conecte-se conosco


Economia

Auxílio Brasil usa dados defasados e deixa 3,5 milhões de pessoas de fora

Publicado


source
Ministro da Cidadania, João Roma
Reprodução

Ministro da Cidadania, João Roma

O Auxílio Brasil usa dados do último Censo, feito em 2010, para avaliar critérios de pobreza e extrema pobreza. Com isso, famílias ficam de fora por não se enquadrarem no critério deo novo programa social.

No Cadastro Único de benefícios sociais, segundo dados de setembro, constam ao menos 18 milhões de famílias pobres e extremamente pobres no país. Em 2010 esse número era de 13,8 milhões, ou seja, 23% menor.

Esses 23% representam uma fila de 3,5 milhões de pessoas à espera da assistência do governo. Pensando nisso, o relator da Medida Provisória (MP) que cria o Auxílio Brasil, Marcelo Aro, prevê a inclusão da obrigatoriedade de zerar a fila no texto. 

Um novo Censo seria a solução do problema, mas a pesquisa que deveria ter sido feita em 2020 foi adiada por causa da pandemia para 2021, mas o governo cortou a verba e adiou novamente. 

Segundo o UOL, o Ministério da Cidadania informou que atualizará o cadastro em 2022 e que “está prevista a atualização dessas informações, dada a necessidade de atender com mais eficiência as famílias em situação de vulnerabilidade, garantindo a oferta de condições e oportunidades para a melhora da qualidade de vida desses cidadãos”.


publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Preço médio do gás de cozinha fica em R$ 95 nos últimos seis meses

Publicado


A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP) divulgou hoje (7) a média semestral nacional do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás de cozinha. O valor do botijão de 13 quilogramas (kg) ficou em R$ 95,63, entre junho e novembro deste ano.

Segundo a ANP, a medida atende ao decreto 10.881, publicado na semana passada, que obriga a agência a divulgar todo mês, até o décimo dia útil do mês, a média nacional dos últimos seis meses do GLP.

O sistema de levantamento de preços da agência mostra que, na última semana, Cuiabá foi a capital com o maior preço para o botijão de 13 quilos do GLP, R$ 120,31, enquanto Salvador ficou com o menor valor, R$ 92,59.

Em relação à gasolina comum, o litro mais em conta foi comercializado nos postos de combustíveis de Macapá: R$ 5,938. O Rio de Janeiro teve o valor mais alto para o litro da gasolina comum, R$ 7,208.

Curitiba teve o menor para o litro do óleo diesel: R$ 4,949. A pesquisa da ANP mostra que Rio Branco teve o litro mais alto do diesel: R$ 6.071.

A coleta de preços foi feita entre 28 de novembro e 4 de dezembro.

Edição: Maria Claudia

Continue lendo

Economia

Aneel aprova reajustes nas tarifas de energia do Acre e de Rondônia

Publicado


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (7) reajuste das tarifas de energia de Rondônia e do Acre. Os novos índices entram em vigor na próxima segunda-feira (13).

Em Rondônia, o reajuste é para os cerca de 675 mil consumidores atendidos pela Energisa. No caso dos consumidores de baixa tensão (residencial), o reajuste médio será de 6,95% e os de alta tensão (comercial e industrial), 6,85%. O efeito médio para o consumidor é 6,93%.

No Acre, também atendida pela Energisa, as 280 mil unidades consumidoras atendidas pela distribuidora sofrerão efeito médio de 9,9%. Para os consumidores de baixa tensão, o efeito médio é de 10,36% e de alta tensão, 7,65%.

Edição: Valéria Aguiar

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana