conecte-se conosco


Turismo

7 bares temáticos em São Paulo para fugir do clichê nas noites quentes

Publicado


source
Conheça bares temáticos em São Paulo que fogem do clichê
iStock

Conheça bares temáticos em São Paulo que fogem do clichê

Que a capital paulista é repleta de opções de barzinhos e espaços para relaxar entre amigos ou casais não é exatamente uma novidade, mas, além das possibilidades tradicionais, estabelecimentos ambientados com temas específicos ou com abordagens alternativas chamam muito a atenção dos visitantes.

Desde uma taverna medieval a drinks servidos em recipientes inusitados, é possível escolher qual vai ser a experiência da vez e aproveitar tudo que essas apresentações e vertentes alternativas podem oferecer para curtir uma noite diferente e distante de qualquer clichê. Há opções para todos os gostos, variando entre lanches com ação e destruição e locais voltados para os fãs da cultura geek. 

1. Willi Willie Bar e Arqueria

Que tal aproveitar de boa comida e bebida e, de quebra, praticar arco e flecha? O Willi Willi Bar e Arquearia proporciona aos visitantes uma experiência única desde 1978 a jovens e adultos que querem tentar a sorte como arqueiros. Além da ambientação, o estabelecimento conta com música ao vivo, transmissão de eventos esportivos e um cardápio bem recheado de comidas e bebidas. É importante ressaltar que, para evitar acidentes, todas as noites há um instrutor que auxilia os clientes e os orienta com o arco e flecha. 

Endereço: Alameda Dos Pamaris, 30 – Moema.

2. Break Lab Burger

O Break Lab Burger oferece um espaço para que o visitante possa quebrar coisas como forme de descarregar o estresse
Reprodução

O Break Lab Burger oferece um espaço para que o visitante possa quebrar coisas como forme de descarregar o estresse

Localizado na Zona Sul da capital, o espaço é incrível para reunir os amigos, tomar uma cerveja, aproveitar uma boa música acústica e, para completar o ritual anti-estresse, quebrar tudo. O bar e hamburgueria é pioneiro no país no que diz respeito a proporcionar aos visitantes um “quarto da raiva”. Lá, é possível que os clientes quebrem objetos por recreação ou para aliviar o estresse do cotidiano. O cardápio oferece variedade de hambúrgueres e drinks para todos os gostos, incluindo opções de sobremesa.

Endereço: Avenida Interlagos, 261 – Jardim Marajoara.

3. Ludus Luderia

O Ludus Luderia permite que os visitantes se divirtam com jogos de tabuleiro
Divulgação

O Ludus Luderia permite que os visitantes se divirtam com jogos de tabuleiro

Situado na Bela Vista, a casa é conhecida principalmente por misturar de maneira lúdica e divertida um bar ao universo dos jogos de tabuleiro, incluindo aqueles que marcaram a infância de muitas pessoas, como Jogo da Vida e War. É possível se divertir com os amigos com os jogos oferecidos pelo estabelecimento e é possível jogar quantos jogos quiser até as 3 da manhã. A casa também oferece monitores divertidos que auxiliam na escolha das jogatinas e ensinam o mecanismo das brincadeiras para quem não conhece. 

Endereço: Rua Treze de Maio, 972 – Bela Vista.

Leia Também

(Conrinue a leitura logo abaixo)

Leia Também

4. Taverna Medieval

Na Vila Mariana é possível se teletransportar para os tempos feudais, em uma época totalmente distante da em que vivemos atualmente. A Taverna Medieval é inspirada no universo dos príncipes, princesas e contos de fadas, com cavaleiros e dragões. A casa faz muito sucesso, especialmente entre os fãs de “Game of Thrones” ou “Senhor dos Anéis”. Além da possibilidade de se acomodar em um barco viking e fazer o pedido a um garçom vestido totalmente a caráter, dá pra tomar um chopp em caneca de pedra ou degustar uma caipirinha de hidromel. O espaço é totalmente temático e faz o visitante viajar no tempo para dentro de histórias de fantasia. 

Endereço: Rua Gandavo, 456 – Vila Mariana.

5. Lar Mar

O bar traz um pouco do litoral para a capital paulistana
Reprodução

O bar traz um pouco do litoral para a capital paulistana

É um misto de bar, loja de surf e ateliê para quem gosta de possibilidades mais plurais. A casa promete transportar os visitantes diretamente para o clima e o cenário litorâneo. O espaço conta com 16 toneladas de areia branca, trazidas diretamente do litoral, fornecendo um cenário praiano digno. Quem se interessar em conhecer o local pode se acomodar em cangas ou cadeiras de praia enquanto aproveitam bons drinks e também acompanhar eventos como aulas de yoga e cinema ao ar livre — perfeito para sair do clichê. 

Endereço: Rua João Moura, 613 – Pinheiros.

6. Olívio Bar

O bar não possui uma temática específica, mas vale conhecer caso soe interessante curtir drinks servidos de maneiras totalmente exóticas. O bar tem uma cartela de bebidas autorais inusitadas, servidas de modo igualmente excêntrico. Que tal tomar uma bebida na cabeça do Donald Trump ou um mojito a la Wilson, do filme “Náufrago”? A casa oferece essa e outras possibilidades. 

Endereço: Rua Delfina, 196 – Pinheiros.

7. Season One Arts&Bar

O Season One Arts&Bar é dedicado principalmente aos fãs das séries que gostam de manter contato com esse universo
Reprodução

O Season One Arts&Bar é dedicado principalmente aos fãs das séries que gostam de manter contato com esse universo

Enquanto o Gibi Cultura Geek é voltado para a cultura Geek, o Season One é dedicado para os amantes fervorosos das séries. O bar reproduz um estúdio de filmagem e convida os clientes a mergulharem no mundo da televisão e do cinema por meio de itens da ambientação relacionados ao tema. Além dos petiscos e bebidas, o Season One também oferece uma programação diversificada incluindo música, cinema, teatro e exibe as melhores séries da televisão. 

Endereço: Rua Morato Coelho, 575 – Pinheiros.

Fonte: IG Turismo

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Jovem deixa a faculdade e decide virar nômade: “Infinitas possibilidades”

Publicado


source
Em 2014, Paloma Cores resolveu trancar a faculdade e se tornar nômade.
Reprodução / Instagram

Em 2014, Paloma Cores resolveu trancar a faculdade e se tornar nômade.

Aos 18 anos, a artista nômade Paloma Cores decidiu que iria trancar a faculdade e viajar pelo mundo. Na época, estudava Arquitetura e Urbanismo em Juiz de Fora, Minas Gerais, e deu o pontapé inicial em 2014, quando teve a oportunidade de realizar um curso particular de bioconstrução na Amazônia e obteve contato com uma experiência completamente diferente. O curso era de apenas uma semana, mas como a faculdade estava em greve ela ficou durante um mês. 

Paloma conta que o nomadismo surgiu de uma maneira inesperada. “Eu nunca pensei que eu fosse virar nômade, não planejei. Eu nunca tinha saído da minha cidade, nem viajado de avião. Quando eu cheguei na Amazônia, vivi uma outra realidade que eu nunca imaginei. Tanto num cenário físico mesmo, de outro ambiente, de outra cultura, quanto de outras possibilidades de viver a vida. Eu conheci pessoas de outros países, pessoas viajantes, que decidiram ir morar na Amazônia depois de muito viajar”, diz. 


Ao retornar para Minas, percebeu que a antiga vida não fazia mais sentido. No ano seguinte, em 2015, já que a faculdade ainda estava em greve, ela resolveu que iria realizar um mochilão pela Colômbia com uma amiga. “Quando eu voltei para minha cidade, não conseguia me ver mais lá. Sempre tive uma dúvida se fazia arquitetura ou se circo porque quando criança eu estudei em uma escola que tinha aulas circenses e era algo que eu gostava muito. Quando eu fui para a Amazônia, vi que eu poderia ter o circo e a arquitetura no mesmo lugar, que eu não precisava escolher um ou outro. Eu realmente vi as infinitas possibilidades que tinha na vida”, revela. 

Depois de economizar cerca de R$ 3 mil, ela partiu para a Colômbia, passando por cidades como Medellín, Bogotá, Cartagena, Santa Marta e Letícia. Para conseguir se estabelecer na viagem, fez voluntariado, couchsurfing e apresentações circenses e com tecido acrobático. “Onde eu ia pendurava o tecido e conhecia pessoas que viviam de arte e faziam apresentações de rua. Eu comecei a ver que também conseguiria fazer isso. Nessa época, a faculdade já tinha voltado, mas eu decidi que não iria voltar mais, queria continuar vivendo essa experiência, foi algo muito fluido, algo que foi acontecendo”, explica. 

Após o mochilão, que durou um mês, Paloma não voltou para Minas. Dessa forma, foi direto para a Amazônia, por meio de um percurso de barco. Foram quatro dias na embarcação até Manaus, e mais dois dias de volta a Alter do Chão, em Santarém. “Fazer essa viagem de navio pelo Rio Amazonas, conhecer a cultura local, e me desconectar, porque era realmente uma viagem sem sinal telefônico, me fez conectar bastante com as pessoas do barco”, comenta.

Leia Também

(Continue a leitura logo abaixo)

Leia Também

A artista afirma que não foi fácil no início, principalmente porque a família demorou para compreender a sua escolha. “Meus pais e meus amigos estavam preocupados, eles queriam que eu voltasse para a faculdade, não sabiam o que eu faria da vida, como eu me bancaria. Era difícil lidar com isso porque eu sabia, nem tinha essas respostas, ainda estava me descobrindo. Então, nesse momento, eu tive de me afastar um pouco da minha família porque nenhum de nós sabia como lidar com a situação. Fiquei sem me comunicar com eles por alguns meses, me comunicava uma vez por semana, falava que estava tudo bem, mas eu ainda estava me descobrindo”, pontua. 

Neste momento, os pais de Paloma foram visitar a filha, a fim de entender do que se tratava o estilo de vida adotado por ela. “Quando eles chegaram em Alter do Chão, viram que eu estava bem e feliz, que eu não tinha deixado de estudar. E viram que eu estava conseguindo me bancar financeiramente, na época com as artes mesmo, mas também trabalhei com bioconstrução e permacultura em uma comunidade. E eles ficaram mais tranquilos. Hoje, sete anos depois, eles me aceitam, amam o que eu faço, me admiram, me visitam, e eu visito eles pelo menos uma vez por ano. A gente se encontra, se fala sempre por telefone, e temos uma relação muito mais próxima do que antes de eu começar a viajar”, destaca. 

Sobre as maiores dificuldades enfrentadas, Paloma aponta para as questões financeiras. Quando começou a viajar, ela ainda não sabia como se sustentar com o trabalho de artista e não desejava se prender a nenhum emprego considerado usual. “Eu queria viver das coisas que eu acredito, não queria me entregar para um um trabalho convencional que não fizesse sentido para mim. Então, busquei viver de arte desde sempre. É desafiador realmente viver de arte, aprender a colocar o nosso próprio negócio no mundo, sendo que a gente ainda nem sabe qual é o nosso negócio. Hoje eu já tenho mais clareza sobre isso, mas na época não, então eu experimentei de tudo. Eu trabalhei com circo de rua, fazendo malabares no semáforo, espetáculos nas praças, em festas, eventos, trabalhei com turismo, com bioconstrução, tatuagem”, enumera. 

Paloma diz que nunca passou fome ou ficou sem lugar para dormir, mas que por diversas vezes teve dificuldades devido à saúde mental. “Quando a gente é dono da nossa própria empresa tem que se bancar psicologicamente também para que a empresa funcione. Em momentos que eu não estive tão bem psicologicamente, não estive bem financeiramente também. Consequentemente, tive dificuldade para encontrar um lugar para dormir, de ter lugar pra comer. Mas sempre encontrei pessoas incríveis ao longo do caminho que me ajudaram e isso foi a parte rica do momento desafiador. De ver que mesmo eu estando passando pelos perrengues, sempre consegui passar tranquilamente porque eu tinha pessoas ao meu redor que me ajudaram”, esclarece. 

A artista já passou pela Colômbia, Peru, Pará, Jericoacoara, Pipa, Canoa Quebrada, Rio de Janeiro, Curitiba e Florianópolis. No entanto, viajar sozinha não é um problema para ela. “Eu não consigo dizer que viajo sozinha porque sempre estou com alguém, acompanhada com uma pessoa que eu conheço durante a viagem. Mesmo nas vezes em que eu peguei um ônibus sozinha, conheci pessoas durante o caminho e nunca me senti solitária. Estou sempre acompanhada de pessoas muito queridas. Sempre peço muita proteção ao universo, peço que cheguem pessoas de bem, que cheguem pessoas positivas, que cheguem pessoas que ressoem com as coisas que eu acredito, e com essa confiança sempre chegam pessoas e assim vou seguindo o meu caminho”, finaliza.

Fonte: IG Turismo

Continue lendo

Turismo

Casa de “Esqueceram de Mim” pode ser alugada no Airbnb por apenas R$ 150

Publicado


source
Casa em que foram gravadas as cenas de
Divulgação

Casa em que foram gravadas as cenas de “Esqueceram de Mim”, pode ser alugada em Chicago.

O Airbnb acaba de anunciar que a casa em que ocorreram as gravações do filme “Esqueceram de Mim” estará disponível para aluguel. A iniciativa foi impulsionada pelo lançamento de “Esqueceram de mim no lar, doce lar”, nova produção que estreou na Disney+ no dia 12 de novembro de 2021. Quem irá recepcionar os hóspedes é Buzz McCallister, irmão mais velho do protagonista, Kevin. 

A casa da família McCallister ficará disponível para reserva de uma noite, no dia 12 de dezembro, para até quatro pessoas. “Esqueceram de Mim”, filme estrelado por Macaulay Culkin, estreou em 1990 e marcou a infância de muita gente. Na história conhecemos Kevin, garotinho que, durante as férias da família, foi deixado em casa sozinho por engano. 

Ao perceber que seu lar estava sendo ameaçado por ladrões, precisou colocar toda a sua astúcia em prática para se livrar dos bandidos. Os fãs que quiserem reviver as cenas clássicas do filme natalino deverão despender de US$25 (cerca de R$150), acrescendo taxas e impostos. No entanto, pessoas que residem no Brasil não são elegíveis para alugar a casa. A reserva estará disponível a partir de terça-feira, 7 de dezembro, neste link , e os interessados deverão se deslocar até Chicago, nos Estados Unidos.

Durante a estadia os hóspedes poderão aproveitar:

  • Um cenário aconchegante com luzes natalinas e uma árvore decorada em comemoração à época do ano.
  • Armadilhas contra invasores (mas não se preocupe, você irá montá-las e não cair nelas).
  • Loção pós-barba à vontade e a oportunidade de para poder gritar ao se olhar no espelho.
  • Comidas deliciosas, incluindo as melhores pizzas de Chicago e um jantar à luz de velas de macarrão com queijo de microondas.
  • Conhecer uma tarântula real.
  • Uma sessão de cinema da mais nova aventura “Esqueceram de mim no lar, doce lar”.
  • Uma miniatura da casa de “Esqueceram de mim” em LEGO para levar para sua casa.

Como medida de prevenção ao Covid-19, a equipe do Airbnb segue as normas sanitárias estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tais como o uso de máscara, distantanciamento social quando exigido pela lei, além de obedecer ap Protocolo Avançado de Higienização do Airbnb.

Fonte: IG Turismo

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana