conecte-se conosco


Registro Geral

Após comandar greve de 75 dias da Educação, líder sindical ganha cargo de deputado estadual

Publicado

Presidente do Sintep, Henrique Lopes está com um pé dentro do Legislativo; ele deve assumir cadeira de deputado estadual anida este mês

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), Henrique Lopes (PT), que obteve 18.300 votos nas últimas eleições gerais, deve assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa ainda este mês. Segundo fonte da coluna, o titular, Lúdio Cabral, mesmo partido, vai se licenciar para abrir espaço de 90 dias ao primeiro suplente do Partido dos Trabalhadores. O líder sindical comandou a maior greve da Educação, com 75 dias de paralisação da rede pública de ensino. Henrique tem 50 anos de idade e nasceu em Rio Bonito, município localizado no interior do Paraná. Em tempo: a cidade natal do futuro parlamentar tem cerca de 13 mil habitantes, número bem inferior a expressiva votação assegurada nas últimas eleições, em Mato Grosso.

Leia Também:  Vencido pelo mundo digital, jornal impresso mais antigo de MS circula pela última vez nesta sexta-feira
publicidade
1 comentário

1
Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
paulo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
paulo
Visitante
paulo

so safado mesmo ,aroveita greve para ganhar espaco na politica

Registro Geral

Presidente da Energisa confessa dívida de meio bilhão e leva sonora vaia de manifestantes em audiência na AL

Publicado

Diretor-presidente da antiga Cemat, Riberto José Barbanera é vaiado durante audiência pública realizada na Assembleia Legislativa

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), afirmou durante audiência pública, que a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI da Energisa vai aprofundar nas análises das contas, dos atendimentos e na redução de investimentos que a concessionária vem executando em todo o Estado. Questionado sobre a possível dívida de R$ 800 milhões que a Energisa tem com o Estado, o diretor presidente da antiga Cemat, Riberto José Barbanera afirmou que dívida é hoje de R$ 550 milhões. O passivo é de 2009 a 2013,  portanto  antes de a Energisa chegar em Mato Grosso, em 2014.  Segundo ele, a dívida é da Cemat que era controlada pelo Grupo Rede e sob a intervenção da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Durante sua fala na audiência pública, que ocorreu na manhã desta terça-feira (15), na Assembleia Legislativa, ele foi sonoramente vaiado. Por mais que Barbanera tentava explicar quanto aos valores da tarifa, considerada uma das mais caras do Brasil, o público reagia com gritos “fora Energisa”. Acuado com os protestos, ele encerrou a fala diante de centenas de manifestantes.

Leia Também:  Cuiabá tem redução de 28,6% na incidência de infestação do Aedes aegypti, aponta Ministério da Saúde

Continue lendo

Registro Geral

Contas de gestão da Sinfra de 2017 são julgadas regulares, mas conselheira exige concurso para engenheiros

Publicado

Conselheira interina do Tribunal de Contas, Jaqueline Jacobsen

Julgadas regulares pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso as contas anuais de gestão da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra/MT), referentes ao exercício de 2017, sob a responsabilidade do secretário Marcelo Duarte Monteiro. O Processo nº 323276/2018 foi julgado na sessão ordinária desta terça-feira (15/10). Por unanimidade, os membros do Tribunal Pleno acompanharam voto da relatora, conselheira interina Jaqueline Jacobsen, em consonância com parecer do Ministério Público de Contas, pela regularidade, com recomendações. Entre elas para que a atual gestão da Sinfra/MT adote as medidas necessárias para que o planejamento das ações reflita a realidade econômica e financeira do Estado, possibilitando o cumprimento das metas estabelecidas nas peças orçamentárias. Foi constatado pela equipe técnica graves falhas de planejamento, perceptíveis nas alterações ocorridas nas dotações orçamentárias das ações relacionadas ao projeto “Mato Grosso Pró-Estrada”. “É inconcebível que haja discrepâncias tão relevantes entre o planejado e o executado, conforme ocorreu no exercício de 2017 nas ações governamentais da Sinfra”, observou a conselheira no voto. A conselheira reiterou ainda à atual gestão da Sinfra/MT para que promova, junto à Seges, estudo acerca das reais possibilidades do Governo do Estado em realizar concurso público com a finalidade de prover a defasagem existente no quadro de engenheiros fiscais da Sinfra. Isso porque o Tribunal de Contas já havia feito essa recomendação à Secretaria, mas apesar dos esforços do gestor, ela não foi atendida.

Leia Também:  Investimentos do Governo do Estado para o próximo ano devem ser de R$ 1 bilhão
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana