conecte-se conosco


Turismo

Aventura e paz: veja o que fazer em Águas de Lindóia em apenas três dias

Publicado

Quem está à procura de um destino rápido para visitar num  bate e volta durante os feriados prolongados ou mesmo em um final de semana pode explorar o interior paulista e encontrar o que fazer em Águas de Lindóia.


Vista panorâmica da cidade
Reprodução/Flickr/Pereira FC

Esteja você à procura de aventura ou de paz, com certeza irá encontrar o que fazer em Águas de Lindóia

Trata-se de uma cidade pequena e calma, ideal tanto para famílias que procuram um lugar para se divertir numa piscina ou para relaxar com o clima do interior, como para aqueles que têm um espírito mais aventureiro.

Seja qual for sua preferência, você com certeza encontrará o que fazer em Águas de Lindóia e ainda poderá explorar boa parte das atrações em uma estadia de três dias.

Onde fica a cidade Águas de Lindóia?


Portal de Águas de Lindóia
Reprodução/Flickr/Wagner Moreira

A cidade mais ao norte do Circuito das Águas fica a cerca de 3h de carro da capital paulista, na fronteira com Minas

Águas de Lindóia fica no Circuito das Águas de São Paulo e é a cidade mais ao norte de todas as que integram esse circuito, a menos de 10 km da fronteira com Minas Gerais. Mesmo assim, não fica muito distante de São Paulo. A apenas 185 km do centro da capital paulista (de acordo com o Google Maps), é possível chegar até este município com pouco mais de 17 mil habitantes em cerca de 3 horas.

O trajeto mais utilizado pelos paulistanos para fazer esse bate e volta , embora mais longo, é o que começa na Rod. dos Bandeirantes. No KM 95, basta pegar a direita para entrar na Anhanguera e, 700 m depois, pegar novamente à direita a saída 103 B da Rodovia D. Pedro I.

10 km depois, é só entrar no trevo sentido Mogi-Mirim e seguir pela Rod. Gov. Adhemar Pereira de Barros, pegando a saída 157 à direita. A partir daí, basta seguir as placas que indicam Lindóia e Águas de Lindóia.

Caso você prefira uma rota mais cênica, pode ir para lá via Fernão Dias. Segundo o site da Associação dos Hoteleiros de Águas de Lindóia, para chegar à cidade, basta entrar em Bragança Paulista e seguir as indicações que te levarão até seu destino, passando por municípios como Pinhalzinho, Monte Alegre do Sul e Serra Negra.

O que fazer em Águas de Lindóia numa viagem de três dias

Muito bem, você já está na cidade mais ao norte do Circuito das Águas. Mas ainda pode se perguntar: “o que fazer em Águas de Lindóia num bate e volta”? Veja o roteiro:

  1. Dê uma volta de trenzinho pela cidade

  2. Compre  souvenirs na Rua Minas Gerais
  3. Passe o dia na Praça Adhemar de Barros
  4. Aproveite a noite nos bares e cafés
  5. Mergulhe no Thermas Hot World
  6. Observe a cidade do Cristo Redentor
  7. Visite o Engenho do Barreiro
  8. Contemple as igrejas da cidade
  9. Faça ecoturismo pela região
  10. Visite o Balneário Municipal de Águas de Lindóia

1. Dê uma volta de trenzinho pela cidade


Trenzinho dando a volta pelas ruas de Águas de Lindóia
Reprodução/Facebook

O que fazer em Águas de Lindóia: os passeios de trenzinho são uma boa alternativa para conhecer a cidade sem ser a pé

Tecnicamente, não é um trem como aqueles encontrados na Rota do Ouro de Minas Gerais . Os trenzinhos de Águas de Lindóia são aqueles clássicos de cidades do interior, que levam os turistas pelas ruas locais para ver os principais pontos turísticos.

Leia Também:  Operadora lança cruzeiro de volta ao mundo em 180 dias a partir de R$ 158 mil

É uma oportunidade indispensável para quem não estiver a fim ou em condições de andar pelo sobe e desce das ruas, seja por cansaço ou por estar com crianças pequenas.

Você pode pegar um trenzinho de manhã ou depois do almoço na Praça Adhemar de Bairros, mais precisamente perto da esquina da Rua Vitória Régia com a Rua São Paulo.

2. Compre souvenirs na Rua Minas Gerais


Lojas da Rua Minas Gerais em perfil
Reprodução/Flickr/Raquel Penteado

O que fazer em Águas de Lindóia: na Rua Minas Gerais, você encontrará comércios que vendem de bebidas a carteiras

Esta rua, que também proporciona uma vista panorâmica de certos pontos da cidade, está repleta de lojinhas para você comprar lembranças da viagem ao Circuito das Águas.

De malhas até pinturas em pedras, passando por bebidas alcoólicas regionais, carnes defumadas, enlatados, produtos de couro e outros bens artesanais, é possível encontrar lembranças por um preço bastante acessível para todos os gostos.

3. Passe o dia na Praça Adhemar de Barros


Turistas navegando de pedalinho pelo lago da Praça Adhemar de Barros
Reprodução/Flickr/Lenize Cristina

O que fazer em Águas de Lindóia: na Praça Adhemar de Barros, você pode navegar pelo lago a bordo de pedalinhos

Esta praça, próxima dos principais hotéis de Águas de Lindóia, sedia alguns dos principais eventos da cidade, e conta com uma fauna bastante diversificada, levando em conta sua localização.

Por exemplo, você pode encontrar, além de outras pessoas passeando com suas famílias e cães, aves como gansos, patos e até mesmo cisnes negros, isso sem falar nas diversas espécies de pássaros que você poderá encontrar por lá.

Até mesmo grupos de capivaras, em certas épocas do ano, podem ser avistadas nas margens do lago que faz parte de Praça Adhemar de Barros, que também conta com um parquinho para as crianças.

Um aviso importante, no entanto: embora seja possível navegar de pedalinho no lago, não é permitido nadar nele.

4. Aproveite a noite nos bares e cafés


Praça Adhemar de Barros à noite
Reprodução/Flickr/[email protected]

O que fazer em Águas de Lindóia: à noite, a cidade continua ligada e viva, principalmente nas férias

Embora a cidade não seja muito grande, ela tem uma vida noturna relativamente agitada, principalmente em época de férias, quando seus bares e cafés se enchem de turistas e moradores que querem aproveitar as noites fora do hotel.

Seja ao som de um sertanejo ou apreciando música ao vivo, estabelecimentos como o Chic Chopp (que tem três unidades na cidade), o Café Bistrô Marrocos e a Choperia O Bellisco dão o tom para quem procura o que fazer em Águas de Lindóia à noite.

5. Mergulhe no Thermas Hot World


Piscina do Thermas Hot World com toboágua ao fundo
Reprodução/Facebook

O que fazer em Águas de Lindóia: o parque aquático Thermas Hot World é uma boa ideia de roteiro para as famílias

O Thermas Águas de Lindóia, ou Thermas Hot World, é um parque aquático a apenas 20 minutos de carro do centro da cidade. Suas piscinas, segundo o site oficial, são preenchidas com a água quente.

Leia Também:  Conheça CocoCay, a nova ilha paradisíaca da Royal Caribbean

Suas atrações incluem toboáguas, bar molhado, espaço para crianças e até um ofurô gigante, com capacidade para até 20 pessoas. Mas você não precisa ir para lá só pelas oportunidades de mergulho.

O Thermas Hot World também tem atrações de escalada e arvorismo, além de um restaurante e uma lanchonete para você matar a fome quando quiser. Para entrar nele, é preciso comprar seus ingressos com antecedência, pelo site, ou então se cadastrando como sócio se preferir.

6. Observe a cidade do Cristo Redentor


Vista panorâmica dos arredores de Águas de Lindóia do mirante do Cristo Redentor
Reprodução/Flickr/Maria Carolina Guedes Casali

O que fazer em Águas de Lindóia: do topo do Cristo Redentor, você poderá ver os arredores dos dois lados da cidade

Outra atração que pode enriquecer sua experiência durante um bate e volta em Águas de Lindóia é o Cristo Redentor, que te dará uma visão completa da cidade e dos horizontes pontuados por colinas e morros à sua volta.

Situado no topo do Morro do Cruzeiro, um pico de 1,2 mil metros que separa a cidade em duas, o acesso a ele pode ser feito entre as 8h e as 18h de segunda a quinta-feira e entre as 8h e as 23h de sexta a domingo.

7. Visite o Engenho do Barreiro


Interior do Engenho do Barreiro, com uma peça de maquinário antigo servindo de balcão
Reprodução/Facebook

O que fazer em Águas de Lindóia: para quem gosta de bebidas artesanais, vale uma visita ao Engenho do Barreiro

Os fãs de bebidas artesanais também têm seu espaço na cidade, graças ao Engenho do Barreiro, onde é produzida uma cachaça inteiramente artesanal.

Segundo o site da Associação dos Hoteleiros de Águas de Lindóia, o estabelecimento manteve o maquinário antigo, inclusive o moendo movido a tração animal – embora ele não seja mais usado no processo de fabricação.

Para quem estiver em um grupo grande, é possível agendar um almoço entrando em contato direto com o senhor Ditinho, que mantém o engenho em funcionamento.

8. Contemple as igrejas da cidade


Interior da Igreja Nossa Senhora das Graças, com pinturas decorando o teto e o altar
Reprodução/Facebook

O que fazer em Águas de Lindóia: a simpática Igreja Nossa Senhora das Graças é o marco zero da cidade

Quem gosta do turismo religioso brasileiro também vai encontrar o que fazer em Águas de Lindóia, graças às suas charmosas igrejas. O destaque vai para a Igreja Nossa Senhora das Graças, uma simpática igrejinha ao pé do Morro do Cruzeiro, considerada o marco zero do município.

Também vale passar pela Igreja Cristo Rei, que fica mais próxima da Praça Adhemar de Barros e, consequentemente, dos principais hotéis de Águas de Lindóia. O templo, maior que a Mitra, também tem um ar mais moderno e sofisticado, embora não exagere nesse aspecto.

9. Faça ecoturismo pela região


Turistas à beira de uma lagoa perto de uma linha de tirolesa
Reprodução/Flickr/Eduardo Vieira

O que fazer em Águas de Lindóia: o ecoturismo no Circuito das Águas também permite aventuras nos arredores da cidade

Outra opção para quem quer um pouco de aventura é fazer passeios ecoturísticos no entorno da cidade. Segundo a Associação dos Hoteleiros de Águas de Lindóia, é possível pegar um Jeep saindo da Praça Adhemar de Barros e se aventurar pelo Circuito das Montanhas.

Se preferir ficar próximo da cidade, um passeio pelas próprias ruas mais distantes do centro e próximas das estradas te permitirá apreciar a natureza e as paisagens.

Há ainda a opção de agendar uma visita nos ranchos e sítios da região, como o Rancho São Nicolau, que oferece aulas de equitação e equoterapia, ou então o Sítio Monte Alegre, que tem animais que vão de javalis a avestruz – e conta até com uma lojinha de souvenirs para visitar depois das trilhas.

Alguns hóteis da cidade, principalmente nas férias de dezembro/ janeiro, realizam excursões para alguns ranchos da região para os hóspedes que quiserem entrar em contato com a natureza.

10. Visite o Balneário Municipal de Águas de Lindóia


Vista aérea dos jardins do Balneário Municipal de Águas de Lindóia
Reprodução/Flickr/Fernando Stankuns

O que fazer em Águas de Lindóia: os jardins do Balneário Municipal foram desenhados por Roberto Burle Marx

Outra opção para quem gosta de uma piscina quente, é ir no Balneário Municipal de Águas de Lindóia, que fica mais próximo do centro que o Thermas Hot World, e oferece banhos especiais e até mesmo massagens.

Mas o destaque dele não está só na possibilidade de relaxar como se estivesse num spa. Segundo o buscador de viagens Viajala.com.br, além das piscinas de águas que nascem do solo a uma temperatura de 28˚C, o Balneário tem jardins criados por Roberto Burle Marx para agradar os olhos dos turistas.

Leia também: 15 passeios bate e volta saindo de São Paulo

Assim, além de ter o que fazer em Águas de Lindóia durante o próximo feriado ou final de semana, você também poderá encerrar a viagem apreciando as obras de um dos mais renomados arquitetos paisagistas do Brasil – e do mundo.

Fonte: IG Turismo
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Turismo

Cruzeiro de volta ao mundo visita 53 países em 245 dias; pacote custa R$ 344 mil

Publicado

Dar uma  volta ao mundo sozinho é uma empreitada para poucos. É pensando nesses poucos afortunados que uma empresa de cruzeiros sediada na Suíça decidiu montar o pacote turístico supremo: cinco continentes, 53 países visitados, 245 dias de viagem.

navio de volta ao mundo
Divulgação/Viking Cruises

A volta ao mundo a bordo do Viking Sun começa em 31 de agosto de 2019 e acaba somente em 2 de maio de 2020

A viagem de volta ao mundo da Vikings Cruises está programada para começar no dia 31 de agosto, saindo de Londres, e terminar apenas em 2 de maio de 2020, também na capital inglesa.

De acordo com o site oficial da empresa, o  Viking Ultimate World Cruise vai contar com 111 paradas e 23 pernoites em destinos diferentes. Estão programadas visitas a lugares como Reykjavik, na Islândia, Nanortalik, na Groenlândia, Nova York (onde o navio ficará ancorado por duas noites), as polêmicas Ilhas Malvinas, Fiji e Alexandria, no Egito.

No Brasil, o navio de volta ao mundo vai passar por Macapá, no Amapá, Santarém, no Pará, Parintins e Manaus, no Amazonas, Recife, em Pernambuco, Salvador, na Bahia, e, por fim, o Rio de Janeiro, onde os turistas passarão uma noite.

Leia Também:  16 pontos turísticos no Rio de Janeiro para você conhecer e aproveitar

Leia também: 7 medidas de segurança em alto mar para evitar acidentes

Quanto custa fazer uma volta ao mundo?

cruzeiro de volta ao mundo
Reprodução/Viking Cruises

Cruzeiro de volta ao mundo conta com 111 paradas em 53 países

Visitar tantos países e destinos, no entanto, têm seu preço e ele não é baixo. A passagem do pacote completo custa a partir de US$ 89,9 mil (cerca de R$ 344,4 mil, segundo conversão no site do Banco Central) e vai até US$ 269,9 mil (mais de R$ 1 milhão), na “suíte do dono”, um quarto de 123 m² com salas de estar e jantar, três TVs, cozinha, adega e até um chef exclusivo.

Leia também: Vai fazer um cruzeiro? 5 dicas de boas práticas de planejamento para a viagem

Agora, se você tem (muito) dinheiro sobrando e oito meses disponíveis, é melhor correr para garantir sua passagem de volta ao mundo porque, segundo o site da Vikings Cruises, restam só duas vagas no navio e, veja só, para o pacote “mais barato”. As demais estão esgotadas.

Leia Também:  Quanto tempo de férias você precisa para realmente se livrar do estresse?

Fonte: IG Turismo
Continue lendo

Turismo

Veja o que fazer em Poços de Caldas em um roteiro de 3 dias pela cidade mineira

Publicado

O sul de Minas Gerais é um ótimo lugar para famílias do Sudeste (seja de São Paulo, Rio de Janeiro ou da própria MG) explorarem nas próximas férias. Se você está com um final de semana livre e cogita dar um pulo na região, que tal passar alguns dias em  Poços de Caldas , a “Campos de Jordão mineira”?

Vista panorâmica do Centro de Poços de Caldas
Andre de Godoy/iG Turismo

Quem procura o que fazer em Poços de Caldas para uma viagem curta pode se surpreender com as possibilidades de roteiro

Com clima ameno e águas termais “milagrosas”, há muito o que fazer em Poços de Caldas , principalmente para quem gosta de curtir um friozinho em família. Segundo Eduardo Martins, diretor do buscador de viagens Viajala, a boa gama de hotéis para crianças torna a cidade um refúgio ideal para quem tem filhos e, consequentemente, para as férias de julho.

Mas não pense que as atividades de turismo em Poços de Caldas se limitam a diversão nos hotéis. Para quem tem filhos mais velhos ou estiver indo a dois, ficar perto do centro da cidade é uma boa ideia.

Como uma boa parte dos atrativos fica próxima do centro, escolher um hotel nesta região da cidade permitirá que você explore essa joia do turismo em Minas Gerais a pé, sem precisar pegar o carro ou subir no ônibus.

Por outro lado, não espere muita calmaria se ficar na região central. Com cerca de 100 mil habitantes, Poços não trará aquele ar calmo ou interiorano que outras cidades mineiras, como Tiradentes , ou até mesmo paulistas, como  Águas de Lindóia , trariam.

Como chegar em Poços de Caldas

Terminal de ônibus em Poços de Caldas
shutterstock

Para chegar na cidade e descobrir o que fazer em Poços de Caldas, você precisará de paciência na estrada

Se você quiser passar o próximo final de semana ou feriado por lá, é uma boa, antes de saber o que fazer em Poços de Caldas, ver quais caminhos você precisa pegar para chegar lá.

Para quem sair de São Paulo, a viagem de carro dura cerca de quatro horas, e o percurso é de cerca de 270 km. Você pode chegar lá direto pela Rodovia dos Bandeirantes, ou pegar a Rodovia Adhemar Pereira de Barros, um caminho um pouco mais extenso.

No caso dos paulistanos, é uma boa ideia ir com bastante troco para pedágio. Além de serem vários ao longo do trajeto, o preço varia bastante – indo de R$ 3,80 até R$ 12,10.

Quem partir de Belo Horizonte terá uma viagem bem mais demorada. Com cerca de 450 km separando Poços da capital mineira, a viagem pela estrada dura por volta de 6h30. O trajeto mais rápido é pegar a BR-381.

Já para os cariocas, a jornada é ainda a mais longa. Para percorrer os quase 500 km entre a cidade do Rio de Janeiro e Poços de Caldas, serão necessárias quase oito horas de viagem pelo trajeto mais curto, que seria pegar a BR-116 e depois ir para a BR-459.

Leia Também:  Aeroporto cria ação inusitada (e fofa) para acalmar passageiros nervosos

O que fazer em Poços de Caldas em três dias

Com as dúvidas sobre o trajeto a ser feito sanadas, é hora de ver o que fazer em Poços de Caldas numa viagem de três dias para não perder nenhuma das atrações. A sugestão de roteiro no infográfico acima começa na tarde do primeiro dia e termina na tarde do terceiro. Lembre-se também que o roteiro não abrange todas as atrações da cidade, apenas aquelas indispensáveis para uma viagem curta durante o final de semana ou um feriado.

O que fazer em Poços de Caldas: Dia 1

Arbustos e árvores no Parque José Affonso Junqueira
Reprodução/Flickr/Janss

O Parque José Affonso Junqueira é um marco do turismo em Poços de Caldas, e é um bom lugar para iniciar sua viagem

Saindo cedo de casa no primeiro dia, você ainda conseguirá chegar ao seu destino durante a tarde. Dar uma descansada depois de horas na estrada faz bem, mas não perca tempo e saia para conhecer Poços ao terminar o check-in e deixar as malas no quarto.

Hospedar-se num local próximo do centro da cidade facilitará sua vida, pois você poderá explorar as ruas a pé, sem ter de pegar transporte público ou voltar para trás do volante do seu carro.

A parte mais turística de Poços está nas imediações do Parque José Affonso Junqueira, então vale aproveitar e conhecer esta bela área verde. Um marco interessante que fica próximo dela é o Relógio Floral, cujos ponteiros marcam as horas num canteiro cuidadosamente decorado com flores.

Do outro lado da avenida fica uma praça onde antes operava o trem turístico que ia de Águas da Prata até Poços de Caldas, mas que está inativo desde o final do século 20. Mesmo assim, você pode visitar a estação e seus arredores, tendo um vislumbre da história local.

Após o anoitecer, explore as opções de bares e restaurantes do centro para jantar. Você vai encontrar de comida de rua até comida italiana, sem deixar de lado os restaurantes de pratos típicos de MG. Só não espere encontrar lojas abertas: a maioria dos estabelecimentos já terá fechado no final da tarde.

O que fazer em Poços de Caldas: Dia 2

Entrada da Basílica Nossa Senhora da Saúde, construída com tijolos e fundada em 1954
shutterstock

Um roteiro de turismo em Poços de Caldas não estaria completo sem uma visita à Basílica Nossa Senhora da Saúde

O segundo dia do roteiro será o único completo nesta viagem de três dias para Poços de Caldas. Então, se você quiser aproveitar ao máximo a cidade, é uma boa ideia deixar a preguiça de lado e sair pela cidade pela manhã e pela tarde.

Após o café da manhã, a dica é ir até a Fonte dos Macacos, numa praça próxima a alguns dos principais hotéis de Poços de Caldas. E o motivo para ir até lá de manhã não é só caminhar pela praça onde fica a fonte.

Durante as manhãs de domingo (caso este seja o seu segundo dia), das 7h às 13h, ocorre a Feira de Artesanato Fearpo. Nela, você encontrará artigos dos mais variados, que vão de brinquedos e decorações de madeira até camisetas, meias de lã e cachecóis.

Leia Também:  Quanto tempo de férias você precisa para realmente se livrar do estresse?

Em seguida, antes do almoço, vá até a Praça Pedro Sanches, onde fica o Monumento Minas ao Brasil. A ideia é vislumbrar essa praça enquanto estiver sentado em um dos cafés que ficam nas proximidades, mas você também pode explorá-la mais de perto se quiser.

Já no roteiro da tarde, vale uma passada na Basílica Nossa Senhora da Saúde, uma simpática e marcante igreja de tijolos na Praça Monsenhor Rocha. Depois de ver mais de perto esse marco do turismo local, ande rumo ao Parque José Affonso Junqueira para visitar outra atração histórica: as Thermas Antonio Carlos.

Aproveite para fazer compras ao longo do caminho nas lojas que lotam as calçadas das ruas do centro da cidade. Assim você aproveitará melhor seu tempo e pode até descobrir mais o que fazer em Poços de Caldas. À noite, mais uma vez, você pode procurar um lugar para comer fora ou, se preferir, ficar no hotel e desfrutar do lazer com a família.

O que fazer em Poços de Caldas: Dia 3

Portal marcando o caminho da trilha para chegar ao Cristo Redentor de Poços de Caldas
shutterstock

Quer o que fazer em Poços de Caldas? Que tal iniciar seu último dia na cidade subindo a trilha até o Cristo Redentor?

O terceiro e último dia será o mais curto da viagem. Para abrir o roteiro, assista à alvorada do alto do Cristo Redentor, monumento de 30 metros de altura inaugurado em 1958 na Serra de São Domingos. Você pode chegar até ele via trilha, carro ou teleférico.

Se a ideia de ir de teleférico te soa uma boa, fique atento aos horários de funcionamento. De acordo com o Viajala.com.br, ele funciona de segunda, sexta e quinta das 14h às 17h, das 10h às 17h aos sábados e das 9h às 16h aos domingos e feriados. Para pegá-lo, é preciso pagar R$ 25; crianças, estudantes e idosos pagam R$ 12,50.

E se a vantagem de pegar o teleférico é sentir aquele friozinho na barriga de subir uma montanha pelo ar, a trilha do Cristo pode te oferecer experiências tão cativantes quanto. Por exemplo, no começo da trilha, fica a Fonte dos Amores, um ponto memorável do turismo em MG.

Segundo o Viajala.com.br, a escultura de mármore de dois jovens abraçados, concretizada pelas mãos do italiano Giulio Starace, foi inaugurada em 1929 e, desde então, se tornou um local preferido dos casais. Ela está aberta à visitação diariamente, das 8h às 17h30.

Para concluir os passeios matutinos, conheça o Mercado Municipal antes do almoço. Lá você encontrará de tudo: frutas, lembranças, cachaças exclusivas da região, cafés, organizadores de tempero e barracas de queijo.

Logo após o almoço, se você ainda estiver disposto e não se incomodar de ficar até um pouco mais tarde na cidade, pegue o carro e vá até a Cachoeira Véu das Noivas ou ao Zoo das Aves.

Como as duas atrações ficam no caminho de saída da cidade, você pode conhecê-las depois do check-out do hotel. O Zoo das Aves funciona de terça a domingo e nos sábados e feriados das 9h às 17h. A entrada custa R$ 25 para adultos; crianças entre 3 e 12 anos, estudantes e idosos acima de 60 anos pagam apenas R$ 15 para ver de perto cerca de 200 espécies diferentes no zooparque criado nos anos 40 pelo empresário Moacyr de Carvalho Dias.

Leia também: Conheça Belo Horizonte e Ouro Preto em uma só viagem por MG

Agora que você já sabe o que fazer em Poços de Caldas, é só reunir a família e partir.

Fonte: IG Turismo
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana