conecte-se conosco


Agro News

CAFÉ/CEPEA: Preço do arábica termina safra 2019/20 em alta, mas robusta recua

Publicado


.

Cepea, 08/07/20 – A temporada brasileira de café 2019/20 terminou com elevação nas cotações do arábica, mas queda para os valores do robusta, segundo informações do Cepea. Na média da safra (de julho/19 a junho/20), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 fechou a R$ 504,90/saca de 60 kg, aumento de 51,43 Reais por saca (ou de +11,3%) frente à temporada anterior, em termos reais (os valores foram deflacionados pelo IGP-DI de maio/20). Para o robusta, o Indicador CEPEA/ESALQ do tipo 6 foi de R$ 319,54/saca, baixa de 5,5% no mesmo comparativo, também em termos reais. Para o arábica, as elevações estiveram atreladas, no fim de 2019, a preocupações com a oferta de cafés de qualidade superior e à retração dos estoques globais. Após as quedas em meados de janeiro/20, os valores voltaram a subir, reflexo da pandemia do coronavírus e da forte alta do dólar frente ao Real. Já quanto ao robusta, o recuo é explicado pela oferta elevada no Brasil e no Vietnã (maior produtor da variedade). Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agro News

TRIGO/CEPEA: Clima preocupa triticultor, mas chuvas nos próximos dias podem trazer alívio

Publicado


.

Cepea, 11/8/2020 – A comercialização de trigo no mercado interno segue pontual, e produtores estão atentos ao clima no Sul do País. Apesar de as lavouras apresentarem boas condições, a baixa umidade verificada nas últimas semanas começa a preocupar triticultores. Previsões indicam chuvas para os próximos dias, o que dá certo alívio. Ainda assim, agentes, especialmente do Paraná, indicam possíveis reduções na oferta e na qualidade. Quanto aos preços, estão firmes, sustentados pela valorização do dólar. Entre 31 de julho e 7 de agosto, a moeda norte-americana avançou 4%, fechando a semana a R$ 5,42. No mesmo período, as cotações do trigo no mercado de balcão (valor pago ao produtor) subiram 0,57% no Rio Grande do Sul e 0,26% no Paraná. No mercado de lotes, os aumentos foram de 0,92% em São Paulo, de 0,79% no Rio Grande do Sul e de 0,63% no Paraná. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

Continue lendo

Agro News

Produção de grãos sinaliza recorde final de 253,7 milhões de tonelada

Publicado


.

A produção de grãos da safra 2019/20 do Brasil caminha para o desfecho final de mais um recorde, com a marca de 253,7 milhões de toneladas. Isto representa um crescimento de 4,8% ou o equivalente a 11,6 milhões de toneladas sobre a produção da safra passada. O carro-chefe dos grãos é comandado pela soja e milho, que garantem quase 90% da produção nacional.

Os dados podem ser conferidos no 11º Levantamento de Grãos realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e divulgado nesta terça-feira (11).

Com o final próximo da colheita da primeira e segunda safra das commodities, o estudo passa a analisar as culturas de terceira e de inverno, de olho no comportamento climático que vem favorecendo as lavouras até agora. A soja já tem garantida a produção recorde estimada em 120,9 milhões de toneladas,  com  ganho de 5,1%. 

Também o milho total, recorde assegurado pelos seus 102,1 milhões de toneladas, já encerrou a primeira safra e caminha para o fechamento da segunda, dependendo de 1,5% da contribuição das lavouras cultivadas na região do Sealba (Sergipe, Alagoas e nordeste da Bahia). 

Enquanto isso, as culturas de inverno (aveia, canola, centeio, cevada trigo e triticale) finalizam o plantio neste mês. A estimativa é de crescimento de 12,1% na área plantada, com destaque para o trigo, que sinaliza um crescimento de 14,1% e alcance de 2,33 milhões de hectares. A depender da ajuda climática, a produção deve chegar a um recorde de 6,8 milhões de toneladas. O Brasil só ultrapassou a marca dos 6 milhões de toneladas de trigo em 4 ocasiões na série histórica, sendo esta a maior, caso se confirmem as estimativas.

Os demais produtos que integram a cadeia de grãos, como algodão, arroz e feijão, caminham também para a finalização da colheita, com um desempenho de produção acima do produzido no último período. O arroz deve crescer 6,6% e colher 11,2 milhões de toneladas. Dessas, 10,3 milhões em áreas de cultivo irrigado. 

Por sua vez, o algodão aumenta 5,4%, prevendo uma produção de 2,93 milhões de toneladas de pluma. E o feijão total cresce 5,4%, alcançando 3,18 milhões de toneladas, dependendo da terceira safra que está em fase de colheita. Mais da metade dessa colheita (1,9 mi t) é da espécie comum cores.

Exportações

A história de recordes da safra continua. No caso da soja, o mercado indica uma estimativa de exportações sem igual este ano, com 82 milhões de toneladas, devido à expectativa de câmbio elevado e as negociações antecipadas que estão ocorrendo.

Também o arroz tem boas perspectivas de mercado, com exportações recordes e crescimento do consumo interno, o que leva à redução nas estimativas de estoques de passagem do setor. Para a safra atual, com uma balança comercial superavitária estimada em 400 mil toneladas e crescimento do consumo, projeta-se preço elevado ao longo de todo o período de comercialização da nova safra.

Confira outras informações sobre as demais culturas plantadas no país no documento completo do 11º Levantamento – Safra 2019/20, publicado no Portal da Conab.

Informações à imprensa
Gerência de Imprensa Conab
[email protected]

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana