SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=37026 LIMIT 1
O Documento - MDB decide não ocupar cargos e cobrará promessas de campanha de Mendes

SEM INDICAÇÕES

MDB decide não ocupar cargos e cobrará promessas de campanha de Mendes

Por: Da Redação
Carlos Bezerra negou que houve rompimento e garante que vai apoiar o governo no que o MDB considerar bom para o estado
Carlos Bezerra negou que houve rompimento e garante que vai apoiar o governo no que o MDB considerar bom para o estado

A decisão do MDB do deputado federal Carlos Bezerra, líder maior do partido no Estado, de não participar da composição do staff do governador eleito, Mauro Mendes (DEM), não significa um rompimento com o governo. “Não houve rompimento. O MDB entendeu por bem não ocupar cargos no governo do Mauro Mendes. Vamos seguir apoiando o governo no que for bom e cobrar a execução daquilo que está no programa apresentado durante a eleição”, disse Bezerra.

O líder emedebista apresentou sua posição na manhã desta sexta-feira (14), depois de uma reunião com Mauro Mendes onde o democrata pretendia definir o espaço da agremiação no futuro governo, com o oferecimento de uma das quinze secretarias que o Governo do Estado terá a partir de janeiro de 2019. O MDB queria pelo menos duas secretarias. Esse, conforme o cacique do MDB, era o acordado quando da formação da aliança que elegeu Mendes ao governo.

Carlos Bezerra estava descontente com Mendes pelo fato de o democrata, quando do anúncio dos primeiros cinco secretários do seu governo a partir de janeiro, sequer recebeu um convite para participar do anúncio dos nomes. O líder do MDB também não vê mais secretarias consideradas de ponta para ocupar na gestão de Mendes. Para Bezerra, as secretarias definidas até agora foram todas de indicações de ordem pessoal do governador eleito.

Apesar do descontentamento visível, Bezerra faz questão de dizer que a não composição de nomes no staff não significa ruptura, distanciamento do governo que se avizinha. Ele garantiu que o MDB apoiará a nova gestão nas questões de interesse dos mato-grossenses mesmo sem ocupar cargos na estrutura governamental.

Na próxima legislatura da Assembleia Legislativa, o MDB de Bezerra terá, a partir de fevereiro, três deputados estaduais. São eles, a deputada reeleita Janaina Riva e os estreantes Doutor João e Thiago Silva. Com a possibilidade de um quarto deputado, caso Allan Kardec, que foi reeleito, assuma a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer do futuro governo, o deputado Romoaldo Júnior, que não se reelegeu, assume por conta de ser o primeiro suplente.

Confira a nota divulgada pelo partido, “em reunião realizada hoje (14) pela manhã, em Cuiabá, a Executiva regional do MDB decidiu que o partido não indicará nomes para participação no Governo Mauro Mendes. O presidente, deputado Carlos Bezerra, disse que o MDB não comporá os quadros do governo, mas apoiará as questões de interesse dos mato-grossenses e que cobrará as promessas de campanha”.

 

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.146.206.127) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=37026 ORDER BY id DESC
  • 1
    0
    Autor:
    Isso não é bom para um Governo que nem iniciou, já começar dividido entre os aliados politicos que tiveram um vitoria belissima em 1° turno elegendo o Governador e o Senador, e varios parlamentares federais e estaduais. ) Mauro Mendes não se pode cometer erros politicos, como fez o atual Pedro Taques, que abandonou os aliados e terminou agora sozinho, frustado. Cuidado a politica tem que ter dialogo e abrir espaços, caso contrario sai tudo errado