conecte-se conosco


Saúde

5 dicas para perder o medo de doar sangue

Publicado

source
5 dicas para perder o medo de doar sangue
Redação EdiCase

5 dicas para perder o medo de doar sangue

Entenda como esse procedimento é simples, seguro e pode ajudar a salvar vidas

Por Guilherme de Melo

O Dia Mundial do Doador de Sangue é comemorado no dia 14 de junho em homenagem ao nascimento do imunologista austriaco Karl Landsteiner, responsável por descobrir o fator Rh e outras diferenças entre os tipos sanguíneos.

Em 2005, a Assembleia Mundial da Saúde designou essa data para conscientizar as pessoas sobre a doação e agradecer aos doadores, já que doar sangue é um ato de amor ao próximo e que pode dar esperança de vida e saúde para quem mais precisa. Assim, não importa quem será o beneficiado, mas, sim, que outras pessoas terão novas oportunidades e chances de recomeçar a própria vida.

> HPV em homens: entenda sobre o diagnóstico e o tratamento

Importância de doar sangue

Para a mestre em medicina tropical e saúde pública e professora de biomedicina, Daynara de Lima Paiva, não existe nada que substitua o sangue. “Isso [o sangue] desempenha funções vitais para nosso organismo como levar oxigênio a todo o corpo e nos defender contra infecções. Diversas pessoas todos os dias enfrentam situações em que é necessário receber sangue de doador ou algum tipo de hemoterapia para sua sobrevivência. Por isso, é importante estimular este hábito”, explica.

Os estoques dos bancos de sangue de todo o país precisam ser constantemente abastecidos para atender tanto pessoas em situação de emergência quanto quem necessita de sangue com frequência ou passa por cirurgias.

Medo de realizar a doação

Existem algumas pessoas que ainda têm medo ou preconceito com a doação de sangue. “A desinformação é a maior geradora desse preconceito. Muitas pessoas possuem o medo de que o sangue retirado venha afetar sua saúde”, reforça Daynara.

Pensando nisso, a professora de biomedicina preparou 5 dicas para não ter mais medo de doar sangue:

1. A quantidade de sangue retirada não afeta a saúde

O volume coletado não ultrapassa 10-15% da quantidade de sangue que o doador possui. Esse volume é reposto naturalmente pelo organismo em até 24 horas após a doação.

> Freekeh: conheça as vantagens desse tipo de grão

2. Não há risco de contaminações

Durante a doação de sangue, todos os materiais utilizados para doação de sangue são descartáveis e de uso único.

3. A técnica é simples 

O procedimento para doação de sangue é simples, prático e rápido, muito parecido com uma coleta de sangue para exames médicos.

> Hipertireoidismo e hipotireoidismo: entenda as causas e as diferenças e veja como tratar

4. Somente profissionais realizam a coleta

O atendimento é feito por profissionais altamente capacitados que garantem a total segurança do doador.

5. O procedimento é realizado somente em local adequado 

O local de coleta conta com todo suporte e material necessário para que a retirada do sangue seja feita de forma adequada, e que o doador se sinta tranquilo e a vontade durante todo o procedimento.

Confira mais conteúdos na revista ‘Cuidando da Saúde’

Fonte: IG SAÚDE

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Saúde

Covid-19: Brasil registra 284 óbitos e 76 mil casos em 24 horas

Publicado

As secretarias estaduais e municipais de Saúde registraram 75.139 novos casos de covid-19 e confirmaram 284 mortes por complicações associadas à doença nas últimas 24 horas em todo o país. Os dados estão na atualização divulgada nesta sexta-feira (1º) pelo Ministério da Saúde. Segundo a pasta, o estado do Mato Grosso do Sul não enviou o balanço de óbitos nesta sexta.

Com as novas informações, o total de pessoas infectadas pelo novo coronavírus durante a pandemia soma 32.434.063.

O número de casos de covid-19 em acompanhamento está em 888.681. O termo é dado para designar casos notificados nos últimos 14 dias em que não houve alta, nem óbito.

Com os números de hoje, o total de mortes desde o início da pandemia chegou a 671.700. Ainda há 3.241 óbitos em investigação. As ocorrências envolvem casos em que o paciente faleceu, mas a investigação se a causa foi covid-19 ainda demanda exames e procedimentos complementares.

Até agora, 30.873.682 pessoas se recuperaram da covid-19. O número corresponde a 95,3% dos infectados desde o início da pandemia.

Boletim epidemiológico da covid-19 Boletim epidemiológico da covid-19

Boletim epidemiológico da covid-19 – Ministério da Saúde

Estados

Segundo o balanço do Ministério da Saúde, o estado que registra mais mortes por covid-19, até o momento, é São Paulo, com 170.994 óbitos. Em seguida, aparecem Rio de Janeiro, com 74.157; Minas Gerais, com 62.170; Paraná, com 43.803; e Rio Grande do Sul, com 40.040.

Os estados com menos óbitos resultantes da doença são: Acre, com 2.004; Amapá, com 2.140; Roraima, com 2.153; Tocantins, com 4.168; e Sergipe, com 6.359.

Vacinação

Até o momento, foram aplicadas 453.678.213 doses de vacinas contra a covid-19, sendo 178,2 milhões como primeira dose, 161,1 milhões como segunda dose e 4,9 milhões como dose única. A dose de reforço já foi aplicada em 94,8 milhões de pessoas e a segunda dose extra, ou quarta dose da vacina, 10,1 milhões.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

Saúde

Covid-19: cenário epidemiológico no Rio apresenta estabilidade

Publicado

O boletim semanal do Panorama Covid-19, divulgado hoje (1º), apresenta um cenário de estabilidade dos indicadores precoces da doença.  Alguns dados já começam a apresentar tendência de queda. A análise considera os dados registrados na semana de 19 a 24 de junho.

O secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe disse que “na última semana, começamos a observar uma estabilidade nos atendimentos por síndrome gripal nas unidades de pronto atendimento (UPA).

A proporção maior é de atendimentos adultos, mostrando que os casos em crianças estão reduzindo. As taxas de positividade, por sua vez, estão apresentando uma tendência de redução. Importante que a população siga procurando os postos para completar o esquema vacinal. As vacinas são a maneira mais eficaz de evitarmos as formas graves e óbitos pela doença”.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, na última semana foram realizados em média 14.875 testes de antígeno por dia, sendo a positividade de 30%. Em relação ao RT-PCR, estão sendo analisados em média 831 exames por dia, com positividade de 37%. Na semana de 13 a 18 de junho, a positividade dos testes de antígeno estava em 34% e a dos exames de RT-PCR, em 36%.

Quanto às solicitações de leito para tratamento da covid-19, a média diária foi de 22 para UTI e 18 de enfermaria.  Na semana de 13 a 18 de junho, a média diária foi de 18 solicitações para UTI e 13 de enfermaria. A média diária de pessoas aguardando um leito é de 43 para UTI e 35 para enfermaria. Importante ressaltar que a fila é dinâmica e, ao longo das 24h, pessoas entram e saem dessa fila.

A Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária à Saúde enviou nota técnica aos 92 municípios com orientações sobre testagem para covid-19 no estado. O texto alerta para que as unidades básicas e de pronto atendimento mantenham a oferta de teste rápido de antígeno para todos os casos de síndrome gripal.

Para consultar o número de internações, óbitos e taxa de cobertura vacinal, basta acessar o Painel de Monitoramento da Covid-19: https://painel.saude.rj.gov.br/monitoramento/covid19.html.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana