conecte-se conosco


Esportes

Árbitros da CBF recebem auxílio, porém muitos não têm mesma sorte

Publicado


.

Juízes e bandeirinhas também estão entre os trabalhadores atingidos pela paralisação dos campeonatos de futebol, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Estima-se que cerca de 10 mil pessoas atuem nesta atividade em ligas, federações e confederações amadoras pelo país. 

“Muitos vivem somente de apitar e outros complementam a renda com outro trabalho”, aponta Marcelo de Lima Henrique, de 48 anos, 25 deles dedicados à arbitragem. “Eles dependem da taxa do jogos, principalmente com a crise econômica dos últimos anos”, revela, acrescentando que ele poderão recorrer a Medida Provisória que libera um auxílio-financeiro de R$ 600 para autônomos e micro-empreendedores individuais. 

Já os 479 integrantes árbitros do quadro nacional  da CBF irão receber, antecipadamente, uma taxa de arbitragem, calculada a partir do maior valor pago para sua categoria. Um árbitro da série A (Fifa) deve receber aproximadamente R$ 5 mil, e um juiz sem a chancela Fifa cerca de R$ 3,8 mil.

“Esta ajuda veio em ótima hora e mostra sensibilidade dos dirigentes da CBF. As contas estão sendo cadastradas e a expectativa é que o dinheiro esteja na conta dia 10. Mas é uma pena que não possa contemplar a todos”, lamenta Marcelo, que foi árbitro Fifa de 2008 a 2014 e hoje é master da CBF. “Quem atua em alto nível, precisa investir em alimentação, calçado, preparação física, etc  Tudo isto demanda dinheiro e nós não temos carteira assinada e direitos como férias ou um seguro lesão”. 

O apoio anunciado aos árbitros do quadro da CBF terá ainda atendimento psicológico, aulas por videoconferência com análise de lances de jogo, aspectos do VAR e mudanças recentes das regras.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Esportes

Libertadores pode recomeçar com protocolo inspirado no futebol Alemão

Publicado


.

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) busca inspiração na Alemanha, onde o campeonato nacional reiniciou no dia 16 de maio com estádios fechados ao público, para traçar a volta das principais competições do continente. Representantes da entidade reuniram-se, por videoconferência, com dirigentes da Bundesliga (principal liga germânica) nesta quinta (28). O objetivo é conhecer as práticas de segurança adotadas no país europeu para a reativação do futebol.

Antes, o secretário-geral adjunto de futebol da Conmebol, Gonzalo Belloso, afirmou que a entidade imagina setembro como mês para uma possível volta da Libertadores da América e da Copa Sul-Americana. “Haverá reuniões com todos os governos. O futebol é uma das tantas indústrias que estão sofrendo com a pandemia. O problema mais difícil é o da migração das equipes nos aeroportos”, disse o dirigente em entrevista à emissora argentina TyC Sports.

A Conmebol quer que as duas competições terminem dentro de campo, mesmo que elas tenham que terminar em 2021. A Libertadores deste ano parou na segunda rodada da fase de grupos. Já a Sul-Americana ainda estava na segunda fase das eliminatórias.

Edição: Fábio Lisboa

Continue lendo

Esportes

MP-RJ recomenda a suspensão de possível retorno do Campeonato Carioca

Publicado


.

O retorno do futebol carioca, em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19), ganhou hoje (28) mais um personagem: o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ). A instituição recomenda a suspensão de tal possibilidade até que os órgãos públicos de saúde atestem a queda do número de contaminados e de óbitos. O MPRJ ainda instaurou uma portaria abrindo um inquérito sobre o caso. Segundo a última atualização da Secretaria de Saúde, o estado do Rio de Janeiro registra 44.886 casos confirmados de covid-19, e 4.856 mortes. A capital lidera o número de óbitos (3.293), seguida das cidades de Caxias (220), Nova Iguaçu (159) e Niterói (99).

A recomendação da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva e Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Capital é para o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e também para a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). A entidade manifestou-se nesta quinta-feira (28), por nota oficial, dizendo que ratifica “uma vez mais, seguir as diretrizes das autoridades municipais de saúde e que, no momento, por não ter autorização para realizar partidas do campeonato na cidade do Rio de Janeiro, mesmo que de portões fechados, sem a presença do público, não o fará (…) até que deixe de existir impedimento ilegal”.  

Contactada, a Prefeitura disse que “vai prestar todos os esclarecimentos solicitados pelo MP-RJ”. No último domingo (24), quando se reuniu com 14 dirigentes do 16 clubes que participam do Campeonato Estadual  – exceto Botafogo e Fluminense -, Crivella disse que o retorno do Carioca dependeria da curva de casos da covid-19 na cidade. No dia seguinte, os mesmos dirigentes se reuniram com integrantes da Ferj epor videoconferência e chegaram ao concenso de possível retonro da competição no dia 14 de junho, inclusive com a viabilidade de realização de jogos fora da capital. 

Botafogo e Fluminense são contrários a mudanças de regulamento e solicitaram a impugnação da reunião da última segunda-feira (25), cuja ata foi assinada pelos dirigentes do Vasco, Flamengo e outros 12 clubes.  

O MPRJ ressalta ainda que o eventual retorno do Campeonato Carioca de Futebol de 2020, ainda que sem público nas praças esportivas, na atual “situação de Emergência’”em saúde em que se encontra o município do Rio de Janeiro, fatalmente incentivará a aglomeração de pessoas no entorno dos estádios em dias de jogos e a quebra das regras de isolamento social, e de outras medidas de prevenção à covid-19, gerando risco à vida e à saúde do torcedor.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana