SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=7420 LIMIT 1
O Documento - Reeleição de Lucimar assegura 50 anos de poder à família Campos, em VG

REPORTAGEM ESPECIAL

Reeleição de Lucimar assegura 50 anos de poder à família Campos, em VG

Por: DA EDITORIA
Reportagem especial do portal ODOC retrata trajetória política da família Campos; são 50 anos de poder
Após 66 anos desde a primeira posse dos Campos no poder, casal Jaime e Lucimar Campos pode alcançar a marca de meio século de domínio político, em Várzea Grande
Após 66 anos desde a primeira posse dos Campos no poder, casal Jaime e Lucimar Campos pode alcançar a marca de meio século de domínio político, em Várzea Grande
Foto de ODOC
Sobrinho de seu "Fiote", Ary Campos é fotografado ao lado de uma Rural, veículo oficial do então prefeito de Várzea Grande
Sobrinho de seu "Fiote", Ary Campos é fotografado ao lado de uma Rural, veículo oficial do então prefeito de Várzea Grande
Foto de Arquivo/ODOC
Em janeiro de 1982, o jovem Jaime Campos é empossado prefeito de Várzea Grande. Ele ficou no poder por 12 anos, durante três mandatos de prefeito municipal
Em janeiro de 1982, o jovem Jaime Campos é empossado prefeito de Várzea Grande. Ele ficou no poder por 12 anos, durante três mandatos de prefeito municipal
Foto de Arquivo/Pulula da Silva
Indicados pelos irmão Jaime e Júlio Campos, o ex-prefeito Nereu Botelho cumpriu mandato muito criticado pela população no início dos anos 90
Indicados pelos irmão Jaime e Júlio Campos, o ex-prefeito Nereu Botelho cumpriu mandato muito criticado pela população no início dos anos 90
Foto de ODOC
Aliado da família Campos, ex-prefeito Licínio Monteiro: "páu na cabeça da bugrada"
Aliado da família Campos, ex-prefeito Licínio Monteiro: "páu na cabeça da bugrada"
Foto de Arquivo/ODOC
Os primos Jaime e Júlio Campos, nos anos 70, dão posse ao então prefeito Branco de Barros. Mais tarde, ele foi nomeado conselheiro vitalício do Tribunal de Contas pelo ex-governador Jaime Campos
Os primos Jaime e Júlio Campos, nos anos 70, dão posse ao então prefeito Branco de Barros. Mais tarde, ele foi nomeado conselheiro vitalício do Tribunal de Contas pelo ex-governador Jaime Campos
Foto de Arquivo/ODOC
Tradicional bar "Balança, Mas Não Cai" que abrigava os eleitores fanáticos da família Campos
Tradicional bar "Balança, Mas Não Cai" que abrigava os eleitores fanáticos da família Campos
Foto de Arquivo/ODOC
Seu Fiote (in memórian) e dona Amália Curvo: conselheiros dos filhos que viraram governadores de Mato Grosso, Jaime e Júlio Campos
Seu Fiote (in memórian) e dona Amália Curvo: conselheiros dos filhos que viraram governadores de Mato Grosso, Jaime e Júlio Campos
Foto de ODOC

A exemplo de monarquias seculares mundo a fora, a família Campos pode conquistar, em 2016, mais um título digno de honrarias palacianas concedidas a reis e rainhas de países europeus do século XVIII. Caso a atual prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM), seja reeleita, no próximo ano, a mais antiga oligarquia do Brasil, ainda no poder, alcançará meio século de domínio político e administrativo da segunda maior cidade de Mato Grosso.

A longevidade política do grupo liderado pelos Campos teve início, em 1950, com a chegada de Júlio Domingos de Campos, o seu Fiote, no comando da prefeitura de Várzea Grande. De lá pra cá, os filhos, sobrinhos e netos do patriarca (falecido) dominaram as disputas eleitorais na cidade e podem cravar, em outubro próximo, 50 anos de vitórias e conquistas nas urnas.

Além dos filhos e sobrinhos, genuínos representantes da genética Campos, (Ary, Júlio, Branco e Jaime Campos), outros compadres e parentes também foram guindados ao poder durante este meio século de um tranquilo e soberano reinado na política várzea-grandense. 

Ao separar as poucas derrotas impostas na contagem do sufrágio popular, a família Campos participou diretamente das disputas eleitorais do município nos últimos 66 anos. Porém, a somatória linear dos mandatos eletivos atualmente totaliza 46 anos, podendo chegar aos 50 anos com uma possível reeleição da atual prefeita, Lucimar Campos, esposa do ex-governador Jaime Campos.

Durante as sucessivas gestões de um mesmo grupo político, o município foi sendo empurrado para o abismo social. Neste meio século de poder, os Campos viram pequenas vilas na floresta amazônica se transformarem em verdadeiras metrópoles do agronegócio como Rondonópolis e Primavera do Leste (Sul) e Nova Mutum, Sorriso, Lucas do Rio Verde e Sinop (Norte).

Há quase sete décadas, quando seu Fiote, mentor intelectual da família Campos, chegou ao poder, o várzea-grandense viu pela primeira vez um aparelho televisor em preto e branco, vestiu o avançado modelo de calça jeans como artigo de luxo da época e ainda pode comprar a novíssima vitrola musical movida a pilha.

Nos tempos atuais, a nora dele, Lucimar Campos, ainda prefeita da mesma cidade vive outra realidade. Hoje os eleitores formam a geração dos aplicativos nas redes sociais e são telespectadores que exigem transmissões de som e imgem em alta definição. Neste longo período, muita coisa mudou, no entanto, a cidade continua com os mesmos problemas dos anos 50: falta de saneamento básico, índice de desenvolvimento humano comparado a países africanos, desemprego em escala colossal e total falta de planejamento urbano e social.         

Trajetória

O comerciante, Júlio Domingos de Campos, o seu Fiote, filho de Veríssimo Domingos de Campos e Porfíria Paula de Campos, nasceu em Várzea Grande, em 09 de janeiro de 1917. Assumiu a cadeira de prefeito com a saída de Gonçalo Botelho de Campos, para disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa em 1950, tornando – se o terceiro prefeito da cidade.O falecido Fiote é pai do ex-senador Jaime Campos e do ex-deputado Federal, Júlio Campos, e ambos já foram prefeitos do município, como também, governadores de Mato Grosso. Retornou ao cargo em 1957, eleito pelo voto popular, sendo responsável pela primeira pavimentação asfáltica da cidade, que ia do início da avenida Couto Magalhães até a extinta sede social do glorioso Clube Esportivo Operário Várzea-grandense. Permaneceu no cargo até 1960.

Histórico

Várzea Grande foi emancipada politicamente em 23 de setembro de 1948, deixando de ser uma vila de Cuiabá - e transformando-se em uma cidade. As dificuldades do município são antigas. Já em 1º de janeiro de 1949, o município não tinha recursos financeiros, nem Câmara de Vereadores ou Prefeitura. O então governador do Estado, Arnaldo Estevão de Figueiredo, nomeou o Major da PM, Gonçalo Romão de Figueiredo, como o primeiro prefeito na história de Várzea Grande.

Gestões Grupo/Campos

Júlio Domingos de Campos

8 anos

Licínio Monteiro

4 anos

Ary Campos

4 anos

Júlio Campos

4 anos

Branco de Barros

4 anos

Jaime Campos

12 anos

Carlos Gomes

4 amos

Nereu Botelho de Campos

4 anos

Lucimar Campos

2 anos

(*) Lucimar Campos

4 anos

Tempo total no poder

50 anos

 

 

(*) Caso a atual prefeita seja reeleita, em 2016

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.146.206.127) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=7420 ORDER BY id DESC
  • 3
    0
    Autor:
    Como a verdade tem que ser dita, os Campos realmente trouxeram os benefícios que VG precisa
  • 6
    2
    Autor:
    Parabéns a Família Campos , e ao jornalista que relembrando nosso passado Político , PRESTIGIA a história da VG .
  • 1
    3
    Autor:
    Sarita Baracat foi eleita em 1966 pela ARENA e pertencia à UDN do Ary Leite de Campos. Seu esposo, Vereador Caboclo, foi líder do Prefeito Julinho na Câmara. Já, Murilo e Walace, são como Sarita, ex-aliados dos Campos. Diria que são todos dissidentes, não adversários. Vide que o Edilson Baracat (sobrinho de Sarita), foi Vice de Carlos Gomes. E Toninho (irmão de Murilo), vice de Jayme, inclusive ambos apoiaram Lucimar em 2012.
  • 11
    3
    Autor:
    Se todos os membros da familia Campos, e seus aliados politicos foram vitoriosos e eleitos em eleição direta pelo povo, é sinal que sao bons admistradores e mereçeram os votos dos Varzeagrandenses, neste mais de 50 anos de comando na Prefeitura do Municipio. Há um erro que deve ser corrigido nessa reportagem: o primeiro Prefeito eleito,em 1949 foi Miguel Leite (PSD-aliado do seo Fiote),que foi cassado pelo TSE na epóca da capital no Rio de Janeiro,e foi substiuido pelo segundo colocado Gonçalo Botelho de Campos (o seo Gonça-da UDN)que era primo-irmão do Fiote. ele ficou pouco mais de um ano como Prefeito e saiu por ter sido eleito deputado estadual.Então tem que contar mais um ano do Gonça na Prefeitura. E o Mandato do Prefeito Branco Campos de Barros,foi de seis anos e não de 4 como esta aqui registrado (1977-1983) e o Jaime Campos teve tambem o seu primeiro mandato de 6 anos (1983-1989),ou seja 2 anos a mais do Branco, 2 anos a mais do primeiro mandato do Jaime, e 1 ano do Gonça, já passaram mais de 50 anos desse Grupo politico no poder na V.Grande.Se a Lucimar for reeleita,completara sim 60 anos e não cinquenta. Tambem os adversários dos Campos, só ganharam as eleições 4 vezes (1961,com Napoleao Costa, 1966 com Sarita Baracat,2004 com Murilo, 2008 com Murilo,e 2012 com Wallace),que por sinal fizeram pessimas e horriveis gestão no comando do Municipio.por isso e por outras razao os Campos,tem prestigio para vencer as eleições.