SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=31987 LIMIT 1
O Documento - Ministra do STJ nega pedido da defesa e deputado Mauro Savi continua preso

BERERÉ 2

Ministra do STJ nega pedido da defesa e deputado Mauro Savi continua preso

Por: Da Redação
A ministra Maria Thereza Moura, que negou o pedido de habeas corpus a Mauro Savi
A ministra Maria Thereza Moura, que negou o pedido de habeas corpus a Mauro Savi

A ministra Maria Thereza de Assis Moura, da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou nesta terça-feira (12), o pedido de habeas corpus do deputado estadual Mauro Savi (DEM), preso desde 9 de maio no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC) após a deflagração da segunda fase da “Operação Bereré”, denominada “Operação Bônus”, que apura um esquema que pode ter causado um prejuízo milionário de R$ 30 milhões aos cofres públicos por meio de um contrato do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) com a empresa EIG Mercados entre os anos de 2009 e 2015. Savi é apontado pelo Ministério Público Estadual (MPE) como um dos líderes da organização

Além desse recurso, a ministra também é relatora do pedido de habeas corpus ingressado pela Assembleia Legislativa que ainda não foi julgado. O pedido de habeas corpus foi protocolizado junto ao STJ pelo advogado Paulo Fabrinny, que contesta as decisões do desembargador José Zuquim, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), relator do caso. No último dia 5, os deputados estaduais aprovaram a soltura de Savi em votação em Plenário com 14 votos favoráveis. Outros 4 deputados se abstiveram e 5 estavam ausentes na hora da votação, porém, Zuquim indeferiu o requerimento.

Além de Mauro Savi, foram presos na operação o ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, seu irmão, Pedro Zamar Taques, e os empresários José Kobori, Roque Anildo Reinheimer e Claudemir Pereira dos Santos, vulgo “Grilo”.

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.80.87.62) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=31987 ORDER BY id DESC