SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=27255 LIMIT 1
O Documento - Mulher suspeita de matar marido PM com a arma dele tem prisão decretada pela Justiça

PREVENTIVA

Mulher suspeita de matar marido PM com a arma dele tem prisão decretada pela Justiça

Por: Da Redação
Polícia diz que encontrou indícios de que soldado da PM foi morto a tiros pela própria mulher em Peixoto de Azevedo
Polícia diz que encontrou indícios de que soldado da PM foi morto a tiros pela própria mulher em Peixoto de Azevedo
Foto de Reprodução/Facebook

O juiz Evandro Juarez Rodrigues, da Segunda Vara Criminal e Cível de Peixoto de Azevedo decretou a prisão preventiva de Deise Ribeiro de Oliveira, 23 anos, acusada pelo assassinato do marido, o policial militar Moshe Dayan Simão Kaveski, 28 anos, no Distrito de União do Norte, município de Peixoto de Azevedo, na noite de segunda-feira (4). O policial foi alvejado por disparos de arma de fogo na cabeça e na região do tórax. A suspeita já havia sido presa em flagrante na noite do crime.

Deise será encaminhada para audiência de custódia ainda nesta quinta-feira (7). Depois disso, se o juiz manter a prisão, ela será encaminhada para uma unidade prisional de Mato Grosso.

Deise é apontada pela Polícia Civil como a autora do assassinato do PM Moshe Dayan. A mulher era companheira da vítima e num primeiro momento informou que ambos foram abordados por uma pessoa, descrevendo como baixa, gorda, vestindo roupas escuras. A mulher, entre várias versões apresentadas, contou, depois, que eram duas pessoas, que, inclusive, teria subtraindo os aparelhos celulares, tanto seu quanto do companheiro.

No entanto, o celular da vítima foi encontrado próximo ao muro da residência. O delegado Israel Pirangi Santos disse que houve muita divergência nas versões apresentadas e que não há sinais de luta corporal, apesar de a mulher informar ter ocorrido.

Conforme o delegado, um dos disparos foi encostado e teria ocorrido no momento que a vítima estava agachada, soltando o cachorro da casa. Também há informações de discussão do casal horas antes.

Outro ponto  que contribuiu para convicção da autuação foi o fato da mulher costumar portar a arma da vítima, em sua bolsa, como no momento dos fatos. Outro motivo é o fato da vítima estar embriagada e trajando bermuda e não ter notícias de que houve movimentação de motos no local ou latidos de cachorros.

Em relação, ao homem que foi conduzido junto com a mulher até a Delegacia, não houve elementos para presumir eventual participação dele na morte do policial. O caso continua em investigação na Delegacia até o total esclarecimento das circunstâncias do assassinato.

 

 

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.145.16.43) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=27255 ORDER BY id DESC