conecte-se conosco


Política MT

A 20 dias do pleito, candidatos falam dos índices das pesquisas desencontrados, do atual cenário da campanha e da reta final

Publicado

Com números pingentes das pesquisas, cenário mostra que ainda não há favoritos entre os quatro mais lembrados  para vencer as eleições. Nesta reportagem, nem Abílio. nem França quiseram falar

JORGE MACIEL

Com as pesquisas apontando para variadas direções, cada uma delas com números que não mais são referência de nível das candidaturas, o cenário eleitoral em Cuiabá ainda não está definido, conforme levantamento de ODOC avaliando o que se fala nas ruas, restaurantes, opiniões por telefone e o próprio panorama das amostragens.

Emanuel (MDB) em caminhada em bairros da capital: contradições entre avaliação do governo e rejeição

Apenas em uma conjuntura as pesquisas batem: em ordem alfabética, Abílio Júnior (Podemos), Emanuel Pinheiro (MDB) , Gisela Simona (Pros) e Roberto França (DEM)  são os quatro candidatos mais falados e que podem estar num eventual segundo turno.

Ao longo das duas semanas passadas, houve uma série de contestações na justiça eleitoral diante de inconsistências e assimetrias de índices exibidas nas amostragens do Ibope/Globo, Gazeta Dados, Instituto Avaliar ou Olhar Dados. Uma delas, argumenta o candidato à reeleição Emanuel Pinheiro, cuja assessoria identificou uma disparidade, segundo a qual ele tem a administração bem avaliada, contudo a sua rejeição é expressiva.

-“É uma contradição absurda. Não se pode ser bem avaliado como gestor, reconhecido pelas obras, soluções e investimentos acertados e ser malquisto por índices parecidos tudo ao mesmo tempo”, diz o candidato. Emanuel prevê crescimento nestes próximos 20 dias.

Outro panorama é apontado pela assessoria do candidato do candidato Abílio Júnior, que somou os números apontados na pesquisa do Olhar Dados em que Emanuel aparece na frente com relativa distância, mas que as intenções de ‘não votar’, ‘anular o voto’ ou  ‘estar indeciso’ somam apenas 1 %. O Abílio não nos atendeu para esta reportagem, mas já deu esta declaração para jornalistas assim que os números foram divulgados. Historicamente, em qualquer eleição, esses três quesitos juntos mostram, em média, de 12% a 16 por cento.

Gisela investe forte no corpo a corpo. Carreata da candidata do Pros na semana passada

Em um outro quadro, houve índices que, somados, passaram dos 100% por cento, erro justificado à justiça eleitoral como “erro de digitação”.  Na quinta-feira passada, 22, o Ibope/Globo reconheceu que as pesquisas feitas pelo telefone em tempos de pandemia podem  não ter a mesma eficácia e segurança das realizadas a campo, com o contato direto entre pesquisador e pesquisado.

Ainda assim, a margem de segurança para mais ou menos só aumenta, e os cenários não mudam, a menos que a distância entre candidatos seja muito reduzida, explicou o Ibope em nota.

Toda esse pandemônio de dados não altera o ânimo e nem preocupa a candidata Gisela Simona, única mulher entre os candidatos,  que tem concentrado sua campanha no contato direto com o eleitor dos bairros e centro  [com os protocolos se segurança sanitária] e publicando propostas e mensagens nas redes sociais. A candidata disse que acredita, pelos números que possui, que chega entre os dois até o dia das eleições, até porque “quem decide é o eleitor”.

_“As pesquisas é uma preocupação que não tenho, até porque conheço como elas são feitas. Acredito mesmo no resultado das urnas”, diz ela, cujos assessores confiam nas propostas de moralização e seriedade e no fato de ela não ter o passado manchado por corrupção. Esse status lhe vale slogan “Mãos limpas”, mote da sua campanha.

 

“NÃO HÁ TEMPO PARA IMPRENSA”

Apontado com dianteira nas pesquisas, o candidato e vereador Abílio Júnior faz contatos com eleitores, mas se afasta de jornalistas – ao estilo do presidente Jair Bolsonaro.  Alçado à conduição de candidato pela oposição ao governo de Emanuel `Pinheiro, Abílio não comentou as pesquisas realizadas, mesmo estando com percentuais acima dos concorrentes.  Convidado a forncer dados e opiniões parta esta reportgem, o candidato não se manifestou. “Neste momento, ele não tem tempo para jornalistas, está em reunião com a equipe de campanha”, afirmou um assessor procurado pelo ODOC.

Caminhada de Roberto França e o governador Mauro Mendes, na região sul de Cuiabá

PANDEMIA

Com a pandemia e necessidade do isolamento social, os candidatos improvisam e tentam se aproximar dos eleitores com relativo receio, mas ainda assim, o calor das caminhadas continuam como em eleições anteriores.

Na Rádio Capital,  Roberto França declarou que está muito diferente com tantas restrições de contato, mas o trabalho nas redes está sendo muito bem feito. “Fazemos tudo dentro dos protocolos e nas redes sociais me alegro porque há muitos jovens nos incentivando”, disse.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Abílio voltar a falar sobre o “caso paletó” e conclama eleitores para reta final da campanha

Publicado

Abilio e o vice Felipe Wellaton, que subiram o tom contra Emanuel Pinheiro na TV [Foto Assessoria]

Candidato do Podemos a prefeito de Cuiabá, Abílio Júnior, e o seu vice, vereador Felipe Wellaton (Cidadania), vieram com um discurso duro contra o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), candidato à reeleição, no horário eleitoral desta quarta-feira (25). Abílio e Wellaton argumentam que venceram a primeira batalha, e que agora precisam do apoio para vencer a guerra contra a corrupção.

“Estamos lutando para tirar o paletó há três anos”, diz Wellaton. “Nós já batemos uma parte da meta, você já tirou onze paus mandados. Agora falta o chefe do bando, que já virou réu na Justiça Eleitoral”, completa Wellaton.

“Neste domingo, o juiz é você, e vamos tirar o paletó de lá”, conclama o candidato Abílio Júnior. “Vamos mandar embora o governo vergonha nacional”, completa o candidato a vice-prefeito no vídeo exibido no horário eleitoral.

O programa eleitoral de Abílio Júnior mostrou imagens da delação do ex-governador Silval Barbosa, e do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), recebendo maços de dinheiro das mãos do ex-chefe de gabinete de Silval, Sílvio Corrêa. O trecho usado faz parte de reportagem do Jornal Nacional divulgada quando ocorreu o escândalo de propina a deputados de Mato Grosso.

Mostrou também trechos de depoimentos de Sílvio Corrêa na Câmara de Cuiabá, quando interrogado por Abílio e pelo o vereador Marcelo Bussiki (DEM), sobre o caso, afirmando que era propina o valor entregue ao prefeito cuiabano.

 

 

 

 

 

Continue lendo

Política MT

Prefeito diz que licitação já havia sido anulada e que foi alvo de ação “truculenta e desnecessária” da Polícia Civil

Publicado

Zé do Pátio foi alvo de operação esta manhã por suposta fraude na compra de material de combate à Covid

O prefeito de Rondonópolis José Carlos do Pátio concedeu entrevista na manhã desta quarta-feira (25) junto com o procurador geral do Município, Anderson Flávio de Godoi sobre a Operação Stop Loss do Ministério Público do Estado (MPE) que cumpriu mandados de busca e apreensão na Prefeitura de Rondonópolis.

O prefeito afirmou que foi surpreendido com a operação, que foi truculenta e sem necessidade, já que havia encaminhado ao Tribunal de Justiça e à Delegacia Especializada de Combate à Corrupção uma petição na qual se colocava inteiramente à disposição das autoridades para prestar todas as informações necessárias em relação ao inquérito da Operação Stop Loss, fornecendo inclusive qualquer documento que fosse solicitado.

“Apesar da colaboração efetiva da prefeitura na apuração dos fatos não recebemos os documentos e informações sobre as investigações, mesmo com inúmeras solicitações dos nossos advogados e procuradores, o que viola o nosso direito de defesa e compromete a prestação de esclarecimentos à sociedade”, complementou o prefeito e acrescentou que é de seu interesse que as investigações transcorram de modo adequado, legal e transparente e que sejam concluídas o mais rapidamente possível.

O procurador geral do município ressaltou também que a administração já havia tomado todas as providências necessárias, antes mesmo de iniciada qualquer investigação, com a anulação dos procedimentos de licitação e não aquisição dos materiais referentes aos processos de licitações 037, 038 e 039/2020. “A administração em nenhum momento criou qualquer embaraço para prestar informações e sempre tivemos à disposição da Justiça e do Ministério Público”.

Anderson Godoi destacou ainda que o entendimento da administração municipal é de que é desnecessário este tipo de operação, já que em nenhum momento foram solicitadas informações acerca do inquérito, além de estar claro que não houve a compra de nenhum dos produtos destas licitações, ou seja, não houve gastos e portanto nenhum dano ao erário.

Sobre medidas que devem ser adotadas pela administração municipal o procurador geral afirmou que: “A Procuradoria do Município agirá na medida do necessário dentro do inquérito em defesa do interesse público”.

 

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana