conecte-se conosco


Curiosidades

Caixas encontradas em praias do nordeste pertenciam a navios nazistas

Publicado


source
Caixas encontradas em praias do nordeste pertenciam a navios nazistas
Reprodução

Caixas encontradas em praias do nordeste pertenciam a navios nazistas

Fardos de borracha encontrados no litoral da Bahia e de Alagoas , em agosto deste ano, pertenciam a um segundo navio nazista. Objetos semelhantes já haviam sido localizados anteriormente, em 2018, e foram identificados como carga de uma embarcação alemã afundada na Segunda Guerra Mundial. Mas pesquisadores descobriram que os materiais avistados recentemente na costa brasileira eram transportados em um outro cargueiro alemão.

O estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) concluiu que os novos fardos de borracha são provenientes do navio de carga alemão MV Weserland. A embarcação foi naufragada pela Marinha Americana em janeiro de 1944. Já os fardos que apareceram há três anos faziam parte da carga de outro navio, o SS Rio Grande, também naufragado em combate no mês de janeiro de 1944.

Buscas pelo valioso estanho

Os pesquisadores observaram que os fardos mais recentes tinham inscrições em ideogramas japonês. Já os objetos encontrados anteriormente tinham inscrições da Indochina. Outro elemento considerado para a diferenciação, pelos pesquisadores, é o aparecimento de fardos em Salvador, neste ano. Em 2018, os objetos encontrados não foram vistos na capital baiana.

“Duas coisas chamaram a nossa atenção: primeiro a grande quantidade de fardos neste ano, mais de 200 na Bahia, Sergipe e Alagoas. Era uma quantidade grande demais para ser considerado residual. Outro fator foram as fotos enviadas por um colega de Alagoas. Nelas haviam ideogramas em japonês, que depois identificamos como do tipo kanji. Isso não tinha no outro. Então ligou o alerta de que não seriam os mesmos fardos”, explicou o professor Luis Ernesto Arruda Bezerra, do Instituto de Ciências do Mar, da UFC.

Bezerra e seu colega, o professor Carlos Peres Teixeira, começaram a vasculhar bancos de dados sobre navios de guerra naufragados. Em seguida, eles entraram em contato com o pesquisador britânico David Mearns, especializado na localização de naufrágios. O inglês confirmou que no começo deste ano houve uma tentativa de recuperar a carga de estanho que também era transportada no MV Weserland.

Leia Também

“O preço do estanho triplicou no começo de 2021, porque é usado em componentes eletrônicos. Com a pandemia, houve aumento na demanda e ele se tornou o produto mais promissor na bolsa de Londres. Então tentaram recuperar a carga desse navio e isso fez com que os fardos se soltassem”, disse Bezerra.


Os pesquisadores também criaram modelos matemáticos para simular a ação dos ventos e das correntes oceânicas. Os resultados mostraram que os fardos seriam trazidos exatamente para os locais onde foram encontrados se soltos onde o MV Weserland está naufragado.

Apesar de terem sido transportados em diferentes navios, os fardos possuem as mesmas características. Eles pesam até 200 kg e na verdade são “folhas” de látex dobradas diversas vezes. Trata-se de matéria prima para borracha utilizada nos pneus e armas do exército alemão.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curiosidades

MG: jacaré é encontrado no quintal de residência; veja fotos

Publicado


source
Jacaré sendo capturado em Minas Gerais
Foto: divulgação/ corpo de bombeiros

Jacaré sendo capturado em Minas Gerais

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais capturou e resgatou nesta sexta-feira um jacaré que estava no quintal de uma casa, em Guaraciama, no norte de Minas Gerais. O animal tem aproximadamente 1,5 m de comprimento.

Jacaré no quintal de residência
Foto: divulgação/ corpo de bombeiros

Jacaré no quintal de residência

De acordo com a corporação, o animal estava agitado e sem ferimentos aparentes. Os bombeiros também informaram que o jacaré tinha como característica uma cicatriz antiga em parte da cauda.

Jacaré Jacaré é resgatado em quintal no interior de MG
Foto: divulgação/ corpo de bombeiros

Jacaré Jacaré é resgatado em quintal no interior de MG

O réptil foi resgatado por volta das 10h30 com a ajuda de cordas, cambão para contenção de animais, e uma fita Silver Tape para imobilização do jacaré.

Após capturado, ele transportado até a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), pertencente ao SAAE de Bocaiuva. O local é distante de residências e, por esse motivo, os bombeiros consideram que ele foi devolvido à natureza em segurança.

Continue lendo

Curiosidades

Homem rouba cinzas de influencer morta para vender para ‘casamentos fantasmas’

Publicado


source
Luoxiaomaomaoz, influencer que teria se suicidado
Reprodução

Luoxiaomaomaoz, influencer que teria se suicidado

Um agente funerário na China roubou as cinzas de uma influencer chinesa que morreu em uma transmissão ao vivo na plataforma Douyin, similar ao TikTok. Ele agiu com a intenção de vender os restos mortais para outros homens que poderiam desejavar realizar “casamentos fantasmas” com a influencer.

De acordo com o site “Vice”, Luoxiaomaomaozi foi convencida por seguidores a se matar. Reportagens da mídia chinesa confirmaram que a mulher morreu em 15 de outubro, depois que os serviços médicos de emergência tentaram e não conseguiram reanimá-la.

Em seu último vídeo, postado um dia antes, ela falou sobre sua depressão e sugeriu que aquele poderia ser “o seu último vídeo”.

Luoxiaomaomaozi tinha mais de 678 mil seguidores na Douyin.

Depois que ela foi cremada, o agente funerário roubou as cinzas da influencer e conspirou com outros dois homens para vendê-las a compradores que queriam realizar os “casamentos além morte”.

Leia Também

O “casamento fantasma” é uma tradição em algumas regiões da China onde as pessoas tentam se casar com os mortos porque acreditam que mesmo as almas que já partiram precisam se casar para manter a prosperidade dos seus filhos, de acordo com o “Malay Mail”.

A tradição tem 3.000 anos e geralmente é feita por pais que querem que seus filhos mortos encontrem parceiros. A prática foi proibida na China por décadas, mas voltou recentemente, com um novo mercado de vendedores “casamenteiros fantasmas” surgindo on-line.

Os planos dos três homens foram frustrados quando eles não encontraram compradores para as cinzas e acabaram presos pela polícia.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana