora tem a chance de conquistar uma medalha no mundial. E, com a ajuda financeira do projeto Olimpus, ela consegue treinar com mais segurança e tranquilidade para voar ainda mais alto”, celebra o medalhista olímpico e assessor da Secel, Vicente Lenilson.

Vicente Lenilson na inauguração do Complexo Esportivo da Escola Liceu Cuiabano, construído em parceria com o Governo do Estado  

Quem também comemora a convocação das duas é o presidente da Federação de Atletismo de Mato Grosso (FAMT), Tomires Campos Lopes.

“Mato Grosso se garante, mais uma vez, como elite do atletismo no país. Seremos muito bem representados por Lissandra e Maria Aparecida.  E devemos esse sucesso ao apoio que o Governo de Mato Grosso dispensa ao atletismo”. 

Projeto Olimpus

Retomado e ampliado em 2020 pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), o projeto Olimpus garante auxílio financeiro mensal a 151 atletas de Mato Grosso, abrangendo categorias de base e de alto rendimento.

Em 2021, a política pública de fomento ao esporte foi ampliada mais uma vez, contemplando também os  treinadores esportivos.  Com a criação das categorias Bolsa-Técnico Nacional e Bolsa-Técnico Nacional Elite, profissionais de Mato Grosso irão receber valores mensais de R$ 1 mil e de R$ 1,5 mil, respectivamente.

O projeto ainda está possibilitando incentivos especiais aos participantes mato-grossenses nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2021. Atletas, paratletas, atletas-guias e técnicos convocados e/ou medalhistas nas competições mundiais têm direito à premiação que pode chegar a R$ 100 mil. 

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana