SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=25708 LIMIT 1
O Documento - As Vinhas da Ira é exibido dentro da série Encontros com Cinema

CINE TEATRO

As Vinhas da Ira é exibido dentro da série Encontros com Cinema

Por: Da Redação
A crise provocada pela grande depressão nos Estados Unidos é o pano de fundo de As Vinhas da Ira (1940), do diretor John Ford, que será exibida nesta terça-feira (10) como parte do projeto Encontros com Cinema – Ciclo Filmes de Estrada, às 19h, no Cine Teatro Cuiabá. Baseado no romance homônimo de mesmo nome, de 1939, escrito por John Steinbeck e vencedor do prêmio Pulitzer, o filme escancara problemas sociais provocados pela ganância de pessoas em uma época bastante difícil. As Vinhas da Ira conta a história de uma família de agricultores, os Joad, que têm a fazenda tomada pelo banco. Liderados pelo filho Tom (Henry Fonda), recém-liberado condicionalmente, pegam a estrada num caminhão em busca de uma vida melhor na Califórnia. Com promessas de emprego e moradia, encontram outras famílias que buscavam o mesmo sonho. No entanto, quando chegam à cidade, percebem que a terra prometida não era bem o que eles esperavam. O longa trata de um tema delicado com extrema sensibilidade, enquanto acompanha a trajetória sofrida de migração de uma família simples do interior dos Estados Unidos. Acostumadas a um estilo de vida que a urbanização não permitiria existir mais, estas pessoas são forçadas a tentar a vida na cidade grande, numa mudança conturbada que só aumentará os problemas sociais do país. Problemas gerados pelo sistema capitalista e, principalmente, pela ganância, já ganhava espaço em 1940 e perduram até hoje. O diretor John Ford exalta o “amor à terra” logo no início da narrativa, quando o emocionado Muley (John Qualen) chora enquanto agarra a terra no chão. “Nasci aqui e vou morrer aqui!”, esbraveja. Ford mostra também o outro lado da moeda, evidenciando os problemas causados pela migração quando um grupo de pessoas para o caminhão da família Joad e impede que eles entrem em determinada região, já repleta de pessoas famintas e desesperadas. Amontoada num caminhão caindo aos pedaços, a família sofre durante toda a viagem. A trilha sonora, triste e melancólica, simboliza a tristeza de quem teve que deixar a terra que ama.  O filme venceu o New York Critcs Circle Awards (EUA), em 1940, na categoria Melhor Filme e Melhor Diretor. Conquistou ainda o Oscar de 1941 nas categorias de Melhor Diretor (John Ford), Melhor Montagem, Melhor Filme, Melhor Som e Melhor Roteiro. Em 1989, foi um dos primeiros 25 filmes selecionados para a preservação no National Films Registry, dos Estados Unidos, pela Biblioteca do Congresso, como "culturalmente, historicamente ou esteticamente significativo". Dentro do gênero road movie, o drama será exibido em sessão única no Cine Teatro. Este e demais filmes exibidos pelo projeto Encontros com Cinema possuem entrada social, aos valores de R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia). O Cine Teatro Cuiabá é um equipamento cultural da Secretaria de Estado de Cultura (SEC-MT), administrado via contrato de gestão compartilhada pela Associação Cultural Cena Onze.   Confira a programação completa 10/10: Vinhas da Ira (1940) - Classificação 14 anos 17/10: Na natureza selvagem (2007) - Classificação 16 anos 24/10: Viajo porque preciso, volto porque te amo (2009) - Classificação 18 anos 31/10: Olhe para mim de novo (2011) - Classificação 16 anos
A crise provocada pela grande depressão nos Estados Unidos é o pano de fundo de As Vinhas da Ira (1940), do diretor John Ford, que será exibida nesta terça-feira (10) como parte do projeto Encontros com Cinema – Ciclo Filmes de Estrada, às 19h, no Cine Teatro Cuiabá. Baseado no romance homônimo de mesmo nome, de 1939, escrito por John Steinbeck e vencedor do prêmio Pulitzer, o filme escancara problemas sociais provocados pela ganância de pessoas em uma época bastante difícil. As Vinhas da Ira conta a história de uma família de agricultores, os Joad, que têm a fazenda tomada pelo banco. Liderados pelo filho Tom (Henry Fonda), recém-liberado condicionalmente, pegam a estrada num caminhão em busca de uma vida melhor na Califórnia. Com promessas de emprego e moradia, encontram outras famílias que buscavam o mesmo sonho. No entanto, quando chegam à cidade, percebem que a terra prometida não era bem o que eles esperavam. O longa trata de um tema delicado com extrema sensibilidade, enquanto acompanha a trajetória sofrida de migração de uma família simples do interior dos Estados Unidos. Acostumadas a um estilo de vida que a urbanização não permitiria existir mais, estas pessoas são forçadas a tentar a vida na cidade grande, numa mudança conturbada que só aumentará os problemas sociais do país. Problemas gerados pelo sistema capitalista e, principalmente, pela ganância, já ganhava espaço em 1940 e perduram até hoje. O diretor John Ford exalta o “amor à terra” logo no início da narrativa, quando o emocionado Muley (John Qualen) chora enquanto agarra a terra no chão. “Nasci aqui e vou morrer aqui!”, esbraveja. Ford mostra também o outro lado da moeda, evidenciando os problemas causados pela migração quando um grupo de pessoas para o caminhão da família Joad e impede que eles entrem em determinada região, já repleta de pessoas famintas e desesperadas. Amontoada num caminhão caindo aos pedaços, a família sofre durante toda a viagem. A trilha sonora, triste e melancólica, simboliza a tristeza de quem teve que deixar a terra que ama. O filme venceu o New York Critcs Circle Awards (EUA), em 1940, na categoria Melhor Filme e Melhor Diretor. Conquistou ainda o Oscar de 1941 nas categorias de Melhor Diretor (John Ford), Melhor Montagem, Melhor Filme, Melhor Som e Melhor Roteiro. Em 1989, foi um dos primeiros 25 filmes selecionados para a preservação no National Films Registry, dos Estados Unidos, pela Biblioteca do Congresso, como "culturalmente, historicamente ou esteticamente significativo". Dentro do gênero road movie, o drama será exibido em sessão única no Cine Teatro. Este e demais filmes exibidos pelo projeto Encontros com Cinema possuem entrada social, aos valores de R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia). O Cine Teatro Cuiabá é um equipamento cultural da Secretaria de Estado de Cultura (SEC-MT), administrado via contrato de gestão compartilhada pela Associação Cultural Cena Onze. Confira a programação completa 10/10: Vinhas da Ira (1940) - Classificação 14 anos 17/10: Na natureza selvagem (2007) - Classificação 16 anos 24/10: Viajo porque preciso, volto porque te amo (2009) - Classificação 18 anos 31/10: Olhe para mim de novo (2011) - Classificação 16 anos

A crise provocada pela grande depressão nos Estados Unidos é o pano de fundo de As Vinhas da Ira (1940), do diretor John Ford, que será exibida nesta terça-feira (10) como parte do projeto Encontros com Cinema – Ciclo Filmes de Estrada, às 19h, no Cine Teatro Cuiabá. Baseado no romance homônimo de mesmo nome, de 1939, escrito por John Steinbeck e vencedor do prêmio Pulitzer, o filme escancara problemas sociais provocados pela ganância de pessoas em uma época bastante difícil.

As Vinhas da Ira conta a história de uma família de agricultores, os Joad, que têm a fazenda tomada pelo banco. Liderados pelo filho Tom (Henry Fonda), recém-liberado condicionalmente, pegam a estrada num caminhão em busca de uma vida melhor na Califórnia.

Com promessas de emprego e moradia, encontram outras famílias que buscavam o mesmo sonho. No entanto, quando chegam à cidade, percebem que a terra prometida não era bem o que eles esperavam.

O longa trata de um tema delicado com extrema sensibilidade, enquanto acompanha a trajetória sofrida de migração de uma família simples do interior dos Estados Unidos. Acostumadas a um estilo de vida que a urbanização não permitiria existir mais, estas pessoas são forçadas a tentar a vida na cidade grande, numa mudança conturbada que só aumentará os problemas sociais do país.

Problemas gerados pelo sistema capitalista e, principalmente, pela ganância, já ganhava espaço em 1940 e perduram até hoje. O diretor John Ford exalta o “amor à terra” logo no início da narrativa, quando o emocionado Muley (John Qualen) chora enquanto agarra a terra no chão. “Nasci aqui e vou morrer aqui!”, esbraveja.

Ford mostra também o outro lado da moeda, evidenciando os problemas causados pela migração quando um grupo de pessoas para o caminhão da família Joad e impede que eles entrem em determinada região, já repleta de pessoas famintas e desesperadas. Amontoada num caminhão caindo aos pedaços, a família sofre durante toda a viagem. A trilha sonora, triste e melancólica, simboliza a tristeza de quem teve que deixar a terra que ama. 

O filme venceu o New York Critcs Circle Awards (EUA), em 1940, na categoria Melhor Filme e Melhor Diretor. Conquistou ainda o Oscar de 1941 nas categorias de Melhor Diretor (John Ford), Melhor Montagem, Melhor Filme, Melhor Som e Melhor Roteiro. Em 1989, foi um dos primeiros 25 filmes selecionados para a preservação no National Films Registry, dos Estados Unidos, pela Biblioteca do Congresso, como "culturalmente, historicamente ou esteticamente significativo".

Dentro do gênero road movie, o drama será exibido em sessão única no Cine Teatro. Este e demais filmes exibidos pelo projeto Encontros com Cinema possuem entrada social, aos valores de R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia). O Cine Teatro Cuiabá é um equipamento cultural da Secretaria de Estado de Cultura (SEC-MT), administrado via contrato de gestão compartilhada pela Associação Cultural Cena Onze.

Confira a programação completa

10/10: Vinhas da Ira (1940) - Classificação 14 anos

17/10: Na natureza selvagem (2007) - Classificação 16 anos

24/10: Viajo porque preciso, volto porque te amo (2009) - Classificação 18 anos

31/10: Olhe para mim de novo (2011) - Classificação 16 anos

 

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.81.131.189) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=25708 ORDER BY id DESC