conecte-se conosco


Educação

Às vésperas do clássico, “El lobo” rejeita reserva e pede para deixar Mixto

Publicado

O atacante oriundo do futebol boliviano, Magno Costa, o “El Lobo” não faz mais parte do grupo de jogadores do Mixto. Ele pediu para sair na manhã desta terça-feira 25. O presidente do clube, Walter Fernandes negou, afirmando que “Eu não assinei nada”,  mas outros diretores e conselheiros do clube confirmaram a saída.
Com apenas um gol, marcado no empate de 1 a 1 diante do Nova Mutum, na terceira rodada, “El lobo” foi esquecido pelo novo técnico mixtense, Carlinhos Alves. Ele entrou apenas no final contra o Sinop, quando o Mixto perdeu por 3 a 1, no Gigantão, na sexta rodada.
Magno Costa ficou demissionário ainda pela manhã, procurou a diretoria e pediu o desligamento. E El Lobo faz uma fila (ou é parte dela). Segundo informações de diretores mixtenses, ele não aceitou a reserva e pediu para sair.
Com a chegada dos reforços Matheus, Michel e Daisson, o zagueiro Jefferson, o meia Josemar, e o atacante Renan Romário foram dispensados pela comissão técnica. No fim da tarde de sexta-feira 21, o atacante Eduardo Romarinho seguiu o caminho do companheiro de ataque, e também pediu para sair.
Na vice-lanterna, com apenas quatro ponto e com sério risco de rebaixamento, o Mixto tem um encontro amargo neste domingo. Será contra o Dom Boco, no clássico Vovô, neste domingo, na Arena Pantanal.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Educação

Capes lança programa de pesquisa de combate à epidemias

Publicado


.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou hoje (2) o Programa Combate às Epidemias. A ação vai destinar R$ 200 milhões pelos próximos quatro anos para projetos de pesquisa e formação de profissionais voltados ao enfrentamento da pandemia de covid-19 e temas relacionados às endemias e epidemias típicas no país.

A medida já havia sido anunciada na semana passada. De acordo com a autarquia vinculada ao ministério da Educação, serão concedidas 2,6 mil bolsas de estudo, além do quantitativo já previsto pelo modelo de concessão de bolsas, e recursos de custeio e de capital de até R$ 345 mil, por projeto, para até 30 pesquisas selecionadas.

Em comunicado, o presidente da Capes, Benedito Aguiar, afirmou que o potencial das universidades brasileiras precisa ser aproveitado e valorizado. “É um programa estratégico emergencial que poderá contribuir de forma imediata à mitigação dos problemas ocasionados pela atual pandemia e contribuir para prevenção e combate de endemias e epidemias que assolam o país há anos”, destacou.

A autarquia quer incentivar pesquisas focadas em estudos inovadores de prevenção, diagnóstico e estratégias terapêuticas, além de um melhor entendimento de doenças infecciosas, agentes e vetores. Os demais objetivos do programa são voltados ao desenvolvimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para profissionais de saúde e de tecnologias e mecanismos para monitoramento, mapeamento e controle de surtos, endemias, epidemias e pandemias.

Ações emergenciais

De acordo com a Capes, o programa está estruturado em três ações emergenciais e o investimento previsto para este ano é de R$ 30,8 milhões.

Na primeira delas, já iniciada, serão concedidas 900 bolsas de mestrado e doutorado para os programas com nota 5, 6 e 7 da área de saúde. As bolsas serão concedidas por 36 meses que podem ser prorrogados por mais 12. Em 2020, o investimento será de R$ 14,5 milhões.

Na segunda ação, a Capes lançou um edital para selecionar até 30 projetos nas áreas abrangidas pelo programa, que são: epidemiologia, infectologia, microbiologia, imunologia, bioengenharia e bioinformática. As inscrições vão de 6 a 30 de abril por meio do Sicap [https://inscricao.capes.gov.br/individual].

Serão concedidas 900 bolsas de doutorado e pós-doutorado destinadas à execução dos projetos de pesquisa selecionados. Cada projeto receberá 30 bolsas – 18 de pós-doutorado, com duração de 12 meses, e 12 de doutorado, com 36 meses de duração – renováveis por um ano. As iniciativas receberão R$ 345 mil de verba de custeio, sendo R$ 95 mil para a aquisição de bens. Em 2020, o investimento será de R$ 16,3 milhões.

A terceira ação, última etapa do programa, terá início nos próximos meses e vai conceder mais 800 bolsas de pesquisa para cursos das áreas de exatas e saúde. Para a Capes, ambas as áreas são fundamentais no desenvolvimento conjunto de insumos para enfrentar crises como a atual.

Realocação de recursos

Os recursos alocados este ano no programa de combate às epidemias seriam destinados a outros editais da Capes, suspensos devido à pandemia. Do Programa Brafitec, cooperação internacional com a França para alunos de graduação, serão aplicados R$ 18,5 milhões. Outros R$ 6,6 milhões vieram do Programa de Doutorado-Sanduíche no Exterior (PDSE) e pelo Programa Nacional de Pós-Doutorado no País (PNPD) foram aportados R$ 3 milhões.

Sobre o PNPD, a Capes informou que ele está sendo reformulado para atuar em programas estratégicos de ações induzidas, como o Capes Entre Mares e o Combate às Epidemias.

*Com informações da Capes

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Continue lendo

Educação

Reaplicação do Enem este ano deverá incluir quem estiver com covid-19

Publicado


.

Quem estiver comprovadamente contaminado com o novo coronavírus (covid-19) até um dia antes da aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcado para 1º e 8 de novembro, deverá comunicar sua condição na página do participante e poderá ser incluído na reaplicação da prova, em data a ser definida.

A previsão consta no edital com as regras do Enem divulgado na terça-feira (31) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

A participação na reaplicação da prova costuma ser permitida para quem estiver com doença infectocontagiosa. A lista, neste ano, inclui a covid-19. São também incluídas coqueluche, difteria, rubéola, sarampo e meningite, entre outras doenças. A lista completa pode ser conferida no item 6.16.1 do edital.

Já o participante que sofrer um acidente e ainda assim quiser fazer a prova poderá solicitar atendimento especializado até um dia antes da aplicação do Enem, e não mais somente no período de inscrição.

Pelo edital deste ano, em caso de acidentes ou casos fortuitos ocorridos após o período de inscrição, o candidato deverá solicitar o atendimento especial por meio da Central de Atendimento do Enem, no número 0800 616161, até 24 horas antes da prova.

“O Inep analisará a situação e, se houver disponibilidade para o atendimento, o recurso será disponibilizado”, diz o edital. Caso não seja possível atender à solicitação com necessidade comprovada, o participante será incluído na reaplicação do Enem, cuja data será definida.

Em junho do ano passado, a Justiça Federal do Pará determinou, em ação aberta pelo Ministério Público Federal (MPF), que o Inep permitisse a solicitação de atendimento especial após o período de inscrição para os casos de acidente ou fortuitos.

Na sentença, a juíza Lorena de Sousa Costa, da 5ª Vara Federal de Belém, considerou que o Inep tem capacidade de atender aos pedidos de atendimento especializado nesses casos de acidente, pois “o número de candidatos solicitantes de atendimentos especializado e/ou específico, frente ao número total de inscritos, mostra-se ínfimo”, escreveu.

Outros tipos de atendimento especializado, como nos casos de deficiência visual ou auditiva, devem ser solicitados em um período de inscrição determinado, entre 11 e 22 de maio. Os resultados das solicitações serão divulgados em 29 de maio. Para os pedidos que forem negados, está prevista uma fase para apresentação de recurso. O resultado final estará disponível em 10 de junho.

Edição: Graça Adjuto

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana