conecte-se conosco


Política MT

Botelho visita base comunitária da PM no Ribeirão do Lipa e recebe pedido de asfalto

Publicado


Deputado Eduardo Botelho recebeu as demandas da Base Comunitária do Ribeirão do Lipa, em Cuiabá

Foto: MAURICIO BARBANT / ALMT

Instalada desde 2007, a Base Comunitária de Segurança Ribeirão do Lipa ainda não dispõe de alfalto no seu entorno, mesmo a rua principal dando acesso ao novo Pronto Socorro Municipal de Cuiabá. Para melhorar a infraestrutura do local, o primeiro-secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho (DEM) vai encaminhar indicações solicitando os investimentos necessários para melhorar o trabalho ostensivo da Polícia Militar da 3ª Cia do 10º Batalhão, que atende 22 bairros e os distritos da Guia, Sucuri e Aguaçu. Além de reduzir, significativamente, a poeira e lama, melhorando a qualidade de vida dos moradores da região.
A garantia foi dada por Botelho durante visita feita à Companhia, nesta quarta-feira (02), oportunidade em que também conheceu as ações sociais realizadas pelos policiais em conjunto com a comunidade.
A Cia é comandada pelo capitão PM Kawahara, que explicou sobre essa demanda que é antiga. Dentre as ações sociais estão a doação de brinquedos para crianças carentes, através do Natal Solidário, e a doação de cestas básicas durante a pandemia. Disse que a pavimentação será um grande ganho para todos, inclusive, para os frequentadores da igreja que fica ao lado da base comunitária.
Também presente na reunião, o presidente do bairro Novo Tempo, Ubiracy Oliveira Souza, reforçou a necessidade dos investimentos como forma de valorizar o importante trabalho da companhia junto à comunidade.
“É muito importante a visita do deputado Botelho para nos auxiliar nessa questão do asfalto, nas ações sociais, bem como policiamento ostensivo. Trabalhamos o máximo possível por essa melhoria. Atendemos 22 bairros e os distritos da Guia, Aguaçu e Sucuri. A maior parte das ocorrências registradas são de violência doméstica, já que nos finais de semana aumenta o consumo de bebidas alcóolicas”, informou.
Botelho lembrou as ações da Assembleia Legislativa para fortalecer a Segurança Pública. A exemplo da entrega de armamentos, com a aquisição de mil pistolas e recursos para aquisição de 100 viaturas com recursos da Assembleia para a Polícia Militar, que, segundo o parlamentar, está dando bons resultados no combate à criminalidade, ações sociais e no respeito a pessoa de bem, independente de classe social.
“Parabenizamos pelo trabalho brilhante que a polícia faz aqui, junto com os presidentes dos bairros e toda a comunidade. Essa área tem muita poeira no período da seca e lama quando chove, por isso estão solicitando asfalto. Vamos fazer esse encaminhamento e lutar para conseguir atender a base comunitária e moradores que vêm procurar apoio aqui na polícia, para que o acesso seja bem mais fácil”, garantiu Botelho.
Também participaram o tenente-coronel Dias e o primeiro-tenente Herbe.

Fonte: ALMT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

CPI da Energisa prorroga prazo para entrega do relatório final

Publicado


Foto: Ronaldo Mazza

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que investiga irregularidades na empresa de energia elétrica Energisa retornou às atividades nesta quinta-feira (16), após os trabalhos terem sido paralisados desde o mês de abri,l em razão da pandemia da Covid-19.

De imediato o presidente da CPI, deputado Elizeu Nascimento (PSL) apresentou requerimento prorrogando o prazo para o dia 15 de dezembro deste ano para entrega do relatório final. Esse requerimento ainda vai ser encaminhado para votação em Plenário. Também foi apresentado um novo cronograma de convidados para as próximas reuniões.

“Devido a pandemia da Covid-19, precisamos alterar o calendário e propor um novo agendamento de convidados. Paralelamente à CPI, está acontecendo a operação “Tudo às Claras”, que trata-se de uma investigação entre as polícias Civil, Militar, Federal e outros órgãos, por isso estendemos a convocação dos membros que participam desta operação para falar à CPI tudo o que foi coletado até o momento e mostrar para a sociedade”, revelou Nascimento.

Conforme o presidente da Comissão, estão sendo apuradas investigações sigilosas envolvendo, desde a questão de abuso na cobrança de faturas de energia, à má prestação de serviço, além de baixo efetivo de servidores da empresa e também abusos referente aos medidores de consumo. Tudo isso será incluído no relatório da CPI.

“Essa CPI é oriunda da vontade popular para que os deputados pudessem cobrar da Energisa melhores condições de fornecimento de energia e soluções para as constantes reclamações contra a empresa, como o mau atendimento e os valores exorbitantes cobrados na taxa de energia”, disse o vice–presidente da CPI, deputado Thiago Silva (MDB).

Veja o cronograma com os próximos convidados, em datas a serem definidas pela CPI:

a) Investigação sobre fios elétricos e medidores de energia. Convidado: secretário adjunto de proteção em defesa dos direitos dos consumidores do Procon, Edmundo Taques, para mostrar os trabalhos finais desempenhado pelo grupo de fiscalização que atuou na operação “Tudo às Claras”.

b) Convocar o presidente do Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (IPEM-MT), Pedro Bezerra, para tratar do relatório final dos trabalhos desenvolvidos pelo grupo de fiscalização na operação “Tudo as Claras”.

c) Convidar o presidente da Ager-MT, Luis Alberto Nespolo, para mostrar resultados dos trabalhos realizados na operação “Tudo as Claras”.

d) Convidar o delegado da Delegacia do Consumidor (Decon), Rogério Ferreira, falar dos trabalhos desenvolvidos na operação “Tudo as Claras”.

e) Ouvir o engenheiro eletricista, José Antonio de Mesquita, que participou da operação.

f) Proposição em Plenário do Requerimento para prorrogar até o dia 15 de dezembro de 2021, a duração da CPI da Energisa, por conta da pandemia.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

CPI da Energisa prorroga prazo para entrega do relatório final e quer ouvir presidente da Ager e delegado

Publicado

Requerimento pede que trabalho sejam estendidos até o dia 15 de dezembro [Foto – Ronaldo Mazza]

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que investiga irregularidades na empresa de energia elétrica Energisa retornou às atividades nesta quinta-feira (16), após os trabalhos terem sido paralisados desde o mês de abril em razão da pandemia da Covid-19.

De imediato o presidente da CPI, deputado Elizeu Nascimento (PSL) apresentou requerimento prorrogando o prazo para o dia 15 de dezembro deste ano para entrega do relatório final. Esse requerimento ainda vai ser encaminhado para votação em Plenário. Também foi apresentado um novo cronograma de convidados para as próximas reuniões.

“Devido a pandemia da Covid-19, precisamos alterar o calendário e propor um novo agendamento de convidados. Paralelamente à CPI, está acontecendo a operação “Tudo às Claras”, que trata-se de uma investigação entre as polícias Civil, Militar, Federal e outros órgãos, por isso estendemos a convocação dos membros que participam desta operação para falar à CPI tudo o que foi coletado até o momento e mostrar para a sociedade”, revelou Nascimento.

Conforme o presidente da Comissão, estão sendo apuradas investigações sigilosas envolvendo, desde a questão de abuso na cobrança de faturas de energia, à má prestação de serviço, além de baixo efetivo de servidores da empresa e também abusos referente aos medidores de consumo. Tudo isso será incluído no relatório da CPI.

“Essa CPI é oriunda da vontade popular para que os deputados pudessem cobrar da Energisa melhores condições de fornecimento de energia e soluções para as constantes reclamações contra a empresa, como o mau atendimento e os valores exorbitantes cobrados na taxa de energia”, disse o vice–presidente da CPI, deputado Thiago Silva (MDB).

Veja o cronograma com os próximos convidados, em datas a serem definidas pela CPI:

a) Investigação sobre fios elétricos e medidores de energia. Convidado: secretário adjunto de proteção em defesa dos direitos dos consumidores do Procon, Edmundo Taques, para mostrar os trabalhos finais desempenhado pelo grupo de fiscalização que atuou na operação “Tudo às Claras”.

b) Convocar o presidente do Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (IPEM-MT), Pedro Bezerra, para tratar do relatório final dos trabalhos desenvolvidos pelo grupo de fiscalização na operação “Tudo as Claras”.

c) Convidar o presidente da Ager-MT, Luis Alberto Nespolo, para mostrar resultados dos trabalhos realizados na operação “Tudo as Claras”.

d) Convidar o delegado da Delegacia do Consumidor (Decon), Rogério Ferreira, falar dos trabalhos desenvolvidos na operação “Tudo as Claras”.

e) Ouvir o engenheiro eletricista, José Antonio de Mesquita, que participou da operação.

f) Proposição em Plenário do Requerimento para prorrogar até o dia 15 de dezembro de 2021, a duração da CPI da Energisa, por conta da pandemia.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana