conecte-se conosco


Política Nacional

Boulos ironiza visita ‘surpresa’ de Bolsonaro: “Eu que invado a casa dos outros”

Publicado


Boulos
Agência Brasil

Guilherme Boulos utilizou as redes sociais para ironizar a visita de Bolsonaro a Bush

Candidato do PSOL nas eleições presidenciais, Guilherme Boulos utilizou as redes sociais para ironizar a visita “surpresa” do presidente Jair Bolsonaro a George W. Bush, ex-chefe de estado dos Estados Unidos. 

Leia também: George W. Bush e entidade de Dallas dizem não ter chamado Bolsonaro para visita

De acordo com a assessoria do republicano, o político foi surpreendido com a visita de Bolsonaro e não fora avisado previamente. Em sua agenda, Bolsonaro havia dito que um encontro com o ex-presidente já estava marcado. Criticado pela base aliada do presidente por seu envolvimento com o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MTST), Boulos debochou da situação. “Depois dizem que sou eu que invado a casa dos outros”, ironizou.

“Ao contrário de algumas reportagens, o presidente Bush não esteve envolvido nos arranjos da viagem e não estendeu o convite para (Bolsonaro) vir a Dallas”, afirmou a assessoria de Bush . “Mas claro que ele concordou em se encontrar com o presidente Bolsonaro em seu escritório quando soube de sua visita à cidade – uma cortesia que ele regularmente estende aos dignitários estrangeiros quando estão nesta região”, completou.

Leia Também:  “A agenda do presidente nunca foi liberal, mas conservadora”, opina Maia

O presidente foi aos Estados Unidos para receber o prêmio de “Personalidade do Ano” pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos nesta quinta (16), em almoço organizado pelo World Affairs Council de Dallas/Fort Worth. A homenagem seria feita em Nova York mas, após uma polêmica com o prefeito da cidade , Bill de Blasio, que chamou Bolsonaro de “homofóbico com orgulho”, o evento foi transferido para Dallas. 

No entanto, o representante do World Affairs Council, Jorge Baldor, negou que tenha chamado o presidente brasileiro para ser homenageado na sede da entidade. “Ele mesmo se convidou. Bolsonaro não vai receber um prêmio”, disse ao site Dallas Voice . 

Baldor disse ainda que as reportagens do jornal que informaram que ele havia convidado o presidente brasileiro são “uma grande mentira” e que ele e e organização “não tiveram nada a ver com a presença do homofóbico e misógino presidente do Brasil”. “Eu pessoalmente não fiz um convite. Eu não o queria aqui”, completou Baldor ao Dallas Voice . 

O representante afirmou também que não há nenhum fórum público programado e que o presidente terá apenas um almoço com empresários. De acordo com Baldor, a entidade tem um contrato com a cidade para receber autoridades de outros países.

Leia Também:  CAS analisa projeto que amplia licenças para trabalhadores da CLT

Leia também: Vereadores de Dallas se dividem sobre visita de Bolsonaro à cidade

Nesta quarta-feira (15), Boulos já havia utilizado seus perfis nas redes sociais para atacar Bolsonaro. O psolista criticou a fala do presidente da República que chamou manifestantes de “idiotas úteis”. “Impressionante a reação de Bolsonaro ao protesto de milhares de estudantes no país. Chamar jovens que defendem a educação de “idiotas” apenas revela o nível de quem está na presidência da República. O Brasil é muito maior que Bolsonaro”, escreveu.

Fonte: IG Política
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política Nacional

CRE analisa quatro indicações para embaixadores do Brasil

Publicado

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) se reúne nesta quarta-feira (17), às 11h, para apresentação de relatórios sobre a indicação de quatro diplomatas para embaixadas brasileiras no exterior.

A indicação da diplomata Maria Laura Rocha para exercer o cargo de embaixadora do Brasil na Romênia tem como relatora a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP).

Marcio Bittar (MDB-AC) é relator da mensagem que indica o diplomata José Luiz Machado e Costa para exercer o cargo de embaixador do Brasil na Hungria. O Senador relata também a indicação da diplomata Eugenia Barthelmess para o cargo de embaixadora do Brasil junto à República de Singapura.

Para exercer o cargo de embaixador do Brasil junto à Malásia e, cumulativamente, junto ao Estado do Brunei Darussalam, foi indicado o diplomata Ary Norton de Murat Quintella. O relator é o senador Esperidião Amin (PP-SC).

Sabatinas

Pelo protocolo da CRE, os relatórios que tratam da indicação de diplomatas para a chefia de embaixadas sempre são apresentados em datas diferentes da sabatina. Cabe agora ao presidente da comissão, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), definir a data das sabatinas com os indicados.

Leia Também:  Diretores do IBGE são exonerados 

A reunião será realizada no plenário 7, Ala Senador Alexandre Costa no Anexo II do Senado Federal.

Maria Helena sob supervisão de Patrícia Oliveira

Fonte: Agência Senado
Continue lendo

Política Nacional

Líder acredita que governo terá de 54 a 60 votos a favor da reforma no Senado

Publicado

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), declarou nesta terça-feira (16) que espera concluir a votação da proposta de reforma da Previdência (PEC 6/2019) em dois turnos no Senado até o fim de setembro e que confia numa maioria de senadores favorável à aprovação.

— Nós trabalhamos com um prazo de 45 dias a partir da chegada da reforma aqui no Senado. Como ela ficou de ser votada em segundo turno na Câmara dos Deputados até o dia 7 ou 8 de agosto, a nossa expectativa é que a gente possa concluir a votação no Senado Federal até aproximadamente o dia 20 de setembro. Eu acredito que o governo deverá ter aqui entre 54 e 60 votos — disse.

O senador concorda com as alterações no texto a serem apresentadas na chamada PEC paralela, uma segunda proposta apresentada pelos senadores para incluir os servidores públicos estaduais e municipais na reforma da Previdência Social.

— Não dá para aceitar que a gente possa vir a ter 27 sistemas previdenciários distintos. Creio que é adequado viabilizarmos essa reforma previdenciária, que ela possa valer para a União, mas também para os estados e para os municípios brasileiros. São mais de dois mil municípios com regime próprio de previdência. Portanto, o Senado como Casa da Federação brasileira, deverá, sim, incluir os estados e os municípios na reforma da Previdência.

Leia Também:  CAS analisa projeto que amplia licenças para trabalhadores da CLT

Reforma Tributária

Bezerra Coelho comemorou o que considera um semestre positivo para o governo no Congresso. Além do avanço da reforma previdenciária, o senador ainda conta com um grande programa de desestatização e a reforma tributária para retomar o crescimento econômico do país.

— O governo está trabalhando em cima de uma proposta de reforma tributária que aposta na simplificação, no combate à evasão, na justiça fiscal. Eu, portanto, estou muito animado. O ministro [da Economia] Paulo Guedes, hoje em uma reunião ministerial, presentou de forma resumida a proposta que foi também debatida pelo professor Marcos Cintra, e eu acredito que quando ela for formalizada e chegar aqui no Congresso Nacional em meados de agosto, certamente essa proposta do governo deverá centralizar o debate e merecerá a prioridade na tramitação nas duas Casas — explicou.

Embaixador

O senador também comentou a possível nomeação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Bezerra Coelho acredita que se a indicação for formalizada, o nome será aprovado.

Leia Também:  “A agenda do presidente nunca foi liberal, mas conservadora”, opina Maia

— O governo tem maioria no Senado. Essa maioria já foi testada em duas ocasiões, quando o governo obteve 54 votos. Portanto, apesar de toda a polêmica e o debate em torno dessa indicação, se for formalizada pelo presidente da República, o governo tem votos para aprovar tanto na comissão [das Relações Exteriores] quanto no Plenário.

Coaf

Já em relação à decisão do ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), de suspender inquéritos com dados do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) a pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), o líder do governo diz que a justiça está sendo feita.

— Eu acho que a decisão hoje tomada pelo presidente do STF coloca freios. Ninguém pode sair a chafurdar a vida de quem quer que seja, de qualquer cidadão brasileiro, se não tiver autorização judicial para isso. Então, é um freio para a busca da legalidade dos atos que são praticados em qualquer tipo de investigação — avaliou.

Fonte: Agência Senado
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana