SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=25750 LIMIT 1
O Documento - Justiça anula estabilidade de mais cinco servidores que não prestaram concurso

AL-MT

Justiça anula estabilidade de mais cinco servidores que não prestaram concurso

Por: Da Redação
Entre os servidores atingidos pela decisão, está uma procuradora legislativa e um ex-vereador de Várzea Grande
Entre os servidores atingidos pela decisão, está uma procuradora legislativa e um ex-vereador de Várzea Grande

Cinco servidores da Assembleia Legislativa que foram efetivados no cargo sem a devida aprovação em concurso público tiveram a estabilidade anulada pela justiça. A decisão partiu do Luis Aparecido Bortolussi Junior, da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Popular.

Os funcionários atingidos pela decisão judicial são: a procuradora legislativa Maria Stael Garcia Rodrigues, o técnico legislativo de nível médio Milton Araújo de Brito e os técnicos legislativos de nível superior Lucimar Nascimento Miranda, Edson Ângelo da Silva e Domingos Sávio Pedroso de Barros, este último ex-vereador por Várzea Grande e ex-secretário estadual de Saúde no governo de Jaime Campos (91-94). As decisões têm data de 25 e 29 de setembro e estão publicadas Dário de Justiça circularam nesta terça (10) e quarta-feira (11).

A decisão que anula a efetivação desses funcionários atendeu pedido do Ministério Público Estadual (MPE) que requereu um total de 26 anulações de estabilidades concedidas a servidores do Legislativo sem a prestação de concurso. Bortolussi já havia determinado o afastamento de outros servidores do Legislativo, como a ex-chefe de gabinete do ex-deputado José Riva, Maria Helena Caramelo, do consultor da Mesa Diretora, Leocir Antonio Boeri, do técnico da Secretaria de Orçamento e Finanças, Varney Figueiredo de Lima e do ex-secretário de Administração da AL, Djalma Ermenegildo.

Falsificação

Em sua decisão, o juiz Luis Aparecido Bortolussi Junior destaca que os técnicos legislativos de nível superior Lucimar Nascimento Miranda, Edson Ângelo da Silva e Domingos Sávio Pedroso de Barros, usaram documentos falsos para conseguirem a estabilidade. “Declaro a falsidade do documento reputando inexistente o apontado vínculo no período de 15 de dezembro de 1982 a 21 de maio de 1988 entre o réu Domingos Sávio Pedroso de Barros e a Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Leverger, por conseguinte, também reconheço a nulidade da citada certidão”, diz trecho da decisão. 

 

 

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.91.171.137) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=25750 ORDER BY id DESC