conecte-se conosco


Política MT

AL debate com comandante-geral do Corpo de Bombeiros concurso e reaparelhamento da corporação

Publicado


.

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Estado de Mato Grosso, coronel Alessandro Borges Ferreira, participou da reunião remota da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa realizada na manhã desta terça-feira (11) respondendo aos questionamentos dos membros do grupo.

Na oportunidade, o militar explicou aos parlamentares como estão sendo realizados os trabalhos de atendimento no período de pandemia e as principais dificuldades enfrentadas pela corporação. Ao final de sua participação, convidou os membros da comissão para acompanhar a comitiva do Corpo de Bombeiros durante uma vistoria dos trabalhos no combate à queimada no Pantanal na próxima sexta-feira (14.8) com um sobrevoo na região.

Para o presidente da comissão, deputado Delegado Claudinei, a participação do comandante-geral do Corpo de Bombeiros é importante para mostrar à população sobre o planejamento que o Bombeiros realiza durante esse período do ano e ainda as dificuldades para atender os 141 municípios mato-grossenses.

“Sabemos que a corporação é uma das mais importantes do estado e que enfrenta dificuldades por falta de uma estrutura melhor para atender os 141 municípios devido a distância territorial. É um trabalho árduo no dia a dia e que conta com efetivo limitado para atender as ocorrências em todo estado”, disse o deputado.

O comandante iniciou falando sobre os atendimentos que a corporação realiza a queimadas e o planejamento elaborado a cada cinco anos.

“Trata-se de um planejamento estratégico para cada comandante desenvolver o trabalho em sua determinada região. Hoje a corporação possui um efetivo de 1.365 praças e oficiais para atender os 141 municípios do estado”, explicou o coronel.

Ele falou ainda que o combate à pandemia está sendo tratado de acordo com as normas do Ministério da Saúde, e que a corporação registrou 30 casos que foram devidamente tratados e nenhum óbito.

“Diminuímos as folgas da corporação para poder atender a população em geral. Trabalhamos com informações e prevenção contra a covid-19. As horas de descanso diminuíram e serão reconhecidas e aplicadas após essa pandemia. Atualmente, o ritmo está muito intenso e o tempo curto para atender todas as ocorrências”, destacou o comandante-geral.

Na ocasião, Alessandro Ferreira reforçou que a corporação necessita de concurso público para aumentar o efetivo e, com isso, poder atender todos os municípios do estado.

“Seria uma das alternativas para suprir nossas necessidades, além do projeto do bombeiro temporário que pretendemos implantar em Mato Grosso”, falou ele.

Depois da participação do comandante-geral do Corpo de Bombeiros, os deputados apreciaram e votaram as seguintes matérias:

-Projeto de lei nº 287/20, de autoria do deputado Elizeu Nascimento, que institui o programa kit prevenção de distribuição de álcool em gel, material de higiene pessoal e itens de proteção, como máscaras e luvas para famílias carentes como política pública diante à pandemia de coronavirus e dá outras providências. Parecer Favorável.

-Projeto de lei nº 547, do deputado Wilson Santos, que dispõe sobre a proibição de mobilização por estrangulamento pelas forças policiais e de segurança no âmbito do Estado de Mato Grosso e dá outras providências. Retirado de pauta pelo deputado Elizeu Nascimento.

-Projeto de lei nº 605/20, do deputado Delegado Claudinei, que dispõe sobre o serviço permanente de denúncias através de número de whatsapp crimes de violência contra a mulheres, crianças, adolescentes, idosos e pessoas com deficiência. Parecer favorável.

-Projeto de lei nº 711/19, do deputado Wilson Santos, que determina a comunicação por parte dos condomínios residenciais, conjuntos habitacionais e congêneres sobre casos de agressões domésticas contra mulheres, na forma específica no âmbito do estado de Mato Grosso. Parecer favorável.

-Memorando 635/20 da Prefeitura Municipal de Cáceres que solicita ao apoio à permanência da Cadeia Pública Feminina de Cáceres, que é a única na região oeste de Mato Grosso e da área de fronteira.

 

Fonte: ALMT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Líder comunitária há 30 anos e técnica da Educação, candidata insiste no voto feminino para Câmara

Publicado

Uga com o candidato a vice-prefeitoe presidente do PV, José Roberto Stopa

DA REDAÇÃO

Dividindo suas expectativas e projetos como líder comunitária e técnica da Educação, a candidata a vereadora Uga Cruz, ou apenas Uga (PV) já foi aclamada candidata pela convenção do partido e já iniciou uma série de visitas e contatos a fim de convencer, principalmente, as mulheres sobre a importância da eleição de representantes femininas na Câmara Municipal no ano que vem.

-“Temos um grande potencial em ideias e projetos, somos a maior parte do eleitorado, entretanto temos um parlamento predominantemente masculino. Nada contra a eleições dos homens, mas precisamos tomar parte desse espaço”, observa ela.

Presidente do bairro Novo Colorado há três mandatos e com três décadas de militância comunitária, Uga crê em um trabalho consistente para ajudar as comunidades. “ É essa mensagem que estamos levando para as pessoas”, diz. Com apoio de  muitos colegas de profissão nas escolas e creches, além do apoio fechado da família e amigos dos bairros, ela quer romper uma barreira histórica de participação das mulheres na política.

-“Os homens, muitos deles, têm seu valor, mas precisamos de vozes femininas porque muitos temas são relacionados às mães, às vítimas de violência e às desigualdades, e, por isso, que trabalho para que haja mulheres eleitas, como eu, para que possamos cuidar dessa pautas com a sensibilidade que esses assuntos merecem”, finaliza.

Continue lendo

Política MT

Deputados “apertam” Sefaz para envio de informações a fim de continuidade dos trabalhos da CPI da renúncia fiscal

Publicado

Os deputados Wilson Santos (PSDB), Carlos Avallone (PSDB) e Valmir Moretto (Republicanos) encerraram a reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal e seguiram para a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) para uma reunião com o secretário Rogério Gallo. A intenção é alinhar os envios de documentos e informações por parte da Sefaz para a equipe técnica da CPI.

Desde o início dos trabalhos, de acordo com o presidente da comissão, deputado Wilson Santos, a Sefaz estaria dificultando o acesso aos dados e documentos solicitados, o que estaria atrasando o andamento da CPI. Havia sido sugerido inclusive a judicialização do processo, mas, antes disso, Santos sugeriu reunir-se com o secretário.

Os deputados presentes, Avallone e Moretto, confirmaram a participação na reunião. João Batista, que acompanhava de forma remota, não pôde comparecer.

O consultor da CPI, Luís Figueiredo, explicou que, nas últimas semanas, a Sefaz passou a atender algumas solicitações, mas ainda há muitos documentos a serem encaminhados.

Cadeia leiteira – Durante a reunião realizada nesta quinta-feira (24), os deputados Carlos Avallone e Valmir Moretto chamaram a atenção para a situação da cadeia produtiva do leite. Diferentemente de outros segmentos, o setor de lácteos recebe poucos incentivos fiscais e com isso indústrias, cooperativas e produtores teriam dificuldades para manter as atividades.

O deputado Valmir Moretto destacou que, nos últimos seis meses, houve uma melhora na situação dos produtores, que passaram a receber R$ 1,5 reais por litro, quase o dobro do valor pago anteriormente, R$ 0,88.  “Chegamos ao ponto de o produtor precisar fazer greve. Hoje o mercado oferece uma condição melhor”, avaliou Moretto.

O deputado Avallone requereu a solicitação de informações para diferentes órgãos e entidades ligadas ao setor, como cooperativas e Empaer, para nortear o levantamento da CPI.

Continuidade – Mesmo durante a pandemia, os trabalhos técnicos da CPI não foram interrompidos, mas as reuniões tiveram que ser suspensas e por isso o prazo foi prorrogado por 180 dias. O presidente da CPI, deputado Wilson Santos, propôs que as reuniões continuassem suspensas até o Carnaval devido aos protocolos de distanciamento, eleições e demais datas comemorativas. Mas a proposta ficou empatada, com dois votos a favor e dois contrários e terão que aguardar o retorno do deputado Ondanir Bortolini, Nininho, que está em licença.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana