conecte-se conosco


Internacional

Bolsonaro vai reservar agenda para conversar com parlamentares

Publicado

Encerrando a viagem a Israel, o presidente Jair Bolsonaro disse que vai reservar “meio-dia da agenda no Brasil” para receber parlamentares e conversar.

Segundo ele, está aberto ao diálogo. Afirmou também que, no segundo semestre, pretende visitar países árabes. Os locais estão sendo definidos.

Presidente da República, Jair Bolsonaro, e o Primeiro-Ministro de Israel, Senhor Benjamin Netanyahu, durante visita à exposição de produtos de empresas de inovação em Jerusalém

O presidente Jair Bolsonaro e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, visitam exposição de produtos de empresas de inovação, em Jerusalém  (Alan Santos/PR)

O presidente reiterou que a proposta da reforma da Previdência é um projeto para o país e, não de governo.

“Vou deixar pelo menos meio-dia da minha agenda no Brasil para atender deputados e senadores”, disse Bolsonaro em entrevista à TV Record.

“O que eu apresentei para o Parlamento com a reforma da Previdência não é um projeto meu, é do Brasil” argumentou.

O presidente disse compreender as manifestações dos parlamentares sobre eventuais alterações na proposta da reforma, relacionadas ao Benefício de Prestação Continuada (BPC) e à aposentadoria rural. De acordo com ele, a preocupação com os trabalhadores no campo é com as fraudes.

“[Vamos buscar] uma forma de cadastrar os benefícios. Dizem que uma parte considerável é fraude. Nós queremos atender aquele que quer se aposentar como produtor rural. Queremos combater a fraude.”

Desemprego

O presidente disse que a metodologia utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) não reflete a realidade.

“Com todo respeito ao IBGE, essa metodologia, em que pese ser aplicada em outros países, não é a mais correta.”, afirmou. “Tenho dito aqui, fui muito criticado, volto a repetir, não interessam as críticas. Tem de falar a verdade.”

Em seguida, Bolsonaro detalhou. “Como é feita hoje em dia a taxa? Leva-se em conta quem está procurando emprego. Quem não procura emprego, não está desempregado”, disse. “Então, quando há uma pequena melhora, essas pessoas que não estavam procurando emprego, procuram, e, quando procuram e não acham, aumenta a taxa de desemprego. É uma coisa que não mede a realidade. Parecem índices que são feitos para enganar a população.”

Para o presidente, o ideal é adotar uma metodologia “tocante à taxa de desemprego”. “É você ver dados bancários, dados junto à Secretaria de Trabalho, quantos empregos geramos a mais ou a menos no mês”, disse.

Embaixada

Em meio às reações da Liga de Países Árabes, que reúne 22 nações, à transferência da Embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém, o presidente afirmou que busca conversar com todos e que, no segundo semestre, visitará o Oriente Médio.

“Temos conversado com o mundo árabe. Buscamos conversar. Tenho uma viagem para o Oriente Médio no segundo semestre, estamos definindo quais países, vários nos interessam”, disse.

Preparando-se para retornar ao Brasil, Bolsonaro afirmou que, entre os projetos futuros com Israel, quer firmar parceria para que universitários israelenses venham para o Brasil e desenvolvam ações em ciência e tecnologia, agricultura e piscicultura.

“Estamos buscando vender uma nova imagem do Brasil diferente da que era vendida antes”, ressaltou. “Pretendemos trazer para cá jovens universitários nas áreas de agricultura, piscicultura, ciência e inovação.”

Agenda

Em Israel, o presidente tomou café hoje (2) com dirigentes de empresas israelenses e dos países. Ele tem encontro com empresários e visita uma exposição de produtos de empresas de inovação. Às 12h30, almoça com empresários.

Bolsonaro visita ainda a exposição “Flashes of Memory – Fotografia durante o Holocausto”, no Yad Vashem, Centro Mundial de Memória do Holocausto.

Edição: Kleber Sampaio
publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Internacional

EUA: sobe para 7 o número de mortos em ataque em Illinois

Publicado

Tiroteio em Illinois nesta tarde de 4 de julho de 2022
Reprodução: Redes Sociais

Tiroteio em Illinois nesta tarde de 4 de julho de 2022

O número de mortos no  tiroteio durante o desfile de 4 de julho na cidade de Highland Park, em Illinois, subiu para sete nesta terça-feira (5) após uma pessoa que estava hospitalizada não resistir aos ferimentos, informou a NBC Chicago.

O atirador identificado como Robert E. Crimo, um jovem branco de 22 anos, foi detido após se recusar a parar em uma blitz e depois de ser perseguido por cerca de oito horas. Ao todo, ele deixou 23 feridos na última segunda-feira (4).

De acordo com as autoridades americanas, o ataque ao desfile nos arredores de Chicago estava planejado “há semanas”.

Em entrevista coletiva, a polícia disse que o assassino se misturou com a multidão vestindo roupas femininas depois de atirar de um telhado.

Segundo os relatos, ele tinha dois rifles, um usado para atirar contra a multidão e outro que foi encontrado no carro em que havia fugido. Os agentes também explicaram que mais de 70 tiros foram disparados.


“No momento não há motivo para o massacre”, disse a polícia local, explicando que as vítimas do ataque têm entre 8 e 85 anos.

Hoje, a porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, disse que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, não está planejando uma viagem a Highland Park no momento.

No entanto, ela especificou que a vice-presidente americana, Kamala Harris, estará em Chicago para um compromisso agendado, mas “certamente falará sobre os eventos horríveis” que ocorreram em Illinois.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Internacional

Austrália emite alerta de evacuação para 50 mil pessoas em Sydney

Publicado

Imagens Alagamentos Austrália - 07.06.2022
Alagamentos Austrália: Reprodução TV australiana

Imagens Alagamentos Austrália – 07.06.2022

As equipes de bombeiros da Austrália realizaram durante a noite passada terça-feira (04) pelo menos 100 ocorrências de emergência. A maioria de pessoas presas em carros, estradas inundadas ou casas que sofreram alagamentos na região metropolitana de Sydney, de acordo com comunidado da gerente do Serviço Estadual de Emergência, Ashley Sullivan.

As ordens de evacuação e avisos para que moradores se prepararem para abandonar suas casas foram dadas a 50 mil pessoas. Outros 32 mil alertas haviam sido emitidos na segunda-feira , disse o primeiro-ministro de Nova Gales do Sul, Dominic Perrottet . A região sofre com dias de chuvas torrenciais que causaram transbordamentos  em barragens e rompimento de cursos d’água, trazendo uma quarta emergência de inundação na cidade de Sydnei. 

“Este evento está longe de terminar. Por favor, não seja complacente, onde quer que esteja. Por favor, tenha cuidado quando estiver dirigindo em nossas estradas. Ainda há risco substancial de inundações repentinas em nosso estado”, disse Perrottet.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana