conecte-se conosco


Economia

Brasil gera 43,8 mil empregos com carteira em julho e atinge quarto mês no azul

Publicado

source
CLT
Brasil gerou 43,8 mil empregos com carteira assinada em julho, de acordo com o Caged

Pelo quarto mês consecutivo, houve geração de emprego formal no país, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta sexta-feira (23) pelo Ministério da Economia. Em julho, foi registrada a abertura de 43.820 vagas de trabalho com carteira assinada, crescimento de 0,11% em relação ao estoque de junho.

Leia também: Minirreforma trabalhista? Saiba o que muda com a MP da liberdade econômica

O indicador mede a diferença entre contratações e demissões . O saldo positivo em julho deste ano foi resultado de 1.331.189 admissões contra 1.287.369 desligamentos. Em julho de 2018, o resultado foi melhor: com saldo positivo de 47.319.

Nos sete meses do ano, foram criados 461.411 postos de trabalho (9.600.447 admissões e 9.139.036 desligamentos). Na comparação com o mesmo período de 2018, houve crescimento de 2,93%. O resultado de janeiro a julho deste ano é o melhor para o período desde 2014 (632.224).

Dos oito setores econômicos, sete contrataram mais do que demitiram em julho. O saldo ficou positivo na construção civil (18.721), serviços ( 8.948), indústria de transformação (5.391), comércio (4.887), agropecuária (4.645), extrativa mineral (1.049) e serviços industriais de utilidade pública (494). Apenas administração pública descreveu saldo negativo (315).

Leia Também:  Juros do cheque especial caem para 306,9% e do cartão ficam em 306%

Resultados regionais

Segundo o ministério, todas as regiões do Brasil tiveram crescimento no mercado formal de trabalho em julho. O maior saldo foi na Região Sudeste, com 23.851 vagas de emprego com carteira assinada, crescimento de 0,12%. Em seguida, vêm Centro-Oeste (9.940 postos, 0,30%); Norte (7.091 postos, 0,39%); Nordeste (2.582 postos, 0,04%) e Sul (356 postos, 0,00%).

Das 27 unidades da federação, 20 terminaram julho com saldo positivo no emprego. A maior parte das vagas foi aberta em São Paulo, onde foram criados 20.204 postos de trabalho; Minas Gerais, com 10.609 novas vagas, e Mato Grosso, que teve saldo positivo de 4.169 postos.

Reforma Trabalhista

Do saldo total de julho, 6.286 vagas foram resultado da reforma trabalhista , número equivalente a 14,34% do total. A maior parte destes empregos veio na modalidade intermitente (quando o empregado recebe por horas de trabalho), que teve saldo de 5.546 postos, principalmente em ocupações como alimentador de linha de produção, servente de obras e faxineiro. Na categoria de trabalho em regime de tempo parcial, foram 740 vagas, em ocupações como faxineiro, auxiliar de escritório e operador de caixa.

Leia Também:  Governo demite presidente da Embrapa nomeado por Temer

Leia também: FGTS: prazo para correntista da Caixa antecipar saque de R$ 500 termina domingo

Em julho de 2019, houve 18.984 desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado, envolvendo 13.918 estabelecimentos, em um universo de 12.592 empresas. Um total de 45 empregados realizou mais de um desligamento mediante acordo com o empregador.

Fonte: IG Economia
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Economia

Mega-Sena acumula e deve pagar R$ 21,5 milhões; confira dezenas sorteadas

Publicado

source
Mega-sena arrow-options
Agência Brasil

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2199

A Mega-Sena acumulou após o sorteio do concurso 2199 neste sábado (19), remarcado do último sábado (12), por conta de feriado. As dezenas foram conhecidas em São Paulo, mas não teve ganhadores. Os números sorteados foram: 15, 23, 30, 35, 38, 44

Um total de 29 apostas acertaram a quina e vão levar para casa 29 apostas ganhadoras, R$ 58.063,07 cada. Na quadra , o prêmio de R$ 787,13 será pago a 3.056 apostadores.

O concurso 2200 deve pagar um total estimado de R$ 21,5 milhões a quem acertar as seis dezenas. 

Como funciona

O concurso é realizado pela Caixa Econômica Federal e pode pagar milhões ao sortudo que acertar as seis dezenas. Os sorteios ocorrem ao menos duas vezes por semana – normalmente, às quartas-feiras e aos sábados. O apostador também pode ganhar prêmios com valor mais baixo caso acerte quatro ou cinco números, as chamadas Quadra e Quina, respectivamente.

Na hora de jogar, o apostador pode escolher os números ou tentar a sorte com a Surpresinha – nesse modelo, o sistema escolhe automaticamente as dezenas que serão jogadas. Outra opção é manter a mesma aposta por dois, quatro ou até oito sorteios consecutivos, a chamada Teimosinha .

Leia Também:  Depois de pente-fino do governo, MP da liberdade econômica ganha nova versão

Premiação

Os prêmios iniciais costumam ser de aproximadamente R$ 3 milhões para quem acerta as seis dezenas. O valor vai acumulando a cada concurso sem vencedor. Também é possível ganhar prêmios ao acertar quatro ou cinco números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas. Para isso, é preciso marcar de seis a 15 números do volante.

O prêmio bruto da Mega-Sena corresponde a 46% da arrecadação. Desse total, 35% são distribuídos entre os acertadores dos seis números sorteados; 19% entre os acertadores de cinco números (Quina), 19% entre os acertadores de quatro números (Quadra), 22% ficam acumulados e distribuídos aos acertadores dos seis números nos concursos de final zero ou cinco e 5% ficam acumulado para a primeira faixa (Sena) do último concurso do ano de final zero ou cinco.

Fonte: IG Economia
Continue lendo

Economia

Governo estuda cobrar impostos de motoristas e entregadores de aplicativos

Publicado

source
uber arrow-options
shutterstock

Aplicativos podem ser submetidos a novas regras do governo.

O governo pretende formalizar e cobrar impostos  dos trabalhadores que prestam serviços para aplicativos de internet, como Uber , 99 , Cabify e outras plataformas que fazem conexão com os consumidores, como GetNinjas .

As medidas têm como foco motoristas, entregadores, web designers e profissionais dos ramos de beleza, assistência técnica, consultoria, eventos e serviços domésticos, entre outros. Uma das propostas em estudo pela equipe econômica é cobrar desses trabalhadores Imposto de Renda (IR) ou obrigá-los a aderir ao MEI.

Leia mais: Tente outra vez! Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 3 milhões neste sábado

Em paralelo, já se discute a reformulação do programa do Microempreendedor Individual ( MEI ). Uma das preocupações da área econômica é com as contas da Previdência, pois esses trabalhadores não contribuem para o sistema previdenciário .

Saiba mais sobre a proposta que está sendo estudada pela equipe econômica na íntegra da reportagem , exclusiva para assinantes do GLOBO.

Fonte: IG Economia
Leia Também:  Governo demite presidente da Embrapa nomeado por Temer
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana