conecte-se conosco


Economia

Avianca paga taxas de seis aeroportos e deve operar no fim de semana

Publicado


avião da avianca
Divulgação/Avianca Brasil

A responsável pelo terminal de Guarulhos (SP) autorizou a operação da Avianca depois que a aérea pagou as taxas devidas

A Avianca Brasil pagou as taxas para operar no terminal de Guarulhos (SP) e outros cinco aeroportos neste fim de semana. Só no terminal paulista, a companhia tem mais de cem voos por dia. De janeiro a setembro do ano passado, a Avianca foi responsável por 22% dos passageiros embarcados por empresas brasileiras em Guarulhos, de acordo com o Portal Aviação Brasil.

Leia também: Voos da Avianca operam normalmente em Guarulhos após ameaça de suspensão

Em recuperação judicial desde dezembro do ano passado, a Avianca
deixou de repassar à concessionária GRU Airport, que administra o terminal, as tarifas aeroportuárias recolhidas dos passageiros embarcados em seus aviões. Por isso, a gestão de GRU Airport informou no início da semana que, a partir desta sexta-feira (12), só aceitará o pagamento antecipado aos voos da companhia no terminal.

Ao longo deste dia, outros aeroportos geridos pela iniciativa privada confirmaram o pagamento das taxas aeroportuárias. A concessionária RIOgaleão
, que administra o terminal do Galeão (RJ), disse que as taxas aeroportuárias estão sendo pagas desde segunda (8). Para este fim de semana, estão previstos 33 voos da Avianca no RIOgaleão – 8% do total de voos, segundo a assessoria de imprensa do terminal.

A Floripa Airport, concessionária do terminal de Florianópolis (SC), anunciou na quinta (11) um acordo com a Avianca Brasil para amortizar dívidas existentes e assegurar a operação por uma semana. Pelo acordo, uma vez por semana a companhia deve pagar os valores referentes às taxas da semana seguinte. Neste fim de semana, estão previstos 25 voos da Avianca no terminal, 17% do total de viagens.

A Fraport, que opera os aeroportos de Porto Alegre (RS) e Fortaleza (CE), recebeu as taxas até a próxima segunda-feira (15). Assim, os 16 voos da Avianca em Fortaleza
e os dez em Porto Alegre estão confirmados. A receita média diária da Fraport com os voos da aérea é de R$ 50 mil em Fortaleza e R$ 20 mil em Porto Alegre.

Leia também: Companhias aéreas vão intensificar regras de embarque com malas de mão

A Inframerica, concessionária do terminal de Brasília (DF) disse que “no momento, pousos e decolagens da companhia acontecem normalmente no terminal brasiliense”. Na capital federal, a Avianca
opera atualmente uma média de 22 voos diários. Sobram apenas as concessionárias Vinci, gestora do aeroporto de Salvador (BA), BH Airport, de Confins (MG), e a Infraero, que não responderam ao contato do Globo
.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Economia

Outros bancos públicos e privados deveriam pagar o auxílio, diz presidente

Publicado


source
caixa
Fenae

Abertura aos sábados também foi criticada por Federação

A Fenae (Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa) criticou a abertura aos sábados da Caixa Econômica Federal para o pagamento do auxílio emergencial. Neste sábado (30), metade das agências estão abertas. Além disso, a organização pediu ao governo federal para que outros bancos também pagassem o auxílio emergencial para a população, aliviando os atendimentos.

“Questionamos a necessidade de as agências continuarem abrindo aos sábados nesta fase em que os dias úteis estão atendendo a demanda”, acrescenta o presidente da Fenae, Sérgio Takemoto.

“Desde o início da concessão do auxílio, reivindicamos a descentralização do pagamento para outros bancos”, ressalta Sérgio Takemoto. “São mais 101 milhões de cadastramentos — o que corresponde à metade da população brasileira — e cerca de 60 milhões de beneficiários. É preciso envolver tanto os bancos públicos como os bancos privados e outras instituições. Mas, infelizmente, nem a Caixa nem o governo atenderam a esta reivindicação”, afirma.

Uma das principais cobranças da Fenae e de outras entidades representativas dos bancários ao governo federal é a descentralização do pagamento do auxílio. No último dia 24, o governo federal voltou a divulgar que os Correios seriam uma opção para ajudar no cadastramento do benefício. Mas o anúncio não foi confirmado e o pagamento continua sob a responsabilidade única da Caixa.

Além de não descentralizar o pagamento do auxílio emergencial, o presidente da Fenae destaca que a direção da Caixa, até este momento, não fez uma ampla e efetiva campanha de informação à sociedade.

“Que esclareça, de forma clara a abrangente, os procedimentos para o cadastro e a concessão do benefício”, reforça Takemoto. “É por isso que as pessoas ainda acabam recorrendo às agências para o cadastramento ao auxílio, por exemplo (que só pode ser feito pela internet ou por aplicativo de celular), ou para situações que poderiam ser resolvidas por telefone”, acrescenta o presidente da Fenae.

Leia ainda: Funcionários da Caixa assinam termo de voluntariado, mas são obrigados a trabalhar neste sábado

‘No limite físico e mental’

De acordo com a direção da Caixa, o auxílio emergencial foi pago a mais de 56 milhões de beneficiários. Conforme observa o presidente da Fenae, além do trabalho em diferentes sábados, os empregados da Caixa também estão, há semanas, começando o atendimento à população duas horas mais cedo (às 8h), todos os dias.

“Os empregados estão no limite físico e mental porque, desde o início, somente a Caixa vem fazendo o pagamento do auxílio”, lembra. “Isso demonstra a grandeza do trabalho essencial que vem sempre prestado pelos empregados do banco”, afirma Takemoto.

Diante deste contexto, a Fenae e o movimento sindical têm cobrado o encerramento das aberturas extraordinárias das agências, aos sábados. Para a federação, a medida não é mais necessária e coloca em risco de contaminação os bancários e a população.

“Não faz sentido exigir ainda mais dos trabalhadores da Caixa, que já têm se destacado no trabalho constante de atendimento à população”, defende Sérgio Takemoto.

A representante dos empregados no Conselho de Administração do banco, Rita Serrano, também está preocupada com a situação. Ela observa que os trabalhadores estão prestando atendimento aos sábados praticamente desde o início da pandemia. “Há uma sobrecarga de trabalho para os colegas que estão na linha de frente (da assistência à população). A direção do banco precisa tomar medidas no sentido de diminuir esta sobrecarga de trabalho”, destaca Serrano.

Neste sábado

De acordo com o calendário divulgado pela Caixa, estarão autorizados a fazer o saque do auxílio emergencial, neste sábado (30), os trabalhadores informais, contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e Microempreendedores Individuais (MEIs) nascidos em janeiro como também aqueles que receberam a primeira parcela do auxílio até o dia 30 de abril.

Será possível, ainda, fazer transferência do benefício para contas da Caixa ou de outros bancos. 

Como sacar

Para sacar valores do auxílio emergencial será preciso gerar o código de saque no aplicativo Caixa TEM e se dirigir a uma agência da Caixa ou a uma casa lotérica. Também é possível fazer transferência para outra conta.

Operações eletrônicas

Vale lembrar que por meio do aplicativo Caixa TEM o beneficiário pode pagar contas e fazer compras com o cartão de débito virtual. Desta forma, é possível evitar filas e aglomerações nas agências. 

Calendário de Saque

Nascidos em janeiro: 30 de maio 
Nascidos em fevereiro: 1º de junho 
Nascidos em março: 2 de junho 
Nascidos em abril: 3 de junho
Nascidos em maio: 4 de junho
Nascidos em junho: 5 de junho
Nascidos em julho: 6 de junho
Nascidos em agosto: 8 de junho
Nascidos em setembro: 9 de junho
Nascidos em outubro: 10 de junho
Nascidos em novembro: 12 de junho
Nascidos em dezembro: 13 de junho

Veja:  Auxílio emergencial: quem receber pode ter que devolver em 2021

Continue lendo

Economia

Estado e Fiemt assinam acordo para atrair investimentos e instalação de empresas

Publicado

O Governo de Mato Grosso assinou nesta sexta-feira (29) um Protocolo de Intenções com a Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt) com o objetivo de promover o desenvolvimento socioeconômico sustentável do Estado, por meio de parcerias nacionais e internacionais para atração de investimentos. A cooperação prevê troca de informações e utilização das redes institucionais e recursos humanos das instituições.

“Entre todas as atribuições do Governo está o desenvolvimento econômico e a criação de um ambiente que promova o crescimento da indústria e demais cadeias no Estado. E esta cooperação com a Fiemt vem ao encontro deste objetivo”, diz o governador Mauro Mendes.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, a parceria vem concretizar a interlocução que existe entre Governo e Federação das Indústrias.

“Estamos preparando o Estado para o pós-pandemia. Queremos um Mato Grosso maior e melhor e temos alguns projetos prontos, outros já em andamento. Esse protocolo irá propiciar que já otimizemos o trabalho, agregando a capacidade intelectual, a estrutura e o network da Fiemt para atingirmos objetivos com mais segurança e agilidade”, frisa.

Mato Grosso é um estado atrativo para investimentos e há oportunidades de negócios em diversas áreas. De acordo com o presidente da Fiemt, Gustavo de Oliveira, o Governo do Estado sinaliza, com este protocolo de intenções, que há uma estratégia de atração de investimentos. “Isso eleva Mato Grosso a um nível de player global na atração de investimentos e na instalação de empreendimentos que podem fazer diferença na agregação de valor a produtos e no desenvolvimento socioeconômico”, afirma.

 

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana