conecte-se conosco


Esportes

Mato-grossense: 7ª rodada tem disputa que vale a ponta e três jogos que indicam os eventuais degolados

Publicado

JORGE MACIEL

Cinco jogos abrem neste domingo, 01, a sétima rodada do Campeonato Mato-grossense, com dois cenários extremos da guia de classificação. No alto, o líder Cuiabá e o União e Operário-VG, que vêm a seguir, se mantêm entre os três primeiros, independente de resultados da rodada –  e o que pode mudar são as suas posições na tabela.

No rodapé da tabela, Luverdense, que é oitavo colocado,  e Mixto, na vice-lanterna, em nono, dependem de uma vitória para se afastarem do perigo de degola. Já o Araguaia tem chances remotas de permanecer na primeira divisão, até porque ainda não pontuou, tem jogos difíceis e 15 gols negativos. A primeira fase termina na nona rodada, quando dois clubes cairão para a segundona.

Líder vai ao Pantanal

A rodada começa com o líder Cuiabá (16 pontos) visitando o Poconé (sete), time que engatou vitórias e empates nas últimas rodadas e surpreendeu adversários que eram considerados favoritos. Os pantaneiros estão em sétima posição e fazem o duelo com o Cuiabá no Neco Falcão, às 16:30 horas. A missão do Cuiabá, com apenas dois pontos à frente do União, é vencer os pantaneiros e torcer para que o União perca para o Operário-VG.

Cem jogos de rivalidade

No Luthero Lopes, sul do Estado, o vice-líder União, time treinado por Júlio César Nunes, tem 14 pontos e recebe o Operário-VG, com 11, que está em terceiro. É uma briga direta do União pela ponta e do Operário pela vice-liderança. Sob Luiz Gabardo, o tricolor várzea-grandense foi o único time que não teve um dia só de folga no Carnaval. O jogo marca os 100 encontros oficiais entre os dois clubes pelo Estadual. Os dois clubes já enfrentaram 109 vezes, mas quatro foram partidas amistosas e as outras cinco o jogo foi com o Operário Futebol Clube, time que foi rebaixado no ano passado.

Centrão embolado

No centro da tabela, a briga é para subir degraus e não correr o risco de desclassificação. Em Nova Mutum, no Duílio Wonz, o Nova Mutum recebe o lanterna Araguaia. Com oito pontos e em quinto, uma vitória sobre o já quase rebaixado, levaria o Nova Mutum aos 11 pontos, carimbando a próxima fase. O time treinado por Willian de Matia, o Dema, não terá o atacante e meia Rafael e Wilson, suspensos por cartões e om treinador vê um jogo de risco, diante das circunstâncias do adversário.

No outro jogo, na Arena Pantanal, às 16 horas, o vice-lanterna Mixto, com quatro pontos, estreando três reforços, visita o Dom Bosco, 6º na tabela com oito pontos, Favorito pelo retrospecto, os dom-bosquinos têm maiores chances de vitória, mas é o “Clássico vovô” em que a rivalidade histórica sempre faz subir a temperatura e o resultado é imprevisível.

Clássico no Nortão

Mal das pernas, com apenas uma vitória e dois empates, o Luverdense vai ao nortão neste domingo para encarar o Sinop, que está em quarto na tabela com dez pontos e tm a volta de três jogadores eu estavam cumprindo suspensão – Queijinho, Alan Júnior e Juninho. Em casa, o Sinop é um time a vencer – perdeu duas fora, empatou e venceu três no Gigantão, onde manda seus jogos. O Luverdense vem de uma reação diante do Araguaia (1 x0) e cresceu com a mudança de comportamento com a chegada do técnico Toninho Pesso. Ainda assim, vencer o Galo do norte em casa é uma tarefa muito difícil.

VEJA OS JOGOS DA SÉTIMA RODADA

Dom Bosco x Mixto – Arena Pantanal – 16 horas

Poconé x Cuiabá – Neco Falcão – 16:30 horas

Nova Mutum x Araguaia – Valdir Duílio – 18 horas

Sinop x Luverdense – Gigante do Norte – 18 horas

União x Operário-VG – Luthero Lopes – 19 horas

.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Esportes

Após críticas e ameaças de boicote, Japão anuncia adiamento da Olimpíada de Tóquio

Publicado


Primeiro-ministro pediu ao Comitê Olímpico Internacional para adiar os jogos que deveriam acontecer em Tóquio neste ano

G1 – O primeiro-ministro japonês, Abe Shinzo, confirmou nesta terça-feira (24) que pediu ao Comitê Olímpico Internacional (COI) o adiamento de um ano dos Jogos Olímpicos, que estavam programados para o dia 24 de julho. A autoridade esportiva aceitou, e a competição foi postergada para 2021.

Abe fez o anúncio a jornalistas depois de uma conversa telefônica com o presidente do COI, Thomas Bach. Segundo ele, o COI aceitou o pedido.

O COI, então, confirmou em um comunicado o adiamento assinado em conjunto com o governo japonês. “Na circunstância presente, e baseados na informação providenciada pela Organização Mundial da Saúde, o presidente do COI e o primeiro-ministro do Japão concluíram que os Jogos da 32ª Olimpíada em Tóquio devem ser reagendados para uma data para além de 2020, mas não depois do verão de 2021, para garantir a saúde de atletas, todos envolvidos nos Jogos e a comunidade internacional.”

As Olimpíadas, portanto, deverão ser realizadas em 2021. Mesmo assim, o nome oficial do evento será Tóquio 2020, de acordo com o governador de Tóquio, Yuriko Koike.

Os Jogos Olímpicos foram adiados por causa da pandemia do Covid-19, que impactou a organização do evento e também a preparação dos atletas.

A conversa telefônica incluiu, além de Abe e de Bach, o governador de Tóquio, Yuriko Koike, e o líder da organização dos Jogos, Yoshiro Mori.

Abe pediu para que Bach tomasse uma decisão o mais rápido possível, segundo a NHK.

Essa é a primeira vez, na era moderna, que os Jogos Olímpicos são adiados. Eles foram cancelados em três ocasiões: 1916, 1940 e 1944, por causa da Primeira e Segunda Guerras mundiais.

Pressão de atletas

O Comitê Olímpico do Canadá havia publicado uma carta na segunda-feira (23) na qual informou que ia boicotar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos se eles fossem realizados em 2020. A Austrália também informou que não enviaria seus atletas.

Noruega e Grã-Bretanha pressionaram o COI e ameaçaram não participar dos Jogos.

Os comitês do Brasil, Eslovênia, Alemanha haviam pedido o adiamento, assim como as equipes norte-americanas de natação e corrida.

Eliminatórias congeladas

A maioria (78%) dos atletas era favorável a um adiamento, de acordo com uma pesquisa divulgada pelo “The New York Times”.

As medidas de contenção do coronavírus, que em muitos países incluem a proibição de viagens, interromperam os jogos eliminatórios para as Olimpíadas. Muitos dos atletas não podem sair de casa por causa das medidas de isolamentos impostas. Ainda assim, até o domingo (22), o COI tinha dito que só tomaria uma decisão em quatro semanas.

Continue lendo

Esportes

Sem agenda segura, clubes de desfazem de técnicos e elenco

Publicado

Dois dos cinco técnicos, Marcelo Chamusca (Cuiabá) e Marcos Birigui (Sinop),  que vinham mantendo esperanças de continuidade do campeonato e apostavam no título,  permanecem com vínculos ainda com seus clubes, mas podem ser liberados nesta terça-feira 24.

A suspensão do campeonato parece ser definitiva, e os demais clubes que fariam as quartas-de-final já dispensaram todos os técnicos, auxiliares e jogadores. O Cuiabá, que tem calendário – Série B, Copa Verde, Copa do Brasil e o Estadual, eventualmente, decide daqui a três dias a decisão a tomar.

O União, Luverdense e Operário, que já não esperam a continuação do Estadual, mas têm o Brasileiro da Série D, já se desfez do plantel por completo – o mesmo ocorrendo com Dom Bosco e Poconé. Os técnicos Júlio Cesar Nunes, que deixou o colorado invicto em nove partidas,  Toninho Pesso, que livrou o Luverdense do rebaixamento e Luiz Gabardo, que foi eleito melhor técnico da primeira fase, pelo Operário, já fizeram os acertos e dois deles já estão nas suas cidades de origem. Toninho Pesso permanece em Lucas do Rio Verde.

O Nova Mutum time que estreou na elite, neste ano, e vinha sendo a sensação do campeonato e campeão de público, foi o clube que mais lamentou a paralisação, embora tenha apoiado a decisão das FMF e e autoridades médicas.

O clube comandado pelo técnico Willian De Matia tinha planos ambiciosos de chegar entre os quatro finalistas, para, quem sabe, conseguir uma das vagas na Série D e até a Copa do Brasil, no ano que vem – considerando que o Cuiabá já está na Série B.

-“Foi uma pena, ficamos muito tristes, até porque estávamos em uma crescente”, disse De Mattia, que foi campeão pelo Nova Mutum da Segunda Divisão, e no campeonato ficou entre os cinco clubes na pontuação.

Sem perspectivas seguras de continuação do Estadual, os clubes se desfizeram dos plantéis, mas os jogadores e técnicos estão de sobreaviso e, caso não tenham outras propostas, podem retornar para a agenda deste ano, caso a pandemia do coronavirus seja debelada.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana