conecte-se conosco


Internacional

Acidente de ônibus deixa 25 mortos e 35 feridos em Mynia, no Egito

Publicado

Pelo menos 25 pessoas morreram e 35 ficaram feridas em acidente de ônibus no Egito.
Reprodução/Twitter @CyclistAnons

Pelo menos 25 pessoas morreram e 35 ficaram feridas em acidente de ônibus no Egito.

Pelo menos 25 pessoas morreram e 35 ficaram feridas após um ônibus colidir com um caminhão próximo a cidade egípcia de Mynia na manhã desta terça-feira (19), informou o escritório do governado regional em comunicado.

“O motorista do caminhão parou à beira da estrada para trocar um pneu quando foi atropelado por trás pelo ônibus”, que tinha cerca de cinquenta passageiros a bordo, diz o comunicado do governo de Minya, onde aconteceu o acidente, cerca de 300 quilômetros ao sul do Cairo.

Os feridos foram transferidos para um hospital na cidade de Mallawi, cerca de 260 quilômetros (km) ao sul da capital Cairo.

O ônibus, que seguia para o Cairo partindo de Sohag, no sul do país, colidiu com um caminhão estacionado na lateral da pista.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Internacional

Em resposta à China, Taiwan inicia exercícios com munição real

Publicado

Forças Armadas da China realizam exercícios militares com mísseis perto da costa de Taiwan
Comando do Teatro de Operações Oriental da China/Divulgação – 04.08.2022

Forças Armadas da China realizam exercícios militares com mísseis perto da costa de Taiwan

Taiwan iniciou nesta terça-feira (9) exercícios militares com munição real para simular uma operação de defesa na ilha no caso de um eventual ataque da China.

A medida é uma resposta às manobras em larga escala realizadas pelas Forças Armadas chinesas desde a semana passada, como retaliação por uma visita da presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, a Taiwan.

Previstos para durar até quinta (11), os exercícios taiwaneses acontecem no condado de Pingtung, no sul da ilha, e envolvem o comando de artilharia, tropas de infantaria e até a guarda costeira.

Também serão usados ao longo de três dias 78 morteiros leves desenvolvidos localmente e seis obuses de fabricação americana. No fim da semana passada, a China iniciou seus maiores exercícios militares no Estreito de Taiwan, que incluíram até mísseis balísticos sobrevoando a ilha pela primeira vez.

“A China usou os exercícios e seu manual militar para se preparar para invadir Taiwan”, afirmou nesta terça o ministro taiwanês das Relações Exteriores, Joseph Wu. “A verdadeira intenção de Pequim é alterar o status quo no Estreito de Taiwan e na região da Ásia-Pacífico”, acrescentou.

Já o Ministério da Defesa disse que 10 navios e 45 aviões militares chineses foram detectados nos arredores da ilha apenas nesta terça. A China, por sua vez, alega que as manobras militares são “normais” porque Taiwan “faz parte” de seu território.

Entre 11 e 13 de agosto, Pequim ainda deve fazer exercícios de artilharia com munição real no Mar Amarelo, ao norte de Taiwan e diante da Coreia do Sul.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Internacional

Fortes explosões são registradas em base militar russa na Crimeia

Publicado

Banhistas observam coluna de fumaça após explosões na base de Novofeodorivka, na Crimeia
Reprodução/redes sociais

Banhistas observam coluna de fumaça após explosões na base de Novofeodorivka, na Crimeia

Pelo menos dez explosões foram registradas em uma base aérea russa na Crimeia , península anexada da Ucrânia em 2014, e analistas especulam se foi um acidente ou se tratou do maior ataque ucraniano à região desde o início do conflito. Até o momento, as autoridades em Kiev não se pronunciaram, enquanto Moscou tentou minimizar o incidente.

Vídeos publicados nas redes sociais mostram uma coluna de fumaça nos arredores da base aérea de Novofedorivka, na região Leste da Crimeia, que é usada em algumas das operações de combate na guerra.

Segundo o Ministério da Defesa da Rússia, citado pela RIA, as explosões ocorreram em um depósito de munições que estava fechado — o representante do governo disse que não há informações sobre mortos, feridos ou danos às aeronaves do local ou outras estruturas.

Autoridades da Crimeia também evitaram dar versões sobre as explosões.

“Até agora, só posso confirmar o fato de várias explosões na área de Novofedorovka. Peço a todos que aguardem relatórios oficiais e não produzam versões”, escreveu Oleg Kryuchkov, conselheiro do governo local, no Telegram .

O chefe da administração regional, Sergei Aksyonov, disse que não há relatos de vítimas, corroborando o que disse o Ministério da Defesa.

“É muito cedo para falar sobre vítimas. Entre a população civil, ninguém ainda recorreu a instituições médicas para obter ajuda. Peço sinceramente que confiem apenas em informações oficiais”, escreveu Aksyonov no Telegram.

Ele afirmou ainda que foi introduzido um bloqueio de 5 km ao redor da base aérea.

“O Ministério de Situações de Emergência monitora os incêndios. Há um aeródromo militar logo atrás. Equipes de ambulâncias e da aviação médica estão trabalhando no local, são suficientes”, disse Aksenov no Telegram.

Até o momento, não há informações do lado ucraniano sobre o incidente: os principais veículos de imprensa do país sugerem, mesmo que indiretamente, que esse foi um ataque direto contra uma base militar russa usada para atacar a Ucrânia e que, caso seja confirmado, seria um dos maiores contra posições de Moscou desde o início do conflito.

Nas redes sociais, analistas especulam que, caso não tenha sido um acidente, esse também seria um sinal de que as armas fornecidas pelo Ocidente estão fazendo a diferença no campo de batalha. Contudo, eles reconhecem que um ataque do tipo poderia provocar uma reação de alto impacto por parte da Rússia, potencialmente contra áreas como Kiev.

No dia 31 de julho, um drone ucraniano deixou cinco pessoas feridas na base da Esquadra do Mar Negro russa, em Sebastopol, levando ao cancelamento dos festejos do Dia da Marinha.

“Na manhã de hoje [31 de julho], nacionalistas ucranianos decidiram atrapalhar o Dia da Marinha da Rússia”, escreveu Mikhail Razvozhayev, prefeito de Sebastopol, no Twitter.

Anexada em 2014, a Crimeia é uma das prioridades do governo de Vladimir Putin , e por vezes apontada como símbolo da “Rússia forte” no mundo. Desde a anexação, a área passou a ser inundada por bilionários investimentos em infraestrutura e pela intensificação da presença do Estado russo, que passou a controlar bases militares anteriormente comandadas por Kiev e a moldar a administração local, de modo a refletir as posições do Kremlin.

Contudo, mais de oito anos depois, o governo ucraniano ainda busca retornar a península ao seu território — em declarações recorrentes, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky afirmou que seu objetivo é fazer com que o país tenha as mesmas fronteiras de 1991, ano da independência em relação à União Soviética, o que inclui a Crimeia .

— Com informações de agências internacionais

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana