conecte-se conosco


Esportes

A origem peculiar de “You’ll never walk alone”, o hino do Liverpool

Publicado

Se o Real Madrid puder escolher entre Plácido Domingo e RedOne (Uau, Madrid e nada mais!) e José Aguilar e Luis Cisneros Galiane (‘Las mocitas madrileñas’) para colocar música na final da Liga dos Campeões neste sábado no Stade de France (este e outros jogos você pode acompanhar e se divertir em sites de games com códigos promocionais KTO no codigo-de-bonus), rival, Liverpool, tem apenas um hino para colocar na boca; mas provavelmente ninguém contesta que nesta seção os britânicos venceram graças ao seu emocionante hino, ‘You’ll never walk alone’ (Você nunca andará sozinho), que causou arrepios em jogadores como Xabi Alonso e Pepe Reina, que jogaram no time inglês, quando ouvido em dezenas de milhares de gargantas em Anfield. Mas, de onde vem essa música e qual é a origem dessa tradição?

A primeira vez que a música ‘You’ll never walk alone’ foi tocada foi em um teatro; especificamente, no Majestic Theatre, em Nova York, na rua 44. O musical ‘Carousel’, ao qual pertence, estreou lá em 19 de abril de 1945. Seus autores foram Richard Rodgers e Oscar Hammerstein, que dois anos antes haviam alcançado um sucesso retumbante com outra peça, ‘Oklahoma’, e que acabariam se tornando duas das grandes lendas do teatro musical.

‘Carousel’, que foi transformado em filme em 1956 por Henry King, é baseado em ‘Liliom’, uma peça do húngaro Ferenc Molnár. Conta a história de amor entre uma jovem (Julie) e um preguiçoso e briguento (Billy) que morre durante um assalto perpetrado com um amigo. É nesse momento que soa ‘You’ll never walk alone’. Com Billy morto nos braços de Julie, uma amiga dela, Nettie, canta a música, cercada pelo refrão, para confortá-la; é ouvido novamente no final do musical, desta vez interpretado pela própria Julie.

Quando você anda em meio a uma tempestade’, diz a canção, / mantenha a cabeça erguida, / e não tenha medo do escuro. / No fim da tempestade encontrarás a luz do sol / E o doce canto prateado da cotovia. / Continue com o vento, / Continue com a chuva, / Mesmo que seus sonhos sejam destruídos. / Anda, anda, com esperança no coração, / e nunca andarás sozinho. / Nunca caminharás sozinho. / Anda, anda, com esperança no coração, / e nunca andarás sozinho. / Nunca caminharás sozinho’.

Christine Johnson foi a primeira intérprete de ‘You’ll never walk alone’. Muitos cantores -entre eles Frank Sinatra, Elvis Presley, Barbra Streisand, Nina Simone ou Judy Garland- fizeram sua própria versão da música, que já se tornou um padrão.

Em 1963, um grupo de Liverpool, Gerry and the Pacemakers, gravou sua própria versão da música. Seu sucesso foi extraordinário e alcançou o número 1 nas paradas britânicas, onde permaneceu por quatro semanas seguidas. Assim chegou a Anfield, já que era costume tocar as músicas que mais tocavam nas rádios pelo sistema de som do estádio. Foi lá que Bill Shankly, lendário técnico do Liverpool, ouviu e decidiu que ‘You’ll never walk alone’ continuaria tocando. Pouco depois, os torcedores ‘reds’ começaram a cantá-la a cappela antes de cada jogo de seu time, com tanta força que o clube adotou como hino e fez da frase ‘You’ll never walk alone’ seu lema.

Houve várias torcidas que imitaram a do Liverpool e também fizeram da música seu hino não oficial; entre eles os do escocês Celtic Glasgow e os alemães Borussia Dortmund, FC Kaiserlautern, Mainz 05 e FC St. Pauli.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esportes

Nos pênaltis, Corinthians elimina o Boca e avança na CONMEBOL Libertadores

Publicado

O Corinthians foi a Buenos Aires, nesta terça-feira (5), para enfrentar o Boca Juniors no Estádio La Bombonera pela partida decisiva das oitavas de final da CONMEBOL Libertadores.
Após o empate em 0 a 0 no tempo normal, a partida foi decidida nos pênaltis. E brilhou a estrela do GIGANTE Cássio: o goleiro do Timão pegou dois pênaltis e o Alvinegro avançou para as quartas de final da competição.
Os gols do Corinthians nos pênaltis foram convertidos por: Fábio Santos, Cantillo, Róger Guedes, Roni, Lucas Piton e Gil, finalizando a série com um placar de 6 a 5.
O Timão agora espera o próximo adversário da CONMEBOL Libertadores, que sairá do confronto entre Flamengo e Tolima. A partida ocorre nesta quarta-feira (7).
Escalação
O técnico Vítor Pereira escalou o Corinthians com a seguinte formação: Cássio; Rafael Ramos, João Victor, Raul e Fábio Santos; Du Queiroz, Cantillo e Giuliano; Gustavo Mantuan, Lucas Piton e Róger Guedes. Entraram no decorrer da partida: Gil, Giovane, Roni, Bruno Méndez e Bruno Melo. Ainda ficaram à disposição no banco de reservas: Matheus Donelli, Robson, Willian, Biro, Robert, Xavier, Felipe.
Primeiro tempo
Logo aos três minutos de partida, o Boca Juniors foi ao ataque. O atacante argentino fez o drible em João Victor e avançou para a área, mas Cássio estava atento e fez a defesa. A bola escapou do camisa 12 e bateu no argentino, dando tiro de meta para o Timão. Aos seis, mais uma vez a equipe argentina chegou com perigo. Em um chute pela esquerda, Cássio mais uma vez fez uma excelente defesa.
Em um contra-ataque muito rápido do adversário, aos 18 minutos, a bola sobrou sozinha para o atacante argentino, que na cara do gol furou e mandou pra fora. Aos 26 minutos, Raul Gustavo foi afastar a bola e acertou com o cotovelo o jogador argentino. Após a checagem do VAR, o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, o atacante adversário chutou na trave! O placar seguiu zerado em Buenos Aires.
O restante do primeiro tempo foi de pressão do Boca sobre o Timão. Ao final dos 45, o árbitro deu quatro minutos de acréscimo.
Neste período, o zagueiro João Victor se machucou e teve de ser substituído. No lugar dele entrou Gil. Com a parada para o atendimento, o árbitro acrescentou mais dois minutos antes de encerrar o primeiro tempo.
Segundo tempo
A segunda etapa iniciou sem mais alterações no Alvinegro.
Logo no primeiro minuto de jogo, Mantuan tentou ligar o contra-ataque, foi derrubado e o adversário tomou cartão amarelo. O camisa 31 acabou se contundindo e foi substituído por Giovane. Aos 13 minutos, o Boca chegou mais uma vez: o camisa 9 do time argentino tentou cavar por cima de Cássio, mas a bola foi por cima do gol.
O técnico Vítor Pereira fez mudança tripla no Timão aos 22 minutos: saíram Du Queiroz, Giuliano e Rafael Ramos e entraram Roni, Bruno Méndez e Bruno Melo.
O Corinthians tentou buscar espaços, mas o Boca Juniors estava bem postado defensivamente e não deixou o Timão avançar. Nas chegadas da equipe argentina, a zaga alvinegra afastou o perigo da área.
Ao final no tempo regulamentar, o árbitro deu cinco minutos de acréscimo. No último minuto de jogo, o Boca arriscou de fora da área e a bola foi para fora. O árbitro finalizou e a partida foi para as cobranças de penalidades máximas.
Decisão nos pênaltis
A série foi iniciada com o Boca cobrando. Rojo foi pra bola e converteu, 1 a 0. Fábio Santos abriu a série pelo Timão: o camisa 26 foi para a bola e também converteu, 1 a 1.
A segunda cobrança da equipe argentina foi feita por Isquerdoz, que colocou o time novamente em vantagem, 2 a 1. Cantillo então bateu o pênalti pelo Timão e empatou a série, 2 a 2.
Na terceira rodada de cobrança, Villa foi para a bola pelo Boca e CÁSSIO FEZ A DEFESA!! Foi a fez de Raul cobrar para o Timão. O zagueiro foi para a bola e o goleiro argentino também fez a defesa, seguiu 2 a 2.
A quarta cobrança do Boca foi de Fernandez. O jogador colocou o adversário em vantagem novamente, 3 a 2. Bruno Melo foi para a bola pelo Timão e errou a cobrança.
Benedetto cobrou o pênalti pelo Boca e também errou!!! A última cobrança da série normal foi feita por Róger Guedes. O camisa 9 empatou a série, 3 a 3.
A decisão foi para as alternadas. O primeiro a cobrar foi Romero, que converteu, 4 a 3. Roni foi para a cobrança pelo Timão e fez o gol! 4 a 4.
Varella foi o próximo a bater pelos argentinos e converteu, 5 a 4. Lucas Piton foi para a bola pelo Timão e empatou, 5 a 5.

Defesa de Cássio. Foto: Rodrigo Coca/ Agência Corinthians
A terceira cobrança das alternadas foi iniciada por Ramirez. O camisa 20 do Boca cobrou e CÁSSIO DEFENDEU! A cobrança do Timão foi feita por Gil. O camisa 4 cobrou a classificação do Timão foi garantida.
Placar final: 6 a 5 para o Corinthians.

Cobrança de Gil que garantiu a classificação alvinegra. Foto: Rodrigo Coca/ Agência Corinthians
Próximo jogo
O próximo jogo do Corinthians ocorre no próximo domingo (10), às 16h, na Neo Química Arena, contra a equipe do Flamengo, pela 16ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

Categoria(s): Futebol

fonte: https://www.corinthians.com.br/noticias/nos-penaltis-corinthians-elimina-o-boca-e-avanca-na-conmebol-libertadores

COMENTE ABAIXO:

Fonte: Agência Esporte

Continue lendo

Esportes

Sofrido, suado e histórico! É o Furacão de novo nas quartas!

Publicado

Com o coração explodindo no peito do torcedor! Assim foi a classificação rubro-negra para as quartas de final da CONMEBOL Libertadores. No Paraguai, o Furacão saiu atrás e foi buscar no último minuto o gol de empate. Da vitória no confronto com o Libertad!

E o gol veio com a estrela de um piá do Caju! Rômulo entrou em campo aos 30′ do segundo tempo, no lugar de Vitor Roque. E aos 45′, finalizou duas vezes na mesma jogada para colocar na rede a bola que deixou o Athletico entre os oito melhores do continente.

O campeão paraguaio ficou pelo caminho!

É o Rubro-Negro repetindo o feito de 2005 e voltando às quartas de final após 17 anos! Agora, é esperar pelo adversário, que sairá do confronto entre Estudiantes, da Argentina, e Fortaleza, que estão empatados e fazem o jogo de volta nesta quinta-feira (7).

A busca pela glória eterna continua!

O Jogo

Uma finalização de Caballero, dando trabalho a Bento ainda no primeiro minuto de jogo, foi uma mostra do que seria a partida no Defensores del Chaco. O bom e experiente time do Libertad não daria um instante para o Athletico respirar.

O Rubro-Negro teve bons contra-ataques no início. Em passe de Vitor Roque, Erick bateu cruzado e Martín Silva defendeu. Cuello finalizou da entrada da área e mandou por cima do gol. E Vitor Roque foi puxado dentro da área, em um lance não marcado pela arbitragem.

A equipe paraguaia, porém, era quem tinha a bola quase o tempo todo a seus pés. E tocando pelo centro do campo, criava grandes dificuldades à marcação athleticana. Aos 31′, Bento evitou o gol adversário, com uma grande defesa em chute de Roque Santa Cruz.

A maioria dos ataques do Libertad não terminavam em chances reais. Mas bola rondando sempre a área era um perigo constante para o Furacão. E no último lance da primeira etapa, aos 48′, saiu o gol do time da casa, em uma bela jogada de Roque Santa Cruz.

No segundo tempo, o Athletico conseguiu reduzir os espaços para a criação do Libertad. Mas também não conseguiu chegar muitas vezes de forma contundente ao ataque.

O Libertad parou novamente em Bento, que salvou em uma cabeçada de Roque Santa Cruz. E o Furacão teve sua melhor chance em uma arrancada de Vitor Roque, que terminou com uma bomba da entrada da área e uma grande defesa de Martín Silva.

Isso até os 45′. Foi então que o Rubro-Negro teve uma falta pela direita em seu campo de ataque. E dois piás do Caju que saíram do banco definiram a classificação. Khellven cruzou. Rômulo cabeceou. Martín Silva defendeu. Mas no rebote, Rômulo estava lá para mandar para a rede e fazer um pouco de história!

Ficha técnica: Libertad 1×1 Athletico Paranaense
CONMEBOL Libertadores 2022: Oitavas de final – Jogo de volta
Data: 05/07/2022
Horário: 21h30
Local: Estádio Defensores del Chaco, em Assunção (Paraguai)

Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai)
Assistentes: Richard Trinidad (Uruguai) e Andrés Nievas (Uruguai)
Quatro árbitro: Guillermo Guerrero (Equador)
Árbitro de vídeo: Carlos Orbe (Equador)

Libertad: Martín Silva; Piris, Viera, Barboza e Samudio; Cabellero, Díaz (Campuzano, aos 32′ do 2º tempo), Gómez (Mendieta, no intervalo) e Merlini (Bareiro, aos 32′ do 2º tempo); Melgarejo e Santa Cruz (Cardozo, aos 41′ do 2º tempo)
Técnico: Daniel Garnero
Gol: Santa Cruz, aos 48′ do primeiro tempo
Cartões amarelos: Piris e Barboza

Athletico Paranaense: Bento; Orejuela (Khellven, aos 16′ do 2º tempo), Pedro Henrique, Nico Hernández e Abner; Erick, Hugo Moura (Matheus Fernandes, no intervalo) e David Terans (Vitor Bueno, aos 16′ do 2º tempo); Canobbio (Marcelo Cirino, aos 30′ do 2º tempo), Vitor Roque (Rômulo, aos 30′ do 2º tempo) e Tomás Cuello
Técnico: Luiz Felipe Scolari
Gol: Rômulo, aos 44′ do segundo tempo
Cartões amarelos: Abner, Vitor Roque, Pedro Henrique e Matheus Fernandes

Foto: José Tramontin/athletico.com.br

Fonte: Agência Esporte

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana