conecte-se conosco


Registro Geral

Bomba, bomba, bomba: Imóveis do Jardim Aeroporto, vendidos em 98, são alvos de investigação do Ministério Público

Publicado

Ministério Público Estadual (MPE) estaria investigando supostsa vendas ilegais de áreas públicas, em Várzea Grande. Caso teria ocorrido, em 1998, quando Jayme Campos (DEM), era prefeito da cidade

Fontes do site de notícias OEMPALLADOR, parceiro de primeira hora do portal ODOCUMENTO, garantiram nesta terça-feira (3), que nas próximas horas explodirá grande escândalo envolvendo áreas públicas do município de Várzea Grande. Neste caso, o Loteamento Jardim Aeroporto seria o alvo do Ministério Público Estadual (MPE). O petardo estaria sob as mãos da combativa promotora de Justiça, Maria Fernanda Correa da Costa, que segundo a fonte, expedirá notificações para o Executivo, Câmara Municipal, Cartório do 5º Ofício e Junta Comercial. Um dos informantes que tem total conhecimento das investigações, assegurou que o município passará por uma verdadeira  devassa quanto as áreas públicas (invadidas/concedidas), sob as bênçãos da prefeitura municipal, e que tais ilegalidades cometidas teriam ocorridas em 1998, através de uma Lei sancionada na gestão do atual senador, Jayme Campos (DEM), quando administrou a cidade pela segunda vez. A devastação será enorme, visto que esses imóveis que teoricamente são públicos, já encontram-se em poder de terceiros por muitos anos. Vamos aguardar o efeito dominó, com consequências inimagináveis.

Leia Também:  Corregedor do Tribunal de Contas alerta que crise vivida pelo Estado pode afetar, em breve, municípios de Mato Grosso

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Registro Geral

Três nomes da Assembleia já despontam como postulantes à vaga de Selma Arruda

Publicado

Eduardo Botelho revelou que AL pode fechar um torno de um só candidato

A cobiçada vaga da senadora Selma Arruda (Podemos), cassada na última terça-feira (10) pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso de poder econômico, tem movimentado os bastidores políticos, com vários segmentos, buscando um nome para a disputa. Depois do agronegócio, que já ventilou os nomes do ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD), Adilton Sachetti (PRB), Blairo Maggi (PP) e Nilson Leitão (PSDB), entre outros, a Assembleia Legislativa também sinaliza que pretende postular a vaga.

O presidente Eduardo Botelho (DEM) disse que se a Casa, decidir lançar um candidato, irá apoiá-lo, independentemente de partido. E citou nominalmente quem, de acordo com ele, tem chances reais de ser eleito na eleição suplementar que deve ocorrer entre março e junho de 2020.

“Na Assembleia tem vários nomes com condições de ganhar. Deputado Dilmar Dal Bosco vem de uma região muito grande. Lúdio Cabral poderia agregar essa ala da esquerda, que tem o voto aqui em Cuiabá e com votação muito grande. E é um grande parlamentar. Ainda temos Max Russi que é o 1º secretário”, disse.

Leia Também:  Botelho deve interromper licença médica para “descascar abacaxi” e reordenar temas delicados da Casa

Na opinião do democrata, o Legislativo deve fechar apoio ao nome do deputado que vier a ser escolhido.

Continue lendo

Registro Geral

Ministério Público pede bloqueio de R$ 13,2 milhões de ex-secretários de Taques

Publicado


Mutirão “Caravana da Transformação” tinha como meta zerar as filas de cirurgias oftalmológicas em todo o estado

Sete ex-secretários de Estado, sendo três de Saúde, três adjuntos de Administração Sistêmica e um da Casa Civil, e a empresa 20/20 Serviços Médicos foram acionados pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso por ato de improbidade administrativa cometido durante o mutirão Caravana da Transformação, realizada durante a gestão do ex-governador Pedro Taques (PSDB).

Segundo o promotor de Justiça Mauro Zaque, foram constatadas “irregularidades na definição da demanda contratada, onde os 14 mil procedimentos não possuíam base de origem da demanda no primeiro contrato e também houve superestimação de consultas e procedimentos no segundo contrato, o que ocasionou uma restrição na competição, pois exigiu uma alta capacidade econômico-financeira da empresa a ser contratada”.

São alvos da ação os ex-secretários estaduais de Saúde Eduardo Bermudez, Luiz Soares e João Batista Pereira da Silva, os ex-adjuntos de Saúde, Wanderson de Jesus Nogueira, Maura Lopes de Souza e Florinda Lafaete da Silva Ferreira Lopes, e ainda o ex-secretário da Casa Civil, José Adolpho de Lima Avelino Vieira, além da empresa 20/20 Serviços Médicos.

Leia Também:  Suplente “engoma o terno” para assumir o senado no segundo semestre; Jayme pretende cuidar da saúde e negócios

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana