conecte-se conosco


Agro News

ALGODÃO/CEPEA: Preço segue em queda; liquidez aumenta

Publicado

Cepea, 17/7/2019 – A liquidez no mercado de algodão em pluma esteve maior nos últimos dias. Segundo colaboradores do Cepea, à medida que o beneficiamento avança, mais lotes de pluma da safra 2018/19 são ofertados no spot, levando vendedores a ter postura mais flexível quanto aos valores pedidos. Nesse cenário, entre 9 e 16 de julho, o Indicador do algodão em pluma CEPEA/ESALQ, com pagamento em 8 dias, recuou 1,87%, fechando a R$ 2,6458/lp na terça-feira, 16. Na primeira quinzena de julho (até o dia 15), o Indicador acumulou queda de 2,2%. A média parcial deste mês, de R$ 2,6984/lp, está 3,4% inferior à de junho/19. No geral, indústrias seguem recuadas. Algumas trabalham com o produto estocado e aguardam a chegada de contratos efetivados antecipadamente, enquanto outras apenas adquirem pequenos volumes para repor estoques. Já comerciantes e corretores estão mais ativos, negociando lotes das safras 2017/18 e 2018/19 para entrega imediata. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Agro News

Aprosoja destaca redução de juros no Plano Safra do BB

Publicado


.

Defesa Agrícola

Aprosoja destaca redução de juros no Plano Safra do BB

Veja tabela que detalha o custo financeiro das linhas do FCO

Foto: Jornal de Brasília

01/07/2020

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta quarta-feira (01.07), o montante de R$103 bilhões que estarão disponíveis para o Plano Safra 2020/2021 que serão disponibilizados pela instituição. O valor é 11% maior que o investimento realizado na safra anterior (2019/2020) e a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) destaca a redução de nas taxas de juros das linhas pré-fixadas, conforme já previsto pela entidade.

Comparativo realizado pela equipe técnica da Aprosoja mostra redução média de 22% nas taxas de juros das linhas pré-fixadas, quando comparadas com as praticadas na safra 2019/2020. Conforme a entidade, tais reduções já eram esperadas, tanto pela divulgação do Plano Safra 2020/2021, quanto pelos sucessivos ajustes na Taxa Selic nos últimos meses.

Apesar de considerar as reduções de taxas de juros uma medida positiva para incentivar o setor, o vice-presidente da Aprosoja, Fernando Cadore, destaca que “era aguardada queda ainda maior”, e que “é preciso agora ampliar o debate sobre o custo operacional das instituições financeiras e o spread bancário das linhas de crédito agrícola, para que esses patamares se aproximem mais da Selic e, também, diminua o custo do governo com subvenções”, pontuou.

Cadore destacou, ainda, que “a produção de alimento é estratégica para qualquer país, e o Brasil é um dos poucos lugares do mundo com capacidade para aumentar produção. Todavia, para o aumento desta produção são necessários juros ainda mais acessíveis para o crédito agrícola”.

O lançamento do Plano Safra do Banco do Brasil aconteceu em evento online que contou com a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, do presidente do BB, Rubem Novaes e do vice-presidente de Agronegócios e Governo do BB, João Rabelo

Conforme informou banco, do valor disponibilizado para investimentos na safra 2020/2021, um total de R$ 61 bilhões serão destinados para custeio e R$ 17,5 bilhões para investimentos. Para ampliação da capacidade e a infraestrutura de armazenagem foi reservado R$ 1 bilhão, que já estão disponíveis.  Em Mato Grosso, o BB já está trabalhando com as novas taxas do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), recentemente divulgadas pelo Banco Central do Brasil.

A tabela a seguir detalha o custo financeiro das linhas do FCO, de acordo com o porte de faturamento e operação, com bônus e sem bônus de adimplência:

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Continue lendo

Agro News

Banco do Brasil anuncia a destinação de R$ 103 bilhões para a safra que inicia hoje

Publicado


.

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) participou nesta quarta-feira (1º) do lançamento do Plano Safra do Banco do Brasil, que terá R$ 103 bilhões disponibilizados para o setor. A ministra lembrou que o Banco do Brasil é parceiro histórico e fundamental do governo no Plano Safra. “Quero agradecer ao presidente Rubem Novaes por dar continuidade a essa longa e frutífera parceria entre o Banco do Brasil e a agropecuária brasileira, vital para o desenvolvimento econômico do país”. 

Destacando os números gerais do Plano Safra lançado pelo governo, Tereza Cristina disse que os recursos vão garantir a continuidade da produção no campo e o abastecimento de alimentos no país durante e após a pandemia do novo Coronavírus. “Por isso a importância do credito mais abundante e com juros mais baixos. Não tenho duvidas de que a agropecuária brasileira vai fazer a diferença, gerando empregos e divisas para o nosso país”. Para a safra 2020/2021, que inicia hoje, foram destinados R$ 236,3 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional, um aumento de R$ 13,5 bilhões em relação ao plano anterior. 

Tereza Cristina disse que espera que os produtores tenham facilidade na contratação do crédito. “O Mapa fez essa conversa com muitas instituições para que esse ano pudesse agilizar. Foram muitos detalhes conversados durante a confecção desse Plano Safra. Espero que a gente possa encaminhar mais rápido, para que os produtores possam comprar melhor os insumos para o seu custeio e aqueles que queiram investir também já fazer o seu planejamento nas várias linhas que tem no Plano Safra”. 

O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, destacou que os produtores rurais têm sido essenciais para que o país possa enfrentar as adversidades dos últimos meses. “Temos muito orgulho de apoiar a agropecuária brasileira, um setor que a cada dia, a cada safra, se supera demonstrando pujança e protagonismo no cenário mundial. A força dos nossos produtores rurais é orgulho para todo o Brasil”, disse. 

Novaes destacou que, na safra 2019/2020, o BB aplicou um volume recorde de recursos para crédito, chegando a R$ 92,5 bilhões. “É o maior desembolso da história do Banco do Brasil em um Plano Safra”, disse.   

Plano Safra Banco do Brasil

O Banco do Brasil vai disponibilizar R$ 103 bilhões para o setor na safra 2020/21, que tem início hoje. Desse valor, R$ 92,7 bilhões serão destinados ao crédito rural e R$ 10,3 bilhões para as agroindústrias. 

Ao apresentar os números do Plano Safra do BB, o vice-presidente de Agronegócios e Governo, João Rabelo, também anunciou que o Banco vai destinar nesta safra um incremento de R$ 2,5 bilhões em recursos próprios para o Programa Moderfrota, que possibilita a modernização de tratores agrícolas e outros equipamentos. “Nós achávamos que esse programa precisava de mais recursos, por isso conversamos com o Banco do Brasil, que se comprometeu em colocar mais recursos para essa linha que é muito bem sucedida”, comemorou a ministra Tereza Cristina. 

Rabelo destacou que o Banco vai continuar investindo na parceria com o produtor rural. “Essa é a nossa razão de ser. Foi assim que o Banco do Brasil foi criado, nós sabemos a importância do produtor rural para o país e para o povo brasileiro”, concluiu.

Informações à Imprensa
[email protected]

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana