conecte-se conosco


Esportes

Aliança Global aposta em informação e experiências para atletas

Publicado


.

Atuar fora da caixa, este é o objetivo de Kelly Muller, fundadora da Aliança Global, projeto recém-lançado como Olympic Global Alliance e que acaba de mudar para Organization Global Alliance (OGA) a pedido do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Olímpico Internacional (COI) por causa de questões de direito ligados ao nome olímpico. Aos 39 anos, e com 27 dedicados ao basquete, a ex-jogadora viveu em nove diferentes países. A partir da experiência internacional e das conexões realizadas pelo mundo, ela defende políticas públicas para o setor e afirma que o atleta precisa ser politizado para gerenciar a própria carreira.

“Saí de São Paulo aos 13 e fui morar em Sorocaba para jogar basquete. O esporte me levou a muitos lugares (Colômbia, Equador, Itália, Letônia, etc). Mas falta profissionalismo. Minha modalidade, por exemplo, só tem este prestígio nos Estados Unidos e na França. Em Cuba e na Turquia também há uma valorização maior aos esportistas dentro da sociedade”, diz a ex-jogadora.

A veterana afirma que ainda tem proposta para continuar a jogar, mas está concentrada na OGA em busca de visibilidade e mais elos para uma corrente que tem o objetivo de massificar o esporte na cultura brasileira. “Ele é uma indústria e não pode ser esquecido. Hoje, no Brasil, lembram apenas do futebol. Não acredito em lideranças isoladas e temos diferentes núcleos pensando em diferentes áreas. Nossas redes sociais já estão aí e o nosso site, que está em construção, vai ter uma aba para que as pessoas possam se associar conosco”, declara.

Sobre o início da OGA, lançada no Dia Olímpico (23 de junho), Kelly elenca reuniões longas, com pautas abertas e troca de ideias. “São vários barquinhos que já estão no mar”, explica, destacando que vão elaborar um plano educacional para os atletas e trazer muita informação para o meio como metas iniciais.

Na próxima sexta (3), pelos perfis da OGA no Instagram e no Twitter, a partir das 16h, será discutido o racismo estrutural com Sandro Viana (ex-velocista e medalha de bronze dos Jogos de 2008, em Pequim), Mafoane Odara (gerente de combate às violências contra as Mulheres do Instituto Avon) e Iziane Marques (jogadora de basquete e membro da Comissão de Atletas do COB). Outra live também está programada para a próxima terça (7) com o velejador Lars Grael e Fabiola Molina sobre trajetória e política.

Edição: Fábio Lisboa

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esportes

ATP divulga mudanças no calendário e confirma Finals para novembro

Publicado


.

A Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) confirmou a realização do Finals, torneio com os oito melhores tenistas de simples e as oito principais duplas da temporada, entre os dias 15 e 22 de novembro deste ano, em Londres  (Inglaterra).  A competição é uma das novidades do calendário divulgado pela entidade nesta sexta-feira (14), com os eventos que marcam a volta do circuito mundial em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19).

O  Finals – torneio tradicional que marca o encerramento da temporada – chega à 50ª edição este ano, e ocorrerá pela última vez na capital londrina.A partir de 2021 a competição migrará para Turim (Itália), onde permanecerá até 2025. Até o momento, há três classificados na chave de simples: o sérvio Novak Djokovic, o espanhol Rafael Nadal e o austríaco Dominic Thiem, que ocupam as três primeiras posições no ranking mundial. Na competição de duplas, os ingleses Rajeev Ram e Joe Salisbury, campeões do Aberto da Austrália, estão garantidos. 

Segundo a ATP, a princípio, o Finals será disputado com portões fechados. Torcedores com ingressos adquiridos por antecedência serão ressarcidos, segundo a entidade.  Em nota, porém, a ATP afirma que mantém esperanças de que o torneio possa receber público, seguindo regras de distanciamento social e normas de prevenção estabelecidas pelo governo britânico.

Além de anunciar a inclusão do o Finals no cronograma, a ATP promoveu mudanças no calendário divulgado em junho. Foram alteradas datas dos torneios que antecedem o Aberto de Roland Garros, em Paris (França) ,um dos quatro principais campeonatos do circuito  mundial,  os chamados Grand Slams. Como o Masters 1000 de Madri (Espanha) foi cancelado, a entidade adiantou  a realização o Masters 1000 de Roma (Itália) em uma semana: a abertura será em 14 de setembro. No lugar do evento na capital espanhola, foi incluído o ATP 500 de Hamburgo (Alemanha).

A ATP também anunciou seis torneios após o Grand Slam de Roland Garros. As disputas serão em quadras rápidas de São Petersburgo (Rússia), Antuérpia (Bélgica), Moscou (Rússia), Viena (Áustria), Paris e Sofia (Bulgária). As competições nas cidades russa, austríaca (ambas ATP 500) e francesa (Masters 1000) são as que devem receber os os principais tenistas do ranking, por distribuírem mais pontos.

O circuito mundial masculino recomeça no próximo dia 22 de agosto, com o Masters 1000 de Cincinnati (Estados Unidos). Devido à pandemia de covid-19, o torneio será realizado em Nova Iorque, mas manterá o nome oficial. Na sequência, a partir de 31 de agosto, será disputado o US Open, também em Nova York. 

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Continue lendo

Esportes

Covid-19: Federação Mundial de Badminton cancela torneios paralímpicos

Publicado


.

A Federação Mundial de Badminton (BWF, sigla em inglês) anunciou nesta sexta-feira (14) o cancelamento dos três torneios continentais do parabadminton, previstos para o segundo semestre deste ano. O Europeu, marcado para Dublin (Irlanda) ocorreria de 5 a 10 de outubro; o Parapan-Americano, de Manizales (Colômbia), de 2 a 8 de novembro; e no mesmo período seria realizado o  Asiático, em Bangkok (Tailândia). 

Em nota oficial, a BWF atribuiu a decisão à preocupação com a saúde e segurança dos atletas e demais envolvidos na organização dos eventos, em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19). De acordo com a entidade máxima da modalidade, as confederações locais foram consultadas previamente, antes do cancelamento.

A BWF esclareceu ainda que possíveis adiamentos para 2021 não são descartados. Um deles pode ser o torneio africano de Kampala (Uganda), originalmente previsto para o período de 20 a 26 de abril deste ano, mas que por conta da pandemia foi suspenso em março. 

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana