SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=38488 LIMIT 1
O Documento - "Não somos ladrões", desabafa professora em resposta a Mauro nas redes sociais

REAÇÃO PESADA

"Não somos ladrões", desabafa professora em resposta a Mauro nas redes sociais

Por: Reportagem Local
Nas vésperas de paralisação geral do funcionalismo, professora da rede estadual viraliza postagem na internet
Governador, Mauro Mendes (DEM): relação conturbada com os mais de 100 mil servidores públicos de MT
Governador, Mauro Mendes (DEM): relação conturbada com os mais de 100 mil servidores públicos de MT
Foto de ODOC/Arquivo

O desabafo de uma professora da rede estadual nas mídias sociais e em grupos de whatsap, no fim de semana, feito ao governador Mauro Mendes (DEM), repercutiu negativamente contra o democrata. A professora Rosângela Garcia da C. C. Costa, servidora da Secretaria de Estado de Educação usou a ferramenta whatsap para mostrar sua indignação com, segundo ela, a fala e atitude de Mendes em relação aos servidores, especialmente sobre a “funcionária do cafezinho” e ao “motorista”. Ela vê ironia por parte do governador de Mato Grosso.

Tão logo assumiu o governo do Estado, o democrata disse que constatou com perplexidade que uma pessoa contratada como “serviços gerais” recebeu mais de R$ 13 mil no último mês de dezembro, além de um motorista com salário superior a R$ 15 mil. “Pra ter ideia, encontrei coisas como um funcionário público que é motorista da Empaer ganhando R$ 15 mil. Encontramos lá pessoas que fazem serviços gerais, servindo cafezinho, ganhando R$ 13,2 mil. Um técnico de nível médio ganhando R$ 17,6 mil”, disse o democrata na ocasião.

Segundo a professora, os servidores foram expostos de “forma esdrúxula, ofendidos e ridicularizados pelo governador”. A professora endereçou a ‘nota informativa’, como denominou no aplicativo de whatsap, ao governador, sua equipe de assessores e aos secretários. Ela entende que o governador tem uma imagem deturpada do servidor e argumenta que “vale a pena pensar muito bem antes de tratar mal um servidor público ou qualquer pessoa que paga os seus tributos”.

A professora se diz preocupada “só de pensar que a cúpula do governo tenha compactuado com a posição do governador em expor os servidores públicos”. Ela destaca que o democrata foi eleito pelo servidor público. Confira, na íntegra, a nota informativa enviada pela professora em grupos de whatsap:  

“Desabafo de uma Professora, indignada com as falas e atitudes do Exm°. Sr.Governador do Estado de Mato Grosso, recém empossado e diga-se de passagem, cargo eletivo. Resolvi então redigir uma nota informativa para ele e sua equipe de Assessores e Secretários.

Exm°.Senhor Governador, tenho lido e assistido os noticiários por diversas vezes, e confesso que me sinto indignada pelas suas falas em relação ao  Servidor Público, como se nós fossemos os responsáveis pela atual situação em que o nosso Estado se encontra, mas confesso que o quê  me chamou muita atenção foi o termo usado pelo Exm°.Sr. ao se referir a "funcionária do cafezinho" e "motorista" com muita ironia, e até mesmo afirmar que os salários que recebem não condiz com o que fazem. Pois bem Sr. Governador, se durante a sua campanha ao Governo do Estado tivesse informado aos seus eleitores Mato-grossenses os valores dos salários que estavam levando o ESTADO à óbito, com certeza nós teríamos a oportunidade de informá-lo o que efetivamente acontece no Serviço Público. Mas pelo que acompanhei antes, esse não era o foco do nosso Governador.

Mas peço licença para dizer-lhe uma palavra, em nome de todos "funcionários do cafezinho" e dos "motorista", não somos "Ladrões", somos pessoas honestas, dignas, responsáveis e com todo respeito agimos de forma lícita em todas as nossas atitudes, independentemente do cargo que temos no Serviço Público.

Se de fato existir algo ilícito, pode ter certeza que começa dos cargos mais altos do primeiro escalão para baixo. Se algum servidor receber indevidamente os subsídios que não são seus, os Governos  anteriormente tomavam as providências necessárias e cabíveis sem precisar expor ou denegrir qualquer funcionário público. Até porque para isso existe no Estado às Leis que V. Exa. poderá se respaldar sem ter que humilhar ninguém. E mesmo que fossem um condenado como servidor público, não deixa de ser um "SER  HUMANO" com direito a se defender.

Fiquei muito triste e envergonhada com o "oba oba" que a mídia fez e faz com os Servidores Públicos, sinto-me no dever de defendê-los e em defesa da grande maioria de servidores, e até mesmo os que te elegeram não  comungam da forma como vem tratando os Servidores Públicos do Estado. Esperávamos que o seu primeiro mês, após três de transição fossem suficientes para pelo menos ler, conhecer e estudar o Código de Ética do Servidor Público, observando cada artigo e parágrafo, pois o servidor efetivo que deixar de cumpri-los responde a processos administrativo e dependendo da gravidade poderá ser até exonerado. Cabe lembrar que estou me referindo a     Servidor Concursado e não  contratado por "Empresas", pois essas acredito que não possuem o rigor a que são submetidos os efetivos. Indigno-me com a covardia em que os meios de comunicação tratam a matéria, assunto este que tornou-se ibope para meter a lenha nos funcionários com salários mais altos no Executivo. Pobre mídia, desinformação total e inescrupulosa. Descobriram o quê? Afinal, não sabiam que existe no Estado o Portal Transparência, que qualquer pessoa pode acessar o Sistema e encontrar lá os valores dos salários de TODOS os Servidores do Estado de Mato Grosso. Vale lembrar, que lá somente consta os salários dos concursados e efetivos.

Recordo ainda, que até o momento não vi nas mídias e nem  pessoalmente, ninguém que tenha saído em defesa dos servidores ou  sentir-se ofendido com a fala de V. Exa., mas garanto ao Sr. Governador, que como eu existem muitos  indignados.

Sou Cuiabana, Mato-grossense, honesta, digna e responsável. Durante o tempo que trabalhei no Estado procurei dar o meu melhor, não sujei o meu nome e contribuí para Educação de muitos e muitos que aqui viveram e passaram.

Conheço muito bem a sua trajetória e sei que V. Exa.não nasceu no Mato Grosso e nem conhece muito bem as virtudes e caráter dos cuiabanos de "chapa e cruz", o que mais pesa na nossa consciência e nos  preocupa, é honrar o nome que carregamos, bem como a honestidade. Imaginar que " funcionária do cafezinho" e "motorista" como o Senhor disse estejam recebendo indevidamente, se é que estão mesmo, ou seja subsídios ilícitos conforme fatos que

conheceu, e à partir daí V.Exa. tenha tido uma impressão tão negativa dos servidores públicos. Se for, fico muito mais preocupada, só de pensar que cúpula do  Governo de V. Exa. tenham compactuados com sua posição em expor os Servidores Públicos  Mato-grossenses e que ainda apoiaram denegrindo ainda mais imagem do Servidor Público ao nosso Povo Cuiabano, Mato-grossense e Brasileiro. Ao que parece, além de não conhecer os servidores honestos que honram o seu a trabalho como meio do seu sustento e de sua família, V. Exa. não teve oportunidade de conversar e dar a devida atenção aos servidores que te apoiaram, e que sem eles jamais o Senhor estaria hoje governando o ESTADO.

Tenha certeza, Senhor Exm° Governador, que existe muitas pessoas de bem no serviço público, o qual o Senhor não perderia nada em conhecê-los, e até mesmo reconhecer quão imatura foi sua primeira impressão dos servidores do Executivo, pois sem apoio deles V.Exa. terá um desgaste desnecessário, até porque trabalhar unidos, mesmo que arduamente é muito mais eficaz para buscar a qualidade efetiva e garantir eficiência no seu Governo.

Aproveite Governador, durante esse período que estará responsável pelo Nosso Estado, procure conhecer pessoalmente a verdade dos servidores públicos estadual,  converse com os técnicos de carreira  pessoas mais simples, V. Exa. irá descobrir que existem no Serviço Público um Capital Intelectual imensurável e vai se encantar com menor servidor público que nos ensina muito mais, iria descobrir que há pessoas que possuem apenas o ensino fundamental ou não alfabetizadas, mas que são muito mais inteligentes do que qualquer um de nós.

O fato de não possuírem grau escolaridade, pós- graduação, mestrado, doutorado e condições econômicas, não possuam inteligência.

Finalizando quero antes dizer que sou servidora pública, professora habilitada para atuar no ensino fundamental/ensino médio/ensino superior e pós graduação, concursada, e que isso muito me orgulha.

Quero lembrar ainda que como servidores públicos temos planos de carreira que aprovado e sancionado em Lei, e se acaso ainda não  saibam somos amparados pela Constituição Federal, Constituição Estadual, Código de Ética do Servidor Público, Decretos, Leis Complementares e todos com o aval do Legislativo. Então vale a pena pensar muito bem antes de tratar mal um servidor público, ou qualquer pessoa que paga os seus tributos direta ou indiretamente, isso pode significar ou  causar-lhe dano moral.

O servidor público tem deveres: ser cortês, ter urbanidade, disponibilidade e atenção, respeitando a capacidade e as limitações individuais de todos os usuários do serviço público, sem qualquer espécie de preconceito ou distinção de raça, sexo, nacionalidade, cor, idade, religião, cunho político e posição social, abstendo-se, dessa forma, de causar-lhes danos moral.

"SER E ESTAR" no Governo também requer cumprir deveres, evitando causar danos morais aos Servidores Públicos do Estado de Mato Grosso e procurando demonstrar ter preparo e dignidade para conduzir cargo de Exm° Governador do Estado de Mato Grosso. Sem se deixar ser autoritário, pois no Serviço Público há outros deveres fundamentais que é: ter respeito à hierarquia, porém sem nenhum temor de representar contra qualquer comprometimento indevido da estrutura em que se funda o Poder Estatal.

Dessa forma encerro essa Nota Informativa, sem temor, pois estou agindo em defesa dos meus colegas Servidores Públicos que foram esdruxulamente expostos, ofendidos e ridicularizados pelo Exm°. Sr. Governador, Secretários, Assessores e pela Mídia.

Tomei essa atitude como servidora pública com mais de 34 anos de serviços prestados no Governo. Eu sou Servidora Pública e não vou admitir que ninguém, nem V.Exa e nem a Sociedade tenha uma imagem deturpada de TODOS nós, que recebemos os nossos salários porque trabalhamos, e pagamos todos impostos devidos que já vem descontado. Somente à Sociedade e aos trabalhadores honestos, cabem a nós dar satisfação, é para eles que trabalhamos, e é para eles que cuidamos e aprendemos sempre.

Sempre há tempo de aprender, Senhor Governador desejo que V. Exa. tenha humildade para aprender  e colocar em prática, pois de nada adiantará se não houver mudanças nas nossas atitudes e ações. Desculpem os outros colegas servidores públicos o desabafo, mas fui motivada pela carta que li de um professor, pois  não devemos nos intimidar por nossos superiores hierárquicos que não respeitam o Servidor Público”.

Corajosamente,

Rosângela Garcia da C. C.Costa

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

Professora Concursada

Cuiabá-MT, 09 de Fevereiro de 2019.

 

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (52.91.176.251) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=38488 ORDER BY id DESC
  • 0
    1
    Autor:
    Boa noite meus caros, Acho muito bacana a ideia destes espaços para o diálogo entre os cidadãos, muito mesmo. O real problema de toda essa situação em que o MT se encontra volta ao período de outros governadores, poderíamos dizer inclusive que o abacaxi caiu no colo do atual governador e ele esta tentando controlar a situação, eu reconheço o direito que todos os funcionários públicos possuem, obviamente reconheço que o atual chefe do executivo estadual "Pisou fora da linha" e cometeu algumas injustiças. No entanto, o grande problema aqui, hoje, é social. Vejamos só, vamos dizer que o governo paga tudo aquilo que os servidores da educação estão exigindo, e mais, vamos dizer que sem pestanejar ele concede tudo aquilo que a educação, a segurança publica estão pedindo. O "rombo" que ficaria nas contas do estado seria tão grande que nem condições de renegociação da divida com o governo federal seriam possíveis. O pensamento atual do funcionalismo publico é (quase em sua totalidade) de autopreservação, e o discurso da oposição geralmente é o mesmo, fala-se das nomeações que o governo faz e etc, de incentivos fiscais que o governo concede a grande produtores do estado, mas aquilo que esquecem de fazer é o restante o calculo, por mais que a iniciativa privada seja tão "cruel" se esquecem que são eles quem no fim das contas geram empregos no estado. Tudo bem, eles ficam mais ricos a cada dia, mas se eles não ficarem que sentido eles teriam de manter seu negócios aqui no estado (por exemplo no período eleitoral certa empresa disse que se (naquele tempo candidato) o atual governador vencesse a eleição fecharia seu pontos no estado, agora imagina se essa empresa faz isso e deixa 2 mil pessoas desempregadas no estado). O estado poderia perder diversas empresas, e gerar mais desempregados do que aqueles que ja temos. A grande questão é o funcionalismo recebe, ou entra com uma ação e pede bloqueio de 100 milhões dos cofres do estado, com isso se esquecem que podem estar bloqueando da verba destina para a merenda de escolas, para viaturas policiais e etc, e depois surgem novas reclamações, do tipo a saúde do estado esta em crise, faltam médicos, medicamentos, leitos, e se esquecem que aqueles 100 milhões do exemplo talvez fossem destinados para a saúde. A questão é que para que haja mudança real, haverão "classes", "grupos" que serão prejudicados, mas em prol da coletividade, que é o que se estuda em direito constitucional e administrativo para ser um servidor público basicamente (mas pelo jeito se esquecem disso). Pessoal, tenho certeza que em algum momento o brasileiro deixará de pensar nele próprio para pensar naqueles que estão em sua volta. Reconheço que os servidores têm seu direito e que ele deve ser cumprido, mas e as condições do estado? E se depois disso os impostos subirem mais ainda? E se a inflação prejudicar muito mais nosso poder de compra? Entendem onde quero chegar? É tudo uma questão de abrir mão de algo para garantir que terá condições de receber por mais alguns meses, pois de nada adiantaria receber tudo que se pede agora, e no mês que vem não existir nem previsão para salário e nem nada do tipo. E só para que conste não votei no atual governo, tive de justifica-lo por motivos pessoais. Ainda tenho fé no brasileiro, tenho fé no meu MT e para ele desejo o melhor.
  • 0
    0
    Autor: Jefferson
    Boa noite meus caros, Acho muito bacana a ideia destes espaços para o diálogo entre os cidadãos, muito mesmo. O real problema de toda essa situação em que o MT se encontra volta ao período de outros governadores, poderíamos dizer inclusive que o abacaxi caiu no colo do atual governador e ele esta tentando controlar a situação, eu reconheço o direito que todos os funcionários públicos possuem, obviamente reconheço que o atual chefe do executivo estadual "Pisou fora da linha" e cometeu algumas injustiças. No entanto, o grande problema aqui, hoje, é social. Vejamos só, vamos dizer que o governo paga tudo aquilo que os servidores da educação estão exigindo, e mais, vamos dizer que sem pestanejar ele concede tudo aquilo que a educação, a segurança publica estão pedindo. O "rombo" que ficaria nas contas do estado seria tão grande que nem condições de renegociação da divida com o governo federal seriam possíveis. O pensamento atual do funcionalismo publico é (quase em sua totalidade) de autopreservação, e o discurso da oposição geralmente é o mesmo, fala-se das nomeações que o governo faz e etc, de incentivos fiscais que o governo concede a grande produtores do estado, mas aquilo que esquecem de fazer é o restante o calculo, por mais que a iniciativa privada seja tão "cruel" se esquecem que são eles quem no fim das contas geram empregos no estado. Tudo bem, eles ficam mais ricos a cada dia, mas se eles não ficarem que sentido eles teriam de manter seu negócios aqui no estado (por exemplo no período eleitoral certa empresa disse que se (naquele tempo candidato) o atual governador vencesse a eleição fecharia seu pontos no estado, agora imagina se essa empresa faz isso e deixa 2 mil pessoas desempregadas no estado). O estado poderia perder diversas empresas, e gerar mais desempregados do que aqueles que ja temos. A grande questão é o funcionalismo recebe, ou entra com uma ação e pede bloqueio de 100 milhões dos cofres do estado, com isso se esquecem que podem estar bloqueando da verba destina para a merenda de escolas, para viaturas policiais e etc, e depois surgem novas reclamações, do tipo a saúde do estado esta em crise, faltam médicos, medicamentos, leitos, e se esquecem que aqueles 100 milhões do exemplo talvez fossem destinados para a saúde. A questão é que para que haja mudança real, haverão "classes", "grupos" que serão prejudicados, mas em prol da coletividade, que é o que se estuda em direito constitucional e administrativo para ser um servidor público basicamente (mas pelo jeito se esquecem disso). Pessoal, tenho certeza que em algum momento o brasileiro deixará de pensar nele próprio para pensar naqueles que estão em sua volta. Reconheço que os servidores têm seu direito e que ele deve ser cumprido, mas e as condições do estado? E se depois disso os impostos subirem mais ainda? E se a inflação prejudicar muito mais nosso poder de compra? Entendem onde quero chegar? É tudo uma questão de abrir mão de algo para garantir que terá condições de receber por mais alguns meses, pois de nada adiantaria receber tudo que se pede agora, e no mês que vem não existir nem previsão para salário e nem nada do tipo. E só para que conste não votei no atual governo, tive de justifica-lo por motivos pessoais. Ainda tenho fé no brasileiro, tenho fé no meu MT e para ele desejo o melhor.
  • 15
    2
    Autor:
    Sr.professora, funcionária "pública "etc...Com todo o seu conhecimento acadêmico e experiência pública , está mostrando a falta de conhecimento da sua parte, porque o gov. Não está desmerecendo ninguém ele referiu assim porque é o cargo que essas pessoas ocupam certo ou a senhora prefere que ele minta hem! O fato dele mostrar a realidade do nosso MT é de grandeza pois todos que passaram por lá só desgracou o MT, o estado tá literalmente quebrado, servidor público não é pra inrequecer através do Estado certo, ter um salário digno tudo bem mas não isso que é mostrado aí, por causa de pessoas como a Sr.que o Mt tá assim literalmente quebrado, tem muita gente q bate garganta q tem nível superior, conversa fiada , faz essas faculdade nas coxas só pra ter um canudo e elevar salário, porque sempre foi assim. .Não desista MM é por ai mesmo acabe com a mamata,Osserviços público e de péssima qualidade em geral, O inimigo tá enfezado porque a farra tá acabando cai em frente MM,MT precisa viver. .Chega. ..
  • 3
    20
    Autor: Eder que não é Moraes
    Quem não te conhece que te compra mauro mente....Taí mentiu para o funcionalismo. Agora, chupa essa manga os eleitores de mauro mente
  • 1
    23
    Autor:
    Parabéns pela coragem professora. Fora Mauro, fora Mauro, fora Mauro!
  • 5
    22
    Autor:
    Eu falei, deixa o baixinho lá, vcs não me ouviram é elegeram essa mandioca descascada...Agora gente!!
  • 8
    9
    Autor: Eu
    Mostra a cara da professora!
  • 9
    11
    Autor:
    Não é oque os funcionários queria?! Agora aguenta funcionários! Só 4 anos ! Passa rápido. Tá com saudades do baixinho? Volta Pedrinho!!?kkkkk
  • 6
    21
    Autor:
    Vai pro quinto dos infernos seu governador sem moral
  • 5
    26
    Autor:
    Também vi esse desabafo da servidora no whatsap, concordo com ela que faltou respeito e mais sensibilidade do governador porque humildade está fora do dicionário ddesse que se diz democrata; ~sai prá lá caninana vai azarar lá pro lado do seu estado que é goiás, espera a próxima eleição pra tu ver o troco do cuiabano de chapa e cruz
  • 4
    27
    Autor:
    Engraçado se o Mauro é tão competente como ele diz porque ele não foi recuperar o Estado de Goias de onde ele? Mato Grosso está cheio de pessoas que chegam aqui ficam milionários com incentivos fiscais e depois querem dar uma de competente... Acorda povo de Mato Grosso esta na hora de reagir e mostrar que temos gente competente em nosso Estado..
  • 3
    29
    Autor:
    Não foi apenas falta de decoro do governador, foi falta de humildade, bem próprio de quem se acha o supra sumo. Pior do que encomenda vem saindo este governador. Foi no mínimo desrespeitoso com os servidores em questão, concordo com a professora alguém precisa fazer algo para estancar essa ofensa contra os servidores estadyuaius
  • 4
    25
    Autor:
    Esse governador não tem decoro. Não demonstra respeito. Inclusive a grande parte de seus eleitores. Que são servidores. Sua arrogância e de sua equipe assusta. Ele, seu vice e seu casa civil superaram o Pedro Taques e seu primo. Veja como acabaram. Sejam humildes ainda dá tempo.