conecte-se conosco


Política MT

ALMT e Câmara terão agenda conjunta para discussão da mudança de modal e ampliação de vacinação contra Covid

Publicado

O presidente da ALMT, Eduardo Botelho, recebeu Juca do Guaraná Filho (MDB), nesta quarta-feira

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho (DEM), recebeu em seu gabinete, na manhã desta quarta-feira (20), a Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Cuiabá, e sugeriu uma agenda conjunta de discussões sobre o meio ambiente e de temas pontuais, como a mudança do modal de VLT para BRT, e a vacinação contra o coronavírus.

“Vamos trabalhar em conjunto em vários temas, como a questão do meio ambiente, que é muito importante, uma vez que Cuiabá e Várzea Grande são os grandes poluidores do rio Cuiabá, da Bacia do Pantanal. Nós queremos a Câmara junto, participando das discussões, da comissão de meio ambiente da Assembleia”, disse o presidente.

Botelho falou ainda das questões pontuais. “E têm as discussões pontuais, agora, que são a questão da mudança do modal, VLT para BRT e da vacinação que também vamos conduzir em conjunto com a Câmara de Vereadores de Cuiabá e de Várzea Grande, que também vamos chamar para estes debates”, declarou.

O presidente da Assembleia Legislativa sugeriu a criação de um grupo denominado Todos por Mato Grosso e contra o Covid. “Formar um grupo todos por Cuiabá, todos por Várzea Grande e todos contra o Covid. Todos por Mato Grosso, esse é o nosso objetivo”, afirmou.

Sobre a mudança do modal, de BRT para VLT, Botelho disse que “a decisão do governador não foi política, por isso que não foi ouvido o prefeito, Nenhum deputado participou, ninguém participou. Foi uma decisão puramente técnica, não foi política. Participou desse estudo, técnicos, professores da Universidade, técnicos do Ministério. Eles apresentaram esse relatório. O governador entendeu que esse é o melhor caminho”.

Para Botelho, “agora é preciso envolver a prefeitura de Cuiabá e de Várzea Grande para que nós possamos fazer isso no menor prazo possível. É esse que vai ser o objetivo e eu vou trabalhar para isso. Vamos trazer os dois prefeitos, os dois têm o mesmo objetivo. Todo mundo quer acabar com esse trambolho que está aí nas nossas principais avenidas”, desabafou o parlamentar, acrescentando que “uma vez que está decidido, agora é trabalhar para concretizar”.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Secretário de MT pede ‘socorro’ a TO, GO, MS e RS para transferir pacientes, mas recebe não: sem UTI’s

Publicado

MEDICO ATENDE PACIENTE COM COVID19; NÃO HÁ MAIS VAGAS NO ESTADO

Ao conceder entrevista à Folha de S Paulo, o  secretário de Saúde do Mato Grosso, Gilberto Figueiredo anunciou a colegas que a rede hospitalar local entrou em colapso e pediu socorro a colegas de outros estados para atendimento a pacientes de Covid-19.

Segundo disse a FSP, baseado em informações prestadas pelo gestor de Mato Grosso, as respostas ao pedido  foram desanimadoras. A maioria dos governadores contatados disse que “não tinham como ajudar. “Já colapsamos. Socorro. Preciso de ajuda. Algum estado pode auxiliar com vagas de UTI?”, perguntou o secretário a colegas de outros estados vizinhos.

As respostas foram todas no mesmo sentido. Amapá disse que bateu 90% de ocupação neste domingo. Tocantins afirmou que está em 99%. Rio Grande do Sul declarou que está completamente sem vagas. Mato Grosso do Sul, da mesma forma, com 94%. Goiás também avisou que não teria vagas.

O governo do Mato Grosso divulgou uma nota de esclarecimento em que confirma o pedido de ajuda aos estados e diz ter 59 pacientes na fila por uma vaga na UTI. O governo diz não ter recebido até o momento uma resposta oficial dos estados.

Antes desse momento, o pior da pandemia até agora, estados conseguiam se ajudar, transferindo e recebendo pacientes. O que não é mais possível.

Continue lendo

Política MT

Deputado bolsonarista e autor de projeto contra a vacinação é intubado por causa da Covid

Publicado

Autor de projeto contra a obrigatoridade da vacina e defensor frequente das agressões que o  presidente Jair Bolsonaro faz contra a Organização Mundial da Saúde (OMS), o deputado estadual Sílvio Fávero (PSL) está em estado de saúde grave e precisou ser intubado – um procedimento médico para socorrer pacientes em estado “gravíssimo”.

As condições de saúde do deputado  se agravou nas últimas horas. Internado desde ontem na UTI do Hospital Amecor, ele precisou começou a se sentir pior e causou um corre-corre da equipe médica.

Fávero, que tem 54 anos, contraiu a Covid-19 no início da última semana. Inicialmente, fazia o tratamento em casa, mas na última quinta-feira teve complicações respiratórias e buscou atendimento num hospital em Lucas do Rio Verde, sua base eleitoral. Ontem, seu estado se agravou e ele conseguiu vaga numa UTI na Amecor.

Pelo projeto contra a vacinação, o deputado defende que que os pais ou responsáveis poderão escolher pela vacinação ou não das crianças e adolescentes menores de 14 anos.

Ele é portador de comorbidade a hipertensãoe  está no grupo de risco.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana