SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=25045 LIMIT 1
O Documento - Deputado confirma que atuou pela aprovação das contas, mas nega propina

DELAÇÃO/SILVAL

Deputado confirma que atuou pela aprovação das contas, mas nega propina

Por: Silvana Bazani
Fonte: Especial para o Documento
Áudio mostra Romualdo Júnior pedindo dinheiro para filho do ex-governador; parlamentar desqualifica gravação
Áudio mostra Romualdo Júnior pedindo dinheiro para filho do ex-governador; parlamentar desqualifica gravação
Foto de ODOC

O deputado estadual Romoaldo Júnior (PMDB) confirma que atuou pela aprovação das contas do colega de partido e ex-governador Silval Barbosa (PMDB) em 2014. Na época, o parlamentar era líder do governo. Na última segunda-feira (11) foi divulgado um áudio, com quase uma hora de gravação, no qual o deputado estadual cobra propina em troca da aprovação das contas do ex-governador.

A gravação foi feita pelo filho do ex-governador, Rodrigo Barbosa, durante encontro com o parlamentar, no dia 16 de dezembro de 2015. Participa do encontro no estacionamento da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) o irmão de Silval Barbosa, Antônio Barbosa.  Nessa data, Silval já estava preso no Centro de Custódia da Capital (CCC), onde permaneceu por quase dois anos. Há dois meses ele cumpre prisão domiciliar em Cuiabá. O material divulgado integra o conteúdo da delação premiada firmada pela família de Silval Barbosa com a Procuradoria Geral da República (PGR).

Em depoimento à PGR, Rodrigo Barbosa afirma que o deputado Romoaldo Júnior telefonou para Antônio Barbosa. Na ligação, teria dito que queria conversar sobre o voto do deputado estadual e relator das contas de Silval Barbosa, Wagner Ramos (PSD).  “Ele (Wagner Ramos) quer 300 contos. Queria um (R$ 1 milhão), baixou para R$ 500 (mil). Sentou com o Rodrigo que mandou R$ 250 (mil). Me mandou voltar lá para pedir R$ 400 (mil)”, declara Romoaldo.

O diálogo prossegue e Antônio Barbosa afirma que os deputados rejeitariam as contas se a propina não fosse paga. Então, segundo Rodrigo Barbosa, Romoaldo pede a um assessor que convide Wagner Ramos a ir até o carro onde estavam os 3. “Eu se fosse vocês levava ele [Wagner] em algum lugar e dava um montante. (...) 300 contos que você pagar, você economiza R$ 15 milhões de advogado”, prossegue o deputado. Ainda segundo o filho do ex-governador, o deputado estadual Silvano Amaral (PMDB) ameaçou tumultuar a votação caso não fosse contemplado com o pagamento ilícito.

De acordo com Rodrigo Barbosa, para garantir o parecer favorável das contas no Parlamento Estadual foram R$ 250 mil a Wagner Ramos, sendo que José Domingos Fraga e Silvano receberam R$ 200 mil cada.

“Fui líder do Silval Barbosa (na ALMT). Quando foi a época de votar as contas,  o Silval precisava do parecer favorável. E aí a bancada de oposição queria travar”, relata Romoaldo Júnior. Ele afirma ainda que o irmão e o filho do ex-governador queriam encontrá-lo e aproveitaram a ocasião para realizar a gravação. O parlamentar confirma ter conversado com colegas da Casa de Leis para rever o parecer sobre as contas de Silval Barbosa. “Não pedi nada”, rebate, em alusão à cobrança de propina. 

 

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.80.137.187) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=25045 ORDER BY id DESC