SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=32018 LIMIT 1
O Documento - Após retirada de escolta pelo TJ, governador concede segurança à ex-juiza

SEGURANÇA PESSOAL

Após retirada de escolta pelo TJ, governador concede segurança à ex-juiza

Por: Da Redação
Direito à segurança armada havia sido suspenso pela Comissão de Segurança do TJ, porém, ex- juíza recorreu da decisão
Direito à segurança armada havia sido suspenso pela Comissão de Segurança do TJ, porém, ex- juíza recorreu da decisão

Após a Comissão de Segurança do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) ter determinado na terça-feira (12) a suspensão definitiva da escolta policial da juíza aposentada Selma Arruda, o governador Pedro Taques (PSDB) determinou que a Casa Militar conceda a escolta a ex-magistrada. A decisão atende um pedido feito por Selma ao Executivo. O recurso para anulação da suspensão da segurança, também havia sido feito ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O benefício já havia sido suspenso em maio pela mesma comissão, porém, foi retomado temporariamente por decisão do presidente do TJ, desembargador Rui Ramos. Em seu pedido pela volta do benefício, Selma alega que sofre ameaças pelos serviços prestados ao Estado durante o tempo em que atuou na Sétima Vara Criminal contra o Crime Organizado da Capital, quando julgou políticos, empresários e membros de facção criminosa.

De imediato, não vejo com razoável que uma servidora pública que dedicou sua vida para lutar contra a criminalidade não receba suporte do Estado para garantir a sua segurança pessoal, ameaçada, justamente, em razão de suas atividades fundamentais”, diz trecho do documento.

Selma se aposentou em março e solicitou a manutenção da escolta policial sob a alegação de receber ameaças de membros de uma facção criminosa. De acordo com relatório da Comissão do TJ, a ex-juíza teria quebrado protocolo de segurança ao comparecer em locais de grande presença de público e usando a escolta para eventos políticos e fins particulares. A juíza aposentada é pré-candidata ao Senado pelo PSL.

Antes de se aposentar, Selma era escoltada por nove policiais militares, que se revezam em plantões. De acordo com a decisão do governador, a medida de proteção será fornecida em conjunto pela Casa Militar e Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sesp), porém, só vai vigorar até a decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre o recurso impetrado por Selma Arruda.

 

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.198.27.243) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=32018 ORDER BY id DESC
  • 0
    0
    Autor:
    Se prega honestidade e honradez, não deve aceitar.
  • 0
    0
    Autor:
    Dinheiro público sendo desviado para fins particulares. Enquanto isso o povo está sem saúde, sem educação e sem segurança. Cadê o MPE que não acaba com essa farra politiqueira??? O próprio TJ negou por quebra nas regras e o DESgoverno querendo politicar coloca a disposição do ABSURDO o que. pertence ao povo e o que não temos SEGURANÇA.
  • 0
    0
    Autor:
    Que bonito em governador usando dinheiro do povo para dar segurança para candidata. Depois o Riva e o Sinval que são bandidos dos cofres públicos né Selma.
  • 0
    0
    Autor:
    Lamentavel!! e a população que não tem segurança! se o tribunal de Justiça entendeu que não tem necessidade , porque o taques, vai se meter! garantir apoio politico? esse Pedrinho Taques!!!!