conecte-se conosco


Nacional

Bruno Covas está liberado para fazer segunda sessão de quimioterapia

Publicado

source
Bruno Covas arrow-options
Reprodução/Facebook

Boletim médico diz que prefeito tem “boas condições clínicas”.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), passará nesta terça-feira pela segunda sessão de quimioterapia para tratar de um câncer no aparelho digestivo. Boletim médico divulgado nesta segunda-feira informou que Covas apresenta “boas condições clínicas” e que os coágulos detectados em exames anteriores estão sob controle.

Leia também: TJ do Rio de Janeiro libera advogados da obrigatoriedade de terno no verão

A sessão de quimioterapia dura cerca de 30 horas. A primeira de três prescritas pela equipe médica foi realizada no último dia 29. O intervalo entre elas é de duas semanas. Até o fim do mês, o prefeito deverá ser submetido à terceira aplicação do tratamento.

“Os trombos estão sob controle e já diminuíram, por isso a medicação anticoagulação, que era por via intravenosa, passou a ser administrada por via subcutânea”, comunicou a equipe médica em boletim nesta tarde.

Covas está internado desde o último dia 23 no Hospital Sirio-Libanês, na capital paulista. Ele deu entrada no hospital com um quadro de erisipela, que evoluiu para trombose e embolismo pulmunar. Na busca de um diagnóstico mais aprofundado sobre as complicações, os médicos descobriram um câncer no aparelho digestivo com lesões no sistema linfático e no fígado.

Leia Também:  Temperaturas voltam a aumentar e São Paulo tem máxima de 27ºC nesta terça

Leia também: Universitária é agredida com soco pelo ex na frente do filho recém-nascido 

A permanência de Covas no hospital deve-se ao tratamento para controlar o quadro de trombose e não pelo diagnóstico de câncer. A formação de coágulos é um quadro comum em pacientes com câncer, segundo o diretor de Promoção de Saúde Cardiovascular da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Fernando Costa.

Fonte: IG Nacional
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Nacional

Após o assassinato de guajajaras, Moro envia Força Nacional para terra indígena

Publicado

source
Moro arrow-options
Antonio Cruz/Agência Brasil

Após o assassinato de guajajaras, Moro manda Força Nacional para terra indígena

Após o assassinato de três indígenas guajajara em pouco mais de um mês, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro , autorizou o emprego da Força Nacional de Segurança Pública na terra indígena Cana Brava Guajajara, no Maranhão, por 90 dias. A portaria foi assinada no começo da tarde desta segunda-feira (9).

Leia também: Índios sofriam ameaças após assaltos na região, diz membro da Funai no Maranhão

Os efeitos da medida começam a valer a partir de amanhã. Integrantes da Força Nacional ainda não chegaram à terra indígena. Eles devem permanecer no local até 8 de março de 2020. Os agentes devem dar apoio à Fundação Nacional do Índio (Funai) em ações de segurança pública, de forma a garantir a “integridade física e moral dos povos indígenas, dos servidores da Funai e dos não índios”, conforme o texto da portaria.

A Polícia Federal (PF) em São Luís informou que um inquérito policial foi instaurado no sábado para investigar o assassinato dos dois guajajara e o ferimento a outros dois, em Jenipapo das Vieiras (MA). Policiais federais foram enviados para a região do crime.

Leia Também:  Vídeos mostram medo e estragos causados por vendaval em Porto de Galinhas (PE)

Leia também: Moro envia Força Nacional para terra indígena que está sob ataques no Amazonas

Segundo um comunicado da PF, “até o momento não foram encontrados indícios de vínculos entre os crimes e atritos entre indígenas e madeireiros”. Também não há, até então, relação entre o duplo homicídio e o assassinato do índio Paulo Paulino Guajajara e do caçador Márcio Gleyck Pereira, conforme a PF.

O atentado a tiros ocorreu no último sábado na BR-226, entre as aldeias Boa Vista e El Betel, em Jenipapo dos Vieiras, cidade a 506 km de São Luís. As vítimas que morreram foram identificadas como Firmino Silvino Guajajara e Raimundo Bernice Guajajara.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, um dos índios feridos conta que ele e Firmino seguiam em uma motocicleta quando foram surpreendidos por dois tiros disparados por ocupantes de um veículo de cor branca. Durante a tarde, índios Guajajara fizeram um protesto e bloquearam a BR-226.

Leia também: Em processo de favelização, terra indígena de SP resiste com liderança jovem

Leia Também:  Forte terremoto atinge fronteira do Panamá com a Costa Rica

Há pouco mais de um mês, outro indígena da etnia Guajajara foi assassinado no Maranhão. O líder e integrante do grupo Guardiões da Floresta, Paulo Paulino Guajajara, foi morto durante uma emboscada na Terra Indígena Arariboia, na região de Bom Jesus das Selvas. No mesmo episódio, o líder indígena Laércio Souza Silva ficou ferido. A investigação ficou a cargo da PF.

Fonte: IG Nacional
Continue lendo

Nacional

Bruno Covas é internado pela terceira vez em São Paulo

Publicado

source
Prefeito de São Paulo, Bruno Covas em espaço aberto olhando para o horizonte arrow-options
Rovena Rosa/Agência Brasil

Bruno Covas já passou por três sessões de quimioterapia

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, voltou a ser internado nesta segunda-feira (9). Ele vai realizar exames e passará por uma avaliação médica para definir os próximos passos do tratamento contra o câncer.

Leia também: Bruno Covas vai se recuperar e será reeleito prefeito, diz Doria

Bruno Covas não se afastou da prefeitura de São Paulo e continuou despachando do Hospital Sírio-Libanês enquanto esteve internado, assim como fará nesta segunda. Ele, porém, tem algumas restrições, como a aglomerações e sua agenda foi adaptada.

Mais informações sobre o estado de saúde do prefeito serão divulgadas ainda nesta segunda-feira.

Ele foi diagnosticado em outubro. Ele tem câncer na cárdia, a região entre o esôfago e o estômago, com metástase no fígado.  Bruno Covas já passou por duas internações –  a primeira de 23 dias  e a segunda de 30 horas – e fez três sessões de quimioterapia .

Fonte: IG Nacional
Leia Também:  Projeto de abuso de autoridade deve ter ‘quase 20’ vetos, diz Bolsonaro
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana