conecte-se conosco


Economia

Após decisões do Banco Central, cadastro positivo já pode começar a funcionar

Publicado

cartão de crédito e computador arrow-options
iStock

Bancos e empresas poderão incluir o nome dos consumidores e a nota de crédito no cadastro positivo sem necessidade de autorização prévia

O Banco Central publicou nesta segunda-feira (29) as últimas condições necessárias para que o cadastro positivo dos consumidores entre de fato em funcionamento . O órgão regulamentou os critérios e condições para registro de gestores de bancos de dados que queiram receber informações de instituições financeiras.

A lei do cadastro positivo prevê a inclusão automática da nota de crédito dos consumidores. Ele funciona como um banco de dados para “reconhecer” os consumidores que são bons pagadores.

Os bancos e empresas poderão incluir o nome de consumidores e a nota de crédito nessa lista, sem a necessidade de autorização prévia, como já acontece com o cadastro negativo – ou seja, a lista de inadimplentes.

Na semana passada, um decreto regulamentou a lei, e restringiu o compartilhamento do histórico completo de pagamentos do cliente à autorização prévia dos cadastrados. A expectativa do Banco Central é que o cadastro começa a funcionar “em breve”.

Cadastro positivo recompensará consumidores bons pagadores

“Agora, a gente fecha o pacote. A expectativa é que a coisa comece a rodar em breve”, disse João Marques Pereira, do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do BC.

O consumidor que não quiser que suas informações sejam compartilhadas poderá pedir a qualquer momento a exclusão de seu nome do banco de dados.

Os gestores de bancos de dados terão que oferecer canais de comunicação, como ouvidorias, e o consumidor poderá pedir a correção ou fazer a contestação das informações.

O BC irá exigir dos gestores de banco de dados um patrimônio líquido mínimo de R$ 100 milhões. O órgão também exige dos gestores dos bancos de dados a designação de diretor responsável pela gestão do banco de dados e de diretor responsável pela política de segurança da informação. Esses diretores everão ter “reputação ilibada” e capacitações técnicas “compatíveis” com as atribuições dos cargos.

Além disso, a nova regulamentação prevê a possibilidade de o Banco Central cancelar o registro, caso o gestor deixe de cumprir os requisitos previstos, situação em que ficará desautorizado a receber informações de clientes de instituições financeiras.

Saiba mais: Motorista da Uber se nega a transportar cão-guia e Procon notifica empresa

“A plena efetividade do cadastro positivo contribuirá para a redução da assimetria de informações no mercado creditício e, por conseguinte, melhorar a qualidade da concessão de crédito no país”, disse, em nota o Banco Central.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Economia

Mais usuários entram no Tinder, mas rentabilidade do app registra queda

Publicado


source
Tinder
Forbes/Divulgação

Para chefe-executivo do Tinder, relacionamentos nunca mais serão os mesmos após a quarentena

Os relacionamentos mudaram drasticamente durante a quarentena , segundo o executivo-chefe do Tinder, Elie Seidman. Com encontros desestimulados por praticamente todos os países do mundo, além do fechamento de bares, restaurantes e casas noturnas, as pessoas estão utilizando plataformas online para flertar. Mas isso não chega a ser uma boa notícia para o app de paquera.

LEIA MAIS: iFood dobra taxa de entrega em plena quarentena

“O envolvimento dos usuários aumentou. É uma tendência reportada por outros aplicativos de namoro”, ressalta Seidman. Durante a quarentena, o Tinder bateu recorde de matches em apenas um dia. No dia 29 de março, o app reportou mais de 3 milhões de matches e aumento de 12% na quantidade de conversas diárias.

No entanto, o executivo-chefe afirma que os números positivos não revelam a real situação. “Dependemos da rentabilidade das 6 milhões de assinaturas premium. A proporção desses usuários diminuiu na quarentena”, afirma Seidman.

O desemprego também preocupa Seidman, que teme o cancelamento de mais assinaturas. “Estou preocupado com o que pode acontecer na economia, e o impacto que isso terá sobre os usuários premium do Tinder”.

Continue lendo

Economia

Auxílio de R$ 600: pagamentos voltam segunda e vão até sexta; veja calendários

Publicado


source
app auxílio de 600
Divulgação/Agência Senado

Pagamentos do auxílio de R$ 600 são retomados nesta segunda para todos os que têm direito

Os pagamentos referentes ao auxílio emergencial de R$ 600, que já beneficiaram mais de 55 milhões de brasileiros, segundo a Caixa Econômica Federal, quem faz os depósitos e libera os saques, voltam a ser feitos nesta segunda-feira (25). O calendário prevê que a segunda parcela termine de ser pagos na sexta-feira (29), e que a liberação dos saques e transferências para os que receberem pelo aplicativo Caixa Tem comecem no sábado (30). Para quem foi aprovado a receber o auxílio depois do calendário original, os saques da primeira parcela também vão até sexta.

Leia também: Bolsonaro diz que haverá 4ª e 5ª parcelas de auxílio emergencial, mas menores

Mais espaçado, o pagamento da segunda parcela do auxílio começou na última segunda-feira (18) para os beneficiários do Bolsa Família e na quarta (20) para os que receberam ou ainda vão receber pela poupança digital da Caixa e vai durar, respectivamente, até 29 e 26 de maio.

Enquanto os inscritos no programa de transferência de renda já podem movimentar os recursos e sacá-los com o cartão do próprio Bolsa Família, os demais ainda não podem fazer o saque dos R$ 600 ou realizar transferências referentes à segunda parcela. Até o próximo dia 30, o ‘coronavoucher’ só poderá ser movimentado pelo próprio Caixa Tem , que permite que o usuário emita um cartão de débito digital . Por todo o Brasil, muitos estabelecimentos, como supermercados, já aceitam pagamentos por esse meio. Saiba como usá-lo aqui .

Portanto, os trabalhadores que recebem o auxílio e não são beneficiários do Bolsa Família já podem usar os recursos recebidos, mas não devem ir até as agências neste momento. A etapa presencial para esse grupo só começa no dia 30, reforça a Caixa, relembrando que, ainda assim, os trabalhadores precisarão ter paciência, porque o calendário é mais longo do que o da primeira parcela, buscando evitar filas e aglomerações, cenas que foram recorrentes no início do pagamento do coronavoucher . Nascidos em dezembro, por exemplo, só poderão sacar e transferir a segunda parcela a partir de 13 de junho.

Quem pode sacar e transferir os recursos até 29 de maio são os que receberam a primeira parcela com atraso. O novo lote de aprovados pela Dataprev começou em 19 de maio e vai até a próxima sexta, um dia antes da liberação dos saques e transferências para os que receberam a primeira parcela anteriormente, no calendário “normal”, que já estão recebendo a segunda parcela.

Segundo o presidente da Caixa , 30,4 milhões de brasileiros já receberam tanto a primeira quanto a segunda parcela do auxílio até este sábado, número que ainda vai subir com o complemento dos depósitos, que será retomado na segunda e vai até terça-feira (26). Ao todo, 55,1 milhões já receberam pelo menos a primeira parcela, montante que também vai subir, já que muitos estão no calendário atrasado da primeira parcela, ainda em vigor. O balanço aponta que o banco público já pagou R$ 60 bilhões em auxílio até este sábado (23), incluindo a primeira parcela, a segunda e os que receberam a primeira depois.

Leia também: Auxílio: quase 10 milhões ainda aguardam análise; R$ 60 bilhões já foram pagos

Confira os diferentes calendários do auxílio

Primeira parcela “atrasada” para quem foi aprovado depois:

  • Nascidos em janeiro: saques a partir de 19 de maio;
  • Fevereiro: 20 de maio;
  • Março: 21 de maio;
  • Abril: 22 de maio;
  • Maio, junho e julho: 23 de maio;
  • Agosto: 25 de maio;
  • Setembro: 26 de maio;
  • Outubro: 27 de maio;
  • Novembro: 28 de maio; e
  • Dezembro: 29 de maio.

Segunda parcela para beneficiários do Bolsa Família:

  • 18 de maio: NIS final 1;
  • 19 de maio: NIS final 2;
  • 20 de maio: NIS final 3;
  • 21 de maio: NIS final 4;
  • 22 de maio: NIS final 5;
  • 25 de maio: NIS final 6;
  • 26 de maio: NIS final 7;
  • 27 de maio: NIS final 8;
  • 28 de maio: NIS final 9; e
  • 29 de maio: NIS final 0.

Depósito da segunda parcela em poupança social:

  • Nascidos em janeiro e fevereiro: 20 de maio;
  • Nascidos em março e abril: 21 de maio;
  • Nascidos em maio e junho: 22 de maio;
  • Nascidos em julho e agosto: 23 de maio;
  • Nascidos em setembro e outubro: 25 de maio; e
  • Nascidos em novembro e dezembro: 26 de maio.

Liberação de saques e transferências da poupança social da segunda parcela:

  • Nascidos em janeiro: liberação em 30 de maio;
  • Fevereiro: 1º de junho;
  • Março: 2 de junho;
  • Abril: 3 de junho;
  • Maio: 4 de junho;
  • Junho: 5 de junho;
  • Julho: 6 de junho;
  • Agosto: 8 de junho;
  • Setembro: 9 de junho;
  • Outubro: 10 de junho;
  • Novembro: 12 de junho; e
  • Dezembro: 13 de junho.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana