conecte-se conosco


Economia

Auxílio emergencial: veja quem recebe o benefício nesta quarta-feira

Publicado


source
Auxílio emergencial
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Auxílio emergencial

A Caixa Econômica Federal retoma, nesta quarta-feira (dia 27), o pagamento da sétima parcela do auxílio emergencial 2021. Hoje, recebem os beneficiários do Bolsa Família com Número de Identificação Social (NIS) de final 8. Neste caso, a retirada já pode ser feita em agências do banco, casas lotéricas e correspondentes Caixa Aqui.

Os valores do auxílio 2021 correspondem a R$ 150 (para quem mora sozinho), R$ 250 (para famílias com dois ou mais integrantes) e R$ 375 (para mães chefes de família).

Também nesta quarta-feira, a Caixa vai pagar os trabalhadores que não têm Bolsa Família, com o depósito da sétima parcela para os nascidos em julho. Mas, neste caso, o dinheiro ainda não poderá ser retirado. Está depositado em contas poupanças sociais digitais e pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem.

Sétima parcela – beneficiários do Bolsa Família

  • NIS com final 1: 18 de outubro
  • NIS com final 2: 19 de outubro
  • NIS com final 3: 20 de outubro
  • NIS com final 4: 21 de outubro
  • NIS com final 5: 22 de outubro
  • NIS com final 6: 25 de outubro
  • NIS com final 7: 26 de outubro
  • NIS com final 8: 27 de outubro
  • NIS com final 9: 28 de outubro
  • NIS com final 0: 29 de outubro

Sétima parcela – trabalhadores informais e desempregados Depósito

  • Nascidos em janeiro – 20 de outubro
  • Nascidos em fevereiro -21 de outubro
  • Nascidos em março – 22 de outubro
  • Nascidos em abril – 23 de outubro
  • Nascidos em maio – 23 de outubro
  • Nascidos em junho – 26 de outubro
  • Nascidos em julho – 27 de outubro
  • Nascidos em agosto – 28 de outubro
  • Nascidos em setembro – 29 de outubro
  • Nascidos em outubro – 30 de outubro
  • Nascidos em novembro – 30 de outubro
  • Nascidos em dezembro – 31 de outubro

Saque

  • Nascidos em janeiro – 1º de novembro
  • Nascidos em fevereiro – 3 de novembro
  • Nascidos em março – 4 de novembro
  • Nascidos em abril – 5 de novembro
  • Nascidos em maio – 9 de novembro
  • Nascidos em junho – 10 de novembro
  • Nascidos em julho – 11 de novembro
  • Nascidos em agosto – 12 de novembro
  • Nascidos em setembro – 16 de novembro
  • Nascidos em outubro – 17 de novembro
  • Nascidos em novembro – 18 de novembro
  • Nascidos em dezembro – 19 de novembro

Passo a passo para retirada

1) Para sacar o dinheiro, é preciso fazer o login no app Caixa Tem, selecionar a opção “saque sem Cartão” e “Gerar código de saque”.

2) Depois, basta inserir a senha para ter acesso ao código de saque na tela do celular, o qual tem validade de uma hora e deve ser informado nas agências, nas unidades lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

No caso de quem tem Bolsa família, os recursos também podem ser sacados por meio do Cartão Bolsa Família ou do Cartão Cidadão.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Inflação é a vilã do crescimento econômico, aponta indicador do Itaú

Publicado


source
Inflação é a vilã do crescimento econômico, aponta indicador do Itaú
Fernanda Capelli

Inflação é a vilã do crescimento econômico, aponta indicador do Itaú

A alta da inflação já começou a impactar negativamente a atividade econômica do país mostra o Indicador Diário de Atividade (Idat) criado pela equipe de economistas do Itaú. O índice perdeu dinamismo desde setembro passado e vem ‘andando de lado’, explicou o economista-chefe do Itaú, Mário Mesquita, que projeta inflação de 10,1% este ano. Desta vez, o efeito negativo na economia não está sendo provocado pela pandemia.

“A atividade econômica já está sendo impactada pela inflação, que afeta a confiança do consumidor e corrói o salário. A perda de dinamismo do Idat não tem a ver com a pandemia de Covid-19 desta vez”, explicou Mesquita.

O Idat é uma espécie de ‘termômetro’ da economia, que oferece uma interpretação mais rápida do que outros indicadores oficiais, que levam mais tempo para serem elaborados. Ele cruza dados de consumo de energia pelas empresas e transações de gastos com cartão de crédito nos setores de bens e serviços.

O índice foi criado em março do ano passado, início da pandemia, e tem base 100. O indicador chegou a superar os 100 pontos este ano, inclusive em 6 de setembro, quando a média móvel de sete dias atingiu o maior patamar do ano, acima de 122 pontos. Desde então, o Idat perdeu força e no início de dezembro e recuou aos 99,7 pontos.

A economista Julia Gotlib, da equipe do Itaú, observa que a alta dos juros também impacta os setores mais sensíveis ao crédito e deve provocar a desaceleração da economia em 2022. Na estimativa do Itaú, o Produto Interno Bruto (PIB) do país vai crescer 4,7% este ano, mas em 2002 a expectativa é de uma retração de 0,5%. A elevação dos juros, entretanto, deve derrubar a inflação no ano que vem para 5%, preveem os economistas do Itaú.

Leia Também

O Itaú divulgou nesta terça-feira sua análise de comportamento de consumo dos brasileiros, que mostrou que o consumidor retornou hábitos interrompidos pela pandemia, como viajar, casar e frequentar bares e restaurantes.

Os dados mostraram que no terceiro trimestre o faturamento das agências de matrimônio e buffets cresceu 80% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período de 2020. No caso de bares e ‘baladas’, o crescimento do faturamento foi de 94% no período, considerando a mesma comparação.

O setor de turismo, segundo a pesquisa do Itaú, registrou crescimento de 133,7% do faturamento no período, com as companhias aéreas tendo crescimento de 149,9% no faturamento e os hotéis de 109,7%.

O avanço da vacinação favorecendo o consumo e forma geral e o varejo registrou um aumento de 25,5% no valor transacionado no terceiro trimestre deste ano, na comparação anual, e de 11,9% na comparação com o segundo trimestre deste ano.

“As compras presenciais refletem essa volta, representando 78,9% do faturamento no terceiro trimestre de 2021. A participação das compras online ficou em 21,1%”, explicou Paula Cardoso, presidente da Rede, empresa de meios de pagamento do Itaú.

Continue lendo

Economia

TCU marca para amanhã primeira análise de privatização da Eletrobras

Publicado


source
TCU marca para amanhã primeira análise de privatização da Eletrobras
Redação 1Bilhão Educação Financeira

TCU marca para amanhã primeira análise de privatização da Eletrobras

O Tribunal de Contas da União (TCU) marcou para esta quarta-feira (8) a primeira análise do plano de privatização da Eletrobras. A expectativa do governo é de que a operação seja realizada até maio do próximo ano, prazo que foi definido como limite para a venda da estatal. Esta seria a maior privatização da gestão Bolsonaro, que até agora conseguiu se desfazer de poucas empresas estatais — uma das principais promessas do ministro da Economia, Paulo Guedes.

A Corte vai analisar os impactos da privatização para os consumidores e para a União. Na prática, será avaliado o bônus de outorga que a Eletrobras precisará pagar ao governo pela renovação dos contratos de usinas hidrelétricas. Esse dinheiro (R$ 23 bilhões), por sua vez, será usado para cobrir os repasses da alta da conta de luz em 2022 (R$ 30 bilhões). A previsão é de que as tarifas subam mais de 20% no ano que vem por causa da crise hídrica.

A privatização da Eletrobras também prevê um aporte de R$ 8 bilhões, que será usado para a revitalização da bacia hidrográfica do Rio São Francisco, de reservatórios nas regiões Sudeste e Centro-Oeste e para a geração de energia na Amazônia.

A análise de amanhã, porém, não é a única. Mesmo que a desestatização avance nessa etapa, ainda há detalhes que precisam ser votados pelos ministros do TCU. Até fevereiro, o tribunal vai analisar a privatização em si. Só depois dessas duas autorizações é que será possível seguir com a venda.

Leia Também

Processo está incompleto e apresenta falhas

Um despacho do ministro Aroldo Cedraz, relator do processo de privatização da Eletrobras no TCU, informa que o corpo técnico da instituição identificou falhas que apontariam para uma subavaliação de ativos de R$ 16,2 bilhões. A informação é do jornal O GLOBO. Desse total, R$ 5,6 bilhões já foram reconhecidos pelo Ministério de Minas e Energia, que se comprometeu a fazer as devidas correções.

O despacho também pede mais informações sobre o aporte de recursos pela Eletrobras à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). 

Além disso, um parecer do Ministério Público de Contas da União entregue a Cedraz aponta omissões do Ministério de Minas e Energia, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) no processo de desestatização.

O documento, assinado pelo procurador Rodrigo de Lima, afirma que a pasta e a Aneel encaminharam o processo incompleto, sem incorporar, como manda a lei, contribuições de consulta pública sobre o tema. Ainda questiona o uso supostamente irregular de um recurso de R$ 5 bilhões em ano eleitoral, que seria usado para mitigar perdas com o aumento dos custos de energia que virão com a migração de 22 contratos de usinas hidrelétricas do modelo de cotas para preços de mercado.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana