conecte-se conosco


Meu Pet

A importância da alimentação no tratamento da anemia em cachorros

Publicado

anemia em cachorros ocorre quando há uma redução dos glóbulos vermelhos no sangue, responsáveis por transportar oxigênio para todo o organismo. Esses glóbulos vermelhos são produzidos na medula e, para serem “fabricados”, precisam de ferro, vitaminas e minerais.

Um dos fatores que pode causar anemia em cachorros é uma dieta desbalanceada. Animais alimentados com ‘restos’ de comida, por exemplo, são fortes candidatos. Isso demanda cuidados redobrados com uma alimentação de qualidade e atenção da parte do tutor se o animal está se alimentando adequadamente.


Cachorro comendo
reprodução shutterstock

A alimentação é um fator muito importante no tratamento da anemia em cachorros

Portando, comida só se for prescrita por médico veterinário, balanceada e suplementada. Se optar por oferecer dieta comercial, procure sempre as de melhor qualidade, que também deve ser orientado pelo seu médico veterinário.

Tipos de anemia em cachorros

A anemia em pets não é contagiosa e ocorre por consequência de alguma alteração primária, que pode ser multifatorial. A doença pode ser classificada em hemolítica ou hemorrágica.

No primeiro caso, as causas podem ser variadas, de uma intoxicação alimentar até um processo de autodestruição das células, quando o organismo “entende” que as hemácias são células invasoras. Um exemplo comum são as anemias causadas pelo carrapato ou pulgas contaminados com babesia ou erlichia, acometendo principalmente a série vermelha, destruindo as hemácias e resultando em anemia.

A hemorrágica pode ocorrer após cortes, perfurações ou acidentes graves, quando há grande perda de sangue. Doenças como o câncer, úlcera e problemas gastrointestinais também podem provocar o vazamento de sangue de forma lenta.

“Mesmo não sendo contagiosa, ela pode ser causada por enfermidades infecciosas como a Erquiliosee Babesiosecanina, também conhecida como a ‘doença do carrapato’ e causada pela bactéria Erlichia canis e o protozoário Babesia Canis e que pode levar o pet a óbito, se não for tratada em tempo e corretamente. Por isso a prevenção é a melhor opção”, explica a veterinária Bianca Vale de Oliveira, que atua em nutrologia veterinária, Reiki, fitoenergética, aromaterapia e é fundadora da empresa NamasBicho, em Lavras, Minas Gerais.

Leia Também:  Paramédico salva vida de filhote de cachorro recém-nascido

Leia também: O cachorro com anemia pode estar assim por vários motivos; saiba quais

Sintomas da anemia em cachorros

Por serem muito parecidos com os de outras doenças, os sintomas da anemia não são tão fáceis de diagnosticar. Alguns deles são:

  • Cansaço;
  • Palidez das gengivas;
  • Perda de peso, em consequência da ausência de apetite.

Para diagnosticar corretamente é preciso consultar o médico veterinário, que irá analisar o estado de saúde, verificar se tem febre, examinar gânglios e fazer um exame de sangue detalhado, indicando o volume de glóbulos vermelhos . Também poderá ser solicitado ecografia do abdômen para verificar sangramentos internos e raios-X.

Nos casos de anemia resultante da perda repentina de sangue, ou anemia grave devido a perda crônica de sangue, pode ser necessária a transfusão, para assegurar a sobrevivência do cachorro.


Cachorro deitado e coberto
shutterstock

Cansaço e perda de peso são sintomas da anemia em cachorros


A importância da alimentação no controle e combate a anemia

A Dra. Bianca Vale ressalta que “A alimentação é a chave para que seu pet tenha boa saúde e qualidade de vida”. Animal bem nutrido, garante uma boa resposta imune diante das adversidades.

O cachorro com anemia deve ser tratado com uma dieta específica, para proporcionar as vitaminas e ferros necessários para sua recuperação. Essa dieta não está relacionada com a raça do cão, mas sim seu tamanho e suas necessidades nutricionais.

Leia Também:  Yorkshire, Pug e Shih Tzu estão entre as raças mais visadas por ladrões

A anemia canina, devido à sua gravidade, deve ser tratada seriamente, oferecendo nutrientes adequados, como ferro, vitamina B12 e proteínas. “Para que o plano alimentar seja individualizado, com macro e micronutrientes calculados de acordo com cada animal, a dieta deve ser com alimentos naturais, formulados por médico veterinário nutrólogo, que também indicará a suplementação necessária”, destaca Dra. Bianca.

Se o cachorro não foi diagnosticado com uma anemia do tipo hemorrágico, os seguintes nutrientes irão ajudar a recuperar e reequilibrar o organismo:

  • Ferro: ajuda a absorver vários nutrientes dos alimentos.É encontrado principalmente em peixes como sardinhas e salmão, também em fígado bovino e carne de cordeiro.
  • Vitamina C: encontrado em kiwis, laranjas, pimentão, couve-flor, espinafre, entre outros;
  • Proteína: carnes de frango, bovinas, peixes, rãs e alguns tubérculos
  • Vitaminas complexo B: Farinha de arroz, batatas, bananas, coração bovino, entre outros.

O tutor precisa ficar atento com alguns alimentos proibidos para pets . Na vontade de tratar a anemia, poderá incorrer em erros, exagerar na quantidade e colocar em risco a vida do cão. Entre os proibidos estão: uvas, produtos lácteos, cebolas, chocolate, pães, lanches industrializados, bolachas e doces, sementes de maçã. O tutor deve ter em mente que atender ao “olhar pidão” do pet, poderá colocar todo o tratamento a perder.

Para uma formulação correta da dieta natural, que seja direcionada às necessidades do cachorro, com anemia ou saudável, é importante a avaliação do veterinário, realizar os exames corretos e definir o que comer e como fazer a suplementação.

É preciso ter em mente que o tratamento da anemia em cachorros dependerá da causa que originou essa enfermidade e, principalmente, seguir rigorosamente o tratamento prescrito pelo veterinário, para que seu pet tenha uma vida saudável e excelente qualidade de vida.

Fonte: Canal do Pet
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Meu Pet

Yorkshire, poodle e outras raças são predispostas a problemas hepáticos

Publicado

source

Assim como acontece com os humanos, o fígado dos cães cumpre várias funções: é essencial para a digestão, absorção, metabolismo de carboidratos, lipídeos e proteínas, e armazenamento da maioria dos nutrientes no organismo. Assim, o mau funcionamento desse órgão pode causar desordens metabólicas sérias, resultando na alteração da utilização dos nutrientes. 

cachorro deitado ao lado do pote de comida arrow-options
Shuttersock

Perda de apetite está entre os sintomas dos problemas hepáticos

A boa notícia para donos de cachorros com problemas hepáticos é que o fígado dispõe de uma capacidade de regeneração extraordinária e a nutrição pode auxiliar no tratamento dos pets debilitados. 

Leia também: Doenças comuns que são causadas pela má alimentação do animal

Para que o tratamento seja feito da forma correta e o cachorro hepático tenha uma dieta adequada com a sua condição, o dono precisa ficar atento nos sinais. Os sintomas mais comuns são:

  • Náusea e vômito;
  • Perda de apetite e perda de peso;
  • Má-digestão e desnutrição;
  • Diarreia;
  • Fezes pálidas (mais claras que o comum);
  • Ascite (acúmulo de líquido no abdome);
  • Icterícia ;
  • Encefalopatia hepática;
  • Distúrbios de coagulação sanguínea;
  • Hipermetabolismo;
  • Hipoalbuminemia.

Além disso, outro ponto que o tutor precisa ficar atento é a raça do pet . Algumas de cães e gatos apresentam predisposição para doenças hepáticas. São elas:

  • Cães: cocker spaniel, yorkshire terrier, west highland white terrier, doberman, pinscher, maltês, labrador retriever, dálmata e poodle.
  • Gatos: persa, siamês, abissínios e himalaios. 

A importância da nutrição no tratamento de hepatopatias

O suporte nutricional desempenha papel chave no tratamento de animais com doença hepática, a fim de se evitar a desnutrição, consequência muito comum em pacientes com hepatopatias e que pode levar o animal ao óbito. Por isso, é determinante manter o estado nutricional de pacientes que possuam algum tipo de doença hepática.

As principais abrodagens nutricionais para pets hepatopatas são: 

  • Proteínas: não necessariamente se deve reduzir os teores protéicos da dieta de um paciente com doença hepática. O fornecimento de um alimento com proteína de alta qualidade é fundamental para se evitar desnutrição e permitir a regeneração hepática. O correto é tentar manter a quantidade de proteínas o mais próximo possível dos níveis normais. A restrição protéica só deve ser instituída caso o animal apresente sinais de encefalopatia hepática. 
  • Gordura: a dieta deve ser rica em calorias e a restrição da gordura deve ser considerada apenas em casos de colestase severa.
  • Fibras: quantidades moderadas de fibra dietética contribuem com a redução da absorção de amonia pelo intestino grosso.
  • Antioxidantes: o aumento do zinco e outros antioxidantes como o selênio e vitamina E minimizam o estresse oxidativo que ocorre nas hepatopatias, aumentando a proteção das células contra os radicais livres.
  • Balanço eletrolítico: a redução do sódio auxilia na prevenção do extravasamento de líquidos por causa da hipertensão portal e o nível adequado de potássio previne a hipocalemia, que pode contribuir com a anorexia e encefalopatia hepática.
  • Número de refeições diárias: é recomendado pelo menos 5 refeições diárias, pois isso favorece a adequada metabolização de nutrientes pelo fígado e sua recuperação.
Leia Também:  Com saudade, cadelinha tem reação fofa ao ver sua dona em chamada de vídeo

O uso de alimentação natural pode ajudar

O uso de um alimento natural (AN) formulado e balanceado para atender as demandas nutricionais de hepatopatas pode ser muito interessante, já que a desnutrição está intimamente relacionada com a perda de apetite dos animais com problemas no fígado. Isso porque a AN acaba tendo maior sabor e incentivam o consumo.

Além disso, o uso de alimentação natural permite escolher ingredientes de altíssima qualidade, com alto valor biológico e ajustado para as preferencias individuais de cada paciente.

Existem vários tipos de doenças hepáticas e o correto diagnóstico ajuda a direcionar o perfil nutricional adequado para a recuperação de cada paciente. Por isso, a orientação de um médico veterinário nutrólogo deverá ser considerada.

Fonte: Canal do Pet
Continue lendo

Meu Pet

Cachorro cantando ópera chama atenção em grupo de Facebook

Publicado

source

Cantar ópera é uma tarefa difícil, mas não para este cão. Durante a estadia de Speff Strachan e sua amiga Amy em uma casa em Sanquhar, na Escócia, elas descobriram que cachorros também podem cantar. “Estou vivendo minha vida de Princesa da Disney com esse cachorro cantando ópera ”, escreveu Amy em sua publicação no Facebook. 

Leia também: Cadela não gosta de filhote de cachorro e deixa claro em foto

Cachorro cantando ópera arrow-options
Facebook/ Amy Strachan

Cachorro cantando ópera


Amy e Speff são cantoras líricas e estão na cidade para um concerto. Algumas pessoas oferecem suas casas para esses artistas ficarem durante a temporada de apresentações, e Skye, o cão do dono da casa em que elas estão hospedadas, resolveu “aquecer” a voz enquanto elas também faziam isso.


O resultado é um dueto de ópera fofo que fez o maior sucesso em um grupo do Facebook. 

Fonte: Canal do Pet
Leia Também:  Albina, Arlequim, e mais: conheça alguns tipos de calopsita
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana