conecte-se conosco


Internacional

Americano é acusado de fazer ameaças de morte contra Biden e Harris

Publicado


source
.
Reprodução/Twitter

Candidato democrata apareceu com 50% das intenções de voto na última pesquisa realizada


Nesta quarta-feira (21), um homem de Maryland, nos EUA, foi acusado de fazer ameaças de morte contra o candidato democrata à  presidência Joe Biden e sua vice, Kamala Harris, por meio de uma carta deixada na porta de um vizinho que tinha cartazes apoiando a dupla.


Segundo um agente do FBI, James Dale Reed, 42, disse aos investigadores que estava ” chateado com a situação política ” quando escreveu a carta. Reed estava sob custódia estadual quando uma queixa criminal foi apresentada contra ele em um tribunal federal em Baltimore, afirmou o escritório do procurador dos EUA, Robert Hur, em um comunicado à imprensa.

Uma câmera capturou imagens de uma pessoa semelhante a Reed deixando a carta na porta de seu vizinho na manhã de 4 de outubro. O vizinho disse que não conhecia Reed, mas tinha várias placas de apoio apoiando os candidatos democratas à presidência dos EUA.

A carta continha palavras de violência contra os democratas e dizia que “Vovô Biden” e Harris seriam atacados e executados . Uma denúncia anônima à polícia levou os investigadores a questionar Reed em sua casa na última terça-feira. Ele, inicialmente, negou to fato, mas foi preso dois dias depois de admitir o ocorrido.

Se condenado, Reed pode pegar até cinco anos de prisão

Fonte: IG Mundo

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Internacional

França mata um dos líderes do Estado Islâmico no Grande Saara

Publicado


source
Adnan Walid al-Sahrawi foi morto por forças da França
Reprodução/vídeo

Adnan Walid al-Sahrawi foi morto por forças da França

O presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou nesta quinta-feira (16) que as forças militares do país mataram o líder do grupo terrorista do Estado Islâmico no Grande Saara (EIGS), Adnan Walid al-Sahrawi.

“Esse é um outro grande sucesso da nossa luta contra os grupos terroristas no Sahel”, escreveu em sua conta no Twitter.

O EIGS é considerado o maior responsável pelos atentados na área, especialmente, nas fronteiras com o Mali, Níger e Burkina Faso.

Al-Sahrawi nasceu no Marrocos, na área do Saara Ocidental, em uma rica família de comerciantes, que fugiu para a Argélia. Desde jovem, ele havia se unido a grupos armados locais, incluindo uma facção da Al Qaeda, do qual se tornou porta-voz em 2010.

Três anos depois, o marroquino se autonomeou líder de uma organização chamada Mujahideen Shura Council, estabelecida no Mali. Em 2015, uma nova mudança em que jurou lealdade ao fundador do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi.

Além dos franceses, os Estados Unidos também estavam caçando o terrorista e chegaram a oferecer US$ 5 milhões a quem desse informações confiáveis sobre seu paradeiro.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Internacional

Covid-19: Unicef pede reabertura de escolas o mais cedo possível mesmo com surto

Publicado


source
Henrietta H. Fore, diretora-executiva do Unicef
Divulgação/Unicef

Henrietta H. Fore, diretora-executiva do Unicef



O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) pediu que as autoridades do setor de educação reabram as escolas o mais cedo possível em países nos quais milhões de alunos ainda não voltaram às salas de aula 18 meses após o início da pandemia de Covid-19.

Em 17 países, as escolas permanecem totalmente fechadas e, em 39, estão parcialmente fechadas, informa um relatório divulgado pelo Unicef nesta quinta-feira (16).

Entre as “quase completamente fechadas”, estão escolas frequentadas normalmente por cerca de 77 milhões de estudantes das Filipinas, de Bangladesh, da Venezuela, da Arábia Saudita, do Panamá e do Kuwait.

Leia Também

Quase um terço desta cifra corresponde às Filipinas, país que está enfrentando um dos piores surtos de Covid-19 da Ásia e onde um novo ano letivo começou nesta semana.


Segundo o Unicef, os alunos dos seis países representam mais da metade dos 131 milhões de todo o mundo que perderam mais de três quartos do ensino presencial. “A crise educacional ainda está aqui e, a cada dia que passa com salas de aula no escuro, pior a devastação”, disse a diretora executiva da agência das Nações Unidas, Henrietta Fore.

O relatório acrescenta que os professores deveriam ter prioridade na vacinação contra Covid-19, depois dos profissionais de saúde e das pessoas sob risco maior, para protegê-los da transmissão comunitária.

De acordo com a Unesco, os estudantes podem estar mais seguros em casa, mas a disponibilidade de computadores e celulares e da internet, além da qualidade desigual da educação estão entre os desafios que eles continuam a enfrentar.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana