SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=24400 LIMIT 1
O Documento - Famílias da capital diminuem a Intenção de Consumo

AGOSTO

Famílias da capital diminuem a Intenção de Consumo

Por: Da Redação
Pesquisa divulgada nesta sexta-feira revelou uma situação melhor do que a registrada no mesmo período do ano passado
Pesquisa divulgada nesta sexta-feira revelou uma situação melhor do que a registrada no mesmo período do ano passado

A pesquisa que mede a intenção de Consumo das Famílias (ICF), na capital do Estado, mostrou retração em agosto de -1,8%, atingindo 73,9 pontos no mês, contra os 75,3 pontos do mês anterior. A diminuição na intenção de consumo também foi observada nas famílias com faixa de renda até 10 salários mínimos (-1,6%) e nas famílias com faixa de renda acima de 10 s.m. (-3,5%).

Apesar da queda mensal, a pesquisa divulgada nesta sexta-feira (18), pela Fecomércio-MT, revelou uma situação melhor do que a registrada no mesmo período do ano passado, quando o ICF geral era de 68,5 pontos em agosto de 2016, o aumento observado foi de 7,8%. A escala vai de zero a 200 pontos e o índice 100 demarca a fronteira de insatisfação e satisfação do consumidor quanto ao consumo.

O resumo da pesquisa mostrou que três componentes tiveram melhoras no mês. A situação do “Emprego Atual” alcançou em agosto 117,6 pontos (+0,6%), indicando que os cuiabanos se sentem mais seguros com o emprego se comparado com o mesmo período do ano passado. A “Renda Atual” também apresentou crescimento no mês, 92,4 pontos (+0,9%), revelando melhora na renda dos cuiabanos sobre o mesmo período de 2016. O “Momento para aquisição de duráveis” foi o que teve maior crescimento no mês, atingindo 56,8 pontos (+10,5%), revelando ser um bom momento para a compra de bens duráveis (eletrodomésticos, TV, som etc.). 

O presidente da Fecomércio-MT, Hermes Martins da Cunha, explicou que o nível de consumo das famílias da capital tem apresentado melhora, mas que ainda é momento de cautela. “Estamos em um momento de transição da economia. A situação do emprego já ultrapassou o nível de satisfação da pesquisa, o mesmo está acontecendo com a renda atual dos trabalhadores. Isso é reflexo do bom momento que já está sendo esperado neste segundo semestre para frente”.

Para a assistente econômica da CNC, Juliana Serapio, outros indicadores econômicos também contribuem para o aumento do consumo. “Além dos resultados mais favoráveis do mercado de trabalho no curto prazo, a trajetória recente da inflação já abriu as portas para mais quedas nas taxas de juros, fator fundamental para a recuperação das condições de consumo na segunda metade de 2017”.

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.198.210.67) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=24400 ORDER BY id DESC