SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=30278 LIMIT 1
O Documento - Corínthians bate o Palmeiras no Allianz Parque e Botafogo vence o Vasco no Rio

SÓ NOS PENALTIS!

Corínthians bate o Palmeiras no Allianz Parque e Botafogo vence o Vasco no Rio

Por: Da Redação

O Corinthians conquistou neste domingo, de forma emocionante, seu 29º título do Campeonato Paulista, em pleno Allianz Parque. Bicampeão consecutivo, o Timão venceu o Palmeiras na grande final, por 1 a 0, com gol relâmpago de Rodriguinho, em Dérbi eletrizante e cheio de pressão para cima da arbitragem, e tratou de confirmar o triunfo nas penalidades, por 4 a 3, com direito a duas defesas do goleiro Cássio.

Para a finalíssima, o Corinthians foi escalado por Carille com as entradas de Ralf, Jadson e Romero nas vagas antes ocupadas por Gabriel, Emerson Sheik e Clayson. Assim, o Timão foi a campo com: Cássio (capitão), Fagner, Balbuena, Henrique e Sidcley; Ralf e Maycon; Romero, Jadson, Rodriguinho e Mateus Vital.

Com o término do Estadual, o próximo compromisso do Corinthians, cabe registrar, é um embate contra o Fluminense, no domingo que vem, na Arena, em Itaquera, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Pela Libertadores, o Timão volta a jogar no dia 18 deste mês, contra o Independiente, na Argentina.

O mesmo roteiro, mas com personagens invertidos Na ida, o Palmeiras calou a Arena Corinthians com o gol cedo de Borja. O Timão fez o mesmo no Allianz Parque: no primeiro minuto, Mateus Vital fez uma  jogadaça pela esquerda, e Rodriguinho, com um chute desviado por Victor Luis, marcou o sexto gol no ano (artilheiro corintiano) e murchou a festa da torcida palmeirense.

Gol anulado e pressão

O Verdão chegou a empatar aos seis, mas Willian estava impedido. Deste lance ao fim da primeira etapa, o time da casa jogou no seu campo de ataque, mas criou poucas chances claras. Dudu, o mais participativo, sofreu pela falta de apoio na direita. O Corinthians, com Vital e Rodriguinho, também não voltou a incomodar Jailson até o intervalo.

Penaltis 

Acalmados os ânimos, o Palmeiras jogou os minutos finais todo no ataque, mas a última chance no tempo normal foi do Corinthians, com Sidcley. No fim, a vitória simples do Timão levou o o jogo aos pênaltis. Nas cobranças, Cássio foi o grande nome. Ele pegou as batidas de Dudu e Lucas Lima e deu ao Corinthians a vantagem. Fagner errou pelo Corinthians, mas Danilo, Romero, Lucca e Maycon converteram para calar o Allianz e dar o bi ao Timão.

FICHA TÉCNICA PALMEIRAS 0 (3) X (4) 1 CORINTHIANS

Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)

Data-Hora: 08/04/2018 - 16h

Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza

Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Daniel Paulo Ziolli

Público/Renda: 41.227/ R$ 4.001.277,68

Cartões amarelos: Cássio, Romero, Fagner, Balbuena (COR) - Dudu, Moisés (PAL)

Cartões vermelhos: -

Gols: Rodriguinho (2'/1ºT) (0-1)

Pênaltis: Dudu (errou), Danilo (GOL), Victor Luis (GOL), Romero (GOL), Lucas Lima (errou), Lucca (GOL), Marcos Rocha (GOL), Fagner (errou), Moisés (GOL), Maycon (GOL).

PALMEIRAS: Jailson, Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luis; Bruno Henrique (Thiago Santos, aos 44'/2T), Moisés e Lucas Lima; Dudu, Borja (Deyverson, aos 43'/2T) e William (Keno, no intervalo).

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Henrique e Sidcley; Ralf e Maycon; Romero, Jadson (Emerson Sheik, aos 20'/2T), Rodriguinho (Danilo, aos 53'/2T) e Mateus Vital (Lucca, aos 40'/2T).


Rio de Janeiro

Botafogo conquistou o título Carioca ao derrotar o Vasco, na cobrança de pênaltis, por 4 a 3, depois de ter vencido por 1 a 0, no tempo normal. Como o Vasco havia vencido a primeira partida, a vitória do Alvinegro de General Severiano levou a decisão para a disputa de penalidades máximas.

Mais de 60 mil torcedores estiveram presentes ao jogo realizado na tarde deste domingo, no Maracanã e presenciaram uma partida dramática.

O Vasco jogou desde os 36 minutos do primeiro tempo com um jogador a menos por causa da expulsão do lateral Fabrício. O time de General Severiano pressionou o tempo inteiro, mas só conseguiu marcar nos acréscimos, com o zagueiro Joel Carli.

Na cobrança de pênaltis, Gatito Fernández foi o grande herói, defendendo as cobranças de Werley e Henrique. Brenner, Gilson, Marcinho e Renatinho converteram para o Botafogo, enquanto Pimpão desperdiçou sua chance. No Vasco, Wagner, Andrés Rios e Yago Pikachu converteram suas cobranças.

O jogo – Diante de um grande público, o jogo começou truncado com forte marcação das duas equipes. Necessitando de vitória, o Botafogo adotou uma postura mais ofensiva, com Leo Valencia se aproximando de Brenner. Só aos sete minutos é que o Vasco chegou na área alvinegra em cobrança de escanteio que foi bem defendida pela defesa botafoguense.

O jogo era disputado com muita intensidade, com as duas equipes disputando os lances com muita disposição.

O Vasco usava os laterais Fabricio e Henrique para se revezarem pela esquerda com o objetivo de bloquear as investidas do lateral-direito Marcinho.Aos 13 minutos, Leo Valencia empurrou Pikachu ao lado da área, mas a cobrança não deu em nada.

O Botafogo respondeu com um lançamento para Brenner, mas Martín Silva chegou primeiro e ficou com a bola.

Aos 21 minutos, após rebatida na área cruz-maltina, a bola sobrou para Matheus Fernandes que encheu o pé. A bola bateu no braço de Rafael Galhardo, mas o árbitro considerou o lance acidental para desespero dos jogadores botafoguenses que queriam a marcação de pênalti.

Três minutos depois, após cobrança de escanteio, Gatito saiu para desviar a bola e evitar que ela chegasse para o zagueiro Erazo.

Aos 25 minutos, o Vasco desperdiçou a primeira grande chance para marcar. Pikachu bateu de fora da área, Gatito foi mal e deu rebote, mas Riascos, livre, na pequena área, não conseguiu fazer a conclusão. Logo depois, Desábato enfiou para a penetração de Pikachu, mas Igor Rabello conseguiu bloquear o lançamento e aliviar o perigo.

O Vasco seguia bem melhor e aos 35 minutos, Pikachu recebeu na pequena área e mandou por cima. O jogador cruz-maltino estava adiantado, mas a arbitragem nada marcou.

O Botafogo não conseguia chegar na área do Vasco e o goleiro Martín Silva chegou aos 35 minutos sem fazer uma defesa.

Aos 36 minutos, Fabrício atingiu Luiz Fernando de forma violenta e recebeu cartão vermelho. O atacante do Botafogo, chorando muito, precisou deixar o campo por causa das fortes dores.

Com um jogador a mais, o Botafogo se encheu de entusiasmo e tentou fazer pressão. Já nos acréscimos, Moisés foi lançado pela esquerda e tentou achar Brenner na área, mas Martín Silva se antecipou e fez a defesa.

O Botafogo voltou para o segundo tempo com Gilson e Kieza nas vagas de Moisés e Marcelo. E partiu para cima do Vasco. Mas foi o time de São Januário que criou a primeira oportunidade. Gatito se atrapalhou para cortar um cruzamento e Igor Rabello conseguiu salvar. O Botafogo respondeu com um cruzamento na área. Martín Silva saiu mal e Paulão salvou na linha do gol.

Aos 11 minutos, após cobrança de escanteio, Rafael Galhardo agarrou Carli na pequena área, mas o árbitro nada marcou. A bola ainda sobrou para Renatinho que chutou forte para Martín Silva defender.
O técnico Zé Ricardo trocou o lateral Rafael Galhardo pelo zagueiro Werley.

Aos 18 minutos, Gilson derrubou Pikachu na entrada da área. O próprio Pikachu bateu e a bola passou perto da trave esquerda.

Três minutos depois, o Botafogo quase marcou. Valencia levantou na área e Brenner escorou, mas a bola explodiu no peito de Martín Silva.

O time dirigido por Alberto Valentim mantinha a pressão, mas abusava dos cruzamentos e facilitava a tarefa da defesa do Vasco que se comportava muito bem no jogo aéreo.

Para aumentar a resistência da defesa, Zé Ricardo colocou mais um zagueiro em campo e tirou um atacante. Saiu Riascos para a entrada de Ricardo.

Aos 46 minutos, Rodrigo Pimpão bateu rasteiro e Martín Silva defendeu com segurança.

Aos 48 minutos, Leo Valencia recebeu o segundo cartão amarelo e também foi excluído da partida.

Aos 49 minutos, após confusão na área, a bola sobrou para Joel Carli que bateu rasteiro para marcar o gol que garantiu a vitória do Botafogo.

FICHA TÉCNICA
VASCO 0(3) X(4) 1 BOTAFOGO

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 8 de abril de 2018 (Domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Público: 58.135 pagantes
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Rodrigo Henrique Corrêa (RJ) e Thiago Corrêa Farinha (RJ)
Cartão Amarelo: Paulão, Desábato, Werley(Vas); Marcelo, Rodrigo Pimpão(Bota)
Cartão Vermelho: Fabricio(Vas); Leo Valencia(Bota)
Gol:
BOTAFOGO: Joel Carli, aos 49 minutos do segundo tempo

VASCO: Martín Silva, Rafael Galhardo(Werley), Paulão, Erazo e Fabrício; Leandro Desábato, Evander(Andrés Rios), Yago Pikachu, Wágner e Henrique; Riascos(Ricardo)
Técnico: Zé Ricardo

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Moisés; Marcelo, Matheus Fernandes, Luiz Fernando(Rodrigo Pimpão), Leo Valencia e Renatinho; Brenner
Técnico: Alberto Valentim

 

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.80.96.153) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=30278 ORDER BY id DESC