conecte-se conosco


SÉRIE B

Campeã, Chapecoense amanhece o sábado em festa pela cidade

Publicado

Responsável por erguer o primeiro troféu nacional da história da Chapecoense, o lateral-esquerdo e capitão Alan Ruschel desabafou após o título da Série B do Brasileiro.

Chapecoense 3 x 1 Confiança – Um dia para entrar na história!
Um dos sobreviventes do acidente aéreo de 2016, Alan Ruschel lembrou dos problemas financeiros da Chapecoense – jogadores com mais de seis meses de salários atrasados -, deixou o futuro em aberto e pediu respeito para algumas pessoas de Chapecó.

“Primeiramente agradecer a Deus por essa oportunidade. Primeiro nos ter dado saúde e discernimento para passar por tudo que aconteceu esse aqui dentro. Não é segredo para ninguém das dificuldades salariais que passamos.

Eu falei que me sentia orgulhoso de fazer parte desse grupo. Não sei se vou permanecer, meu contrato termina amanhã (dia 30). Mas vou levar esse grupo para onde for.

Estou muito feliz por ter escrito meu nome mais uma vez na história do clube. Algumas pessoas de Chapecó precisam aprender a me respeitar. Precisam aprender a respeitar quem tem história no clube e eu tenho”, desabafou o capitão.

LEMBRANÇA DO PRESIDENTE!
Alan Ruschel também aproveitou para dedicar o título conquistado ao presidente Paulo Magro, que faleceu no dia 30 de dezembro do ano passado por complicações da Covid-19.

“Essa vitória vou dedicar ao Paulo Magro, que infelizmente nos deixou. A gente sabe o quanto ele sofreu com a gente, o quanto tentou organizar esse clube”, finalizou o lateral.

O gol marcado por Anselmo Ramon aos 51 minutos do segundo tempo fez a Chapecoense vencer o Confiança por 3 a 1 e ficar com o título da Série B devido ao saldo de gols (21 a 20), pois teve os mesmos 73 pontos do América-MG.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SÉRIE B

Botafogo-RJ confirma contratação de Chamusca, ex-técnico do Cuiabá

Publicado

Botafogo confirmou, na noite desta sexta-feira (19), a contratação do técnico Marcelo Chamusca. Ele chega ao estádio Nilton Santos, o Engenhão, com a missão de conquistar o acesso no Campeonato Brasileiro da Série B de 2021.

“Marcelo Chamusca é o novo técnico do Botafogo! Seja bem-vindo ao Clube Mais Tradicional, Professor!”, postou o clube carioca, que também viu a chegada do auxiliar Caio Autuori, filho do técnico Paulo Autuori, do Athletico-PR; e do preparador físico Roger Gouveia.

O novo comandante alvinegro permaneceu por quase 13 meses no Cuiabá, conquistando a Copa Verde de 2019 e encaminhando o acesso na Série B de 2020. Em novembro, porém, aceitou uma proposta para ser o novo treinador do Fortaleza, que perdera Rogério Ceni para o Flamengo.

Acabou não se firmando no Leão do Pici, que passou a flertar com o rebaixamento no Brasileirão. Marcelo Chamusca, curiosamente, é irmão do também treinador Péricles Chamusca, campeão da Copa do Brasil de 2004 com o Santo André. Além disso, Marcelo foi auxiliar de Péricles no Botafogo, em 2005.

RODADO
Marcelo Chamusca, aliás, tem histórico em divisões de acesso nacionais. Foi quarto colocado na Série D de 2013, subindo o Salgueiro-PE. Já em 2016, foi vice-campeão da Série C com o Guarani. Em 2017, chegou ao terceiro lugar na Série B com o Ceará, garantindo outra conquista.

No Norte-Nordeste, dirigiu clubes como Sampaio Corrêa, Paysandu, CRB, Vitória da Conquista e Vitória. Esteve no Atlético-GO em 2015 e teve uma passagem curiosa pela Ponte Preta em 2018, quando permaneceu no Majestoso por apenas cinco jogos – perdeu todos e acabou demitido.

Continue lendo

SÉRIE B

Cuiabá vence Operário-PR, crava 50 pontos na tabela e se mantém no G4

Publicado

O Cuiabá se garantiu por pelo menos mais uma rodada no G4, a zona de acesso do Campeonato Brasileiro da Série B, nesta sexta-feira, ao ganhar do Operário-PR, por 2 a 0, na Arena Pantanal, pela 30.ª rodada.

A segunda vitória seguida manteve o Cuiabá na terceira colocação, com 50 pontos. Por outro lado, o Operário estacionou nos 38 e segue ameaçado de rebaixamento, em 12.º lugar.

Atuando em casa, o Cuiabá começou em cima e abriu o placar logo aos 11 minutos. Rafael Gava aproveitou bola mal rebatida pela zaga do Operário e soltou a bomba. A bola acertou o travessão antes de entrar. Depois disso, o duelo ficou equilibrado e o time paranaense quase empatou em falta cobrada por Tomas Bastos que explodiu no travessão.

Na volta do intervalo, o Cuiabá recuou e deu a posse de bola para o Operário, que partiu em busca do empate, mas tinha dificuldades para criar lances de perigo. E o time da casa matou a partida aos 34 minutos. Auremir lançou Yago, que deu passe preciso para Jenison ampliar.

Os dois times voltam a campo na próxima terça-feira, pela 31.ª rodada. O Cuiabá enfrenta o Náutico, às 21h30, no estádio dos Aflitos, no Recife, enquanto o Operário recebe o Juventude, às 16 horas, no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa.

FICHA TÉCNICA

CUIABÁ 2 X 0 OPERÁRIO-PR

—————————-

CUIABÁ – João Carlos; Lucas Ramon, Kunde, Ednei e Romário; Auremir (Anderson Conceição), Pierini e Rafael Gava (Nenê Bonilha); Felipe Marques (Willians Santana), Elton (Jenison) e Marcinho (Yago). Técnico: Allan Aal.

OPERÁRIO-PR – Martín Rodríguez; Fábio Alemão (Julinho), Reniê, Ricardo Silva e Fabiano (Thomaz); Jorge Jiménez (Marcelo), Rafael Chorão (Leandro Vilela), Tomas Bastos (Pedro Ken), Rafael Oller e Lucas Batatinha; Ricardo Bueno. Técnico: Matheus Costa.

GOLS – Rafael Gava, aos 11 minutos do primeiro tempo; Jenison, aos 34 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Andrey da Silva e Silva (PA).

CARTÕES AMARELOS – Auremir, Ednei e Pierini (Cuiabá); Julinho (Operário-PR).

RENDA E PÚBLICO – Portões fechados.

LOCAL – Arena Pantanal, em Cuiabá (MT).

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana