conecte-se conosco


Política Nacional

‘Bolsominions fazem terrorismo na internet’, diz Witzel

Publicado

Witzel arrow-options
Luciano Belford / Agência O Dia

“O que vemos é um show de horrores, pautada em coisas que pouco acrescentam”, diz Witzel

Em cerimônia realizada na tarde desta segunda-feira no Palácio Guanabara, o governador Wilson Witzel disparou contra o governo federal do presidente Jair Bolsonaro. O governador afirmou que o debate ideológico atual entre petistas e bolsonaristas é “estéril”, pediu por bom senso e disse que os brasileiros têm pela frente até as próximas eleições presidenciais “mais três anos assistindo a um show de horrores”. Witzel ainda criticou os apoiadores de Bolsonaro nas redes sociais, chamando-os de ” bolsominions que fazem terrorismo na internet”.

Leia também: Bolsonaro marca reunião com deputados para anunciar saída do PSL

— Temos mais três anos até as eleições presidenciais assistindo um show de horrores que não leva a lugar nenhum e, infelizmente, nossos desempregados é que estão sofrendo com essa disputa ideológica desnecessária — afirmou o governador.

Durante o discurso, Witzel chamou a discussão polarizada de pouco produtiva e “irracional”. Ele criticou o estado atual da indústria nacional, considerando um processo de “desindustrialização” pelo pouco incentivo fiscal do país.

— O que vemos é um show de horrores, pautada em coisas que pouco acrescentam. Um pouco irracional com esses dois personagens de antagonismo. A indústria brasileira está ficando velha enquanto estamos olhando só para despesa e pouco para receita. Fica um gritando Lula Livre e outros bolsominions fazendo terrorismo na internet — disparou Witzel.

Mais cedo, em entrevista à Rádio 94,1 FM, antiga Roquette Pinto, Witzel declarou não consegue ter uma boa relação com o governo federal. Ele disse que a gestão de Jair Bolsonaro está “imobilizada” entre brigas ideológicas.

— Infelizmente nós não estamos conseguindo ter a mesma relação com o governo federal (em comparação ao bom relacionamento com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia). Há uma dificuldade de relacionamento de entender os problemas de vários estados da federação, não estamos sendo bem compreendidos pelo governo federal. Vivemos uma polarização, de um debate ideológico que é estéril. Agora com Lula solto vai se acirrar e o governo federal imobilizado nisso — afirmou Witzel.

Ao ouvir do âncora do programa, o jornalista William Travassos, que o governo federal precisa “parar de besteirol na internet”, Witzel concordou com a declaração. O jornalista ironizou as discussões feitas pelas redes sociais e teve apoio do governador que disse: “É, verdade. Exatamente”.

Leia também: Manifestantes jogam pedras em imagens de ministros do STF em ato pró Lava Jato

— Precisamos de um país com um lider que consegue entender os antagonismos e fazer consenso. O consenso é a melhor forma de resolver problemas. Estamos precisando de uma liderança que consiga trazer paz ao povo brasileiro, aquecer a economia e fazer as reformas necessárias — afirmou Witzel.

Novo secretário

O evento marcou a nomeação do novo secretário de Infraestrutura e Obras, Bruno Kazuhiro (DEM). O ato é um gesto de embarque do partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, na gestão Witzel após meses de negociação.

O agora secretário atuava desde 2013 como assessor do ex-prefeito, e hoje vereador, César Maia. Na cerimônia, uma mensagem enviada pelo vereador foi lida, justificando sua ausência devido a uma enfermidade.

— A nomeação representa a lealdade do governador ao nosso partido, conte comigo — escreveu César Maia.

Com a nomeação de cunho político, Witzel tira de cena um secretário técnico, especialista da área, Horácio Guimarães. Apesar de, segundo fontes do gabinete do governador, Witzel se posicionar de forma contrária a empossar alguém que não tem conhecimento da área, ele cedeu para conquistar mais cinco deputados estaduais para a base do governo.

Kazuhiro é presidente nacional da juventude da União Democrata Internacional e integra o partido desde 2007. Ao fazer o discurso de posse, o secretário confirmou que a nomeação vem por meio de um voto de confiança da família Maia. Ao GLOBO o secretário anunciou que tem algumas prioridades para a gestão.

Leia também: CCJ pode votar hoje PEC da prisão em segunda instância

— O Museu da Imagem e do Som é um pedido do secretário de Turismo, Otávio Leite. Não tenho dúvida que o Arco Metropolitano também tem que ser uma prioridade. E, além disso, os presídios verticais e os conjuntos habitacionais para combater os déficits atuais no estado — afirmou Kazuhiro.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Transporte coletivo poderá ter equipamento de desinfecção de ar obrigatório

Publicado


.
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
O Expressão Nacional dessa semana debate a gestão de política ambiental. Dep. Professor Joziel (PSL-RJ)
Professor Joziel: norma tornará os meios de transporte mais seguros

O Projeto de Lei 3965/20 torna obrigatória a instalação de equipamento de desinfecção de ar em veículos de transporte de passageiros, como ônibus e metrô.

A proposta, do deputado Professor Joziel (PSL-RJ), tramita na Câmara dos Deputados.

As empresas públicas e privadas responsáveis pelo transporte de passageiros devem garantir equipamentos capazes de reduzir o número de microrganismos a níveis seguros e de acordo com normais de saúde pública.

Os equipamentos devem ser considerados seguros para a saúde, ter eficácia comprovada e registro em órgão competente. Quem descumprir a regra está sujeito a multa.

Segundo Professor Joziel, a norma tornará os meios de transporte mais seguros, tanto para quem trabalha quanto para quem usa os veículos. “Acreditamos se tratar de medida que trará grandes benefícios para a saúde pública de todo o País”, disse.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei.

Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Rachel Librelon

Continue lendo

Política Nacional

STF suspende veto sobre uso de máscaras

Publicado


.
Akira Onuma/Superintendência do Sistema Penitenciário-Pará
Segurança - presídio - presos penitenciárias sistema carcerário prisões
Até o dia 22, quase 14 mil presos e servidores já haviam sido contaminados pela Covid-19

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu ontem os vetos do presidente Jair Bolsonaro a trechos da lei que torna obrigatório o uso de máscaras de proteção facial como medida de prevenção à Covid-19 (Lei 14.019/20).

Os vetos excluíam da lei a obrigatoriedade de uso de máscaras em presídios e em estabelecimentos socioeducativos e de afixação de cartazes sobre a forma de uso correto dos equipamentos de proteção individual e do número máximo de pessoas permitidas simultaneamente dentro dos estabelecimentos.

A Lei 14.019/20 é oriunda do Projeto de Lei 1562/20, aprovado pela Câmara no início de junho. O texto aprovado no Congresso teve amplo apoio da comissão externa da Câmara que acompanha as medidas de enfrentamento da pandemia.

O governo argumentou que a obrigatoriedade de máscaras em locais fechados poderia incorrer em “possível violação de domicílio”.  Já sobre os cartazes, o governo disse que a matéria já vem sendo regulamentada por meio de portarias do governo federal.

Os vetos foram contestados junto ao STF pelos partidos de oposição PDT, Rede Sustentabilidade e PT. O PDT argumentou que os vetos afrontam o preceito fundamental do direito à saúde e vão na contramão das determinações da Organização Mundial da Saúde.

O veto (VET 25/20) aguarda análise do Congresso. Parlamentares de vários partidos já anunciaram a intenção de derrubar o veto. 

Da Redação – ND

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana