conecte-se conosco


Turismo

Aventura e paz: veja o que fazer em Águas de Lindóia em apenas três dias

Publicado

Quem está à procura de um destino rápido para visitar num  bate e volta durante os feriados prolongados ou mesmo em um final de semana pode explorar o interior paulista e encontrar o que fazer em Águas de Lindóia.


Vista panorâmica da cidade
Reprodução/Flickr/Pereira FC

Esteja você à procura de aventura ou de paz, com certeza irá encontrar o que fazer em Águas de Lindóia

Trata-se de uma cidade pequena e calma, ideal tanto para famílias que procuram um lugar para se divertir numa piscina ou para relaxar com o clima do interior, como para aqueles que têm um espírito mais aventureiro.

Seja qual for sua preferência, você com certeza encontrará o que fazer em Águas de Lindóia e ainda poderá explorar boa parte das atrações em uma estadia de três dias.

Onde fica a cidade Águas de Lindóia?


Portal de Águas de Lindóia
Reprodução/Flickr/Wagner Moreira

A cidade mais ao norte do Circuito das Águas fica a cerca de 3h de carro da capital paulista, na fronteira com Minas

Águas de Lindóia fica no Circuito das Águas de São Paulo e é a cidade mais ao norte de todas as que integram esse circuito, a menos de 10 km da fronteira com Minas Gerais. Mesmo assim, não fica muito distante de São Paulo. A apenas 185 km do centro da capital paulista (de acordo com o Google Maps), é possível chegar até este município com pouco mais de 17 mil habitantes em cerca de 3 horas.

O trajeto mais utilizado pelos paulistanos para fazer esse bate e volta , embora mais longo, é o que começa na Rod. dos Bandeirantes. No KM 95, basta pegar a direita para entrar na Anhanguera e, 700 m depois, pegar novamente à direita a saída 103 B da Rodovia D. Pedro I.

10 km depois, é só entrar no trevo sentido Mogi-Mirim e seguir pela Rod. Gov. Adhemar Pereira de Barros, pegando a saída 157 à direita. A partir daí, basta seguir as placas que indicam Lindóia e Águas de Lindóia.

Caso você prefira uma rota mais cênica, pode ir para lá via Fernão Dias. Segundo o site da Associação dos Hoteleiros de Águas de Lindóia, para chegar à cidade, basta entrar em Bragança Paulista e seguir as indicações que te levarão até seu destino, passando por municípios como Pinhalzinho, Monte Alegre do Sul e Serra Negra.

O que fazer em Águas de Lindóia numa viagem de três dias

Muito bem, você já está na cidade mais ao norte do Circuito das Águas. Mas ainda pode se perguntar: “o que fazer em Águas de Lindóia num bate e volta”? Veja o roteiro:

  1. Dê uma volta de trenzinho pela cidade

  2. Compre  souvenirs na Rua Minas Gerais
  3. Passe o dia na Praça Adhemar de Barros
  4. Aproveite a noite nos bares e cafés
  5. Mergulhe no Thermas Hot World
  6. Observe a cidade do Cristo Redentor
  7. Visite o Engenho do Barreiro
  8. Contemple as igrejas da cidade
  9. Faça ecoturismo pela região
  10. Visite o Balneário Municipal de Águas de Lindóia

1. Dê uma volta de trenzinho pela cidade


Trenzinho dando a volta pelas ruas de Águas de Lindóia
Reprodução/Facebook

O que fazer em Águas de Lindóia: os passeios de trenzinho são uma boa alternativa para conhecer a cidade sem ser a pé

Tecnicamente, não é um trem como aqueles encontrados na Rota do Ouro de Minas Gerais . Os trenzinhos de Águas de Lindóia são aqueles clássicos de cidades do interior, que levam os turistas pelas ruas locais para ver os principais pontos turísticos.

É uma oportunidade indispensável para quem não estiver a fim ou em condições de andar pelo sobe e desce das ruas, seja por cansaço ou por estar com crianças pequenas.

Você pode pegar um trenzinho de manhã ou depois do almoço na Praça Adhemar de Bairros, mais precisamente perto da esquina da Rua Vitória Régia com a Rua São Paulo.

2. Compre souvenirs na Rua Minas Gerais


Lojas da Rua Minas Gerais em perfil
Reprodução/Flickr/Raquel Penteado

O que fazer em Águas de Lindóia: na Rua Minas Gerais, você encontrará comércios que vendem de bebidas a carteiras

Esta rua, que também proporciona uma vista panorâmica de certos pontos da cidade, está repleta de lojinhas para você comprar lembranças da viagem ao Circuito das Águas.

De malhas até pinturas em pedras, passando por bebidas alcoólicas regionais, carnes defumadas, enlatados, produtos de couro e outros bens artesanais, é possível encontrar lembranças por um preço bastante acessível para todos os gostos.

3. Passe o dia na Praça Adhemar de Barros


Turistas navegando de pedalinho pelo lago da Praça Adhemar de Barros
Reprodução/Flickr/Lenize Cristina

O que fazer em Águas de Lindóia: na Praça Adhemar de Barros, você pode navegar pelo lago a bordo de pedalinhos

Esta praça, próxima dos principais hotéis de Águas de Lindóia, sedia alguns dos principais eventos da cidade, e conta com uma fauna bastante diversificada, levando em conta sua localização.

Por exemplo, você pode encontrar, além de outras pessoas passeando com suas famílias e cães, aves como gansos, patos e até mesmo cisnes negros, isso sem falar nas diversas espécies de pássaros que você poderá encontrar por lá.

Até mesmo grupos de capivaras, em certas épocas do ano, podem ser avistadas nas margens do lago que faz parte de Praça Adhemar de Barros, que também conta com um parquinho para as crianças.

Um aviso importante, no entanto: embora seja possível navegar de pedalinho no lago, não é permitido nadar nele.

4. Aproveite a noite nos bares e cafés


Praça Adhemar de Barros à noite
Reprodução/Flickr/[email protected]

O que fazer em Águas de Lindóia: à noite, a cidade continua ligada e viva, principalmente nas férias

Embora a cidade não seja muito grande, ela tem uma vida noturna relativamente agitada, principalmente em época de férias, quando seus bares e cafés se enchem de turistas e moradores que querem aproveitar as noites fora do hotel.

Seja ao som de um sertanejo ou apreciando música ao vivo, estabelecimentos como o Chic Chopp (que tem três unidades na cidade), o Café Bistrô Marrocos e a Choperia O Bellisco dão o tom para quem procura o que fazer em Águas de Lindóia à noite.

5. Mergulhe no Thermas Hot World


Piscina do Thermas Hot World com toboágua ao fundo
Reprodução/Facebook

O que fazer em Águas de Lindóia: o parque aquático Thermas Hot World é uma boa ideia de roteiro para as famílias

O Thermas Águas de Lindóia, ou Thermas Hot World, é um parque aquático a apenas 20 minutos de carro do centro da cidade. Suas piscinas, segundo o site oficial, são preenchidas com a água quente.

Suas atrações incluem toboáguas, bar molhado, espaço para crianças e até um ofurô gigante, com capacidade para até 20 pessoas. Mas você não precisa ir para lá só pelas oportunidades de mergulho.

O Thermas Hot World também tem atrações de escalada e arvorismo, além de um restaurante e uma lanchonete para você matar a fome quando quiser. Para entrar nele, é preciso comprar seus ingressos com antecedência, pelo site, ou então se cadastrando como sócio se preferir.

6. Observe a cidade do Cristo Redentor


Vista panorâmica dos arredores de Águas de Lindóia do mirante do Cristo Redentor
Reprodução/Flickr/Maria Carolina Guedes Casali

O que fazer em Águas de Lindóia: do topo do Cristo Redentor, você poderá ver os arredores dos dois lados da cidade

Outra atração que pode enriquecer sua experiência durante um bate e volta em Águas de Lindóia é o Cristo Redentor, que te dará uma visão completa da cidade e dos horizontes pontuados por colinas e morros à sua volta.

Situado no topo do Morro do Cruzeiro, um pico de 1,2 mil metros que separa a cidade em duas, o acesso a ele pode ser feito entre as 8h e as 18h de segunda a quinta-feira e entre as 8h e as 23h de sexta a domingo.

7. Visite o Engenho do Barreiro


Interior do Engenho do Barreiro, com uma peça de maquinário antigo servindo de balcão
Reprodução/Facebook

O que fazer em Águas de Lindóia: para quem gosta de bebidas artesanais, vale uma visita ao Engenho do Barreiro

Os fãs de bebidas artesanais também têm seu espaço na cidade, graças ao Engenho do Barreiro, onde é produzida uma cachaça inteiramente artesanal.

Segundo o site da Associação dos Hoteleiros de Águas de Lindóia, o estabelecimento manteve o maquinário antigo, inclusive o moendo movido a tração animal – embora ele não seja mais usado no processo de fabricação.

Para quem estiver em um grupo grande, é possível agendar um almoço entrando em contato direto com o senhor Ditinho, que mantém o engenho em funcionamento.

8. Contemple as igrejas da cidade


Interior da Igreja Nossa Senhora das Graças, com pinturas decorando o teto e o altar
Reprodução/Facebook

O que fazer em Águas de Lindóia: a simpática Igreja Nossa Senhora das Graças é o marco zero da cidade

Quem gosta do turismo religioso brasileiro também vai encontrar o que fazer em Águas de Lindóia, graças às suas charmosas igrejas. O destaque vai para a Igreja Nossa Senhora das Graças, uma simpática igrejinha ao pé do Morro do Cruzeiro, considerada o marco zero do município.

Também vale passar pela Igreja Cristo Rei, que fica mais próxima da Praça Adhemar de Barros e, consequentemente, dos principais hotéis de Águas de Lindóia. O templo, maior que a Mitra, também tem um ar mais moderno e sofisticado, embora não exagere nesse aspecto.

9. Faça ecoturismo pela região


Turistas à beira de uma lagoa perto de uma linha de tirolesa
Reprodução/Flickr/Eduardo Vieira

O que fazer em Águas de Lindóia: o ecoturismo no Circuito das Águas também permite aventuras nos arredores da cidade

Outra opção para quem quer um pouco de aventura é fazer passeios ecoturísticos no entorno da cidade. Segundo a Associação dos Hoteleiros de Águas de Lindóia, é possível pegar um Jeep saindo da Praça Adhemar de Barros e se aventurar pelo Circuito das Montanhas.

Se preferir ficar próximo da cidade, um passeio pelas próprias ruas mais distantes do centro e próximas das estradas te permitirá apreciar a natureza e as paisagens.

Há ainda a opção de agendar uma visita nos ranchos e sítios da região, como o Rancho São Nicolau, que oferece aulas de equitação e equoterapia, ou então o Sítio Monte Alegre, que tem animais que vão de javalis a avestruz – e conta até com uma lojinha de souvenirs para visitar depois das trilhas.

Alguns hóteis da cidade, principalmente nas férias de dezembro/ janeiro, realizam excursões para alguns ranchos da região para os hóspedes que quiserem entrar em contato com a natureza.

10. Visite o Balneário Municipal de Águas de Lindóia


Vista aérea dos jardins do Balneário Municipal de Águas de Lindóia
Reprodução/Flickr/Fernando Stankuns

O que fazer em Águas de Lindóia: os jardins do Balneário Municipal foram desenhados por Roberto Burle Marx

Outra opção para quem gosta de uma piscina quente, é ir no Balneário Municipal de Águas de Lindóia, que fica mais próximo do centro que o Thermas Hot World, e oferece banhos especiais e até mesmo massagens.

Mas o destaque dele não está só na possibilidade de relaxar como se estivesse num spa. Segundo o buscador de viagens Viajala.com.br, além das piscinas de águas que nascem do solo a uma temperatura de 28˚C, o Balneário tem jardins criados por Roberto Burle Marx para agradar os olhos dos turistas.

Leia também: 15 passeios bate e volta saindo de São Paulo

Assim, além de ter o que fazer em Águas de Lindóia durante o próximo feriado ou final de semana, você também poderá encerrar a viagem apreciando as obras de um dos mais renomados arquitetos paisagistas do Brasil – e do mundo.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Turismo da Maconha: 6 países em que o consumo recreativo é legalizado

Publicado


source
O uso recreativo e medicinal já é legalizado em diversos países
Redação

O uso recreativo e medicinal já é legalizado em diversos países

Tratada como um grande tabu no Brasil , a maconha já é vista com outros olhos em diversos países, tendo o seu uso recreativo e medicinal já liberados, como no Uruguai, Canadá e Estados Unidos .

Existem até mesmo empresas de turismo dedicadas aos adeptos do uso da cannabis, que fazem pacotes com rotas para que os usuários possam desfrutar com segurança ao mercado legalizado da cannabis. A cada ano, mais e mais países estão liberando o uso recreativo, criando todo um vasto mercado em que são produzidos diversos produtos com base na maconha, do fumo ao ramo medicinal e alimentício.

O iG Turismo conversou com Raone, um viajante brasileiro de 26 anos, morando em Miami há cinco anos: “Aqui em Miami é necessário ter a licença para usar, mas geralmente os seguros de saúde não cobrem essa ‘despesa médica’, então requer um custo para tirar a licença”, conta.

Para o uso recreativo, nos Estados Unidos , cada estado possui uma legislação diferente. Los Angeles é o mais popular pelo consumo, tendo como única exigência que o usuário seja maior de 18 anos. A venda é feita em qualquer lugar, não precisando de licença médica e o consumo recreativo pode ser feito em muitos ambientes.

Em Nova York, a cidade com maior potência econômica dos Estados Unidos, o uso ainda não foi legalizado. Já o estado do Colorado , é um dos mais famosos pelo consumo liberado da maconha. 

Na Europa tem países onde a lei é muito mais branda com relação ao consumo da cannabis: ” Amsterdã , [Holanda], por exemplo, o uso é tão comum que, você encontra chocolates de maconha, produtos em geral feitos com a erva. Na minha vida itinerante como viajante, o lugar que é mais comum você passar por alguém que esteja fumando maconha é em Amsterdã. Lá a maconha é legalizada mesmo. É como fumar cigarro, por exemplo”, explica Raone. A maior restrição é para vendas em locais próximos a escolas, proibido desde 2017, e o uso é permitido apenas para adultos.

O viajante acredita que nos Estados Unidos é apenas questão de tempo para que o consumo seja realmente legalizado em todos os estados. Sobre a quantidade permitida, ele disse que cada cidade/país tem a sua legislação. Sendo bem variado de lugar para lugar. Mas geralmente, com a licença nas cidades em que pedem, você compra a quantidade prescrita.

“Nos que não precisam de licença, a venda é liberada. É como o cigarro: você pode comprar um maço ou quantos pacotes fechados você quiser”, finaliza.

6 países em que o uso da maconha é legalizado – Uruguai

Erva mate com maconha, vendida no Uruguai
Divulgação CP

Erva mate com maconha, vendida no Uruguai

Um dos primeiros a legalizar o consumo, produção e venda da maconha dentro de suas fronteiras, tudo é controlado pelo governo uruguaio, desde o plantio até a venda em farmácia devidamente credenciadas. Apesar do uso ser restrito aos seus residentes, sendo proibida aos estrangeiros, o turismo canábico é bem popular no país, ocorrendo até mesmo eventos conhecidos como “Copa Canábica”, em que protutores levam suas plantas para uma “disputa de qualidade”, para explicar de forma bem resumida. No país se encontram diversos produtos fabricados com ela.

Você viu?

Chile

Assim como no Uruguai, as leis chilenas são mais brandas para o consumo, desde que em pequenas quantidades
iStock

Assim como no Uruguai, as leis chilenas são mais brandas para o consumo, desde que em pequenas quantidades

Em Santiago está localizada a maior feira de maconha do mundo, conhecida como “Expoweed”. O evento reúne cultivadores, especialistas e empresas que trabalham no ramo, para trocarem informações sobre o produto. O fumo é permitido por lei e o porte é de, no máximo, 25 gramas por pessoa.

Portugal

A capital portuguesa também é um ponto bastante procurado elos adeptos do turismo canábico
Pixabay

A capital portuguesa também é um ponto bastante procurado elos adeptos do turismo canábico

Em Lisboa o uso é liberado desde 2001, a capital portuguesa é um dos destinos mais procurados pelos turistas, sendo permitido o porte de uma pequena quantidade da erva. Apesar do centro de cultivo mais conhecido ser a região de Algarve, ao extremo sul de Portugal, a capital é de fato o destino mais popular. Lembrando que, apesar do uso ser permitido, as leis para o tráfico são bastante rígidas.

Jamaica

A Jamaica tem a erva como um de seus símbolos e realiza tours para que os turistas conheçam mais sobre a história da planta
Pixabay

A Jamaica tem a erva como um de seus símbolos e realiza tours para que os turistas conheçam mais sobre a história da planta

Apesar de ser um símbolo para a Jamaica, a maconha foi legalizada apenas em 2015, para uso medicinal e religioso. Usado por rastafaris, que acreditam que a erva promove elevação do espírito. A lei permite o porte de até 57 gramas por pessoa e o cultivo máximo de até cinco plantas. Algumas cidades oferecem tours por fazendas de cultivo, para que os turistas possam conhecer diferentes tipos da planta, além de aprender mais sobre sua história.

Holanda

Amsterdã tem alto fluxo de turistas por causa de maconha
Getty Images

Amsterdã tem alto fluxo de turistas por causa de maconha

Quando se fala em turismo canábico, a capital holandesa certamente é um dos primeiros lugares que se vem a mente. Com o consumo legalizado desde 1976, com direito a venda em varejo de menos de cinco gramas de maconha, nos conhecidos coffeeshops. O cultivo também é permitido, com um limite de até cinco plantas. A maior restrição é para vendas em locais próximos a escolas, que é proibido desde 2017, e o uso apenas para adultos.

Alemanha

Gorlitzer park, nesse parque acontece o que chamam de
Pixabay

Gorlitzer park, nesse parque acontece o que chamam de “Feira da Maconha”, uma das paradas obrigatórias para os adeptos

Com o porte de até 15 gramas permitido para o uso pessoal, na Alemanha, desde 2015, pacientes têm a permissão de comprar a maconha em centros de saúde especializados. Uma das paradas mais procuradas pelos turistas adeptos da erva é a do parque Görlitzer, no bairro de Kreuzberg. Em 2019 se avaliava a liberação total da erva para uso recreativo, com produção controlada pelo governo, até então a venda é proibida.  

Canadá

Foto tirada em 2016, durante a celebração do
Chris Roussakis/AFP

Foto tirada em 2016, durante a celebração do “Dia da Maconha”, em Ottawa, Canadá

No Canadá o uso recreativo é liberado há pouco mais de dois anos, qualquer pessoa acima dos 18 anos pode comprar e consumir a erva em uma quantidade máxima de até 30 gramas, sejam residentes do país ou turistas. Mas, assim como funciona para o cigarro convencional, há lugares em que o fumo é proibido.

Fonte: IG Turismo

Continue lendo

Turismo

Destino dos Famosos: Ibiza, um paraíso com belas praias e vida noturna agitada

Publicado


source
Simaria, Anitta e Neymar estão entre os famosos que já aproveitaram dos prazeres que Ibiza tem a oferecer
Reprodução

Simaria, Anitta e Neymar estão entre os famosos que já aproveitaram dos prazeres que Ibiza tem a oferecer

Conhecida por seu clima quente, belas praias e, principalmente, por sua vida noturna badaladas, a ilha localizada ao leste da Espanha, é um dos points mais conhecidos do mundo e já serviu de destino para famosos como Neymar , Anitta , Luana Piovani e Simaria,  além de cenário para as produções da Netflix “Ibiza: Tudo Pelo DJ” e “White Lines”. Suas principais cidades são Ibiza e Sant Antoni.

A melhor época para visitar Ibiza é durante o verão europeu, entre os meses de julho e agosto, apesar de os preços ficarem mais elevados nesse período, é quando o que há de melhor acontece. Ibiza respira verão.

O que fazer por lá?

Praia de Cala Bassa
ibiza-spotlight.com

Praia de Cala Bassa

Para quem quer apenas curtir as praias, o clima ou dar aquela relaxada, a ilha também conta com a calmaria de vilas e retiros de ioga. Há uma Ibiza para cada gosto, distribuída em 18 km de belas praias, com areia branquinha e água azul cristalina.

As praias são divididas entre dois lados: as do leste são conhecidas por terem menos apelo turístico e opções com locais tranquilos – talvez sejam melhores para quem procure uma estadia mais calma. Já o mar do oeste é conhecido pelas praias mais badaladas.

Independente do seu perfil, vale conhecer ao menos um pouco de cada uma delas. É importante salientar que o topless é algo bem comum em Ibiza, portanto não se espante ao ver muita pele à mostra!

Cala Bassa

Nesta praia você encontrará uma pequena extensão de areia e uma paisagem de tirar o fôlego, com areia fina, muitos pinheiros que formam sombras, água cristalina e, no canto direito da praia, várias rochas e fendas impressionantes. É um excelente cenário para fotos! Se desejar curtir um beach club, lá estará o Cala Bassa Beach Club.

Cala Salada e Cala Saladeta

Cala Salada e Cala Saladeta, duas praias
white-ibiza.com

Cala Salada e Cala Saladeta, duas praias “irmãs” em Ibiza

Duas praias vizinhas que oferecem areia dourada e água azulada, tanto Cala Salada quanto Cala Saladeta, são ótimas opções. A primeira costuma ser mais movimentada, mas se preferir algo mais sossegado, basta caminhar por um caminho por meio das escarpas para chegar à Cala Saladeta.

Cala San Vicent

Do lado mais calmo da ilha temos a Cala San Vicentem um lugar indicado para quem deseja desestressar um pouco e curtir com a família. A praia é muito bonita e tranquila, sem baladas ou beach clubs por perto. É ideal para curtir a paisagem e o clima agradável.

A noite em Ibiza

Conhecidas em todo o mundo, as noites de Ibiza são super badaladas e atraem milhares de turistas
neverends.tur.br

Conhecidas em todo o mundo, as noites de Ibiza são super badaladas e atraem milhares de turistas

As noites na ilha reúnem os melhores DJs do planeta e as maiores e mais inovadoras casas noturnas, que são visitadas por milhares de pessoas todos os anos. Por isso, não é estranho encontrar alguém famoso por lá. A vida noturna de Ibiza está em constante inovação e oferece uma oferta de vanguarda que nunca deixa de surpreender.

O maior movimento nas casas noturnas começa para valer após a 1h da manhã, até lá as pessoas costumam fazer o “esquenta” em bares e restaurantes da região. Ir à Ibiza sem conhecer ao menos uma das baladas da ilha não é ir a Ibiza!

Entre os principais estão as Pacha, Privilege, Amnesia, Space e Ushuaia.

Você viu?

Onde comer?

A ilha espanhola conta com uma ótima gastronomia que aproveita o máximo dos recursos locais, então não deixe de experimentar as comidas da região. Há uma enorme variedade de bares e restaurantes com produtos frescos e naturais, como peixes e mariscos, além de pratos tradicionais.

Também há restaurantes que oferecem pratos típicos da região, que são feitos principalmente com carne: como os “arròs de matances”, a “frita de porc” e os “sofrit pagès”, que são receitas comuns na gastronomia local. Os bolos da região também valem a pena experimentar!

Dicas:  Bambuddha, Hana Restaurant, Beachouse, Yemanja e Bar Costa. Há opções para todos os gostos!

Onde se hospedar

Can Pere Lifestyle está entre as opções mais acessíveis, mas ainda com muito luxo e sofisticação
Divulgação

Can Pere Lifestyle está entre as opções mais acessíveis, mas ainda com muito luxo e sofisticação

A lista de opções quando se trata de hospedagens também é bem vasta, com hotéis, apartamentos e albergues. Também há cada vez mais quartos de hotéis disponíveis em quintas e hotéis rurais, mas você pode escolher o que mais se encaixa aos seus gostos e necessidades, dos mais baratos aos mais luxuosos.

Quando for optar por uma hospedagem, veja se fica perto dos pontos turísticos que deseja visitar. Uma boa localização é essencial, pois a ilha é bem grande e quanto mais perto estiver, você economiza em transporte e, o mais importante, terá mais tempo para aproveitar tudo o que deseja.

THB Los Molinos Adults Only
Divulgação

THB Los Molinos Adults Only

As opções mais baratas são Can Pere Lifestyle, 4 estrelas com diária a partir de R$ 652 e o THB Los Molinos, 4 estrelas com diária a partir de R$ 665.

Lembrando que ambos oferecem academia, spa, entre outras atividades que estão suspensas durante a pandemia da Covid-19 .

Quanto custa ir a Ibiza

Passagens aéreas, partindo de São Paulo, em empresas como LATAM e British Airways e Ibéria, a partir de maio de 2021, custam em média R$ 2,6 mil, sendo mais barato fora da alta temporada. Os voos partindo do Brasil estão suspensos até o dia 16 de março devido à pandemia do coronavírus, com o prazo podendo se estender. Entre diversas outras restrições para estrangeiros em toda a Espanha, até o dia 31 de março.

Hospedagens, com opções de 1 até 5 estrelas, é possível encontrar desde pousadas custando a partir de R$ 372 a noite, por pessoa, até hotéis e apartamento que superam os R$ 2 mil por dia. Independente do preço, você encontrará um lugar adequando e confortável para repousar, seja para curtir o clima nas praias paradisíacas até as mais noites mais badaladas, que são a marca registrada da ilha – que não estão acontecendo durante a pandemia.


Fonte: IG Turismo

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana