conecte-se conosco


Opinião

ONOFRE RIBEIRO – Contradições pra vencer (1)

Publicado

Neste fim de semana li um artigo muito bem construído e realista escrito pelo gestor de agronegócios Luciano Vaccari, diretor da Neo Agro Consultoria  & Comunicação, de Mato Grosso. Nele o autor provoca muitas reflexões indispensáveis. Vou tomar a liberdade de transcrever alguns tópicos do artigo pra depois colocar alguns pontos de vista pessoais.

“O Brasil é um dos principais produtores de alimentos, fibras, energia e minério de ferro do mundo. É também um dos 10 maiores fornecedores globais de derivados de petróleo e toda essa produção é disponibilizada tanto para o consumo interno, quanto para o abastecimento de outros países. Mesmo assim, o país encerrou 2021 na 25ª posição no ranking mundial de exportadores, com uma receita equivalente a US$ 280 bilhões”.

“Apesar do grande potencial agropecuário brasileiro, em termos de receita nossos produtos ainda são muito menos rentáveis do que a produção do Japão, da França ou da Holanda, por exemplo, que exportam tecnologia, seja empregada em veículos, num frasco de remédio ou numa tulipa.

“A França, por exemplo, exportou em 2021 o equivalente a US$ 585 bilhões provenientes principalmente da venda de máquinas e equipamentos de transporte, aviões, plásticos, produtos químicos, fármacos e bebidas, a grande parte é de bens industrializados”.

“A França, por exemplo, exportou em 2021 o equivalente a US$ 585 bilhões provenientes principalmente da venda de máquinas e equipamentos de transporte, aviões, plásticos, produtos químicos, fármacos e bebidas, a grande parte é de bens industrializados.

Para fazer uma comparação um pouco mais justa, podemos citar o exemplo da Holanda, que desponta como quinto maior exportador mundo e movimentou US$ 836 bilhões em 2021. Porém, a Holanda se destaca por ser o segundo maior exportador mundial de alimentos, atrás somente dos Estados Unidos e uma posição na frente do Brasil. Tudo isso com um território 200 vezes menor do que o brasileiro”.

“Além de tecnologia, nestes países também há outros fatores que contribuem com o melhor desempenho da economia, como logística eficiente e política fiscal mais justa.  Com isso, é possível observar cidades e população com altos índices de desenvolvimento.

O Japão possui um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de 0,884, Holanda de 0,890 e França de 0,891, e todos estão entre os melhores do mundo. O Brasil possui atualmente um IDH de 0,759. (…) “Nosso país ainda tem um longo caminho pela frente, tanto por meio da agregação de valor e industrialização da produção agropecuária, quanto por meio de investimentos em logísticas, reforma tributária e administrativa”.

Por fim Luciano Vaccari assinala a indispensável qualificação de recursos humanos em todas as cadeias e níveis da produção brasileira. Mas sua conclusão final merece ser registrada como um poderoso desafio: “Sem isso, não há como falar em justiça social, educação, democracia virtual, desenvolvimento humano.

Não adianta sermos os maiores produtores de alimentos, e ter pessoas passando fome. Ser um grande exportador de produtos e não reverter isso em renda para a população. A revolução começa de dentro para fora, mas a inspiração pode vir de todos os lugares”.

Gostaria de no próximo artigo acrescentar algumas percepções a essa dura realidade registrada no artigo. Com o olhar assentado no futuro e nas responsabilidades do Brasil.

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opinião

JUACY DA SILVA – Salvar os rios, o Pantanal e contra as seis barragens no rio Cuiabá

Publicado

Ontem, quarta feira, 17/08/2022; foi realizada uma REUNIÃO que contou com a presença de dirigentes de diversas organizações sindicais, da sociedade civil organizada e pessoas interessadas em participarem da MOBILIZAÇÃO POPULAR pela derrubada do VETO DO GOVERNADOR DE MT ao PROJETO DE LEI, aprovado pela Assembleia Legislativa de MT, que proíbe a CONSTRUÇÃO DE SEIS BARRAGENS/PCHs, no Rio Cuiabá.

A Reunião foi uma iniciativa do CONIC – Conselho Nacional de Igrejas Cristãos/MT e da Pastoral da Ecologia Integral da Arquidiocese de Cuiabá (em processo de estruturação/organização), foi realizada nas dependências da Catedral Bom Jesus de Cuiabá e contou com a participação de 28 pessoas, representando diversos segmentos e setores da sociedade Cuiabana e Mato-grossense.

Após as diversas intervenções e reflexões por parte de vários presentes, ficou patente que a construção dessas barragens é uma causa a mais e grave no processo de degradação dos diversos cursos d’água (córregos e rios) que formam a Bacia do Alto Paraguai e que fazem parte de um processo de degradação severa do Pantanal, tanto nos territórios de Mato Grosso quanto de Mato Grosso do Sul.

A curto, médio e a longo prazos este processo de degradação representa tanto a morte das nascentes e dos rios que alimentam o Pantanal quanto impacto negativo na vasão dos mesmos, a destruição da rica biodiversidade deste território (Pantanal) que é considerado pela nossa Constituição Federal “Patrimônio nacional” e pela UNESCO como Patrimônio e Reserva da Biosfera Mundial, que poderá se tornar um deserto e morrer, o que será um grande desastre ecológico, pior do que as queimadas que anualmente tem provocado sérios danos a este território.

As barragens vão interferir diretamente no processo de reprodução dos peixes, principalmente dos peixes que sobem os rios para desovarem e se reproduzirem, vão afetar as atividades de turismo e ecoturismo e afetar tremendamente a vida e sobrevivência de mais de 60 mil pessoas que vivem e sobrevivem de atividades como agricultura familiar, povos indígenas, quilombola, ribeirinhos e até mesmo fazendeiros tradicionais.

Outro aspecto discutido foi quanto `as medidas judiciais cabíveis para que evitar a construção dessas barragens, que na verdade significa a privatização das águas que são bens coletivos, da população inteira e não propriedade de grupos econômicos, uma minoria, para o uso de interesses comerciais e de lucro, prejudicando, inclusive o abastecimento das cidades e de populações que usam as águas do Rio Cuiabá e demais córregos e rios que formam a Bacia do Alto Paraguai, principalmente pela qualidade das mesmas que estarão deterioradas com vários resíduos vegetais, de agrotóxicos e assoreamento que se juntaram a milhões de litros de esgoto sem tratamento e de toneladas de lixo que estão sendo carreados , diuturnamente, para esses cursos d’água, transformando nossos rios e o Pantanal,  em grandes esgotos a céu aberto, afetando a qualidade de vida de milhões de pessoas.

Ficou definido que será feita uma MOBILIZAÇÃO POPULAR, no dia 24/08/2022; próxima quarta feira, a partir das 8:30h, em frente e nas dependências da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, como forma de manifestar aos Deputados Estaduais essas nossas preocupações, os riscos ambientais e a necessidade de que os mesmos DERRUBEM O VETO DO GOVERNADOR, ficando, assim, PROIBIDA A CONSTRUÇÃO DE BARRAGENS NO RIO CUIABÁ.

Por tudo isso, convidamos e convocamos toda a população que tem sua consciência despertada para os prejuízos ecológicos, ambientais, econômicos, culturais e financeiros que a DEGRADAÇÃO E MORTE DE NOSSOS RIOS E DO PANTANAL representam para as atuais e futuras gerações.

Não Podemos deixar que MATEM NOSSOS RIOS E O PANTANAL. A mobilização popular é fundamental nesta luta pela ECOLOGIA INTEGRAL, em defesa de “NOSSA CASA COMUM”,

Defender NOSSOS RIOS, LIVRES DE BARRAGENS E O PANTANAL É UMA LUTA PERMANENTE EM DEFESA DAS ÁGUAS E DA VIDA.

Enquanto uma minoria lucra com a exploração desenfreada e as vezes até mesmo ilegal dos recursos naturais, de nosso Estado e do Brasil, que são obras da Criação, bens de uso coletivo , a fome, a pobreza, a exclusão e a miséria aumentam em nosso Estado  e isto pode piorar ainda mais com a degradação e morte de nossos rios e do Pantanal.

COMPAREÇA, PARTICIPE DESTA MOBILIZAÇÃO, DIVULGUE, COMPARTILHE ESSAS INFORMAÇÕES. JUNTOS SOMOS MAIS FORTES E VENCEREMOS!

JUACY DA SILVA, professor titular e aposentado da UFMT, Sociólogo, mestre em sociologia, articulador da Pastoral da Ecologia Integral da Arquidiocese de Cuiabá (em organização) Email [email protected] Instagram @profjuacy [email protected]

 

Continue lendo

Opinião

DAVID PINTOR – FCDL: 39 anos de trabalho em prol do comércio e de MT

Publicado

Há 39 anos a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Mato Grosso (FCDL-MT) está presente em mais de 60 municípios mato-grossenses por meio das Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDL’s), representando o segmento do comércio varejista, desde o pequeno, médio e de grande porte, junto ao Poder Público, exigindo transparência e melhorias no ambiente de negócios, tanto em nível municipal, quanto estadual.
Nossa atuação é pautada na adoção e execução de estratégias que influenciem no comércio lojista, permitindo melhores condições de crescimento empresarial.
Ainda estamos nos recuperando dos vestígios deixados pela pandemia causada pelo coronavírus, momento em que o associativismo mostrou a sua força diante da crise e mesmo diante das dificuldades, solicitamos medidas em prol da saúde da população, soluções para manter o comércio aberto, alternativas de empréstimos e isenções fiscais para a sobrevivência econômica.
Uma grande prova desse trabalho em conjunto é a recuperação da economia, em Mato Grosso, de acordo com dados divulgados pelo IBGE em agosto, houve um recuo de 4,4% no desemprego. Isso representa a garantia de que centenas de famílias estarão com emprego e renda e o comércio é responsável por cerca de 55% das carteiras assinadas, mais do que salário na conta, ter sustento – significa ter dignidade.
Importante salientar, que a diretoria da FCDL e de cada CDL é composta por empreendedores que vivem o dia a dia do comércio, desde o atendimento no balcão, gestão dos colaboradores e folha de pagamento, negociação com fornecedores, com bancos, além das estratégias de marketing e vendas. Muita coisa né?!
São essas pessoas que sentem na pele os benefícios e dificuldades, que tem a expertise para planejar as ações e escolher os serviços ofertados pelas CDLs, são esses diretores que além do seu próprio comércio, dedicam seu tempo em prol de toda uma classe, que buscam soluções para geração de renda e sustentabilidade através de desenvolvimento de produtos próprios ou parcerias.
Contudo, ao falarmos dessas quase 4 décadas de fundação, é impossível não relembrarmos das inúmeras e importantes conquistas desse período. Fatos que marcaram nossa história e mostraram a força da nossa entidade, como a aprovação da lei da Liberdade Econômica, que simplificou e desburocratizou a relação entre empresas, empreendedores e trabalhador, facilitando de forma impactante o comércio.
Outros avanços importantes foram em relação a alta carga tributária, desburocratização de sistemas, menos impostos, além do incremento do repasse dos recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), onde nós fomos umas das entidades que interviu junto ao Ministério da Integração Nacional para assegurar o repasse de 10% (dez por cento) dos recursos para os bancos cooperativos, favorecendo a efetiva aplicação dos recursos orçados anualmente, contribui desta forma para o aumento da geração de renda e consequentemente do desenvolvimento dos setores produtivos e das comunidades do Centro-Oeste do brasil. Uma conquista importante e motivo de muita comemoração para nós empresários da região.
Contudo, o grande marco da nossa Federação das CDLs de Mato Grosso durante todos esses anos, com certeza foi a expansão da entidade, se instalando nas mais diversas cidades do Estado através das CDLs e de seus núcleos, além da inauguração da sua sede própria, em 2019, graças a coragem e determinação do presidente na época, Ozair Bezerra.
Construímos e continuaremos construindo história e avançando cada vez mais. Parabéns Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Mato Grosso (FCDL-MT), parabéns às Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDL’s)…parabéns a todos os diretores que conduziram a entidade com muita sabedoria e perseverança nesses 39 anos.
Nossa gratidão pelo empenho e dedicação de cada um para o fortalecimento e engrandecimento da nossa federação.

David Pintor é presidente da FCDL MT e CDL VG

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana