conecte-se conosco


Política MT

Audiência pública discute federalização da Transpantaneira

Publicado

Foto: NAJYLLA NUNES

A federalização da rodovia MT-060, que liga os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, foi discutida em audiência pública nesta quinta-feira (05), na Câmara Municipal de Poconé (distante a 104 km de Cuiabá).

A estrada liga os municípios de Poconé a Corumbá (MS), em uma distância de aproximadamente 400 km. O trecho mato-grossense ainda não é de responsabilidade do governo federal e, atualmente, a estrada é de chão e, em períodos de chuva, fica intransitável, pois fica alagável.

Iniciada em 1970, antes da divisão do estado de Mato Grosso, as obras da Rodovia Transpantaneira já eram consideradas um grande sonho de desenvolvimento para os moradores da região. O objetivo era interligar o sul e o norte do Pantanal, além de unir duas importantes cidades, Poconé e Corumbá, assegurando assim a integração de toda a região. Em 1976, a construção foi paralisada à beira do Rio Cuiabá, em Porto Jofre, desde então os dois municípios têm lutado para que seja enfim federalizado a  rodovia, a fim de transformar a economia de toda região.

O deputado Paulo Araújo, co-autor da audiência pública em conjunto com a vereadora de Poconé Camila Silva (PSC), pediu mobilização da classe política mato-grossense para a concretização do projeto de integração da Rodovia Transpantaneira que, segundo ele, simboliza um sonho de desenvolvimento para muitas de pessoas.

Foto: NAJYLLA NUNES

“Sem dúvida nenhuma, é uma interligação importante para os dois estados, pois entendo que essa seja, talvez, a região com maior potencial turístico do estado de Mato Grosso. O turismo é a vocação de toda a Baixada Cuiabana e, se conseguirmos fazer a interligação da região de Poconé a Corumbá iremos, sem dúvida nenhuma, conseguir fomentar o turismo nessa região”, afirmou Araújo.

A vereadora Camila Silva explicou que a federalização facilita o trabalho para a pavimentação da rodovia, proporcionando incremento na economia da região e levando desenvolvimento para a população, através da integração entre os dois estados.

“A federalização desta estrada é um sonho da população poconeana. Essa obra representaria uma melhor infraestrutura para o escoamento da produção do estado de Mato Grosso, bem como alavancaria o turismo na nossa região e, sem dúvida nenhuma, geraria empregos para os nossos jovens que em sua grande maioria encontra-se desempregados”, argumentou Camila.

O coronel Ângelo Rabelo, representante do Instituto Homem Pantaneiro (IHP), destacou a necessidade de ampliação da infraestrutura dos estados. “Muitos me perguntam se a construção dessa rodovia traria impactos ambientais. Entendo que hoje nós temos uma engenharia ambiental inteligente. Essa engenharia, tenho certeza, trabalharia com um único objetivo de atender a população sofrida, que são os pantaneiros que nunca tiveram estrada, nem comunicação. Acredito que essa federalização seria sinônimo de oportunidade para a geração de empregos, através do turismo e potencializaria essa região que é isolada do país”, afirmou Rabelo.

Já o engenheiro do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Marcelo Rezende, ressalta a complexidade da obra. “É um processo demorado e complexo, contudo, o Dnit irá realizar um estudo técnico para saber a viabilidade técnica, porque envolve também a questão ambiental. Entendemos a importância desse projeto, pois visa fazer uma interconexão dos modais rodoviário, ferroviário e hidroviário, inclusive vai melhorar a qualidade de vida de toda população e também ajudará a escoar a produção de grãos de todo o estado”, analisou o engenheiro.

O deputado Paulo Araújo anunciou a criação de um comitê e uma expedição por parte do governo do estado de Mato Grosso para os próximos dias. “A partir dessa audiência pública será criado um comitê com o objetivo representar toda esta região das vias que ligam a MT-060 também, conhecida como Transpantaneira. Outro encaminhamento foi um compromisso do governo de Mato Grosso, que irá realizar uma expedição aqui na Transpantaneira em uma data futura. Já estamos articulando essa ação que será conjunta como o nosso estado vizinho Mato Grosso do Sul”, explicou o parlamentar.

Também participaram da audiência Tatá Amaral (DEM), prefeito de Poconé; Antônio Souza (DEM), presidente da Câmara Municipal de Poconé; o vereador de Poconé, Márcio Pereira (MDB); o secretario de Turismo de Poconé, Walney de Souza; o vereador Manoel Rodrigues (PRB) de Corumbá e Luiz Alberto, primeiro assessor técnico do Sindicato Rural de Poconé.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Dal Molin destaca importância de atuação conjunta para resolução de problemas agrários

Publicado


Foto: Marcos Lopes

O deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC) representou a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) no 2º Seminário Agelider/Cidesa, realizado nesta quinta-feira (25), em Sorriso. Com o tema: “Selo de Inspeção Municipal e Regularização Fundiária”, o encontro contou com a participação de representantes de 13 municípios que compõe o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico e Social (Cidesa), além do deputado estadual, Gilberto Cattani (PSL), e do secretário Especial de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luiz Antônio Nabhan Garcia.

 Ao garantir apoio para as ações de fortalecimento dos municípios da região, Dal Molin anunciou a celebração de um convênio que prevê a cessão de servidores do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

“Há alguns meses estivemos no Incra, mas não para criticar ou reclamar do órgão, mas sim, para propormos algumas medidas a fim de dar celeridade ao processo de regularização dos assentamentos de Mato Grosso. Ao identificarmos a demanda, neste caso a ausência de servidores em número suficiente, apresentamos uma indicação por meio da Frente Parlamentar de Agropecuária (FPA) ao qual tenho a honra de coordenar”, disse Dal Molin, ao afirmar que “compete ao poder público a solução do problema. Independentemente de qual seja a esfera; municipal, estadual ou federal. Se existe um problema, temos a obrigação de resolvê-lo. O trabalhador rural não pode ficar à mercê da inércia do estado”, afirmou.

 O prefeito de Sorriso e presidente do Cidesa, Ari Genésio Lafin, também ressaltou a importância da atuação conjunta de municípios e o programa Agelíder. Este último formado por membros da sociedade civil organizada que atuam voluntariamente em busca de soluções para as demandas regionais.

 “O objetivo principal dos prefeitos é fazer com que o consórcio discuta as ações com os secretários municipais de desenvolvimento, economia e social em todos os sentidos (…). Sorriso já tem a descentralização e a velocidade é enorme. Agora temos que trabalhar para que os outros municípios tenham essa ferramenta em mãos”, pontua.

 “Os governos anteriores fizeram uma reforma agrária de forma inconsequente e irresponsável. Deixaram as pessoas jogadas ao léu. Encontramos inúmeras famílias abandonadas numa situação catastrófica”, lamentou Nabhan Garcia.

 Segundo o representante do governo federal, o número de títulos entregues em três anos já superou aqueles entregues nas últimas três décadas. Isso mesmo diante das dificuldades enfrentadas no órgão responsável pela regularização.

“Pegamos um Incra falido, sem recursos, sem estrutura técnica e totalmente contaminado por uma ideologia política. Sem alternativa, o governo partiu para as parcerias com as prefeituras dando surgimento ao programa Titula Brasil que já conta com 86 municípios mato-grossenses devidamente cadastrados”, comemorou.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

Estado cumpre calendário e paga folha salarial de novembro aos servidores nesta terça-feira

Publicado

Folha de pagamento de novembro chega a R$ 535 milhões

O Governo do Estado paga, nesta terça-feira (30), os salários e proventos do mês de novembro dos servidores públicos ativos, inativos e pensionistas. A folha de pagamento líquida deste mês, segundo a Secretaria Adjunta do Tesouro Estadual, da Secretaria de Fazenda, foi de R$ 535.376.562,46.

Desse total R$ 350.816.123,91 destinam-se ao pagamento dos servidores ativos e R$ 184.560.438,55 para inativos e pensionistas. Vão receber salários e proventos cerca de 115 mil pessoas. As ordens de pagamento foram encaminhadas ao Banco do Brasil nesta segunda-feira (29).

Até meio dia de terça-feira todos os depósitos já terão sido processados pelo Banco do Brasil. Os valores estarão liberados tanto para quem tem contas no Banco do Brasil, como para aqueles que fizeram portabilidade a outros bancos.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana